ginástica cerebral

Como a ginástica cerebral ajuda no seu desempenho no trabalho?

Aqui no Saia do Lugar estamos sempre trazendo conteúdos para ajudar empreendedores a ter sucesso.

Aqui no Saia do Lugar estamos sempre trazendo conteúdos para ajudar empreendedores a ter sucesso.

E se você é o tipo de pessoa que busca aprender constantemente, já deve ter lido muitos materiais na internet sobre negócios, produtividade e gestão.

Só que, mais cedo ou mais tarde, chega aquele momento em que você sente que já fez de tudo. Leu os melhores livros, planejou sua rotina e otimizou os processos da empresa.

Ainda assim, você continua desejando ter um desempenho ainda melhor. É ou não é?

Sendo assim, por que não abrir a cabeça para novas tendências? A ginástica cerebral vem ganhando notoriedade no mercado.

Esse tipo de treinamento é útil não apenas para o gestor e empreendedor, como também pode ser aplicado para toda a equipe.

Interessou? Então conheça todos os detalhes a partir de agora.

Antes de mais nada: o que é ginástica cerebral?

Como você sabe, nosso cérebro é composto por dois hemisférios. O direito geralmente está associado ao pensamento linear, aos números, ao raciocínio lógico e ao uso da linguagem.

Já o hemisfério direito é considerado o lado criativo, ligado às artes, às emoções, às sensações e à imaginação.

A ginástica cerebral é um método de ativação simultânea desses dois hemisférios.

Ela está baseada na educação cinestésica e pode ser usada para melhorar a capacidade de aprendizado e, consequentemente, provocar um aumento de desempenho nas mais diversas atividades e funções. Inclusive, no trabalho.

Para isso, a ginástica cerebral usa uma série de atividades e movimentos mecânicos simples.

Esses exercícios são responsáveis por ativar partes do cérebro que normalmente não costumam ser utilizadas, aprimorando o funcionamento do órgão.

Com isso, é possível aumentar a concentração, a criatividade, a leitura e a escrita, além da capacidade de raciocínio.

Curiosidade: no Brasil, a ginástica cerebral está sendo cada vez mais usada por treinadores, preparadores físicos e outros profissionais da área esportiva.

O método é aplicado nos atletas para que eles melhorem a atenção, o raciocínio e a concentração. Além disso, os exercícios contribuem para diminuir o estresse durante as competições.

Falando em estresse, vale a pena ler este post sobre a importância do ócio.

Qual é a origem do método?

A ginástica cerebral surgiu na Califórnia, nos Estados Unidos, no meio dos anos 70. Seu precursor foi o Dr. Paul Dennison, pioneiro da pesquisa cerebral aplicada e criador da educação cinestésica.

As descobertas de Dennison se basearam na compreensão da interdependência do desenvolvimento acadêmico, do desenvolvimento físico e da aquisição da linguagem.

Em outras palavras, o especialista descobriu que todas essas áreas estavam ligados entre si. Consequentemente, a estimulação de uma contribuiria para o desenvolvimento das outras.

Somente no ano de 1990 a ginástica cerebral foi aceita como uma das técnicas de ponta específicas para educação pela National Learning Foundation.

Principais benefícios: como a ginástica cerebral pode ajudar no seu desempenho

A ginástica cerebral traz benefícios tanto pessoais (individuais), como para colaboradores, equipes e empresas como um todo.

Em qualquer um desses contextos, os novos aprendizados exigem uma grande quantidade de energia.

Isso porque, ao aprender algo diferente, precisamos integrar a nova informação aos conhecimentos que já possuímos.

Muitas vezes esse processo é estressante e cansativo, causando bloqueios que reduzem a utilização de um dos hemisférios do cérebro. Isso dificulta o raciocínio e o aprendizado.

Já ao utilizar a ginástica cerebral, integramos novamente os hemisférios para receber e usar informações. Da mesma forma, torna-se mais fácil acessar os conhecimentos que já possuímos.

Sendo assim, esse processo traz uma série de vantagens que listamos a seguir.

Benefícios individuais

  • Melhora do equilíbrio, percepção e coordenação motora;
  • Autoconhecimento;
  • Disposição para novas experiências e aprendizados;
  • Maior facilidade para mudar hábitos;
  • Clareza de pensamentos e melhora da organização;
  • Cooperação;
  • Aumento da consciência;
  • Maior capacidade para fazer novas escolhas;
  • Aumento da autoestima e autoconfiança;
  • Redução do estresse;
  • Maior resiliência (capacidade de superar e recuperar-se de adversidades);
  • Entre outros.

Benefícios profissionais e empresariais

  • Aumento da proatividade;
  • Foco nas atividades;
  • Organização;
  • Melhora da concentração;
  • Alívio de tensões físicas e emocionais;
  • Prevenção de acidentes de trabalho;
  • Aumento da disposição e motivação para trabalhar;
  • Maior cooperação entre a equipe;
  • Maior envolvimento com a empresa;
  • Aumento da criatividade aplicada ao trabalho;
  • Aumento da capacidade de inovação;
  • Agilidade nas tomadas de decisão;
  • Maior abertura para mudanças;
  • Melhora dos indicadores da qualidade;
  • Diminuição de erros e retrabalho;
  • Entre outros.

Ao praticar exercícios para o cérebro, aprimoramos nossa capacidade de aprendizado, memorização e raciocínio.

Isso se reflete naturalmente no contexto profissional: passamos a executar as tarefas do trabalho com mais velocidade e eficiência.

Além disso, melhoramos nossas habilidades de resolução de problemas e tomadas de decisões.

Como incluir a ginástica cerebral no cotidiano

Prática constante

Especialistas garantem que não é necessário ter acompanhamento profissional para praticar os exercícios mais simples da ginástica cerebral.

Ou seja, você mesmo pode realizar essas atividades no seu dia a dia.

No entanto, a ginástica só terá um efeito realmente perceptível se você aplicar as atividades continuamente ao longo do tempo.

De nada adianta, portanto, fazer uma série de exercícios logo antes de uma reunião ou no dia anterior a uma apresentação para o cliente.

Para que exista uma uma melhora definitiva de funções como a concentração, raciocínio e memória, é necessário que você estimule e condicione sempre o seu cérebro.

Algumas atitudes simples já podem ajudar nesse processo, como:

  • Aprender coisas novas constantemente, pois isso ajuda a eliminar falhas e estimular o surgimento de neurônios;
  • Estudar um outro idioma ou viver experiências culturais. E quanto maior for a diferença, melhor. Por exemplo, é preferível aprender japonês do que francês;
  • Estimular áreas pouco usadas do cérebro. Por exemplo, se você é engenheiro, pode aprender a tocar um instrumento musical;
  • Meditar e fazer atividades relaxantes ou prazerosas, pois isso favorece a atividade cerebral.

No tópico a seguir daremos exemplos práticos de exercícios que você pode começar a fazer hoje mesmo, combinado?

Alimentação

Além disso, se você realmente quiser se dedicar para aprimorar o desempenho do cérebro, deve cuidar da sua alimentação.

Esse é um fator de extrema importância para o bom funcionamento do órgão.

Ao evitar as bebidas alcoólicas, por exemplo, seu cérebro ficará mais saudável e aumentará sua percepção.

Onde aprender

Atualmente, existem cursos e escolas especializadas que ensinam diferentes métodos de ginástica para o cérebro.

Entre as opções estão cursos presenciais, In Company e até mesmo pela internet.

É o caso do Supera Online, uma plataforma que funciona por assinatura que oferece mais de trinta exercícios para o cérebro.

Colocando em prática: exemplos de exercícios

A lista de possíveis exercícios da ginástica cerebral é praticamente infinita. Para começar, separamos algumas das atividades mais populares. Veja a seguir.

Mãos trocadas

Este exercício consiste em simplesmente escrever com a mão não dominante. Se você é destro, por exemplo, tente escrever com a mão esquerda.

Essa é uma das maneiras mais simples de estimular o lado contrário do cérebro.

Outra opção é trocar o lado do mouse do computador. Novamente, se você usa o mouse com a mão direita, tente usar com a esquerda.

Teste das cores

Nesta atividade você deve escrever o nome de várias cores usando um lápis ou caneta de outra cor (que não seja o nome que você estiver escrevendo).

Por exemplo:

Você pega um lápis vermelho e escreve a palavra “verde“.

Depois pega um lápis azul e escreve a palavra “amarelo“.

Em seguida, tente ler em voz alta as cores em que as palavras estão escritas (e não o texto).

O teste força os dois lados do cérebro a trabalharem juntos, já que um tenta ler a linguagem enquanto o outro dará prioridade às cores.

Memorização

Memorizar listas e tarefas simples do dia a dia pode ser muito benéfico para o cérebro.

No âmbito empresarial, isso se aplica para apresentações. Nas reuniões internas, por exemplo, você pode propor que sua equipe deixe a “cola” de lado.

E se você é daqueles que sempre conta com a lista na hora de ir ao supermercado, aqui vai um desafio. Faça a lista de compras normalmente e tente memorizá-la.

Depois, deixe a lista em casa e vá fazer as compras sem ela. Na volta, veja se você conseguiu lembrar de todos os itens ou se acabou esquecendo de algo.

Uma dica é contar o número de itens que estão na lista, pois isso põe sua mente para trabalhar até que você lembre de cada um deles.

Massagem

O simples fato de estimular as artérias carótidas faz com que o cérebro receba sangue fresco e oxigenado.

Para isso, encontre duas áreas ocas logo abaixo da clavícula. Estes são os seus “botões cerebrais”.

Com uma mão, massageie a área com o dedo polegar e o indicador por cerca de dois minutos. Ao mesmo tempo, mantenha a outra mão sobre a região do umbigo.

Depois dos dois minutos, simplesmente alterne as mãos.

Marcha

Este exercício é bastante simples e tem a capacidade de ativar os dois hemisférios cerebrais ao mesmo tempo.

A técnica consiste em marchar sem sair do lugar, podendo ser sentado ou de pé. Cada mão deve tocar alternadamente no joelho oposto (mão direita no joelho esquerdo).

A duração do exercício pode variar de quatro a oito respirações completas. Essas respirações devem ser bem relaxadas.

Conclusão

Seja para uso individual do empreendedor ou para aplicação em toda a equipe da empresa, a ginástica cerebral age no principal elemento responsável por resultados: o cérebro humano.

Enquanto muitas técnicas e treinamentos corporativos focam somente em aspectos técnicos da gestão, esta metodologia trabalha a capacidade de inteligência para aumentar a performance no trabalho.

Com isso, extrai o máximo possível de cada colaborador, trazendo benefícios tanto para o indivíduo como para a organização.

E já que estamos falando de desempenho, também é interessante aproveitar o que os recursos tecnológicos oferecem de melhor. Veja este post que preparamos com As 6 melhores ferramentas online para aumentar sua produtividade.

  • Alexandre Dos Santos Vieira

    O aplicativo Peak (disponível pra Android) também é uma excelente alternativa, e funciona de forma gratuita ou paga, eu utilizo gratuito de forma bem satisfatória.

    • Renato Mesquita

      Obrigado pela dica, Alexandre!

      Abraços.