growth hackinginvestir em marketing.

">

Conheça os 4 pilares do Growth Hacking

Continue a leitura e entenda tudo sobre o mundo de growth hacking!

Você já ouviu falar em Growth Hacking? Essa modalidade de marketing está chamando a atenção de muitos empreendedores devido aos bons resultados obtidos com empresas de tecnologia e startups.

Por isso, separamos neste artigo algumas informações importantes sobre o assunto. Continue a leitura e saiba o que é o Growth Hacking!

O que é Growth Hacking

Esse termo foi cunhado por Sean Ellis, que afirmou que“Growth Hacking é marketing orientado a experimentos”. Muitos dos excelentes resultados apresentados por startups surgem de experimentos. Esses experimentos apresentam formas inovadoras de comunicar-se com o público e gerar receita.

O conceito de rede social apresentado pelo Facebook foi inovador, assim como sua forma de obter lucro por meio de anúncios personalizados. Ao percebermos isso fica mais fácil entender o que a palavra “experimentos” quer dizer na definição de Growth Hacking dada por Ellis.

Podemos explicar o Growth Hacking como uma técnica de aproveitar brechas existentes no mercado e explorá-las, transformando-as em impulsores de crescimento para o negócio.

Os pilares do Growth Hacking

1. Experimento

Como mencionado no início o texto, a experimentação é a fundamentação do processo.

2. Escalabilidade

Valendo-se da tecnologia, essa estratégia utiliza conceitos escaláveis, assemelhando-se às startups. Escalabilidade significa desenvolver um modelo de negócio capaz de atender a escalas de público cada vez maiores, sem que esse modelo tenha que sofrer grandes alterações.

3. Ética

Growth Hacking não pode ser antiético. Melhorar as vendas do seu e-commerce por meio de técnicas de SEO é algo profissional. Utilizar brechas de segurança para expor seu site via SPAM é algo totalmente contrário do que propõe o Growth Hacking, por exemplo. Aproveitar as brechas existentes no mercado ou na tecnologia deve ser algo alinhado aos princípios da empresa.

4. Análise de dados

Para conseguir realizar experimentos que representem avanços na empresa é importante que o empreendedor estabeleça critérios de análise para essas experiências — e que tenha acesso a elas e consiga interpretá-las de forma correta.

O Growth Hacking na prática

O primeiro passo é reunir um time para obtenção de ideias. A realização de um brainstorming é fundamental. Naturalmente esses conceitos devem ser anotados e debatidos. Resolver um problema da empresa pode ser o tema da reunião.

Vamos a um exemplo simples: sua marca precisa aumentar as vendas de produtos destinados ao público adolescente. Uma reunião com o time resultou na ideia de investir em mídias sociais. Pesquisas indicam que o Snapchat é o canal mais adequado para conversar com esse público.

Aqui entra uma estratégia de Growth Hacking: com base em estudos — desenvolvidos pela empresa ou não —, qual será a linguagem adotada nessa estratégia de comunicação e quem serão os influenciadores digitais contratados para atingir a meta de aumento de vendas?

Implementada a ideia, é importante monitorá-la de forma adequada para garantir que tudo está sendo feito conforme o planejado e que as métricas obtidas estão sendo analisadas da maneira correta.

Ao final do experimento você pode chegar à conclusão que usuárias que conheceram sua marca por meio da indicação de influenciadores digitais do Snapchat tendem a visitar o site e realizar uma compra.

Growth Hacking faz parte da cultura de empresas como Facebook e LinkedIn, mas independentemente do seu segmento de negócio, ele deve ser considerado.

Analisar cuidadosamente as métricas é fundamental para obter sucesso, por isso é importante ler este artigo para fugir das métricas de vaidade!