Payback descontado: o que é e como calculá-lo

Se você não sabe como fazer o cálculo do payback descontado e pretende realizar um investimento, são grandes as chances de perder dinheiro ao longo do processo.

O primeiro passo de qualquer etapa de expansão, seja ele a melhoria do seu espaço físico, uma nova loja ou a contratação de mais colaboradores, deve ser calcular o tempo necessário para recuperar essa quantia.

E esse cálculo não é tão óbvio quanto parece. Ele envolve uma previsão dos riscos, juros, a desvalorização da moeda e outras variáveis com as quais os investidores experientes estão mais que acostumados.

No artigo de hoje, vamos te explicar o que é o payback, porque ele é imprescindível para avaliar um investimento e como calcular e as diferenças entre o payback simples e o payback descontado. Vamos, também, te explicar outros conceitos, como o de custo de capital.

Quer se preparar para um passo seguro e calculado rumo à expansão do seu empreendimento? Então leia até o fim:

Quando o payback é aplicado

O payback, como dissemos, é um cálculo que te permite avaliar os desdobramentos de um determinado investimento.

E como é praticamente impossível começar um negócio ou ampliá-lo sem investir, você vai precisar saber como fazer esse cálculo mais cedo ou mais tarde.

Para que a explicação fique bem clara, vamos fazer uso de um exemplo.

Imagine que você é o dono de uma padaria. Esse estabelecimento vende pães, bolos, leite, confeitos, enfim, todos os produtos alimentícios mais comuns para o café da manhã e lanche das pessoas.

Como você é um empreendedor muito organizado e controla com mão de ferro o dinheiro e o estoque da empresa, seu caixa registrou alguns anos bem positivos. Dentre esse valor, você reservou R$50.000 para ser o seu capital de investimento.

Depois, reparou que, nos arredores de onde a sua padaria funciona, as pessoas não tinham opções para fazer compras de supermercado. Você percebeu isso porque muitas delas compravam ovos e leite com você, sem nunca levar pão ou bolo, por exemplo.

Com base nas suas observações e nas opiniões que coletou de alguns clientes, decidiu usar as suas economias para expandir o seu negócio, construindo um pequeno mercado anexo.

A ideia era muito simples e praticamente infalível: gastar uma soma de dinheiro no início para atender uma demanda existente e recuperar esse dinheiro em alguns meses.

Segundo os seus cálculos, os 50 mil reais seriam mais que suficientes para montar uma estrutura maior e vender itens de limpeza, comida congelada e outros produtos de supermercado.

O que é payback e como calcular

Mas, se você começa uma nova fase do negócio investindo uma soma alta, como vai saber a partir de que momento começou a ter lucro?

A resposta a essa pergunta é simples: você mede todo o faturamento que veio com a venda dos novos itens de supermercado e vai subtraindo dos 50 mil que investiu.

Vamos supor que você consiga 5.000 de faturamento todos os meses.

Claro, em situações reais, o valor não vai se manter igual sempre, mas vamos fazer assim para simplificar a explicação.

Basta uma conta rápida para ver que são necessários 10 meses (10 x 5.000) para reaver o valor que você investiu. Ou seja, a partir do décimo primeiro mês, o mercado anexo à sua padaria começa efetivamente a dar lucro.

O cálculo do payback é fundamental, pois é ele que nos diz sobre os riscos de um investimento. Quanto maior o período de payback, mais arriscado ele vai ser. No nosso exemplo, o payback é de 10 meses, um período considerado curto.

Ou seja, o payback é o tempo que você demora para recuperar um investimento.

Com ele, a divisão entre o que você investiu, o faturamento mensal decorrente desse investimento e o lucro fica muito clara na sua cabeça.

Deve ter dado até para decorar: no nosso exemplo, foram investidos 50.000, que se pagaram em 10 meses, faturando 5.000 por mês.

Qual a diferença entre payback e payback descontado

Na verdade, o que calculamos no exemplo foi o payback simples.

Embora ele esclareça muita coisa, um investimento que leve em consideração apenas essa conta não estará completo, já que existem outras variáveis em jogo.

Pense bem: passou-se um ano desde que os seus R$50.000 foram empregados na expansão.

Em um período grande como esse, a moeda sofre desvalorização e a consequência disso é que os seus 50 mil, ao final, não valem mais o mesmo que valiam quando você os investiu.

Logo, o cálculo deve sofrer uma alteração. Digamos que a moeda tenha desvalorizado 10% ao ano ao longo desse período. Então, a diferença, no final, é de 5.000 reais que devem ser repostos (10% de 50.000 são 5.000 reais).

O nome dessa diferença é custo de capital.

O custo de capital dos seus 50.000 acabou acrescendo mais um mês no prazo que você demora para reaver o montante aplicado na expansão.

O que nos leva à conclusão de que o payback simples do seu investimento é de 10 meses, mas o payback descontado dele é de 11. Anote aí: o payback descontado é o valor do payback simples acrescido do custo de capital.

Ao fim de 11 meses, o seu investimento terá sido pago, assim como a desvalorização da moeda ao longo de todos os primeiros 10 meses.

De agora em diante, comece qualquer perspectiva de investimento pelo cálculo do payback descontado. É ele que vai permitir minimizar os riscos, fazer uma projeção longa do desenvolvimento do seu negócio e crescer.

Com planejamento, cuidado e correndo riscos calculados, qual é o negócio que não vira um sucesso, não é mesmo? O mundo está cheio de casos de pequenos empreendedores como você, que com estudo e dedicação cresceram exponencialmente!

E por falar em sucesso e crescimento, aqui vai mais uma dica para você atingir os seus objetivos mais facilmente: confira o nosso artigo sobre o payback simples, com suas vantagens e desvantagens.

Com a leitura desses dois textos, você vai se tornar um especialista em pequenos investimentos!

comments powered by Disqus