Vídeo: Marketing de permissão, o que é isso?

Vídeo: Marketing de permissão, o que é isso?

561
6
SHARE

Antigamente a fórmula mágica do marketing era: crie um produto mediano, compre anúncios o suficiente e você terá um produto de sucesso. A questão é que hoje em dia esse modelo não funciona mais, todo mundo já faz isso.

Para te provar que esse modelo não funciona mais, tenho um desafio. Se você leu uma revista nos últimos dias, te desafio a listar pelo menos uma empresa que gastou zilhões de reais naquele anúncio.

Exceto propagandas geniais como a clássica propaganda Compre Batom, é muito difícil não ser ignorado pelo cliente através da publicidade convencional.

É pra resolver esse problema que existe o Marketing de Permissão; aquele em que você cria conteúdo útil, as pessoas se envolvem com sua marca, se tornam entusiastas e a recomendam para outras pessoas. Confira melhor esse processo no vídeo a seguir.


(Link para o vídeo no Youtube)

Hoje em dia já temos uma marca razoavelmente famosa no nosso mercado e nunca investimos um centavo em anúncios. Não é que esse tal de Marketing de permissão funciona mesmo?

Se você tem boas experiências ao usar o marketing de permissão, por favor conte para nós. Faremos questão de divulgar sua iniciativa por aqui.

Abraços,
Millor Machado (com licença, você já ouviu falar do Empreendemia Premium?)

  • adrianatorres

    Bacana o video e a exposição, porém, como estudiosa de marketing, gostaria de saber em qual escola você encaixaria o que chama de marketing de permissão… Marketing experiêncial é considerada a última escola das 12 classificadas até hoje na academia, tendo como precursor Schmiit. Da escola commodity até a cybermarketing (anterior a experiêncial), tivemos uma grande evolução – do foco nas transações, nos processos, no produto até chegarmos finalmente ao consumidor… aí tivemos o ativista, o marketing de relacionamento e Kotler agora acaba de lançar um livro sobre o marketing de valores (que ele intitula de marketing 3.0). Aliás, a respeito desse último, ele foca em um conceito já bastante difundido na administração e que vem sendo amplamente divulgado por uma associação de empresários mundial (ADCE), que lançou recentemente no Brasil o livro Rentabilidade dos Valores.

    Você acredita que os termos que são lançados diariamente atrapalham ou ajudam na compreensão do que realmente é marketing e de suas teorias? Porque a cada dia surge um novo “filho” como marketing digital (que nada mais que é técnicas de comunicação), marketing de guerrilha, etc e tal. Vejo que no Brasil a maioria das empresas ainda vê marketing pelo viés da comunicação e da propaganda e por isso fica aqui minha pergunta… 🙂

    Abrs

    Adriana Torres

  • http://www.saiadolugar.com.br Millor Machado

    Oi Adriana, tudo bom?

    Pra te ser bem sincero, não conheço exatamente quais são as escolas do
    Marketing. Pelas que você citou, o termo “Marketing de permissão” se encaixa
    mais na escola marketing de relacionamento. Os 2 termos representam o que no
    inglês é conhecido como “inbound marketing”.

    Sobre o surgimento de novos termos, acredito que isso tenha vantagens e
    desvantagens.

    A principal vantagem que vejo é que ao quebrar o todo em partes menores, é
    mais fácil explicar a ideia para quem ainda não conhece os conceitos. A
    maior desvantagem é que muitas vezes termos diferentes significam coisas
    conhecidas, o que pode confundir as pessoas.

    Por via das dúvidas, o estudioso do marketing, assim como em qualquer área,
    deve procurar o máximo possível de informações, interpretar os conceitos e
    criar sua própria visão sobre o assunto.

    Qual sua visão sobre isso?

    Abraços!

  • adrianatorres

    Acredito que quem é apaixonado pelo marketing, como eu, vai continuar fuçando cada vez mais para compreender os novos conceitos e interpretá-los a luz do conhecimento já adquirido. O problema que enfrento, enquanto consultora de marketing e também no Grupo Solidário (rede que criei voluntariamente para ajudar algumas pessoas a encontrarem oportunidades de trabalho em BH) é que, com essa confusão de termos e conceitos, as pessoas e empresas não sabem mais o que é estratégia, ferramenta, parte do todo ou o todo em questão.

    Empresas oferecem empregos para “gerentes de marketing” que, na verdade, vão trabalhar a comunicação. Outras procuram meus serviços querendo campanhas de propaganda ou técnicas de venda, não consultoria em marketing. Ou seja, ofereço o elefante mas eles só conhecem (e querem) a tromba – e o marketing fica capenga…

    Fiz um post a respeito, após receber uma vaga para o grupo de “analista de marketing de produto” mas que deveria ter formação em engenharia… =/ Fala um pouco da história do marketing e de sua evolução enquanto teoria acadêmica…

    http://www.adrianatorres.com.br/uncategorized/m

    Gostei do vídeo, de qualquer forma!

    Abrs

    Adriana Torres

  • railerfreire

    Millor, o conceito que eu conheço de Marketing de Permissão é diferente disso. Tem mais a ver com a permissão do usuário para receber qualquer tipo de publicidade (opt-in) e assim filtrar que tudo que chegue até ele seja tenha conteúdo relevante e previamente autorizado. Além disso, ele deve ter sempre a opção de cancelar (opt-out) a qualquer momento.

    O que você descreveu eu entendo mais como marketing de relacionamento.

  • http://www.saiadolugar.com.br Millor Machado

    Railer,

    Na prática esses conceitos acabam se misturando bastante. A questão do
    opt-in acaba sendo uma parte da estratégia de criar conteúdo relevante e
    aproximar os usuários da marca.

    O que importa é que atualmente é muito difícil trabalhar apenas com
    propaganda, já que a internet possibilidade formas mais eficientes de
    divulgação através da criação de conteúdo.

    Abração!

  • Alcides Dantas

    Discordo, a máxima do produto mediano com grande mídia ainda funciona sim.
    Você pediu para eu citar 1 produto, mas vou citar 3.
    Pedigree
    FIAT
    Rede Globo