ERPestratégias de Marketing Digital podem oferecer para negócios consolidados ou que ainda buscam uma presença sólida no mercado em que atuam.

">

O que é Enterprise Resource Planning (ERP) afinal de contas?

Como está a organização da sua empresa atualmente? Você têm fluxos de trabalho definidos? Os departamentos são bem integrados? Como é feita a gestão financeira? Como você planeja o uso dos recursos? Quais processos são automatizados no dia a dia? Se você achou complicado responder a alguma dessas perguntas, talvez esteja na hora de saber o que é ERP.

Como está a organização da sua empresa atualmente? Você têm fluxos de trabalho definidos? Os departamentos são bem integrados? Como é feita a gestão financeira? Como você planeja o uso dos recursos? Quais processos são automatizados no dia a dia? Se você achou complicado responder a alguma dessas perguntas, talvez esteja na hora de saber o que é ERP.

Quer um motivo para aprender sobre o assunto? Uma pesquisa desenvolvida pelo IDG Research Services revelou que empresas que usam ERP crescem 35% mais rápido.

Além disso, são 10% mais produtivas que seus rivais que não utilizam nenhum sistema do tipo. Mais de 300 empresas de médio porte da Europa e dos Estados Unidos participaram do estudo. E, para falar a verdade, os benefícios não param por aí.

Ficou curioso? Então entenda de uma vez por todas o que é ERP!

O que é ERP?

ERP é uma sigla para Enterprise Resource Planning, em inglês. Em tradução livre, nada mais é do que o planejamento dos recursos da empresa.

Na prática, o ERP funciona como um software, isto é, um sistema de informática que é instalado dentro da organização.

E por que o ERP é tão importante? Simples. Porque ele centraliza todas as operações do cotidiano de uma empresa, cuidando de atividades como:

• Emissão de notas fiscais;
• Balanço contábil;
• Fluxo de caixa;
• Compras;
• Inventário de estoque;
• Apuração de impostos;
• Segurança das informações;
• Administração de pessoal;
• Contas a receber;
• Ponto dos funcionários;
• Folha de pagamento;
• Entre muitas outras.

Enfim, quando o ERP está presente, todo o trabalho operacional e administrativo que é feito na empresa acaba passando por ele.

O sistema integra os diversos departamentos, tornando todas as informações acessíveis em um único lugar e contribuindo para o fluxo do trabalho.

Quando bem utilizado, o software acaba funcionando como a espinha dorsal do negócio. Processa desde o pedido de vendas até a distribuição dos produtos, passando pelo controle do estoque, pelo planejamento da produção e pelas finanças.

O ERP trabalha com um conjunto de ferramentas que podem se adaptar às necessidades de diferentes empresas. Ao integrar essas ferramentas, o sistema gera informações únicas para todos os setores, agregando inteligência e simplificando os processos operacionais.

Quais são objetivos ao implantar o ERP?

Se tivéssemos que resumir de maneira bem breve, poderíamos dizer que o uso do ERP tem o objetivo de alavancar a competitividade de uma empresa a partir da organização do trabalho e do aumento da eficiência nos processos internos.

Os primeiros sistemas de gestão empresarial – com surgimento na década de 50 – nasceram da necessidade de encontrar métodos de planejamento mais eficientes.

Hoje, as empresas que implantam um software ERP querem ter o controle de todos os seus processos e informações.

Elas entendem que, dessa forma, terão mais facilidade para focar no desenvolvimento estratégico e ganhar competitividade, reduzindo custos e maximizando a rentabilidade.

Outro objetivo das organizações que decidem adotar um sistema de gestão empresarial é obter mais segurança e qualidade para as informações.

Tudo isso ao mesmo tempo em que mantêm a flexibilidade no gerenciamento de cada departamento a partir das necessidades mapeadas.

Benefícios do ERP

A implementação do Enterprise Resource Planning traz diversas vantagens para as companhias. Veja os benefícios mais comuns a serem destacados:

Controle de custos

Um dos primeiros e principais benefícios da implementação de um sistema ERP é a possibilidade de reduzir custos.

Através do software, a empresa pode acompanhar constantemente as metas e os resultados obtidos, mapeando os custos nos mínimos detalhes e sabendo exatamente onde é possível cortar gastos excessivos.

Aumento da produtividade

Ao proporcionar a diminuição dos erros relacionados às informações, o sistema contribui para a redução do retrabalho.

Com isso, a equipe ganha mais tempo para investir em atividades que trarão resultados concretos, sejam elas estratégias ou operacionais.

Em outras palavras, a empresa cumpre mais obrigações sem precisar incrementar o quadro de funcionários.

Inteligência de dados

Com um sistema de gestão, a companhia tem a oportunidade de trabalhar com regras de negócios traçadas de acordo com o perfil do mercado e da própria empresa.

Esses dados se tornam uma fonte importantíssima de informações valiosas, servindo para o acompanhamento e apoiando a tomada de decisões.

Controle tributário

Realizar a entrega das obrigações tributárias impostas pelo governo se torna bem mais fácil para as organizações que contam com um ERP.

Elas conseguem controlar datas e cálculos, reduzindo as inconsistências nas informações e, consequentemente, os riscos de multas.

Qualidade das informações

Organizar as informações é difícil para qualquer empresa.

Com um sistema ERP isso se torna consideravelmente mais fácil, já que o Banco de Dados garante entradas relevantes e livres de controles paralelos.

Isso proporciona que todos os setores acessem dados únicos e sem erros.

Controle dos prazos

Um sistema ERP permite reduzir o tempo de fechamento em pelo menos 20%.

Dessa maneira, a empresa garante um controle sobre seu cronograma de entrega para clientes, prevendo e evitando quaisquer imprevistos e atrasos.

Otimização de processos

Com o ERP, muitas atividades podem ser automatizadas.

Essa é uma enorme vantagem que leva ao aumento de produtividade e fluidez nos processos.

Dessa forma, a organização passa a se alinhar com as melhores práticas de gestão do mercado.

Gestão integrada

Ao concentrar todas as informações de empresa em um só lugar (através de um ERP voltado especificamente ao seu setor de atuação), a organização ganha integração nos departamentos.

Redução de riscos

Ao ter o controle de todas as suas informações, a empresa tem muito mais facilidade para identificar e falhas situações de risco antes que qualquer problema venha a acontecer.

Além disso, tem um aumento de segurança para redefinir estratégias quando necessário.

Crescimento rápido

Conforme citamos anteriormente, as empresas que utilizam um sistema ERP crescem 35% mais rápido.

Outro ponto interessante é o nível de otimização de estoque, que chega a ser até quatro vezes maior.

Essas vantagens também refletem uma melhoria de 9% na qualidade de entrega aos clientes.

Facilidade de mudanças

Usando o ERP, a empresa é capaz de realizar mudanças muito mais rápido, acompanhando as movimentações do mercado.

Isso vale para novas leis, mudanças nas estruturas de pagamento ou até mesmo problemas de entrega de fornecedores.

Acesso remoto

A possibilidade de acessar informações da empresa remotamente é outro benefício claro.

As empresas que utilizam sistemas de gestão empresarial relatam maior facilidade para processar encomendas à distância.

Ter acesso móvel aos dados também ajuda a aumentam as vendas para novos clientes ou a comercialização de novos.

Como o software funciona

Colocando de uma forma prática, um software ERP na maioria das vezes está dividido em três camadas distintas. São elas:

1. Aplicação

É a primeira das três camadas.

Nela se encontra o software ERP e as suas funcionalidades, como: cadastros através de formulários, processos e outros dados que sejam necessários para o funcionamento da empresa.

2. Banco de Dados

Na segunda camada são armazenados os dados gerados na camada Aplicação.

Esse processo deve ser feito de uma maneira lógica no Banco de Dados, que será acessado pelo software ERP através de um mecanismo de conexão não nativa.

3. Framework

Esta é a camada onde é possível criar parâmetros, tornando o ERP customizável de de acordo com as necessidades da companhia.

Desde que tenha um camada para novos códigos-fonte, o sistema também permite que novas funcionalidades sejam adicionadas fora do ERP padrão.

É necessário também que a empresa estruture na base do projeto, que é o sistema operacional.

Essa etapa é fundamental para que o ERP seja executado.

Além das camadas, o ERP é dividido em módulos a partir de dois pontos de vista.

Na Visão Departamental, os módulos são separados em Contábil, Compras, Faturamento, Financeiro, Estoque e assim por diante.

Essa divisão tem a função de manter os processos de cada departamento dentro da mesma tela.

Assim, colaboradores que não têm envolvimento com compras não visualizarão esse tipo de informação, por exemplo.

O segundo ponto de vista é a Visão por Segmento. Essa separação busca atender algum processo específico do segmento.

Por exemplo, uma empresa de análises clínicas tem necessidades diferentes de uma fábrica de tecidos, que terá que executar processos de entregas em diferentes Estados.

Neste caso podem ser criados módulos que atendam a essas particularidades, chamados de Verticais.

É importante salientar que, por mais que o ERP seja dividido por módulos, todos os seus dados são armazenados em um mesmo sistema.

Conclusão

Definitivamente, a implantação de um sistema ERP traz uma série de benefícios para as empresas.

De modo geral, gestores que optaram por utilizar um sistema do tipo costumam relatar melhorias na organização e integração dos processos, bem como um aumento da eficiência.

Muitos também conseguem reduzir a quantidade de mercadorias ou matéria-prima nos estoques.

Outros tantos são capazes de reduzir os gastos com pessoal, já que diversas tarefas passam a ser automatizadas ou otimizadas.

Sabemos que todo empresário tem, constantemente, o desafio de gerar mais resultados com menos recursos, e é justamente aí que o ERP entra, favorecendo até mesmo a visão estratégica e a tomada de decisões.

Gostou desse conteúdo? Não vá embora ainda. Temos outro artigo sobre gestão que pode te interessar: Os motivos para tirar a gestão da sua empresa do Excel