O que diferencia os empreendedores dos loucos

Como bons entusiastas do empreendedorismo no Brasil, queríamos um lugar para demonstração de novos produtos, que provassem que o Brasil é capaz de produzir tecnologias bacanas. Esse é o nosso objetivo na organização do Tire do Papel.

A única questão é que ver algo que ninguém vê é uma característica em comum que empreendedores inovadores têm em comum com pessoas que não são bem vistas na sociedade, os loucos.

Tire do Papel

Responda a pergunta: “E daí?”
Um fenômeno interessante do mercado de TI é que 97.83% das empresas fala que entrega soluções inteligentes baseadas em plataforma YT4 (ou outra sigla parecida) focadas em otimizar os processos de seus clientes.

O problema é que apesar desse discurso impressionar as pessoas, ele não responde à pergunta “E daí?”, que é o que leva alguém a comprar de você.

Se você quer convencer as pessoas que seu produto é útil, mostre o problema específico que ele resolve e como isso é feito. Confira por exemplo a ótima descrição da Pronto Casei, ganhadora do Tire do Papel 2009:

Plataforma para criação de websites personalizados para casais que estão planejando seu casamento. Mais de 4.000 casais no Brasil todo já usam o Pronto Casei para compartilhar emoções, aproximar pessoas e usufruir diversos serviços e facilidades. Buscamos explorar melhor esse potencial de negócios.

Só acredito vendo!
Existe uma frase que vem na cabeça das pessoas depois delas entenderem os benefícios do seu produto: “Quando a esmola é demais o santo desconfia”.

Para reduzir essa desconfiança, uma boa demonstração do produto faz muita diferença. Por isso é fundamental que você permita test-drives ou pelo menos mostre de forma interativa seu produto funcionando.

Esse é o objetivo da apresentação no Tire do Papel: nada de Power Points cheios de gráficos e estimativas, queremos ver o produto funcionando.

Inovação = emitir nota fiscal
Um produto viável é conhecido popularmente por ser: Bom, Bonito e Barato. Nos passos anteriores você convenceu as pessoas que seu produto é bom e bonito, agora falta mostrar que existem pessoas que o considerem barato o suficiente para pagar por isso.

Como “barato” é uma questão de percepção, o que seu produto precisa é ser comercialmente viável. Quantas inovações muito interessantes não morrem na praia por causa do seu alto custo de produção?

Quanto mais concretas forem as provas de que existem pessoas dispostas a pagar por seus produtos, melhor. Se você ainda não emitiu nenhuma nota fiscal, pelo menos tenha depoimentos de clientes mostrando intenção clara de comprar seu produto quando ele estiver pronto.

Conclusão
A Apple tem uma frase que diz “As pessoas que são loucas ao ponto de achar que podem mudar o mundo, são as que o fazem”. Porém, essa ideia serve apenas para o momento de conceber novas ideias. Na hora de vender, ser considerado louco dificilmente te ajudará.

Se você ainda não tem um produto a ser demonstrado, compre agora seu exemplar do nosso e-book Desenvolvimento de Produtos sem enrolação e comece a desenvolvê-lo.

Abraços,
Millor Machado (lutando a cada dia para não ser considerado louco)

Obs.: Para se aprofundar no tema, confira a metodologia que usamos para desenvolvimento de produtos.

comments powered by Disqus