marketing de guerrilha

Marketing de Guerrilha: Vá direto ao assunto com o seu público!

O sonho de todo empreendedor é ver sua empresa se destacando no mercado, sendo comentada pelos consumidores. Uma alternativa para alcançar esse objetivo é investir em marketing.

O sonho de todo empreendedor é ver sua empresa se destacando no mercado, sendo comentada pelos consumidores. Uma alternativa para alcançar esse objetivo é investir em marketing.

No entanto, nem sempre o empresário tem dinheiro suficiente para criar uma grande campanha, como as vinculadas às grandes empresas, que têm a maior fatia do mercado. Cabe ao empreendedor desistir do seu objetivo, aceitando que não tem como vencer, certo? ERRADO. A resposta está no Marketing de Guerrilha.

O que é Marketing de Guerrilha?

Uma guerrilha é uma força de guerra que não possui o mesmo poderio militar de seu inimigo. Pensando assim, podemos achar que estão destinados à derrota, mas acredite, não estão.

O que torna a guerrilha capaz de vencer muitas batalhas é o conhecimento que possui. Você já deve ter ouvido falar da Guerra do Vietnã, não é mesmo?

Os guerrilheiros vietnamitas conheciam o terreno, os esconderijos, os hábitos locais, e isso foi fundamental para que eles vencessem um gigante militar do porte dos EUA.

Adaptando esse conceito para o mundo dos negócios, podemos definir que o Marketing de Guerrilha é aquele que usa todo conhecimento disponível, sobre o mercado, para traçar a melhor estratégia possível com os recursos disponíveis.

Por que o Marketing de Guerrilha funciona?

Estamos recebendo informação de forma constante, e quase sempre ininterrupta. Isso faz com que a mensagem da sua empresa corra o risco de passar despercebida.

Imagine uma estratégia de marketing para o lançamento de um novo produto, que será divulgado em uma peça publicitária na TV?

É um grande investimento, que pode ser ignorado pelo consumidor, pelo simples fato de concorrer pela atenção dele com outras informações. Arriscado, né?

Essa é a guerra que o Marketing de Guerrilha quer vencer: a luta pela atenção do cliente.

No entanto, para lograr tal vitória, temos que lembrar daquilo que já foi mencionado neste texto: conhecimento.

A equipe responsável pelo Marketing deve saber dos hábitos de consumo do público-alvo. Isso possibilitará uma inserção correta.

Vamos imaginar uma ação de marketing para uma marca de picolé. O objetivo é oferecer um novo doce para o público feminino. Por isso, a empresa fez uma parceria com uma rede de academias, e resolveu distribuir os picolés ao final do treino das alunas.

Afinal, depois de tanto exercício, um picolé para refrescar vai chamar a atenção de todas as frequentadoras do local, causando uma grande repercussão.

Pode ser uma boa ideia, mas na hora da execução, os promotores de venda não conseguiram distribuir muitos picolés. As alunas da academia evitam consumir doces.

A academia escolhida tem uma grande concentração de mulheres – que é o público-alvo da marca – mas elas não consomem picolés. Esse comportamento de consumo prejudicou o lançamento do produto.

Um relatório sobre o hábito de consumo do público-alvo poderia ter evitado o prejuízo.

Dicas para usar Marketing de Guerrilha

Não assuste seu cliente

Sua marca tem uma relação com o cliente, por isso tenha cuidado com atitudes que possam danificar essa relação. Se sua empresa possui um posicionamento mais formal, uma ação de marketing de guerrilha que aposte no humor pode não ser uma boa ideia.

Busque conhecer mais o seu público-alvo, para saber como ele enxerga sua empresa. Assim você evitará uma ação que possa prejudicar sua imagem.

Não imite outras empresas

Se a empresa X teve um grande sucesso parando o trânsito de uma rua, ir pelo mesmo caminho pode incorrer em um erro. Primeiro porque uma ação de marketing de guerrilha tem que ser surpreendente, imitar uma ação de outra empresa não tende a surpreender o cliente.

Segundo porque pode chateá-lo, já que ele pode estar saturado dessa ação. E, finalmente, porque dá a impressão que sua empresa não tem criatividade.

Sabe quando um meme explode nas redes sociais? Então, eles costumam ter vida curta porque os internautas o utilizam à exaustão. Quando uma empresa resolve fazer uso da linguagem, normalmente, ela já perdeu a graça.

Faça parcerias

No nosso exemplo sobre a marca de picolé, a parceria fracassou. Mas isso não significa que esse tipo de estratégia não possa dar certo. Imagine que, ao invés da academia, a marca tenha escolhido trabalhar com motoristas mulheres do Uber?

A cliente poderia ficar feliz se, ao invés de balinhas, ganhasse um picolé, não é mesmo?

Gostou da ideia? Primeiro tenha certeza que seu cliente usa esse tipo de serviço de transporte, ok?

Saiba executar uma ação

Como já mencionado, na teoria tudo pode parecer estar ok, por isso não tenha medo de questionar a estratégia. Planejar uma batalha é importante, mas o que garante o sucesso da guerrilha é seu papel no campo de batalha.

Uma execução ineficiente pode transformar sua estratégia de marketing em um grande prejuízo de imagem.

Não ofenda o cliente

Por ser uma estratégia que deseja surpreender o público, é necessário que o Marketing de Guerrilha não provoque emoções desnecessárias no consumidor, como assustá-lo, por exemplo.

Seu cliente pode perceber sua ação de marketing como uma ofensa. Por isso, evite polêmicas.

Identifique os valores que o consumidor possui para não ofendê-lo.

Acompanhe os resultados

O marketing de Guerrilha oferece uma infinidade de resultados à empresa. Em um dia de notícias fracas, veículos de comunicação podem se interessar pelo resultado que sua ação causou na cidade.

Os usuários das redes sociais também podem demonstrar empolgação com sua estratégia, tornando-a um viral.

Por isso, tenha uma equipe preparada para monitorar os diversos meios de comunicação existentes. Desse modo você conseguirá informações suficientes para saber se sua estratégia de Marketing de Guerrilha deu certo, ou não.

Cases de sucesso

Coca-Cola

A empresa é referência quando o assunto é Marketing. Recentemente a fabricante de bebidas resolveu engajar seu público, e assim aproveitar o dia dos namorados para estreitar os laços do cliente com a marca.

Uma máquina de refrigerantes foi instalada, e a bebida era distribuída de graça quando casais se beijavam.

Burger King e Mcdonald’s

Em 2015 a rede de lanchonetes enviou uma carta ao principal concorrente: Mcdonald’s. A mensagem foi publicada no jornal The New York Times e fez muito sucesso entre os clientes.

As redes de lanchonete comunicaram que uma trégua seria feita, e que, naquele dia, um novo lanche, criado em conjunto seria vendido.

SBT

A rede de Silvio Santos vive engajando seus seguidores nas redes sociais. Uma ação de Marketing de Guerrilha que deu muito certo foi parabenizar uma de suas concorrentes, a Rede Globo, pelo seu aniversário de 50 anos.

Bastou 140 caracteres no Twitter para que o SBT engajasse seu público, em uma data especial para outra emissora.

A Globo não ficou atrás e, recentemente, mencionou o Teleton – campanha beneficente realizada pelo SBT – em seus programas.

Por sua vez, a RecordTV teve que ler mensagens, nas redes sociais, ironizando seu distanciamento das duas concorrentes. Internautas escreveram mensagens do tipo: “A Record deve sentir inveja do amor de vocês”.

Cases que não deram muito certo

Em 2015 a marca de absorventes Always divulgou um vídeo falso, simulando um vazamento da intimidade da apresentadora Sabrina Sato.

O objetivo era conscientizar o público sobre esse tipo de violação de intimidade, ao mesmo tempo em que uma alusão à palavra “vazamento” era feita.

A campanha mobilizou os internautas, no entanto dividiu opiniões.

Marketing de Guerrilha na web

A possibilidade de se comunicar com o público-alvo pelas redes sociais é fantástica, e pode ajudar muito as estratégias de Marketing de Guerrilha.

Além de o custo ser muito mais baixo do que inserções em veículos de comunicação, a interação que as redes trazem servem como um termômetro imediato, para saber se a estratégia funcionou.

Mesmo que o internauta não conheça sua marca, uma campanha bem-feita pode garantir que ele se engaje, afinal, todos gostam de compartilhar links interessantes com seus amigos.

Outro ponto positivo é a possibilidade de falar diretamente com seu público. Se o seu consumidor não gosta do Twitter, mas prefere o Instagram, você já sabe que sua estratégia tem como foco essa rede social.

O Marketing de Guerrilha é oportunidade que sua empresa estava esperando para se destacar. Ela é viável para qualquer tipo de negócio, independentemente do tamanho.

Além de oferecer bons resultados, sua divulgação é muito mais barata que outras estratégias.

Veja por exemplo um dos primeiros virais de 2017: o rapaz que se jogou pela janela, para atestar a qualidade da rede de segurança que acabara de instalar.

Esse vídeo foi assistido por milhões de pessoas. Talvez o rapaz não soubesse, mas tinha acabado de dar a empresa que trabalha uma visibilidade nunca antes imaginada.

No entanto, como vimos neste artigo, essa ação deve ser bem pensada. Imagine a situação da empresa se a rede não fosse tão boa?

Por sorte tudo acabou bem, mas evite impulsos na sua estratégia de Marketing de Guerrilha.

Agora, que tal deitar em uma rede (bem presa) e continuar lendo sobre empreendedorismo?

Os blogs são uma realidade para muitas empresas, afinal são um canal de comunicação direto com o cliente. Mas será possível ganhar dinheiro com esses sites?

A resposta é sim. Descubra como neste artigo!