executivos em uma sala de reunião demonstrando o que é empatia

O que é empatia e qual a sua importância para uma liderança de sucesso

Entenda mais sobre o que é empatia e veja as benefícios que o uso dessa capacidade humana traz para o ambiente de trabalho!

No mundo corporativo, existem cinco competências emocionais consideradas fundamentais para conquistar o melhor relacionamento entre os líderes e seus colaboradores: autocontrole, autoconhecimento, automotivação, habilidades sociais e a empatia.

No ambiente de trabalho, não é incomum escutar os funcionários fazendo reclamações dos gestores por falta de compreensão ou afabilidade. A falta de empatia com colaboradores e especialmente os desentendimentos, pode refletir nas atividades de todos os profissionais envolvidos. E acarretar a baixa produtividade, devido à insatisfação no trabalho.

Entenda mais sobre o que é empatia e veja as melhorias que o uso dessa capacidade humana traz para o ambiente de trabalho!

Afinal, o que é empatia?

Empatia consiste na habilidade de perceber o outro, muitas vezes sem que ele precise dizer algo acerca de sua situação emocional ou afetiva. Ou seja, por meio do tom de voz ou de sua expressão, entre outras maneiras, uma pessoa pode demonstrar se está satisfeita ou insatisfeita. Cabe ao uso da empatia para identificar tais conjunturas.

A empatia significa “colocar-se no lugar do outro”, tentar compreender como seria se você estivesse naquela mesma situação. Abranger a forma de sentir e as demais emoções da outra pessoa.

Sincronização de mundos

Quando a empatia nos falta, ficamos egocêntricos. Não enxergamos o outro como indivíduo, não respeitamos seus momentos e processos pessoais, tratamos os demais como estereótipos.

Nas relações, a empatia está relacionada ao conceito de “rapport”, que diz respeito à afinidade entre as pessoas quando interagem. Rapport significa sincronização — deixar um pouco o seu mundo de lado e conectar-se com o mundo do outro.

Empatia vs Apatia

O oposto de empatia é a apatia. Um estado de indiferença psicológica, que afeta tanto o corpo quanto o estado de espírito. Costumamos enxergar as pessoas apáticas, como aquelas dotadas de pouco sentimento. Não significa que toda pessoa exigente e, que aplica cobranças demasiadas, é necessariamente apática.

A empatia não se restringe somente às pessoas que conhecemos. O esforço pode ser desenvolvido, também, com os desconhecidos e com aqueles que não temos boas relações. É preciso ativar a inteligência emocional e a sensibilidade.

Para apreender melhor sobre sentimentos dos outros, devemos compreender também os nossos. Quanto maior nosso nível de percepção própria, mais fácil desenvolver a empatia.

Como líderes que praticam podem ser melhores?

Utilizando da empatia, os líderes poderão exercer melhor a sua liderança, evitando as queixas e insatisfações de seus funcionários. Um líder empático demonstra um interesse genuíno e ativo diante das preocupações dos colaboradores. Nos dias de hoje, um líder que não se comunica e age quase como um “ditador” não possui mais espaço.

Reforce e desenvolva as aptidões de sua equipe

Pensando de forma empática, ele compreende quais são as necessidades dos funcionários e lhes proporciona boas formas para a solução dos seus contratempos. Um líder empático pode reforçar e desenvolver aptidões de sua equipe, valorizando o indivíduo e suas particularidades.

Demonstra mais íntegro e confiável

A verdadeira empatia está acompanhada do sentimento de integridade. Jamais deve ser usada para manipular alguém. O reconhecimento do valor do outro deve ser verdadeiro e valorizado. Pois, caso contrário, se a empatia vier com a manipulação visando apenas um lado da relação, as consequências para as relações poderão ser bem ruins. Não somente pela desconfiança, mas também por possíveis rompimentos e má reputação do líder.

Melhore a relação com a clientela

A empatia também será fundamental na relação com os clientes. Por meio dela, será mais fácil identificar os desejos e necessidades deles para melhor servi-los.

Seja mais equilibrado

Um dos pilares importantes no uso da empatia para os líderes é o equilíbrio. A empatia em excesso pode tirar o foco dos objetivos de uma organização. Afinal, ela visa apenas satisfazer as necessidades de terceiros, sem se preocupar com os próprios objetivos.

Não é necessário ser complacente. A ligação emocional não deve fazer com que o líder ignore os deslizes de um funcionário.

Dessa mesma forma, também é preciso evitar o paternalismo: a empatia não deve transformar alguns dos colaboradores em “queridinhos”. Os privilégios eventuais para os funcionários têm que obedecer critérios justos e claros para todo o grupo.

Usualmente as pessoas apresentam formas diferentes de pensar. E, diante das divergências, a empatia é utilizada como uma forma de facilitar as relações. O uso da empatia proporciona um diálogo melhor, deixando aberto o espaço para que as diferentes opiniões sejam expostas, evitando conflitos e desconfortos.

Quais as melhorias para os colaboradores?

Qualquer relação que estabeleça o respeito e a compreensão tem bons resultados. Se o profissional sente que é valorizado em sua área, que é importante para a empresa e que suas ideias são levadas em conta, as insatisfações serão muito menores.

Logo, a capacidade de produção dos profissionais aumentará, devido à motivação recebida de forma indireta por meio da empatia. Com confiança e reciprocidade, as relações no ambiente de trabalho são elevadas a outro patamar.

Isso abrange também os níveis de engajamento e de comprometimento com a empresa.

Os colaboradores não precisam se por em uma posição indolente ou passiva diante de seu chefe. Também é muito importante que desenvolvam a empatia para com o seu líder. Se o movimento empático for recíproco, as relações dentro do espaço laboral poderão ser ainda melhores.

Um funcionário que é tratado de forma empática pelo líder da organização pode desenvolver essa capacidade mais facilmente. Ele também poderá buscar compreender o chefe como um indivíduo, conhecendo sua história de vida, seus anseios e preocupações. Fornecer apoio nos momentos mais difíceis e até entender melhor seus ocasionais picos de estresse.

As mudanças com o aproveitamento da postura empática, no entanto, não ocorrem assim tão rapidamente. Tudo é um processo: afinal, estamos lidando com seres humanos. Será preciso respeitar o tempo de cada um e persistir no desenvolvimento dessa capacidade psicológica. Se a consciência empática for usada constantemente, a mudança verdadeira aparecerá.

É válido ativar a escuta, buscando conexões mais profundas em nossa interação no ambiente profissional e pensar em “servir os outros”. Esse sentimento é capaz de identificar suas necessidades e também aquilo que os motiva. Dessa forma é possível dar o melhor de si e também conseguir que as pessoas extraiam o melhor delas.

Tudo deve ser focado no desenvolvimento, tanto dos recursos humanos da empresa quanto da organização. Dessa forma, os objetivos e metas podem ser conquistados com ajuda do melhor relacionamento.

As organizações podem se beneficiar bastante se o líder e seus funcionários descobrirem o que é a empatia e seus grandes benefícios nas relações. Colocar-se no lugar do outro é enxergar o ser humano, um diferencial diante dos que apenas preocupam em projetar no mercado de trabalho ou dentro da organização em que trabalham.

É na verdade um diferencial competitivo muito mais humano.

Gostou desse texto? Agora que você já sabe o que é empatia, aproveite para ler também o nosso artigo: Como pessoas inteligentes lidam com pessoas difíceis.