A relação de sucesso de usar ERP na estratégia de marketing

Apesar de ser visto principalmente como uma ferramenta de gestão, um ERP tem potencial para ir muito além. Sabia que ele pode funcionar como um instrumento de grande utilidade para potencializar uma estratégia de marketing?

Com tudo centralizado em um único sistema, é possível ter mais controle sobre as informações e os processos da organização. Nesse cenário, por levar em consideração o impacto em outros setores e analisar com mais clareza seus resultados, a tomada de decisões se torna mais efetiva.

Neste post, vamos explicar melhor o que é um ERP, qual a relação desse tipo de software com o sucesso de uma estratégia de marketing e como ele pode ser usado na prática. Interessado? Então boa leitura!

Mas, afinal, o que é um ERP?

Sigla para Enterprise Resource Planning, o ERP é chamado por aqui de sistema de gestão integrada. Trata-se de um tipo de software que centraliza as informações e os processos da empresa em um único sistema. Isso significa que, em vez de lidar com diversos aplicativos isolados para gerenciar cada um dos setores da organização, é preciso lidar com apenas um: o ERP.

Unificando os departamentos e simplificando o fluxo de produção, o ERP ainda facilita a comunicação interna. Na prática, sem sistemas integrados, muita informação pode ser perdida por transitar entre um aplicativo e outro. Além disso, muito esforço é gasto para integrar os processos de diferentes departamentos e a eficiência da gestão é reduzida pela dificuldade em se conseguir uma visão sistêmica da geração de valor no negócio.

Por outro lado, o ERP incentiva a estruturação de processos e conecta com simplicidade todos os setores da organização. Logo, o departamento financeiro consegue entender melhor as necessidades de recursos do operacional, direcionando verbas na medida certa para atendê-las, por exemplo.

Outra grande vantagem do ERP é que, com ele, a gestão pode monitorar não só a aplicação dos recursos da empresa como os resultados obtidos com bastante clareza. Enxergando facilmente onde podem ser feitos ajustes e mensurando as consequências dessas alterações, essa visão ampla permite que o administrador tome decisões de forma mais rápida e precisa.

Qual a relação entre ERP e marketing?

Ao contrário do que algumas pessoas imaginam, o marketing não se resume à divulgação de um produto ou serviço. Na verdade, envolve todo o conjunto de atividades pensado para otimizar os lucros de uma empresa por meio da adequação de uma oferta às necessidades e preferências de um grupo de clientes, assim como a identificação do perfil de consumidor que se encaixa à proposta de valor do negócio.

Além da divulgação em si, portanto, o marketing está relacionado ao planejamento e ao desenvolvimento de um produto ou serviço, assim como à sua distribuição e às vendas propriamente ditas. Na prática, o trabalho do marketing começa antes da concepção da oferta e continua existindo bem depois da sua venda para o cliente final.

Em um ambiente com múltiplos sistemas, processos mal-estruturados e um acesso limitado da gestão às informações e aos resultados do ciclo produtivo, as atividades do marketing se tornam mais difíceis de serem executadas. Entenda: o marketing precisa ser alimentado por dados. E o ERP é uma excelente fonte de dados relacionados à capacidade produtiva da empresa e a seus resultados financeiros. Na hora de elaborar uma estratégia, portanto, o suporte do ERP pode fazer toda a diferença.

Como usá-lo em uma estratégia de marketing?

Uma boa estratégia de marketing é aquela alinhada aos objetivos gerais da empresa, elaborada não só a partir de pesquisas de mercado e insights sobre os consumidores, mas também com base na proposta de valor do negócio, suas atividades-chave e, claro, os recursos disponíveis para sua efetivação.

Portanto, um sistema de gestão integrada é uma ferramenta que pode dar suporte a muitas atividades do marketing e servir como referência tanto para o planejamento como para a execução e o monitoramento dessa estratégia. Para exemplificar, trazemos aqui algumas áreas principais da sua utilização. Confira!

Controle de vendas

Adotando um ERP, a empresa consegue observar seus resultados e compreender melhor a performance das vendas de produtos e serviços. Com isso, é possível avaliar, por exemplo, quais propostas de orçamento foram recusadas por um cliente ou quais são os produtos e vendedores que conseguem os melhores rendimentos.

Essa compreensão é interessante para o marketing desenvolver orientações baseadas nas táticas que foram bem-sucedidas e, ao mesmo tempo, investigar as razões que fazem um cliente desistir de uma compra ou cancelar um serviço. Com isso, é possível maximizar as conversões ao replicar o que funciona melhor e desenvolver novas formas de vender mais!

Gerenciamento de tarefas

Uma das principais finalidades do ERP é estruturar e monitorar processos de trabalho na empresa. E como isso acontece em todos os setores, não poderia ser diferente no marketing. Com processos estruturados e devidamente descritos, o fluxo de trabalho se desenvolve melhor e é mais fácil para a gestão compreender o valor e as atividades do marketing.

Além disso, a estruturação dos processos também facilita ajustes no escopo das tarefas do marketing, a fim de promover melhoria contínua. Com o monitoramento constante das tarefas, fica mais fácil para o time perceber e cumprir suas responsabilidades, além de otimizar o trabalho e minimizar desperdícios, uma vez que erros são detectados e corrigidos rapidamente.

Coleta de dados

No fim das contas, o ERP é uma excelente fonte de dados para o marketing. Esse tipo de software usualmente conta com um dashboard que apresenta relatórios automatizados de performance e desempenho da organização, que podem servir de referência para justificar e inspirar diversos pontos de uma estratégia de marketing.

Além disso, os dados coletados e processados pelo ERP podem tanto atestar o sucesso de uma decisão do marketing ou ao menos indicar a necessidade de ajustes.

Adequação de finanças

Um ERP pode ser extremamente útil para adequar as finanças do marketing em relação às expectativas do setor. Com uma visão sistêmica, a gestão consegue enxergar melhor os resultados de campanhas de divulgação e como os recursos gastos nelas podem trazer um retorno financeiro maior que o investido. Da mesma forma, o sistema previne gastos excessivos em marketing que não estejam alinhados com a capacidade produtiva ou as demandas do mercado.

E agora que você já sabe como um ERP pode ser importante para a estratégia de marketing da sua empresa, aproveite para continuar aprendendo ainda mais com nosso conteúdo: 8 técnicas indispensáveis para aumentar a produtividade e crescer seu negócio!

comments powered by Disqus