linguagem corporal no trabalhoambiente de trabalho.

">

Como usar a seu favor sua linguagem corporal no trabalho? Nós contamos para você

O ser humano pode se comunicar de diferentes formas. Uma das formas mais eficientes de comunicação é a corporal. Ela pode ser, inclusive, usada no ambiente de trabalho.

O ser humano pode se comunicar de diferentes formas. Uma das formas mais eficientes de comunicação é a corporal. Ela pode ser, inclusive, usada no ambiente de trabalho.

Quando bem aproveitada, pode ser motivo de sucesso tanto para funcionários em geral quanto para os próprios líderes, que carregam uma elevada responsabilidade.

Veja como a linguagem corporal pode ser vantajosa para você em seu trabalho, independentemente de sua função!

A linguagem corporal para arrumar emprego

Para começar, a linguagem corporal pode ser decisiva até no momento de arrumar um emprego.

Por exemplo, caso a pessoa seja contatada para um processo seletivo e, durante a entrevista, sente-se na beira da cadeira, isso pode influir de forma negativa no resultado.

Isso porque essa forma de sentar dá a impressão de que o candidato está com pressa ou muito ansioso.

Ao contrário, se colocar todo seu corpo no assento, apoiar as costas e manter contato visual com o entrevistador, a impressão será outra.

Existe um dicionário de linguagem corporal no trabalho?

Infelizmente não. A linguagem corporal não pode ser sintetizada como as palavras da língua portuguesa ou a língua de sinais dos deficientes auditivos.

Em alguns casos, uma mesma expressão corporal pode até significar coisas diferentes.

Há que se considerar também o indivíduo, ou seja, a forma que ele tem de expressar-se corporalmente.

De qualquer modo, é possível fazer algumas generalizações. Uma pessoa que anda de ombros encurvados e cabeça baixa, passa qual impressão: positiva ou negativa?  A maioria das pessoas diria que é uma impressão negativa.

Dessa forma, assumir essa postura em um ambiente de trabalho pode comprometer o funcionário.

Não é muito difícil interpretar a linguagem corporal no trabalho ou no dia a dia, pois em geral ela fala por si só, sem a necessidade de “intérpretes”.

Aproveite e leia o nosso artigo: Glossário do empreendedorismo.

O toque

O toque é uma forma de expressar-se corporalmente que pode ser usada com ou sem eficácia.

Naturalmente, o funcionário não deve se aproximar de nenhum outro companheiro de trabalho e tocá-lo com muita intimidade a não ser que essa pessoa permita essa liberdade.

É muito comum as pessoas se incomodarem com tapinhas no ombro, dedo apontado contra o ombro e outras coisas. Isso, dependendo do humor de seu patrão, pode custar o emprego.

No momento de fazer um negócio, costuma-se concluir com um aperto de mão. O aperto firme de mão é a forma positiva não somente de fechar, mas até de iniciar uma transação.

Saiba usar bem as mãos no ambiente de trabalho, seja para cumprimentar seus colegas ou colaboradores, seja para dialogar formal ou informalmente com eles.

O olhar

O olhar revela o que se passa na alma – assim fala São Paulo. É importante manter contato visual durante uma conversa.

Se seu líder está falando com você, olhe para ele e demonstre interesse. Faça o mesmo com todas as outras pessoas no ambiente de trabalho.

Desviar o olhar pode ser interpretado como desinteresse ou mesmo covardia. Contudo, tome cuidado para não lançar um olhar de desafio para as pessoas, o que causa uma péssima impressão.

O sorriso

Sorrir é outra forma positiva de expressão corporal. Não o sorriso forçado ou bajulador, mas o sorriso espontâneo, que brota naturalmente de dentro da pessoa.

Procure sorrir na medida do possível, seja para atender seus clientes (o que vai fazer uma enorme diferença), seja para dialogar com seus colaboradores ou lideres, seja para conversar com colegas de trabalho.

Experimente fazer isso e verá como se sentirá melhor, até mais animado para trabalhar.

A postura

O modo como anda, como se senta, como se levanta, a posição em que mantém as costas e o peito podem ser um grande diferencial na forma como as pessoas te veem.

Para um líder é fundamental manter a postura adequada, principalmente em certas ocasiões, como diante de uma multidão, em uma sala ou auditório, quando for se dirigir a algum funcionário em especial.

Se, por exemplo, procure passar uma mensagem de otimismo, mas mantenha uma postura inadequada (ombros caídos, cabeça baixa, coluna encurvada), dificilmente somente as palavras animadoras surtirão o efeito desejado.

De qualquer modo, há alguma ligação profunda entre a linguagem corporal e a linguagem falada.

Por isso, costumamos ver (principalmente em comícios políticos) oradores que acompanham suas palavras de estímulo com gestos equivalentes – trata-se de explorar ao máximo a linguagem corporal.

Uma forma de demonstrar certeza e convicção por meio dos gestos é fazendo a chamada “torre”: em determinado momento do discurso, o orador une as pontas dos dedos, mas mantém as palmas das mãos separadas. A “torre” é uma manifestação de linguagem corporal no trabalho bastante utilizada.

Em alguns oradores, tornou-se mesmo um ato mecânico que os ajuda a passar suas ideias.

Evitando certas atitudes

É importante também saber o que não se deve fazer, ou seja, evitar a má impressão que a linguagem corporal mal utilizada pode causar.

Claro que sempre existirão momentos de nervosismo e ansiedade, mas procure evitar uma linguagem corporal muito negativa, como ficar esfregando as mãos constantemente, balançando os pés enquanto está sentado ou olhando sem parar para todos os lados.

Na maioria das situações, o ideal é manter as mãos ao lado do corpo, evitando também ficar mexendo com os dedos.

Procure gesticular de forma moderada, nem demais, nem de menos. Evite também se sentar muito à vontade na cadeira e se espreguiçar.

Não fique olhando o relógio constantemente, pois as pessoas irão pensar que está com pressa.

Se agir assim durante o trabalho, seus colegas e líderes acharão que não gosta de trabalhar. Em uma reunião de trabalho, esse comportamento é muito negativo, dando a impressão de que está achando a reunião chata ou cansativa.

O relógio certamente é uma forma de controlar o tempo, mas ficar olhando para ele a cada 5 minutos não vai passar uma boa ideia para os outros.

Evite dar as costas às pessoas. Durante uma apresentação, mesmo que tenha que apresentar imagens e vídeos, procure uma posição de meio termo entre a tela e o público.

Ficar de costas para seus assistentes vai contribuir para que eles se desliguem da apresentação, pois terão a impressão de que não está se dirigindo a eles.

Também não é recomendável ficar rindo muito alto ou dando gargalhadas no ambiente de trabalho.

Não quer dizer que o ambiente deva ser pesado, que ninguém possa se divertir ou contar uma piada, mas é necessário moderação em tudo.

Gargalhar é para outros momentos, na hora do intervalo ou fora do trabalho. O líder que vive dando gargalhadas diante dos funcionários dificilmente será levado a sério.

A linguagem corporal é poderosa

Os animais, como não falam a linguagem humana, comunicam-se com as pessoas por meio da linguagem corporal.

E, com essa forma de comunicação, eles nos dizem muito. Quem cria algum animal doméstico compreende a relevância da linguagem corporal no relacionamento entre ambos.

Mesmo que não prestemos atenção, 55% do que falamos é expresso por meio da linguagem corporal (postura, gestos, olhares). A menor parcela cabe às palavras, 7%.

A entonação com que as pessoas dizem as palavras representa os outros 38%.

Por isso, no ambiente corporativo e no mundo dos negócios em geral, fazer bom uso da entonação da voz e da linguagem corporal vai ajudar bastante a obter êxito.

De 60% a 80% das ideias que as pessoas fazem dos outros acontece antes dos primeiros 4 minutos de conversa (dados retirados da mesma fonte).

A auto-avaliação é fundamental

Para entender melhor como anda sua linguagem corporal no trabalho realize uma auto-avaliação, inicie uma processo de auto descoberta.

Talvez, seus gestos e posturas estejam falando muito de você mesmo, mas você não os esteja percebendo.

Avalie se está satisfeito ou descontente com as atividades que realiza e com seus companheiros.

Como está reagindo às ordens e pedidos que recebe, como está atendendo os clientes.

Que postura assume na hora de fazer alguma atividade? Relaxado demais, sem sorrir, corpo encurvado?  Ou está fazendo tudo conforme o esperado?

O autoconhecimento é um passo importante na reformulação de sua linguagem corporal – afinal de contas, você deve se conhecer o suficiente para saber o que anda errado.

As atividades que ajudam a desenvolver a linguagem corporal

Existem atividades que podem te ajudar a desenvolver a linguagem corporal. Uma delas é a dança e até certos exercícios aeróbicos.

É possível aprender muito na escola de teatro, que prepara as pessoas para interpretar papeis.

Quando as pessoas trabalham, elas também devem assumir um papel. Interpretando diferentes personagens, é possível trabalhar todo seu potencial corporal na medida em que assume posturas, gestos, olhares, palavras que não são necessariamente suas.

Procure praticar esportes mais conectados à natureza. Integrado com a natureza, se sentirá mais à vontade para demonstrar seus sentimentos, para se “soltar”, deixar o corpo falar com mais naturalidade.

Para encerrar, segue a dica de um filme que, provavelmente, vai te ajudar a compreender ainda mais a importância da linguagem corporal e as melhores maneiras de aproveitá-la no trabalho.

Chama-se “Quando os Dinossauros Dominavam a Terra”, de 1970. Baseado no livro do escritor J. G. Ballard, a trama se passa na Pré-História e não existem diálogos: do começo ao fim do filme, os habitantes das cavernas comunicam-se unicamente com linguagem corporal.

Como está a sua linguagem corporal? Como tem feito uso dela no trabalho? Já que leu sobre a importância da linguagem corporal na empresa, aproveite para ler “Precisamos falar sobre os fatores de influência do comportamento do consumidor!“ e aprenda mais sobre o seu público-alvo.