ócio criativo

Ócio criativo: é possível trabalhar, se divertir e aprender?

A criatividade “acabou”! De repente você se pegou sem mais ideias, sem saber o que fazer, sem uma direção… E agora?

A criatividade “acabou”! De repente você se pegou sem mais ideias, sem saber o que fazer, sem uma direção… E agora?

Muitas pessoas têm muito medo desse momento, principalmente aquelas ligadas a áreas que dependem diretamente da criatividade para existir, como pessoas que trabalham em setores de tecnologia, inovação, criação, marketing, publicidade e, é claro, o empreendedor, que precisa se renovar constantemente para se manter de pé.

Por isso, quando alguém sente que as ideias esgotaram, surge uma espécie de desespero e apreensão, como se uma medida urgente precisasse ser tomada para reverter esse cenário o quanto antes, e voltar a normalidade.

Diante desse contexto, surge a expressão Ócio Criativo que, inclusive, deu nome ao livro do sociólogo italiano Domenico De Masi. Mas, para De Masi, o ócio criativo pode ter vantagens incríveis e contribuir muito para a própria criatividade.

E isso é mesmo possível? Como a minha falta de criatividade momentânea pode me tornar criativo? E o que fazer quando surge o ócio criativo e, juntamente com ele, o cansaço e o desespero?

Vamos entender um pouco mais sobre tudo isso.

Ócio criativo: uma definição não convencional

Se tentarmos entender Ócio Criativo meramente como a junção de duas palavras, termo Ócio, que segundo o dicionário Priberam significa vagar, folga, repouso, mas pode significar também preguiça ou falta de trabalho.

Do outro lado, temos a palavra Criatividade que, no mesmo dicionário significa capacidade de criar, inventar ou ainda qualidade de quem tem ideias originais.

Dessa forma, o ócio criativo seria aquele momento em que você tem uma ausência de ideias, uma espécie de esgotamento. E isso não pode significar uma coisa boa, certo?

Segundo Domenico, isso depende. Para ele, existem 2 tipos de ócio criativo.

O primeiro está ligado ao ócio alienante. Nele, nos sentimos completamente inúteis. É como se um vazio ocupasse completamente a nossa mente e, diante dele, nos tornássemos incapazes de mudá-lo.

Já o segundo tipo que acontece na falta de obrigação de ter grandes ideias. É quando nos permitimos não ser forçados a pensar, a resolver problemas diante de situações desesperadoras, e simplesmente nos damos um tempo para ser livres.

Isso significa que o ócio criativo é importante?

Sim!

A exigência constante por criatividade, inovação e em focar no trabalho e pensar nele 24 horas por dia que a sociedade e nós mesmos nos fazemos, nos torna cada vez mais esgotados e menos criativos.

Por isso, se dar uma “folga” e priorizar o lazer em detrimento ao trabalho em alguns momentos é extremamente necessário para fazer um bom trabalho, e evitar o ócio criativo ruim (o primeiro tipo) nos momentos em que a criatividade é tudo que você precisa.

Resumindo: quando vive o bom ócio criativo, que não é estressante, mas sim prazeroso e com bons resultados,  você evita o ócio criativo ruim, da incapacidade e vazio.

Mas é importante saber que ócio e preguiça são coisas diferentes. Os momentos de ócio criativo não devem ser aqueles em que você está com preguiça de executar as suas tarefas ou apenas esgotado mentalmente.

A preguiça é inútil. Ela não vai te render nada de significativo, nem mesmo o descanso. Já o ócio é a falta de obrigatoriedade, que pode te tornar, inclusive produtivo.

Sabe quando você se permite ter um momento de relaxamento e se vê tendo grandes ideias? De repente você levanta, vai consertar ou arrumar alguma coisa em casa, ou começa a se tornar incrivelmente produtivo.

Essas atividades foram resultado do ócio, não da preguiça. Ela possivelmente te impediria de tomar alguma atitude.

Ócio criativo: trabalho, lazer e aprendizado

Diante de todo esse cenário, entra a junção entre trabalho, aprendizado e diversão. Para ele, algumas profissões são a personificação do ócio criativo, pois elas te permitem, constantemente, relaxar, sentir prazer, criar e aprender.

Mas quais são essas profissões? A diferença não está no tipo de trabalho, mas sim no prazer de quem o executa.

Dessa forma, a capacidade de inovar em um trabalho estará diretamente ligada ao prazer que você sente ao executar as suas tarefas diárias, que te permitiram unir lazer e produtividade, e com isso, fazem também com que seu trabalho seja mais leve.

É claro que nenhuma dessas características inibe o cansaço, o estresse, os problemas ou a preocupação, mas minimiza todos eles e facilita que as dificuldades sejam superadas com menos desgaste dos envolvidos.

Como um trabalho pode ser prazeroso

Todos nós sabemos que nem todas as pessoas podem se dar ao luxo de “fazer apenas o que amam”, mas com certeza podem amar o que fazem.

Nem todas as tarefas que você executa diariamente te darão prazer, é claro. Mas em muitas delas você pode aprender, se dedicar e, porque não, até se divertir.

Veja algumas dicas para tornar o seu trabalho “mais leve”:

  • Tire alguns minutos de folga entre trabalhos muito cansativos ou que exigiram muita concentração afina, a sobrecarga vai te desgastar muito e tornará o seu trabalho ainda mais cansativo do que ele é por si só;
  • Pense no porque você faz o que faz e como esse trabalho gera resultado e valor a outras pessoas. A falta de uma razão pelo qual o seu trabalho existe te fará perder o foco e a motivação, e a carga de um trabalho sem motivação é muito maior.
  • Administre bem o seu tempo. A má gestão dele acabará gerando estresses desnecessários, trabalhos incompletos, atrasos e mais esgotamento. Já a boa gestão de tempo vai te proporcionar mais garantia de resultados, previsibilidade e menos complicações.
  • Preze mais por seus momentos de lazer. Fazer o que te deixa feliz e te ajuda a relaxar é tão importante para o seu trabalho quanto suas tarefas diárias. Sem equilíbrio nessas duas áreas possivelmente fará com que você se sinta constantemente infeliz e sobrecarregado.

Conclusão

Ócio criativo é prazer no que se faz! Você deixa de se sentir obrigado a executar, o que te proporciona cansaço físico, mental e emocional e se torna produtivo, realizado e, consequentemente, inovador.

Sabemos que produzir, dar resultado e ter um bom rendimento em seu trabalho é fundamental, inclusive para manter sua empresa funcionando, ou até o seu emprego. Mas essas coisas não acontecem isoladamente.

Por isso, o mais importante é o equilíbrio. Por isso, equilibre a sua rotina em trabalho, lazer e aprendizado, em tudo o que você faz. Isso vai te gerar um crescimento como profissional, pessoa e, além disso, qualidade de vida.

Mas, se mesmo diante de todas essas dicas, você ainda está insatisfeito, desgastado e acha que é impossível aplicar o ócio criativo em seu trabalho, talvez seja a hora de pensar em novas possibilidades.

Leia o nosso post para entender quando chega a hora de dar um novo rumo para sua carreira.