fluxo de caixa

Veja como montar o fluxo de caixa e mantenha o controle financeiro da sua empresa!

Já teve a sensação de que, para manter a saúde financeira do seu negócio mês a mês, parece ser necessário prever o futuro? Se teve, você intuiu que o que precisa é de um fluxo de caixa bem detalhado.

Já teve a sensação de que, para manter a saúde financeira do seu negócio mês a mês, parece ser necessário prever o futuro? Se teve, você intuiu que o que precisa é de um fluxo de caixa bem detalhado.

Ao contrário do que parece, não há nenhuma mágica para controlar as suas finanças.

Pode ser que o seu faturamento seja diferente em cada mês do ano, mas é possível — e até relativamente fácil — realizar esse controle, se você fizer da forma correta.

Ficou interessado e quer estar mais preparado para oscilações nas suas contas e despesas de última hora? Gostaria de prever problemas e investir em equipamentos e estrutura para o seu negócio sem aquele medo de gastar mais do que ganha? Então acompanhe:

O que é fluxo de caixa

Basicamente, fluxo de caixa é uma forma de controlar o fluxo financeiro da sua empresa. Ou seja, suas entradas e saídas e também o seu saldo atual.

Sua importância está no fato de que é a partir desses dados que vai ser possível traçar metas para investir, prever épocas de pouco faturamento e estar preparado para elas, entre outras coisas.

Para que essa explicação fique ainda mais clara, vamos entender cada um dos elementos que devem ser levados em consideração para um fluxo de caixa eficiente:

Saldo inicial

É a quantidade de dinheiro que você tem no início um determinado período.

Pode ser um valor que já estava no caixa no início do mês — ou seja, que sobrou do mês anterior — ou mesmo aquela quantia inicial que você coloca na sua empresa no primeiro dia de operação dela.

Como veremos, uma das primeiras coisas a fazer para criar um fluxo de caixa é ter um período para medi-lo. Normalmente, saldo inicial é aquele que você já tem disponível no início desse período.

Uma dica: às vezes seu saldo inicial, entradas e saídas não ficam reunidos em um único lugar, mas acontecem ao mesmo tempo em várias contas bancárias. Isso não é o ideal, já que dificulta o seu controle.

Entrada de caixa

Esta categoria aqui engloba todo e qualquer valor que você recebe. Esses valores podem ser em dinheiro, no cheque, cartão de crédito, à vista ou parcelado.

Lembre-se apenas de que entradas parceladas não são todas computadas de uma vez. Cada parcela entra no mês respectivo.

Afinal, o fluxo de caixa serve, entre outras coisas, para que você não gaste um dinheiro que ainda não tem.

Há também aquelas pequenas quantias diárias que você recebe e esquece de depositar justamente porque é pouco. Seja metódico e deposite tudo.

Esse dinheiro miúdo somado durante um longo período pode representar a maior parte do seu faturamento!

Daqui a pouco vamos falar mais sobre a importância de computar todos os seus gastos e recebimentos.

Saídas de caixa

Qualquer pagamento que você fizer, ou qualquer outra operação em que algum dinheiro saia do seu caixa.

Não importa se você comprou um equipamento parcelado, pagou um fornecedor, comprou uma lâmpada para o estabelecimento ou adiantou uma parte do salário de um funcionário.

O maior risco aqui é esquecer de anotar. Você deve ser muito metódico com os seus gastos, pois isso é o que te permitirá fazer um estudo detalhado deles depois.

Saldo operacional

Para obter o seu saldo operacional, a fórmula é simples:

ENTRADAS DE CAIXA – SAÍDAS DE CAIXA = SALDO OPERACIONAL

Por essa operação, já deu pra entender que ele é que mede o sucesso do seu empreendimento num determinado período, não é mesmo? Quanto menos você gastar e mais receber, maior será o seu saldo operacional.

Saldo final

Por fim, este aqui te diz a quantidade real de dinheiro que você tem naquele momento. A fórmula para calculá-lo também é bem simples:

SALDO INICIAL + SALDO OPERACIONAL = SALDO FINAL

Como fazer o fluxo de caixa

Quanto mais metódico você for ao computar seus gastos e recebimentos, mais real será o seu fluxo de caixa e mais proveitosos serão os dados que ele te fornecer.

Acompanhe um passo a passo para começar utilizá-lo agora mesmo:

1-Escolha uma forma de anotar o fluxo de caixa

Há muitas formas disponíveis. Você pode usar desde um caderninho, lápis e borracha, até complexos softwares que fazem todo o trabalho difícil para você.

De início, sugerimos começar com algo mais simples. Se tem afinidade com planilhas do Excel, ótimo!

Basta criar uma coluna para cada um dos itens de que falamos anteriormente e aplicar subtrações e somas simples para as células relativas ao saldo operacional e saldo final.

2-Defina um período ou ciclo

Esse é o passo mais importante de todo o processo. O fluxo de caixa visa justamente a permitir que você tome decisões que sejam condizentes com suas finanças e lucro em um certo período.

Por isso, é preciso escolher um intervalo de tempo para fazer suas análises e tirar suas conclusões.

Algumas empresas operam melhor com um ciclo de 3 meses, outras de um semestre, algumas de um ano. Não há uma receita para isso.

Pense apenas que deve ser um período que te permita fazer um diagnóstico dos seus erros financeiros e corrigi-los.

Se a sua empresa tem um fluxo grande de pequenas quantidades de dinheiro — como acontece numa padaria, por exemplo — talvez o melhor seja optar por um período curto. Afinal, quanto mais entradas e saídas, maiores as chances de erro em médio prazo, certo?

Agora, se você recebe grandes quantias de dinheiro por trabalhos esparsos — como o que acontece em escritórios de Engenharia ou Arquitetura — pode definir períodos mais longos, como os anuais.

3-Descubra quanto você tem de dinheiro

Sim, você vai definir agora o seu saldo inicial.

Separe essa primeira quantia. Pense que ela pode servir para despesas que virão antes que você receba algum dinheiro com a venda dos seus produtos.

O saldo inicial pode ser uma espécie de fundo de emergência, pelo menos no início

4-Faça um levantamento dos seus gastos

Anote todos os gastos que você tem certeza que vão ser necessários ao longo de todo o período que definiu.

No caso de gastos mensais, como aluguel, dívidas com fornecedores, água e luz, a planilha do Excel pode te ajudar, se ela tiver campos específicos para gastos recorrentes

5-Anote tudo!

O seu fluxo de caixa e, consequentemente, a saúde financeira da sua empresa, vão depender muito da sua disciplina aqui.

Pequenos gastos diários como compra de papel, lâmpadas que queimam e canetas, são aqueles que mais esquecemos de anotar.

Não cometa esse erro. No final do período que você definiu, nada impede que chegue à conclusão de que pequenas despesas diárias como essas, somadas, representam o seu maior gasto ao longo do período que escolheu. Constatar isso é o que vai te permitir diminuir esse tipo de despesa, não é mesmo?

E como você vai tirar todas essas conclusões, se esquecer de anotar?

Como controlar o fluxo de caixa

Pense bem: seus recebimentos e despesas não são regulares.

Se o seu negócio é como a maioria, há meses do ano em que você tem um faturamento maior ou menor. Por outro lado, seus gastos certamente não acompanham essas oscilações.

Parcelas de empréstimo e compromissos com fornecedores que você fez a prazo devem ser pagos religiosamente.

Além disso, o seu fluxo de caixa é uma das melhores fontes de números para estudar o seu negócio.

Até mesmo esses meses de menor faturamento só podem ser determinados depois do estudo de um ano inteiro nas suas planilhas.

É por isso que você deve experimentar ciclos diferentes, ser disciplinado ao anotar todas as entradas e saídas e fazer uma análise completa ao final de cada ciclo.

Essa análise, por sinal, é que vai dizer onde estão os seus erros de planejamento.

Em algum momento ficou sem saldo suficiente para pagar uma conta? Ou suas parcelas de um pagamento do fornecedor entram sempre numa data em que seu saldo está baixo e você passa alguns dias com pouco dinheiro no caixa?

Situações como essa é que vão te dizer se você tem feito da maneira certa ou errada e que decisões deve tomar para corrigir.

Por exemplo: você sempre pode negociar com um fornecedor a data de pagamento de um produto.

Se pegou empréstimos para abrir sua empresa ou expandi-la, pode mudar as datas das prestações, evitando juros e economizando dinheiro.

Além, claro, de saber muito bem quais são aqueles clientes que compram a prazo, pagam fora da data e complicam a sua planilha.

Com um fluxo de caixa bem feito, nenhuma decisão que você tomar será impulsiva ou baseada em achismos.

Cada passo do seu negócio será respaldado por números e um planejamento bem feito.

O planejamento, afinal, é a chave para a saúde financeira e a prosperidade da sua empresa, não é verdade?

Até as suas atitudes mais arrojadas precisam ser justificadas por ela.

Fluxo de caixa pronto, agora é hora de dar o próximo passo.

Já que você sabe muito bem como vão os seus pagamentos e recebimentos, que tal conhecer As 9 melhores dicas para estabelecer metas e crescer o seu negócio? Com um caixa controlado e objetivos claros, o céu é o limite!