9 mitos sobre capital de risco para startups

9 mitos sobre capital de risco para startups

499
4
SHARE

Este texto faz parte da coluna da Plataforma Brasil feito especialmente para os leitores do Saia do Lugar.

Você considera que o seu negócio já está maduro o suficiente para receber um investidor? Acredita que a participação dele será realmente construtiva para o médio e longo prazo do negócio? O seu negócio apresenta números atrativos, com boas perspectivas de desenvolvimento, e além disso você se considera preparado para prestar contas e tocar a empresa da forma mais profissional possível?

Bom, talvez tenha chegado a hora de começar a procurá-lo. E saiba: eles podem estar mais próximos do que você imagina, monitorando o mercado em busca de oportunidades promissoras.

Nesse ambiente, ainda vale a velha máxima: Sobra dinheiro, mas faltam bons projetos tocados por bons gestores.

Então se esse é o seu objetivo, é preciso antes de tudo derrubar alguns mitos e tomar alguns cuidados:

1 – Investidores não se encantam com histórias de romantismo empresarial. Querem saber sim, de números, projeções possíveis e maturidade de gestão.

2 – Não tente persuadi-los a nada. Nesse mundo persuasão soa quase como um palavrão. Querem se convencer por si próprios, depois de inúmeros e cruéis questionamentos.

3 – Não tente emocioná-los com as suas aventuras empreendedoras, e trate de entrar no clima. Seja frio.

4 – As forças cósmicas não vão conspirar a seu favor. Esqueça essa história de energia construtiva, magnetismo pessoal e outras bobagens do gênero. Mais uma vez, seja frio e direto.

5 – Seja firme e objetivo.

6 – Saiba que a sua principal munição são as informações.

7 – Um bom plano de negócios não precisa ser extenso e nem se assemelhar a um tratado. Ele precisa ir direto ao ponto, com coerência, organização e dados confiáveis.

8 – Não acredite na força dos relacionamentos, isso é pura ilusão. Intermediários baratos adoram usar isso para conquistar negócios e clientes. Ninguém vai investir absolutamente nada por causa disso. Gestores de investimentos prestam contas sobre suas decisões e nessas horas a amizade pode até atrapalhar.

9 – Não se iluda, investidores não gostam de riscos. Tratam isso simplesmente como algo inevitável. Quanto menor, melhor.

Como última dica, caso tenha sucesso ao capitalizar o seu negócio, esqueça os velhos tempos de reinado e autonomia total, e prepare-se para prestar contas e satisfações. Isso não é ruim, faz parte do processo, e quanto mais organizada e bem gerida for a sua empresa, menor risco representará, e assim, melhor e mais saudável será o seu relacionamento com o novo e necessário sócio.

Boa sorte!

Abraços,

Gustavo Chierighini, da Plataforma Brasil

Para ler outros textos da coluna da Plataforma Brasil no Saia do Lugar, clique aqui.

Pra saber mais sobre Capital de risco, veja o guia básico de capital empreendedor e inovação tecnológica.

  • Roberto Fermino

    Ótimo lista. Siples e direta! Só acrescentaria a importância de checar os investidores, assim como eles farão com você. Afinal deve saber onde estará pisando!

  • http://twitter.com/andreldoliveira andréluizdoliveira

    Ao autor Gustavo e ao editor Luiz. Gostei bastante do artigo. Só achei que o título tá incoerente com o conteúdo, porque alguns dos itens não são “mitos sobre capital de risco…”, mas sim fatos bem conhecidos.

    Ademais, curti a compilação.

  • luizpiovesana

    Olá André, tudo bem?

    O autor do post é o Gustavo – temos uma parceria e a cada duas semanas
    postamos um texto dele.

    Abraços,
    Luiz

  • http://twitter.com/brunobiscaia Bruno Biscaia

    Encontrei este post através do Google. Achei muito legal.
    Escrevi sobre o mesmo tema lá no Dinheirama. Dêem uma olhada: http://dinheirama.com/blog/2010/09/29/entendendo-como-funciona-o-capital-de-risco-venture-capital/
    Mais uma vez parabéns pelo Blog. Vocês merecem o sucesso que ele anda fazendo!