Maneire nos neologismos, modismos e nos termos técnicos usados

Maneire nos neologismos, modismos e nos termos técnicos usados

Dica simples e prática sobre como ser mais eficiente na sua forma de comunicar

Eu, que já trabalhei junto com empresas de software e de publicidade, já vivenciei vários episódios de pessoas tentando conversar usando termos que o outro não conhece. Esse problema não envolve apenas a linguagem técnica.

Por exemplo, na época em que eu procurava estágio, no meu curriculum constava que eu era “front-end developer”, termo bastante na moda nos EUA e que resolvi copiar.

Não deu muito certo. Numa empresa de software a moça do RH deu um feedback: “infelizmente precisamos de webdesigners”. Talvez nem o pessoal do desenvolvimento conheça o termo “front-end developer”, muito menos a moça do RH.

Pode parecer elegante usar termos desconhecidos e originais, para impressionar os outros, para se sentir acima da intelectualidade compreendida pelos demais. Mas não é.

Use o seu português simples e direto. Você pode impressionar as pessoas com a qualidade de seus serviços ou produtos, mas não com sua maneira de complicar as coisas.

Se, no entanto, for inevitável usar termos mais corriqueiros para você, certifique-se de que seu ouvinte saiba o significado, caso não, explique-a.

Para se aprofundar no tema, recomendo conferir o artigo Como o empreendedor pode usar a linguagem a seu favor.

Abraços
Mauro (descomplicando o português, que por si só já é complicado o suficiente)

PS: Front-end developer é aquele que desenvolve a interface de um sistema com o usuário final.

  • Bom, no meu entendimento um front-end dev não é um web designer. Ouço bastante “estruturador”, mas nominar-se webdesigner pode fazer você ser confundido com um, bem, web designer. Ou fazedor de layouts, seja lá como fica o termo nesse caso. Enfim, concordo em partes, mas as vezes quando se contrata alguém de tecnologia precisamos de alguém para ajudar a moça do RH na tarefa. Webdesigner PHP haha