O que é capital de giro e como gerenciá-lo

O que é capital de giro e como gerenciá-lo

Definição de capital de giro e dicas MUITO práticas de como melhor gerenciá-lo

Assim como diversos outros termos da gestão financeira, capital de giro é um conceito razoavelmente simples, mas que normalmente é explicado através de termos técnicos complexos e que podem mais confundir do que explicar.

Segundo a Wikipedia, capital de giro é um recurso de rápida renovação (dinheiro, créditos, estoques, etc.) que representa a liquidez da operação disponível para a entidade (negócio, organização ou outra entidade qualquer, incluindo entidades públicas).

Segundo o Saia do Lugar, capital de giro é a quantidade de dinheiro necessária para pagar suas contas durante um determinado período de tempo.

No caso de investimentos necessários para o início do negócio (compra de equipamentos, móveis, ferramentas, etc.), eles não entram na análise do capital de giro. Sua análise é focada nos apenas nos custos do dia-a-dia da empresa, sem levar em conta investimentos que são feitos só de vez em quando.

Agora que você já sabe o que é o capital de giro, confira algumas dicas de como usar essa análise a seu favor.

Muito importante saber o tamanho do buraco que você está se metendo

Muito importante saber o tamanho do buraco que você está se metendo

Planejar bem a necessidade de capital de giro é essencial para sua saúde financeira

Existem diversas áreas da empresa em que as coisas podem sair diferentes do planejado e isso não chega a ser um grande problema. Esse não é o caso do capital de giro.

Vamos pensar numa empresa que está desenvolvendo um produto que ficará pronto em 6 meses, fechará a primeira venda em 7 meses e o dinheiro só cairá no final do 8º mês. Vamos considerar que o empreendedor estimou um custo mensal de R$10 mil reais, juntando então R$80 mil. Digamos que ele foi conservador e quis dar 2 meses de margem e juntou R$100 mil de capital de giro.

Considerando que o primeiro pagamento seria de R$120 mil, essa margem de segurança era mais do que suficiente.

Porém, o aluguel era mais caro do que ele pensava, ele havia esquecido de considerar o condomínio do prédio e os custos de telefone e gasolina para visitar clientes. Essas pequenas diferenças aumentaram o custo mensal para R$13 mil. Além disso, o empreendedor quis deixar seu produto perfeito antes de tentar vendê-lo, afinal ele precisaria valer aqueles R$120 mil que o cliente pagaria. Com isso, as vendas demoraram para começar e ele só recebeu seu primeiro pagamento no final do 11º mês.

Ou seja, ele havia separado R$100 mil de capital de giro, enquanto sua operação consumiu R$143 mil até que o primeiro pagamento caísse na conta. Além disso, mesmo com o pagamento de R$120 mil, ainda existe um rombo de R$23 mil, que provavelmente ele cobriu colocando mais dinheiro do próprio bolso ou através de empréstimos, cujos juros não devem ter sido baixos.

Te digo uma coisa: eu não gostaria de estar na pele desse empreendedor.

No começo, todo cuidado é pouco

Assim como a tartaruga marinha quando sai do ovo, que é atacada por diversos tipos de predadores antes de sequer chegar ao mar, o empresário iniciante é presa fácil nessa selva que é o mundo dos negócios.

Seguindo na analogia da tartaruga, existem basicamente 3 possibilidades de aumentar a chance da sua sobrevivência nesse período em que ela ainda não aprendeu a se virar sozinha:

  1. Reservar mais energia inicial – Uma forma simples de aumentar o capital de giro é simplesmente fazer um investimento inicial maior. Porém, assim como a mamãe tartaruga, provavelmente o empreendedor já se esforçou bastante para juntar aquele capital e não é tão simples assim aumentar do nada o investimento.
  2. Reduzir o atrito no caminho – Se ao invés de rastejar na areia, a tartaruguinha estivesse sobre um skate no gelo, ela conseguiria percorrer uma distância muito maior, usando a mesma quantidade de energia. No caso da empresa, reduzir suas despesas apenas ao essencial pode ser uma ótima forma de fazer seu capital de giro durar mais tempo.
  3. Colocar os ovos mais perto do mar – Uma estratégia que muitos empreendedores utilizam para reduzir a necessidade de capital de giro é utilizar táticas para receber de seus clientes o quanto antes. Descontos para compra antecipada ou acordos em que uma parte do pagamento é feita na hora do fechamento e outra na hora da entrega podem facilitar muito seu gerenciamento do capital necessário.

Considere o marketing como investimento, não como uma despesa

Da mesma forma que, além do capital de giro, você precisa separar uma grana para investimentos como compra de equipamentos, custo de abertura da empresa, etc.; eu recomendo uma reserva de marketing fixa para esse período em que o capital de giro é mais necessário.

Um erro muito comum que vejo em empreendedores iniciantes é reduzir o orçamento de marketing (incluindo publicidade, equipe comercial, gasolina para visitar clientes, etc.) quando as despesas começam a apertar.

Porém, o marketing é o investimento com maior potencial de retorno, já que ele está diretamente relacionado à sua capacidade de gerar receita.

Para não ficar de calças curtas nesse aspecto, defina muito bem qual será o capital investido no marketing, ao invés de só investir nele quando “sobrar grana”. Te garanto, o momento em que “a grana está sobrando” dificilmente chegará se  você não investir em marketing.

Conclusão: Capital de giro, o grande aliado da expansão do seu negócio

Você deve ter percebido que enfatizei bastante a questão do capital de giro para empresas iniciantes. Apesar de ser uma análise necessária para qualquer empresa, chega um momento em que o dinheiro que entra é suficiente para pagar as contas, então a análise fica razoavelmente mais fácil.

Porém, no momento em que você quer expandir, essa análise também te ajudará muito. Digamos por exemplo que você tem um restaurante que está indo muito bem, obrigado. Para abrir uma nova unidade, além da compra do equipamento, você terá um custo fixo necessário para bancar a operação até que ela ande com suas próprias pernas.

Ou seja, não importa se sua empresa é uma tartaruginha ou um tartarugão, um bom planejamento do capital de giro precisa estar sempre ao seu lado.

Tendo esse valor definido, uma boa opção é o Capital de Giro do Banco do Brasil. Com ele, o cliente tem crédito para capital de giro com as melhores condições do mercado. E, se pagar a parcela em dia, recebe 10% dos juros de volta.

Veja mais sobre o Capital de Giro do Banco do Brasil clicando aqui.

E você, tem mais sugestões de como melhorar o gerenciamento do capital de giro? Deixe nos comentários! As milhares de tartarugas que nascem Brasil afora agradecerão.

Abraços,

Millor Machado (torcendo para ter passado esse conceito sem ter sido muito chato)

Obs.: Esse artigo foi patrocinado pelo Banco do Brasil. Isso significa que os recomendamos como referência, mas não há influência em nossa linha editorial nem nossa opinião.

Confira como trabalhamos com artigos patrocinados no post Conteúdo útil para empreendedores em primeiro lugar.

P.S.: Créditos da imagem Shutterstock