payback: executivos, notebook

Payback: O que é e como calcular o da sua empresa

Payback significa “retorno”. Trata-se de uma estratégia, um indicador usado nas empresas para calcular o período de retorno de investimento em um projeto.

Payback é um termo muito usado entre os gestores de empresas.

Mas muitas pessoas podem ter dúvidas sobre o que ele realmente significa. É muito comum o uso de termos estrangeiros no país, principalmente no mundo dos negócios.

Payback é somente um deles – e é muito importante para as finanças da empresa.

Veja em que consiste o payback e como calculá-lo!

O que é?

Payback significa “retorno”. Trata-se de uma estratégia, um indicador usado nas empresas para calcular o período de retorno de investimento em um projeto.

Em palavras mais técnicas, payback é o tempo de retorno desde o investimento inicial até aquele momento em que os rendimentos acumulados tornam-se iguais ao valor desse investimento.

O payback dá ao gestor a estimativa de quanto tempo vai levar até que ele recupere sua aplicação inicial.

Esse período nem sempre é curto – depende do valor do investimento e do tipo de negócio. Em geral, o retorno acontece dentre de meses ou anos.

O payback está relacionado a outros indicadores, como:

  • ROI (Retorno sobre Investimento): percentual de retorno sobre o investimento inicial;
  • VPL (Valor Presente Líquido): valor acumulado do fluxo de caixa, usado para o cálculo exato de payback;
  • TIR (Taxa Interna de Retorno): taxa de juros para a qual o VPL torna-se zero.

Quais suas vantagens e desvantagens?

Como toda estratégia, o payback apresenta pontos positivos e negativos. O grande segredo é saber utilizá-lo da forma correta. Entre suas vantagens, estão:

  • Apresenta fórmula simples, fácil de ser aplicada e aprendida;
  • Oferece uma ideia do nível de liquidez do negócio e do nível de risco que ele envolve;
  • Pode ser útil especialmente em 2 casos: em projetos cujo grau de risco é muito alto e em projetos com vida limitada;
  • Em épocas de crise financeira e instabilidade econômica, o recurso serve para aumentar a segurança nos negócios.

Entre as desvantagens, estão:

  • O indicador valoriza de modo diferente os fluxos recebidos em períodos diversos (isso conforme o pensamento dualista, antes ou depois do payback, desconsiderando os valores recebidos dentro de cada um desses intervalos);
  • Para projetos de duração mais longa, o recurso não é muito recomendado, pois não considera os fluxos de caixa produzidos depois do ano de recuperação.

Como calcular o seu payback?

payback

 

O cálculo do payback envolve uma fórmula relativamente simples, mas é preciso cuidados na hora de calcular as variáveis. É muito importante o planejamento adequado do fluxo de caixa.

É preciso colocar todos os custos relacionados ao investimento, o que nem sempre é fácil.

Devem ser incluídos custos com equipamentos, funcionários, despesas administrativas e operacionais relacionadas.

Depois, por meio do demonstrativo de resultados, define-se o resultado médio mensal do fluxo de caixa, considerando um determinado período (12 meses, por exemplo).

Divide-se o investimento inicial por esse resultado e tem-se o payback do projeto.

Logo, PB (payback) = investimento inicial / resultado médio do fluxo de caixa

Caso uma empresa tenha feito um investimento de R$ 80.000,00 e o resultado médio mensal de seu fluxo de caixa corresponda a R$ 3.000,00, tem-se:

PB = 80.000 / 3.000 = 26,7 meses (aproximadamente 27 meses, ou seja, 2 anos e 3 meses).

Calcular o resultado médio mensal do fluxo de caixa tem a vantagem de simplificar as contas, oferecendo um valor base para ser dividido pelo investimento inicial.

O gestor pode elaborar um fluxo de caixa livre acumulado, ou seja, ele irá somando todos os fluxos de caixa da sua projeção, do começo ao fim.

Projetos novos geralmente apresentam resultados negativos nos meses iniciais; mas, com o acúmulo de resultados positivos nos meses seguintes, o valor se converte em resultado positivo definitivo.

Quando o projeto atingir esse resultado positivo, significa que o payback foi alcançado.

Em se tratando da compra de um equipamento, por exemplo, o cálculo pode ser mais limitado.

Considere que uma máquina que fabrica certas peças custa R$ 3.000.000,00. Ela permite a redução de custo em 15% em cada peça.

Cada peça tem, no momento um custo de R$ 400,00 e são produzidas mensalmente 10.000 unidades dela.

Se deseja saber em quanto tempo acontecerá o payback desse investimento, siga os passos:

  1. Em 1 mês, os custos com as peças são de R$ 4.000.000;
  2. Como a máquina oferece redução de 15%: 15% de 4.000.000 = 600.000;
  3. Logo, há uma economia de R$ 600.000,00 mensais, que entram como receita;

4.PB = 3.000.000 / 600.000 = 5 meses

Um payback relativamente rápido para um investimento.

Caso deseje calcular o retorno em anos, é só dividir o valor do investimento inicial pela economia de 1 ano, ou seja, R$ 7.200.000,00.

PB = 3.000.000 / 7.200.000 = 0,416 ano (ou, por aproximação, 0,42 ano).

É possível encontrar modelos prontos de planilhas para cálculo do payback. Confira um modelo clicando aqui (existe a versão demonstrativa e a paga).

Quais são as dicas para calcular?

Para calcular com mais precisão o payback, vale a pena seguir algumas dicas relacionadas ao controle do fluxo de caixa:

Inventário:

Faça um levantamento minucioso das receitas e despesas da empresa, envolvendo planos de investimento e expansão, tempo atual e futuro, e organize por categoria: operacional, não operacional, investimento.

Período contemplado:

Defina um período para o cálculo de payback conforme o perfil de sua empresa (6 meses, 12 meses, 3 anos);

Atualização:

Atualize periodicamente o fluxo de caixa, contemplando novos horizontes, adicionando ou eliminando receitas e despesas e fazendo uma revisão de seu plano de negócios e de seu orçamento;

Projeções realistas:

No momento de efetuar projeções para o cálculo do payback considere a possibilidade de perdas, principalmente no que se refere à inadimplência ou atrasos de alguns clientes (considere um percentual de perdas sobre as receitas);

Acompanhamento:

Acompanhe sempre a movimentação de seu fluxo de caixa, estando apto a fazer previsões, identificar oportunidades e riscos e considerar todos esses fatores na hora de calcular o retorno financeiro de algum projeto.

Quais as diferenças entre payback simples e descontado?

Na verdade, existem 2 tipos de payback: nominal (simples) ou com valores atualizados (descontado).

O simples é o que já foi definido acima e cuja fórmula foi aplicada. Ele apresenta a vantagem de ser simples e rápido, e medir o grau de risco de determinado investimento.

Porém, não considera o valor do dinheiro no tempo, os fluxos de caixa depois do período de payback e o custo de capital da empresa.

Essas limitações do payback simples faz com que alguns especialistas o considerem um método incorreto do ponto de vista matemático, pois não está em acordo com os princípios de equivalência entre taxas (matemática financeira).

Para suprir as limitações do payback simples, existe o payback descontado. Ele usa uma taxa de desconto, geralmente anual.

Uma das mais usadas é a TMA (Taxa Mínima de Atratividade), definida pelos próprios investidores. Dessa forma, todos os fluxos de caixa terão o desconto dessa taxa em relação ao período especificado.

Caso deseje atualizar valores e trazer ao VPL (Valor Presente Líquido) um fluxo que está a 5 períodos futuros, pode-se usar a fórmula:

VPL = FC5 / (1 + TMA)5 , onde FC é o fluxo de caixa e corresponde, nesse exemplo, a R$ 600,00, enquanto o TMA é de 12%. Lembre que 12% é 12/100 = 0,12

VPL = 600 / (1 + 0,12)5 = 600 / (1,12)5 = 600 / 1,76 = R$ 340,9

Isso significa que o valor presente do fluxo de caixa não é R$ 600,00, mas aproximadamente  R$ 341,00.

Considerando o exemplo dado mais acima, no tópico “Como calcular o seu payback?”, tem-se outro valor para o payback descontado.

Investimento inicial = R$ 80.000,00

Resultado médio do fluxo de caixa (12 meses) = R$ 3.000,00

Payback simples = 26,7 meses ou, por aproximação, 27 meses

TMA = 12% ao ano

VPL = 3.000 / (1,12)1  = R$ 2.678,00

Payback descontado = 80.000 / 2.678 = 29,9 meses ou, por aproximação, 30 meses

Ou seja, usando uma taxa de desconto, atualizando valores nominais, o prazo para retorno aumentou um pouco.

Conclusão

O payback, como outros indicadores, tem sua importância e deve ser considerado pelos gestores na hora de avaliar a viabilidade de projetos e investimentos.

Apesar de todo negócio estar sujeito a riscos e perdas, o payback fornece uma orientação para determinar o grau de risco de certos empreendimentos, cabendo ao gestor a decisão final de levá-los adiante ou não.

Considerando a crise econômica e as próprias condições do negócio, o mais prudente é evitar investimentos arriscados demais (ou, pelo menos, deixá-los para outra ocasião).

Invista e planeje com segurança, principalmente se sua empresa não dispor de muito capital de giro.

Reserve o dinheiro para as necessidades imediatas do negócio e evite endividar-se para fazer investimentos muito arriscados e de pouca liquidez.

Enfim, seja prudente e utilize o payback como um aliado na hora de tomar decisões e de escolher investimentos. O lugar e o modo como vai aplicar seu capital fará toda a diferença para o sucesso ou prejuízo de sua empresa.

Tirou suas duvidas quanto ao payback? Lembre-se de que você deve considerar certos critérios para calculá-lo com mais precisão!

Para mais informações sobre investimentos, leia o post “Os recursos da empresas são bem investidos?” E não deixe de fazer um comentário sobre o post!

  • Cedir Oliveira

    Como faço para entrar neste negócio

    • Letícia Abrantes

      Olá Cedir, tudo bem? É possível calcular o payback de qualquer negócio. É uma espécie de termômetro dos seus investimentos e projetos!
      Abraços