influenciador digital no comutador e celular

5 dicas para virar um influenciador digital

Para as empresas, entender o poder de persuasão do influenciador digital tem sido motivo de estudo. Por isso, saiba o que é e como se tornar um.

Um termo que ganhou relevância recentemente na mídia foi o conceito de influenciador digital. De repente centenas de pessoas comuns passaram a ter um destaque em nossa sociedade. Algo que era reservado apenas às celebridades, por exemplo.

Para as empresas, entender o poder de persuasão desses indivíduos tem sido motivo de estudo. No entanto, algumas coisas que parecem novidades são apenas releituras de estratégias do passado.

Este artigo vai ajudá-lo a entender o que é — e como se tornar — um influenciador digital.

Influenciador digital: existia influência antes da internet?

Em linhas gerais, vender um produto significa influenciar alguém durante sua decisão de compra. Em alguns momentos a decisão de comprar nem se quer houvera sido cogitada.

Comprar algo é fazer um investimento e, por isso, essa atitude causa insegurança nas pessoas. Portanto, torna-se importante buscar uma confirmação, algo que dê ao consumidor certeza de que seu investimento é seguro.

Isso antecede a internet, e está presente em nossas vidas há séculos.  Vamos a um exemplo: se você deseja comprar um carro, é natural que fique observando os anúncios publicitários sobre veículos. Essas peças são feitas pelas montadoras com o objetivo de convencer o cliente a optar por determinado modelo.

Normalmente, esse é um investimento milionário realizado por elas com a intenção de influenciar os futuros motoristas.

No entanto, se uma pessoa, que está convencida a comprar o veículo anunciado, for perguntar a opinião de um amigo mecânico, por exemplo, e ele rechaçar a compra dizendo que a marca não é de confiança, provavelmente o cliente desistirá de investir o seu dinheiro na aquisição do automóvel anunciado.

Nesse exemplo, o amigo mecânico é um influenciador.

Marketing de Influência e influenciador digital: o que têm em comum?

Na década de 1940, nos Estados Unidos, surge o conceito de Marketing de Influência. Esse conceito foi desenvolvido para avaliar quais fatores influenciavam o eleitor na hora do voto, porque ele decidia por um candidato e não por outro.

Descobriu-se que formadores de opinião tinham um papel fundamental nesse processo. Celebridades, jornalistas, líderes locais, líderes religiosos etc, poderiam ser mais convincentes do que campanhas publicitárias.

Não por acaso, a publicidade usa muita a imagem de pessoas conhecidas. Recentemente, a marca JBS contratou o ator Tony Ramos e a apresentadora Fátima Bernardes para anunciarem seus produtos. Não é mais fácil confiar em algo quando outra pessoa, em quem já confiamos, nos recomenda?

Sabendo disso, você deve estar se perguntando: como eu posso me tornar um influenciador digital? Vamos a algumas dicas!

1. Torne-se uma referência no tema

É mais fácil aceitar a opinião —  e, portanto, ser influenciado — de pessoas que possuem conhecimento no tema debatido, como vimos no exemplo da compra do carro.

Por isso, o primeiro passo é entender sobre o que se deseja falar, e concluir o porquê sua opinião sobre o tema é relevante.

Não se trata de possuir grande bagagem científica sobre algo, mas ter a capacidade de oferecer informação além da média.

Vamos a um case. Durante um período, Bel Pesce foi considerada uma grande influenciadora digital quando o assunto era empreendedorismo. Ela tornou-se referência no tema, publicou livros, deu palestras e cursos sobre o assunto. Quanto mais ela falava, mais parecia relevante aos olhos de seus seguidores.

A empresária pode ter menos conhecimento a oferecer do que outros empreendedores mais experientes e, quem sabe, até melhores sucedidos, mas o que tornou Bel especial para aqueles que a seguem foi a forma com que ela apresentou o empreendedorismo, como algo acessível a todos. Ela se propôs a ensinar, dar dicas, por isso tornou-se referência e influenciou milhões de pessoas.

2. Busque engajamento

Números de seguidores nem sempre é o principal fator quando se deseja tornar um influenciador digital. Pode parecer estranho dizer isso em momento em que as pessoas parecem medir seu sucesso em “likes”.

A questão aqui é simples: se os seguidores não se converterem em clientes algo deu errado. Por isso, em vez de “curtidas”, um influenciador digital de sucesso busca engajamento.

Podemos definir engajamento como as ações concretas que uma pessoa tomaria por uma marca, causa ou até mesmo por influenciador.

Em 2013, os brasileiros se engajaram nos discursos de muitos influenciadores digitais e foram às ruas protestares. O mesmo ocorreu nos anos seguintes.

Vamos mais um bom exemplo: ser um escritor com muitos seguidores nas redes sociais é interessante, mas do que isso adianta se não se reflete na vendagem dos livros? Uma editora poderia ser convencida a publicar esse autor se ele não consegue lotar uma sala para uma palestra?

3. Conheça seu público-alvo

Pode parecer estranho, mas alguns influenciadores digitais não conhecem seu público, não falam sobre os assuntos que essas pessoas consideram relevantes e, principalmente, não sabem o porquê elas os seguem.

Alguns usuários têm muitos seguidores no Twitter devido às suas tiradas bem-humoradas, outros estão fazendo sucesso no Instagram porque publicam fotos de suas viagens a lugares belos.

Tudo pode fazer com que, em um curto período de tempo, eles acumulem um grande volume de interações nas redes, mas descobrir o que essa massa de pessoas tem em comum, sobre o que gostariam de conversar, é importante para poder produzir algo que as interesse, que as influencie.

Tornar um influenciador digital exige informações valiosas, que podem ser obtidas por meio de pesquisas. Essa estratégia deve ser planejada, afinal, ainda que você tenha sido o criador de viral de internet, isso não garantirá que suas próximas publicações tenham o mesmo sucesso.

4. Seja relevante para a imprensa

Quando um jornal ou blog renomado decide entrevistar uma pessoa é porque ela se tornou uma fonte de informação valiosa sobre determinado assunto.

Imagine o quanto uma entrevista não é importante para que um influenciador digital ganhe credibilidade junto ao seu público? É como se ele recebesse um atestado de confiabilidade de uma instituição com credibilidade.

Além disso, o influenciador ganha espaço, tornando-se conhecido por outras pessoas e aumenta sua influência.

O primeiro passo para ser percebido no radar dos veículos de comunicação é ter, de fato, algo relevante para falar. Se você é um influenciador digital no ramo de gastronomia, sua participação poderá ser útil em reportagens sobre o assunto.

Siga os jornalistas e veículos de comunicação que possuem afinidade com o seu trabalho. Caso tenha alguma novidade interessante para contar envie um email.

Os profissionais da imprensa também podem descobrir o seu trabalho pela internet, por isso, esteja preparado para dar entrevistas. Seja solicito com os jornalistas, normalmente eles indicam entrevistados para colegas, uma ação rude pode limitar sua participação nesse segmento. Isso é muito ruim para aquele que deseja obter sucesso sendo influenciador digital.

5. Admita seus erros

A internet é uma via de mão dupla, por isso, os seguidores dão feedbacks de forma constante e, às vezes, eles podem apontar erros que foram cometidos. Nesses casos, o influenciador deve avaliar a situação antes de tomar uma decisão.

As redes sociais oferecem comunicação instantânea, mas isso não quer dizer que o posicionamento do influenciador deve ser sempre imediato.

Caso o público não tenha entendido algo, seja didático, desculpe-se pela falta de clareza e desfaça o mal-entendido. No entanto, se ficou claro que um erro fora cometido, desculpe-se e arque com suas responsabilidades.

Além de conhecimento, as pessoas também tendem a confiar naqueles que possuem virtudes, como a honestidade e a humildade de admitir um erro.

O que os números dizem dos influenciadores?

De acordo com uma pesquisa divulgada no início de 2017 pelo site norte-americano Entrepreneur os influenciadores digitais devem ganhar cada vez mais destaque em nossa sociedade, ocupando espaços que, outrora, foram da publicidade e da imprensa tradicional.

Os bloqueadores de anúncio são um grande desafio para a publicidade tradicional. Segundo a pesquisa, 26% daqueles que navegam pelo desktop utilizam meios para não terem acesso às propagandas.

A crescente navegação online também não está disposta a dar atenção às peças publicitárias. Segundo essa mesma entrevista realizada pela Entrepreneur, revela que cerca de 16% dos entrevistados que acessa à internet por smartphones, admitiram que usam bloqueadores.

Quase 60% dos gestores de Marketing americanos admitiram, em 2015, que destinariam mais recursos para os influenciadores digitais. A maioria esmagadora dos entrevistados (92%) disse que confiam mais em produtos recomendados por pessoas do que por marcas.

Além disso, quase 75% dos entrevistados revelaram o uso de redes sociais, ou seja, estão no ambiente dos influenciadores.

Influenciador: ser ou não ser?

Fica claro que é interessante para o setor de marketing de uma empresa analisar a viabilidade de trabalhar com um influenciador digital. A dúvida que fica para o indivíduo é se ele está disposto a tornar-se um.

Um influenciador digital pode ser muito útil em campanhas específicas de uma marca, além de fortalecer o Marketing de Guerrilha.

Com o Marketing de Guerrilha a empresa consegue conquistar a atenção do público, fazendo com que as pessoas comentem seu produto e o divulguem, de forma espontânea. Essa ação costuma ser mais eficiente e mais barata do que outros tipos de campanha.

Quer aprender e entender o é que e como funciona o Marketing de Guerrilha? Não deixe de ler nosso conteúdo!