mulheres de negócio

Mulheres de negócio: 3 motivos para elas empreenderem

Se seu sonho é empreender, mas falta coragem? Separamos para você 3 motivos que mostram porque as mulheres de negócio podem (e devem!) empreender.

A luta pela igualdade entre homens e mulheres, principalmente no mercado de trabalho, não é recente. Há anos elas têm buscado seu espaço. Muito ainda precisa ser conquistado, porém, alguns avanços muito importantes já fazem parte do cotidiano feminino.

Depois de muitas conquistas, como o direito de votar e de trabalhar fora de casa, as mulheres agora conquistam um novo espaço: elas chegaram com tudo ao mundo do empreendedorismo.

Uma pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor (GEM), realizada pelo Sebrae aqui no Brasil, apresentou dados animadores. Segundo a instituição, o número de mulheres que abriu um negócio por oportunidade subiu de 38% para 69% entre 2002 e 2008.

A pesquisa também apontou que cerca de 52% dos donos de empreendimentos com menos de três anos são mulheres. Elas também são maioria entre os empreendedores em quatro das cinco regiões brasileiras. O que prova que as mulheres não entraram nesse mercado de brincadeira.

O perfil das mulheres empreendedoras é um pouco diferente dos homens do ramo. Elas geralmente são mais jovens. De acordo com a pesquisa do Sebrae, mais de 40% das empreendedoras têm menos de 34 anos de idade. Já no grupo masculino, 50% deles estão entre 35 e 54 anos.

As empreendedoras também foram mais longe nos estudos. Cerca de 32% dos homens tem no máximo o primeiro grau incompleto, número que cai para 29% no grupo feminino.

Mesmo assim, no geral, as mulheres ganham menos que os homens. A mesma pesquisa do Sebrae apontou que 49% dos homens recebem até 3 salários mínimos, contra 69% das mulheres. Ou seja, quase 70% das mulheres tem uma renda de até 3 salários mínimos mensais.

A discrepância salarial é ainda mais evidente quando as mulheres trabalham para uma empresa da qual não é dona ou sócia. Por isso mesmo, este fator muitas vezes serve de motivação para as mulheres se tornarem empreendedoras.

Já deu para ter uma ideia do sucesso que elas têm apresentado na área, não é? Além dos dados que você leu até aqui, existem outros muito positivos e que mostram como as mulheres estão lidando com o empreendedorismo e qual é o impacto da presença feminina nesse universo.

Se seu sonho é empreender, mas falta coragem ou, pelo menos, um pontapé inicial, separamos para você 3 motivos que mostram porque as mulheres podem (e devem!) empreender.

1. Retorno sobre capital próprio

Uma pesquisa realizada pela instituição norte-americana de análises, índices e pesquisas, a MSCI, trouxe uma informação curiosa para o mundo dos negócios.

Segundo dados apresentados, as empresas com forte liderança feminina chegam a gerar um retorno sobre o patrimônio líquido de 10,1% ao ano contra 7,4% para aquelas que não possuem mulheres em posições de liderança.

Apesar de não ser uma pesquisa focada nas mulheres, os dados são bem curiosos. A explicação da MSCI foi que os grupos com composições mais diversas tendem a ser mais inovadores e tomam melhores decisões. Assim, as chances de obter melhores resultados de retorno sobre patrimônio líquido podem ter aumentado.

2. Mulheres em cargos de liderança

Outros números que chamam atenção, são os das mulheres em altos cargos de liderança. Em uma pesquisa também da MSCI, os resultados das corporações com liderança feminina são muito interessantes.

Segundo a instituição, as empresas obtêm margem de lucro ante a impostos 55% maior quando as mulheres estão liderando.

São muitos os exemplos de mulheres em altos cargos corporativos, não só no Brasil, mas em todo mundo. Veja só alguns deles:

  • Chanda Kochhar: Responsável por supervisionar cerca de US$ 125 bilhões em ativos, ela é diretora-geral e presidente do ICICI Bank.

  • Sheryl Sandberg: Diretora de operações do Facebook desde 2008.
  • Alison Cooper: Diretora executiva da Imperial Tobacco.

  • Ruth Porat: Presidente financeira da empresa Morgan Stanley.

  • Mar Barra: Diretora Executiva e Presidente da General Motors Company.

  • Ana Patricia Botín: Presidente do grupo Santander.

Outro dado da pesquisa da MSCI aponta que as empresas que possuem mulheres nos altos cargos de liderança apresentam 5% a mais de valorização em suas ações na Bolsa de Valores.

Um outro estudo, desta vez realizado pelo Peterson Institute for International Economics, que investiga o impacto da diversidade de gênero nas empresas indicou que o desempenho das organizações melhora quando o número de mulheres em cargos de liderança é maior.

Dessa forma, quando há pelo menos 30% de presença feminina em cargos executivos sênior, a empresa tem um lucro 15% maior do que as que possuem menor presença feminina.

3. Realização profissional e também pessoal

Além dos diversos números que foram apresentados aqui, existem outros pontos importantíssimos para a vida das mulheres que não precisam ser justificados através de pesquisas.

A mulher, além de sucesso na carreira, também busca realização pessoal. Empreender pode ser um grande passo para alcançar este objetivo.

Quando a mulher se torna empreendedora, pode conquistar independência financeira para fazer o que quiser.

Ter seu próprio negócio pode contribuir para que se liberte de fazer do trabalho apenas uma obrigação. Ao poder trabalhar com o que realmente gosta, ela vai desenvolver suas atividades com prazer, desenvolvendo sua própria empresa e fazendo-a crescer.

Mesmo com as dificuldades que podem surgir, a mulher que empreende se torna dona do seu próprio destino, é sua própria chefe, faz seus próprios horários e não precisa se submeter a regras que não concorda como acontece no trabalho convencional.

Se é ela quem dita as regras, poderá passar mais tempo com sua família e com os amigos. A mulher empreendedora é livre para criar, inovar e surpreender aos outros e a si mesma. Ela não precisa de limites para sonhar.

A proporção total de mulheres adultas ligadas ao empreendedorismo cresceu e promete continuar no mesmo ritmo nos próximos anos. Cada dia mais o empreendedorismo feminino, liderando grandes organizações ou fundando suas próprias empresas.

Não tenha medo de empreender por ser mulher, é exatamente este motivo que pode te ajudar a ir mais longe. Nunca desista daquilo que você almeja. Fácil com certeza não é. São muitos desafios, erros e problemas, contudo, você pode vencê-los com persistência e força de vontade.

Vá em frente, trabalhe muito e depois é só desfrutar dos benefícios de ter um sonho realizado! E para te inspirar, que tal conferir o potencial feminino para as finanças com exemplos de mulheres poderosas ao redor do mundo?

  • Adorei o post! Mulheres estão aí pra liderar, por isso mesmo amo empreendedorismo. Parabéns pelo post!

    • Letícia Abrantes

      Olá Ana! O nosso desejo é que a mulher conquiste cada vez mais o seu espaço no mercado empreendedor!
      Agradeço pelo seu feedback ❤