hashtag

Como funcionam as hashtags? Contamos tudo para você!

Certamente, 9 em cada 10 internautas já ouviram falar em hashtag.

Certamente, 9 em cada 10 internautas já ouviram falar em hashtag.

Isso porque o recurso, caracterizado por uma palavra-chave precedida de um sharp, ou se preferir chame de sustenido ou jogo da velha (#), se tornou um enorme sucesso nas redes sociais — especialmente no Twitter.

Dentre as razões pelas quais a hashtag se popularizou, podemos ressaltar o seu jeito dinâmico de promover um determinado assunto.

O modo de utilizá-la e o fato de fazer parte do vocabulário dos adolescentes pode deixar a entender que a hashtag é algo apenas “divertido”, talvez até inútil para quem a vê o assunto de forma radical.

Porém, muitas empresas têm usado esse recurso para conseguir engajamento e proteger a marca — e elas realmente conseguem.

Um exemplo claro disso foi protagonizado pela Procter & Gamble, que fez uma campanha aplicada à hashtag #LikeAGirl para promover a sua linha de absorventes Always.

Você sabe qual foi o verdadeiro propósito disso?

Por tratar-se de um produto que muitas mulheres se sentem constrangidas de pedir numa farmácia, a empresa procurou estimular uma discussão a respeito dos absorventes e atrelar a ela a marca do produto.

Embora existam muitos cases de sucesso que passaram pelas hashtags, todo cuidado é pouco na hora de utilizar essa ferramenta.

Afinal, os numerosos cases de fracasso que já foram registrados ocorreram por conta de análises equivocadas e, até mesmo, pelo pouco entendimento dos conceitos e das boas práticas da hashtag.

Para que o seu negócio não fique marcado negativamente por uma hashtag, acompanhe o nosso texto e aprenda como utilizar essa poderosa ferramenta com sabedoria!

Conceito e funcionalidades de uma hashtag

O conceito de hashtag é algo simples: criar uma categoria sobre algo — produto, tema, notícia, etc.

Através da categoria criada, toda e qualquer pessoa na rede poderá ter acesso e interagir, como se cada um encontrasse uma espécie de convite para participar de um debate ou compartilhamento de opiniões a respeito de um produto.

Imagine que a sua empresa lançou um novo modelo de smartphone no mercado e que o produto despertou muita curiosidade no seu público-alvo.

Afinal, eles ouviram falar que o aparelho competirá diretamente com os mais recentes modelos de iPhone e Galaxy.

Então, para cada um que buscar por hashtags que contenham o nome do aparelho, tudo que os compradores e especialistas estiverem falando a respeito na internet aparecerá como resultado.

Isso acontece em grandes proporções, pois as hashtags são integradas aos motores de busca, ou seja, quem não faz parte das redes sociais pode pesquisar por hashtags através do Google.

Uma simples hashtag vai muito além de uma “forma de categorizar o assunto”, pois ela realmente pode potencializar muito o seu alcance.

No exemplo acima, caso o produto fosse de alta qualidade o sucesso seria certo — do contrário a campanha acabaria por comprometer (irreversivelmente) a imagem do produto e da sua marca.

Cuidados necessários ao trabalhar com hashtags

Ao entender um pouco sobre os conceitos de hashtag, logo concluímos que sua utilização pode levar uma empresa do céu ao inferno em questão de minutos.

Sendo assim, o que fazer para garantir que a marca não tenha seu nome vinculado ao fracasso?

Tratando-se de engajamento, existem algumas práticas que influenciam diretamente nos compartilhamentos — o que ensinaremos a seguir.

Quanto à imagem, no entanto, a questão é muito mais comportamental. Isto é, envolve muito mais o bom senso do que quaisquer outros fatores.

Em 18 de janeiro de 2012, a McDonald’s decidiu começar o ano de forma deslumbrante, dando início a uma campanha no Twitter através da hashtag #MeetTheFarmers.

O objetivo era apresentar, aos seguidores da marca, as histórias dos seus ingredientes e os grandes responsáveis pelos inconfundíveis sabores dos seus lanches e batatas.

Aparentemente a estratégia funcionava, já que havia bom senso e moderação nos tweets.

Porém, como a McDonald’s queria engajar ainda mais, no mesmo dia uma segunda remessa de hashtags foi disparada, sendo esta a #McDStories, para estimular os consumidores a compartilhar suas histórias com uma das maiores redes de fast food.

Resultado? Uma verdadeira avalanche de clientes insatisfeitos relatando péssimas experiências com a marca.

Isso é um grande exemplo de que espalhar hashtags, sem o mínimo de cautela, não é uma prática recomendada.

Assim como envolver a marca em questões extremamente polêmicas — como política e religião —, ou, simplesmente, ceder espaço para que pessoas mal intencionadas estraguem a campanha.

A importância de monitorar campanhas de hashtags

Parece óbvio que uma campanha de marketing nas redes sociais necessite ser monitorada, afinal, não se pode prever o seu impacto, certo?

No entanto, há registros de grandes empresas que faltaram com isso e viram o problema fugir do controle.

Foi o caso da Itaipava, que, certa vez, ativou o recurso de respostas automáticas para todos que compartilhassem a hashtag #FicaVerao, na qual a mensagem consistia numa foto da garota propaganda, dizendo: “Fulano(a), obrigada.

Agora é só torcer para essa campanha dar certo. Beijos e muitas geladas para você!”.

Qual foi o erro nisso tudo? Neste caso, muitas pessoas estavam plenamente incomodadas com a campanha da cerveja, apontando-a como uma típica disseminação da mentalidade machista que assola parte da publicidade.

Ou seja, pessoas furiosas que reclamavam da marca recebiam uma mensagem que mais soava como irônica — embaraçoso, no mínimo.

Conclusão: após estudar o comportamento do seu público-alvo, verificar a coerência da campanha, e determiná-la como um símbolo de bom senso que será moderadamente divulgado, nunca se esqueça de manter uma equipe dedicada a monitorar a campanha em tempo real.

Dessa forma, caso algum problema de hashtag comece a se manifestar pela rede, o mesmo poderá ser sanado antes que se agrave.

Criação de hashtags: o que é certo e errado?

Virando o foco para o lado mais “técnico” do uso das hashtags, a partir de agora falaremos sobre erros que impedem uma campanha de fluir, e, também, sobre as boas práticas que contribuem para uma estratégia de sucesso.

Formato ideal para cada hashtag

Como você já pode ter notado, as hashtags que funcionam — seja para o bem ou para o mal — costumam seguir um padrão.

Uma hashtag decente não deve possuir muitas palavras, nem caracteres.

Não há a necessidade de acentuar (ou de adicionar cedilhas) as hashtags.

Além disso, para que a mensagem fique mais inteligível, utiliza-se letras maiúsculas ao iniciar cada palavra.

Hashtags inadequadas são tão frequentes que o Facebook passou a limitar os caracteres.

Se você possui uma sorveteria, por exemplo, e quer divulgar uma promoção, em vez de usar #CompreUmSorveteELeveDois ou #aproveitepromocaodesorvetes, pense em palavras-chave objetivas e sem excesso, como #QueroSorvete — de preferência relacionando a hashtag com a marca.

Da mesma forma, não se deve criar uma hashtag para cada palavra (#sorvetes #em #promoção).

Isso tornaria a campanha tão confusa que a palavra-chave até se perderia.

Observação: criar hashtags para o Twitter, Instagram e Facebook são processos diferentes, pois umas toleram um maior limite de palavras que outras.

No Facebook, cada hashtag deve conter uma só palavra. Para o Twitter, é ideal não ultrapassar duas palavras, enquanto no Instagram se utiliza até cinco.

Integração com o marketing offline

Assim como hashtags não são uma exclusividade das redes sociais — já que o Google também pode ativá-las —, a sua divulgação não precisa se limitar à internet.

Principalmente nos casos em que a empresa pretende divulgar uma promoção ou evento, é uma ótima ideia utilizar de estratégias de marketing offline, como panfletos e outros anúncios impressos, para que se tenha um maior alcance.

Renove as hashtags ao longo do tempo

Fazer com que os seguidores sintam-se estimulados a compartilhar novas hashtags não é uma tarefa simples.

Primeiramente, o objetivo deve surgir como um atrativo.

Logo em seguida, o público carregará a expectativa por uma novidade, ou seja, ninguém se interessa por “mais do mesmo”.

Contar com o sucesso de uma campanha passada é um tremendo equívoco, afinal, com o dinamismo da internet, é muito comum que algo viral seja esquecido em pouco tempo.

Portanto, a sua empresa deve buscar sempre uma renovação nas hashtags.

Tipos de hashtag mais utilizados

Embora todas as hashtags tenham que seguir um formato padronizado, o critério de escolha pode variar muito de acordo com as pretensões da marca.

Dentre os tipos de hashtag mais utilizados, estão:

  • Trending Hashtags:

    São as hashtags — existentes — mais populares do momento, das quais uma marca pode se integrar para conquistar parte da audiência.

    Porém, para adquirir sucesso com essa estratégia, é imprescindível que o conteúdo tenha algo em comum com a trending hashtag, além de qualidade.

  • Hashtags Originais:

    Por outro lado, utilizar hashtags que estão em alta pode acarretar em um efeito contrário.

    Isto é, sua marca pode se camuflar em meio a tantas outras concorrentes.

    Para evitar que isso aconteça, invista em hashtags mais específicas para o momento, inserindo nelas a sua marca.

  • Hashtags de Conteúdo:

    Esse tipo de hashtag consiste em relacionar a sua marca com termos do mesmo nicho, sendo esta a escolha ideal para empresas que ainda estão buscando seu espaço nas redes sociais.

Quais são as hashtags mais usadas mundialmente?

Mesmo no Brasil, onde o idioma inglês está longe de ser oficial, muitos termos estrangeiros foram adotados ao longo dos anos — sobretudo os que surgiram na web.

O fato não é diferente com relação ao uso de hashtag, portanto, conheça as 5 das hashtags mais utilizadas ao redor do mundo:

  1. #Love (é a primeira mais utilizada);
  2. #Instagood (demonstração de orgulho por ter tirado determinada foto);
  3. #Follow (seguir);
  4. #BestOfTheDay (melhor publicação do dia);
  5. #tbt (um acrônimo de Throwback Thursday, referente a publicações muito antigas ou fotos dos tempos de infância).

Conclusão

Neste artigo você aprendeu sobre os conceitos de hashtag e a importância de colocá-los em prática ao fazer uma campanha.

Abordamos questões sobre o formato ideal, boas e más práticas, além de cuidados essenciais que devem ser tomados ainda nas fases de planejamento.

Com isso, a sua empresa já se encontra mais bem capacitada para começar a utilizar hashtags nas redes sociais.

Caso fazer campanhas em social media ainda seja um desafio para os seus negócios, aproveite para ler um pouco mais e aprender sobre como criar um perfil de sucesso no Instagram!