O que aprendemos sobre Liderança e Motivação em 2016?

O que aprendemos sobre Liderança e Motivação em 2016?

973
0
SHARE
lideranca e motivacao

Não existe fórmula mágica para quem empreende. Por mais que você possa modificar suas práticas, ler e compreender melhor sua empresa e o mercado, crescer ainda é um desafio diário. E todo ano as mudanças na economia e política do Brasil e do mundo — dentre diversos outros fatores de mercado que mudam da noite para o dia — vão colocar à prova sua liderança e motivação.

O ano de 2016 foi especialmente importante nesse sentido, já que as reviravoltas políticas e econômicas foram tão constantes que desafiaram algumas das qualidades mais importantes dos empreendedores: a criatividade, o foco e a resiliência.

Que tal agora relembrar alguns acontecimentos desse período tão conturbado, em que todos fomos obrigados a colocar à prova nossa inventividade e capacidade de adaptação?

Foram lições aprendidas com dificuldade, mas que vão fazer muito bem se permanecerem na sua memória por um bom tempo. Acompanhe:

Cuba e EUA: um concorrente pode ser parceiro comercial

Tem muita gente que leva a concorrência para o lado pessoal.

Se você começa a colocar como objetivo da sua empresa ultrapassar um concorrente — em vez de focar nas melhorias que vão fazê-la crescer — o resultado pode ser fatal.

Agir de forma tão emotiva costuma deixar o empreendedor muito focado em questões que não têm a menor importância. O ego é colocado à frente da razão e ele perde muito tempo e oportunidades tentando provar alguma coisa para quem está ao redor.

Em 2016, Cuba e EUA reataram seus laços comerciais depois de 50 anos de declarada hostilidade. A ilha caribenha pôde, assim, melhorar economicamente, o que suavizou a crise que atravessa há vários anos.

E os americanos expandiram seu mercado, melhoraram sua balança comercial e ainda retomaram as relações diplomáticas com o país vizinho, o que, além de tudo, se transformou numa oportunidade de exportação com logística bem simples.

A lição aqui é bem objetiva: não encare seus concorrentes como inimigos. E nem gaste seu tempo cultivando uma disputa desnecessária.

Como líder, você deve sempre ter em mente o valor de uma decisão comercial pacífica e arrazoada.

Ações assim cultivam um sentimento cooperativo na sua empresa e mostram aos colaboradores que fazer negócios é conciliar interesses, concorda?

Einstein e as ondas gravitacionais: enxergue à frente

Parece absurdo encontrar lições de empreendedorismo numa descoberta científica? Saiba que o comportamento dos cientistas vai te ajudar muito ao longo da sua vida de empreendedor.

Este ano foram finalmente comprovadas as afirmações de Albert Einstein sobre as ondas gravitacionais no espaço sideral.

Essas comprovações são um grande passo para a Física e a Astronomia.

E sabe o que é mais interessante nessa história toda? Só depois de mais de cem anos é que a ciência conseguiu reunir os recursos tecnológicos e financeiros necessários para provar a teoria do físico alemão.

Você deve estar se perguntando como Einstein criou algo tão inovador há tantos tempo. Bem, ele precisou apenas de um papel, uma caneta, seu incrível conhecimento de Física e Cálculo e uma criatividade sem limites.

Como é bom ser alguém que enxerga à frente do próprio tempo, não é mesmo?

Eis aí a sua grande lição de liderança e motivação aprendida com a Ciência, em janeiro de 2016: olhar para o mesmo lugar que todo mundo e ver algo diferente.

Ou olhar para um lugar diferente e ver algo novo. Ou, ainda, olhar para dentro da sua própria empresa e enxergar o que ninguém vê. A novidade está em todo lugar, mas não são todos que estão dispostos a encontrá-la!

Acordo de Paris: a sustentabilidade é o caminho para o crescimento

Em novembro, 195 países assinaram o Acordo de Paris. Por meio desse documento, todas essas nações concordaram em reduzir drasticamente a emissão de gás carbônico na produção industrial, com o objetivo de reverter o processo de aquecimento global.

Ações como essa dão uma pista preciosa sobre o futuro do empreendedorismo no Brasil e no mundo: nos próximos anos, só vai ser possível crescer com sustentabilidade.

Como líder e empreendedor, você deve incluir essa ideia no seu modelo de negócio e começar a pensar o crescimento junto de práticas saudáveis para o meio ambiente e com propostas que envolvam um bem maior, como é o caso da inovação social.

As pessoas estão cada vez mais engajadas com a sobrevivência do planeta, e identificar a sua marca com políticas desse tipo é um dos segredos para criar uma boa imagem e se destacar da concorrência.

Lidere e motive mostrando uma reputação limpa e bons exemplos!

Turbulência econômica e política: como crescer em tempos de crise

O ano de 2016 foi muito complicado para muitas empresas. Se não foi ruim para todas elas, com certeza deu bons sustos na maior parte dos empreendedores.

O país atravessou diversos escândalos de corrupção envolvendo empresários e políticos, complexas tramas de bastidores que deixaram o brasileiro confuso e agravaram os efeitos da crise econômica mundial, que já tinha se instalado há um bom tempo por aqui.

Se, por um lado, esse cenário gerou turbulências e acabou desencadeando movimentos de férias coletivas, demissões, aumento do desemprego e recessão econômica, ele também foi um teste de fogo para alguns líderes.

Muita gente aprendeu na prática que crises fazem parte da vida de uma empresa, e que é possível aprender com elas e tirar proveito de um cenário desfavorável.

Não faltam exemplos de empreendedores resilientes e determinados que se aproveitaram da crise para lançar ideias duradouras e tirar seus negócios do papel, criando ótimas soluções para os problemas das pessoas e lucrando com isso.

O que mais se espera de um líder é que faça como um capitão, isto é, que seja o último a abandonar o navio.

E saiba que nos momentos de maior tempestade é que os seus colaboradores mais vão precisar de você para tocar o barco e motivá-los para que todos sobrevivam, juntos, ao mar bravo de uma recessão.

Pessimismo não é realismo: foque no que realmente importa

A maior parte das pessoas tem uma visão pessimista do ano de 2016. De fato, tivemos muitos desastres, episódios de guerras, escândalos e acontecimentos pouco estimulantes neste ano.

Mas muita coisa boa aconteceu também. Talvez, a maior lição que um líder possa tirar desses 12 meses seja a de que a mídia, os amigos e as redes sociais tendem a dar mais espaço para as notícias ruins do que para as boas.

Cabe a você, empreendedor, selecionar os acontecimentos que vão motivá-lo e inspirar suas próximas decisões, evitando ficar pessimista e achar que a realidade é ruim o tempo todo.

Talvez seja essa a melhor lição para começar com o pé direito em 2017: pessimismo nunca deve ser confundido com realismo.

E já que o texto de hoje fala sobre liderança e motivação, que tal saber um pouco também sobre as 7 formas de manter os seus funcionários motivados sem gastar muito? Uma boa forma de começar 2017 com as energias renovadas, não é mesmo?