Empreendedorismo

Ser empreendedor é passar por diversos desafios diários, não é mesmo?

Com essa categoria você aprenderá tudo o que você precisa para se tornar um empreendedor cada vez mais preparado para enfrentar o mercado e vai ficar por dentro das melhores práticas deste meio.

Dicas, Ferramentas, Leis trabalhistas, Encargos tributários, Melhores Práticas, Tipos de profissionais e muito mais!


ideias originais de negócioempresas que trabalham no modelo SaaS — Software as a Service — que em português significa software como serviço.

">

5 Ideias originais de negócio que deram muito certo!

Diante de tantos negócios existentes pode parecer difícil criar algo novo, não é mesmo? Mas essa percepção está errada. Mesmo em setores que aparentam não terem mais para onde crescer é possível destacar-se pela criatividade.

Diante de tantos negócios existentes pode parecer difícil criar algo novo, não é mesmo? Mas essa percepção está errada. Mesmo em setores que aparentam não terem mais para onde crescer é possível destacar-se pela criatividade.

O texto de hoje vai trazer algumas ideias originais de negócios que revelam como empreendedores criativos alcançaram sucesso e viram oportunidades onde ninguém mais viu.

Ideias originais de negócio!

Selecionamos 5 ideias originais de negócio que deram muito certo e são fontes de inspiração para os futuros empreendedores:

Uber para cachorro

Ideias originais de negócios surgem quando o empreendedor enxerga soluções para problemas encontrados pelo consumidor, e que parecem ser ignorados por outras empresas.

A startup americana Wag Labs resolveu atender a uma antiga demanda dos donos de cães: encontrar pessoas, de confiança, para passear com os pets.

Por meio de um aplicativo para celular – que utiliza o GPS do aparelho – os donos podem encontrar pessoas dispostas a prestar o serviço. A empresa se responsabiliza pela seleção dos passeadores.

Outras empresas já surgiram, em solo americano, oferecendo os mesmos serviços. Elas atraíram a atenção dos investidores, que acreditam que o setor tem potencial de ter faturamento de 1 bilhão de dólares, nos EUA.

Laranja pela internet?

Quem já viveu no interior sabe como é gostoso comer uma fruta direto do pé, não é mesmo? Mas, quem vive na cidade grande dificilmente saberá como é o gosto desses frutos.

Pensando nisso a empresária brasileira Alessandra Sodré resolveu fazer um upgrade no negócio da família criando um e-commerce: Laranja Online.

Com a plataforma o cliente compra os frutos pela internet e os recebe em casa.

A logística foi estudada para comprovar a rentabilidade do negócio, além de um investimento em comunicação, para garantir a credibilidade da empresa, fazendo com que não restem dúvidas ao freguês sobre a origem das laranjas.

Transformar a venda de frutas em uma experiência de consumo é um excelente exemplo para nossa lista de ideias originais de negócios!

Alergia? Não ao dinheiro!

Existem mercados que são altamente restritos. Alguns empresários enxergam neles prejuízos, uma vez que o público-alvo é menor. Outros, por sua vez, observam oportunidades.

Esse é o caso da empresária Sarah Lazaretti que resolveu atender ao público que possui algum tipo de alergia. Ela criou a Alergoshop, onde é possível adquirir diversos itens, inclusive roupas de cama – para os alérgicos a ácaros – e produtos de beleza desenvolvidos especialmente para pessoas com alergia.

O sucesso foi tanto que diversas franquias da empresa foram abertas em várias capitais do Brasil.

Plano de saúde 2.0

Um dos maiores problemas do Brasil é o acesso aos serviços de saúde. Planos de saúde costumam ser caros e pouco acessíveis. Além disso, muitas empresas que atuam nesse setor já são campeãs de reclamações em órgãos de defesa ao consumidor, como o Procon.

Isso porque algumas companhias operam com uma estrutura insuficiente para atender ao número de clientes que possuem – e que continua crescendo.

Outra desvantagem é o fato do serviço ser pago mensalmente, pois não são todos os meses em que o cliente o utiliza. Alguns usuários fazem apenas consultas de rotina, anualmente.

A outra alternativa é utilizar o SUS, mas a ideia não soa muito convidativa – apesar do serviço ser gratuito.

Uma terceira opção tem sido oferecida por empresas que desejam facilitar o relacionamento entre os médicos e pacientes, como a startup curitibana Clinit.

De acordo com informações divulgadas no site de sua assessoria de imprensa (UpMídia), a Clinit atende às necessidades dos pacientes – que pagam apenas o valor da consulta, que pode ser parcelado no cartão de crédito – e a dos médicos, que têm na plataforma uma margem de lucro superior se comparada a dos planos de saúde.

O sistema por enquanto está operando apenas em Curitiba.

Que tal uma mãozinha no TCC?

Quem já teve que enfrentar o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) sabe como a experiência pode ser estressante. Uma das fases mais aterrorizantes é colocar o texto nas normas da ABNT.

Por isso esta outra startup curitibana resolveu dar uma ajuda aos universitários, e, de quebra, criar uma empresa que conseguiu parceiros do porte da Microsoft.

A Menthor funciona da seguinte forma: o internauta se cadastra e pode referenciar as obras que utilizou em seu trabalho, de forma rápida e simples.

Ele preenche lacunas, com informações sobre o livro, ou site, e baixa um arquivo .doc com as referências finalizadas. Podendo anexá-lo ao seu trabalho final.

A empresa pretende oferecer toda a formatação de forma paga e alguns serviços gratuitamente.

Tendências para ideias originais de negócio

Apesar de estarem em setores diferentes os exemplos usados neste texto nos dão uma dica sobre o comportamento do consumidor.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Akatu (2016) indica que um em cada quatro consumidores brasileiros são sensíveis às questões ambientais, ou seja, a compra pode não ser realizada caso identifiquem que a empresa não leva em consideração aspectos socioambientais.

A mesma pesquisa revela que 5% dos entrevistados têm posicionamento firme sobre o tema, e que não consomem produtos, ou serviços, de empresas que não têm uma posição sobre o meio ambiente.

Uma dica para ideias originais de negócios é levar em consideração o marketing ambiental.

Outra tendência que pode ser observada é oferecer soluções para os problemas cotidianos, mas pela internet.

Isso pode ser vantajoso para o empreendedor, pois pode representar uma redução nos custos. Além de dar a oportunidade de atender pessoas de diversas localidades.

Investir nos pets pode ser um negócio e tanto. São raras as famílias que não têm um animal de estimação e, quem é dono de um bichinho sabe que os custos envolvidos são altos.

Além disso, cada vez mais o bem-estar desses animais ganha destaque. Na Suécia, por exemplo, é proibido deixá-los sozinho em casa. Essa medida resultou na criação de creches para cachorros.

Oferecer uma experiência diferenciada ao cliente também tem sido uma alternativa para ideais originais de negócios.

Como vimos no exemplo da Laranja Online, existe mercado para empresas que dão ao cliente a oportunidade de consumir produtos diferenciados.

Agora que você já sabe que há chances de inovar sempre, que tal continuar aprendendo sobre empreendedorismo? Afinal, ideais originais de negócios exigem empreendedores preparados.

Aprenda como desenvolver sua marca de maneira adequada com apenas cinco dicas.

perder prazo

Perder prazo: 7 truques para você nunca mais deixar isso acontecer

Perder prazo é algo que acontece com frequência em sua rotina de trabalho?

Perder prazo é algo que acontece com frequência em sua rotina de trabalho?

Podemos dizer que quem nunca perdeu um prazo que atire a primeira pedra! Não é mesmo?

Pois bem, a verdade é que isso está se tornando algo cada dia mais comum na vida de muitos empreendedores e executivos.

E os motivos para acontecer são diversos, sejam eles questões pessoais ou até mesmo por falhas de organização que são recorrentes!

Essas falhas geralmente acontecem devido à adoção de práticas e ações nem um pouco produtivas.

A grande verdade é que a consequência disso pode ser muito séria, tanto para a empresa quanto para a vida profissional da pessoa, assim como a sua saúde.

Afinal, você se lembra quando não precisou trabalhar até mais tarde ou virar a noite para entregar aquele projeto atrasado pois o prazo de entrega já havia se esgotado?

Olhando esse cenário, cumprir o prazo de qualquer entraga parece um desafio, sendo que muitas vezes isso é verdade, mas garantimos que isso pode se tornar algo possível!

Por isso, vamos listar 7 truques para ajudá-lo a não deixar que isso nunca mais aconteça. Confira!

1 – Seja honesto consigo mesmo

Em primeiro lugar, é preciso que você reflita sobre a sua realidade e entenda qual a demanda de trabalho que você conseguirá cumprir em um determinado tempo.

Feito isso, seja honesto consigo mesmo e se comprometa somente com aquilo que você sabe que será possível cumprir.

Negligenciar a realidade e assumir uma carga de entregas maior do que a sua realidade suporta é um dos maiores erros que podem levar para o caminho de perder prazos.

2 – Se planeje com antecedência

Infelizmente, o hábito de se planejar com antecedência não é algo que está na rotina das pessoas, pois muitas delas ainda não sabem que pode ser uma ótima ferramenta para evitar perder qualquer prazo.

Essa questão é tão crucial, que a falta de planejamento acaba nos levando a postergar tarefas, fazendo com que muitas delas se acumulem e fiquem pendentes perto de seu prazo de entrega. A consequência disso, você já deve imaginar…

Por isso, crie o hábito de se planejar. Sugerimos que faça planejamentos semanais e caso necessário, revise-o diariamente para fazer os ajustes necessários para o dia seguinte.

Eles poderão ser feitos em qualquer lugar, seja em uma agenda, em um calendário ou até mesmo em aplicativos, o importante é que sejam feitos!

3 – Nada de procrastinar

Agora vamos falar de um ponto que a maioria das pessoas são especializadas em fazer: Procrastinar!

O fato é que tarefas que são complicadas ou muito extensas podem desanimar qualquer é um, fazendo com que elas facilmente sejam adiadas para depois, pois acabam assustando e desanimando quem será o responsável pela sua execução.

Nesse sentido, a dica é dividir essas tarefas em pequenas etapas para que seja possível iniciá-las. A partir do momento que o movimento de começar é criado e as entregas são feitas, acaba se criando uma motivação e um comprometimento maior em entregá-la.

Um hábito que pode ajudar nessa caminhada é reservar um momento no final do dia para revisar o que foi feito e levantar o que deverá ser entregue nos dias seguintes, priorizando o que é mais urgente.

4 – Seja realista

Muitas pessoas acreditam que colocar um prazo que seja menor e irreal para a entrega de suas atividades poderá ajudá-las a realizá-las dentro do seu prazo real.

Ledo engano! Esse é um velho truque para “enganar o cérebro: fazê-lo crer que algo deve ser realizado até uma data muito antes do que deveria. Isso não funciona!

Afinal, você saberá qual é o prazo real e se não ser cuidadoso, deixará tudo para a última hora mesmo com essa “margem de erro”.

Nesse sentido, é importante que haja, sim, um planejamento que leve em consideração qualquer imprevisto que possa acontecer, mas separe esse tempo extra somente para essas situações e não para mentir para si mesmo.

5 – Tenha uma vida equilibrada

Para muitos, ter mais produtividade é sinônimo de trabalhar mais! Na verdade acaba sendo ao contrário, as pessoas que são mais produtivas conseguem entregar todos os seus projetos em tempo hábil e sem necessidade de fazer hora extra!

Afinal, elas conseguem equilibrar trabalho com a vida pessoal fazendo com que elas estejam bem para cumprir todos os seus deveres. Saiba que o tempo de lazer é essencial para a energizar a mente e a criatividade.

Ter uma vida equilibrada pode trazer outros benefícios, tal como o auxílio nos momentos de indecisão, em que se deve fazer uma escolha importante o quanto antes e não procrastiná-la por muito tempo.

6 – Aplique a regra dos 2 minutos

Muitas vezes surgem atividades pequenas no meio do caminho que atrapalham a execução de outras mais importantes, fazendo com que o seu prazo seja estourado.

Elas atrapalham pois são justamente elas que provocam uma certa preguiça nas pessoas em executá-las. Sendo assim, vão sendo procrastinadas até o fim e que atrapalham outras entregas.

Por isso, uma dica para lidar com essas tarefas que vão aparecendo é aplicar a regra dos 2 minutos. Basicamente, ela diz que aquela atividade que surgiu inesperadamente e pode ser realizada em menos de dois minutos, deverá ser feita imediatamente.

Faça isso e nunca mais suas atividades principais vão ser atrapalhadas por outras que são secundárias ou pontuais.

7 – Divida as atividades por contexto

Muitas vezes, o prazo é perdido simplesmente pela falha na organização das atividades a serem realizadas.

A verdade é que lidar com a rotina em que todos têm muitas coisas para fazer não é fácil e normalmente esses afazeres são reunidos em uma única lista, tornando-a grande e complexa.

Por isso, sugerimos uma maneira bem melhor de resolver isso: dividir as atividades por contexto e colocá-las em listas separadas.

O contexto pode ser qualquer característica da atividade que seja relevante. Então,fica a critério de cada um fazer essa divisão conforme à sua realidade.

Listar as tarefas dessa maneira é a chave para conseguir realizá-las de maneira otimizada, pois desse jeito será possível cumprir mais de uma tarefa que estão correlacionadas entre si. Afinal, elas estão no mesmo contexto!

Agora que você já sabe o caminho para não atrasar mais suas entregas e perder prazo, que tal conhecer os 7 hábitos de pessoas altamente produtivas

bitcoin

Bitcoin: o que é e como ganhar dinheiro com a criptomoeda!

Nos últimos anos, os assuntos Bitcoin e Blockchain têm ganhado muita relevância no meio corporativo.

Nos últimos anos, os assuntos Bitcoin e Blockchain têm ganhado muita relevância no meio corporativo.

Evidentemente, isso acontece por boas razões. Uma delas é o fato do Bitcoin figurar pelo segundo ano seguido como o melhor ativo de investimento do mundo.

Para se ter ideia, em 2010 você poderia comprar 1 bitcoin por US$1. E, se tivesse guardado e vendido ao final de 2016, poderia ganhar USS$1000 (mil dólares) pelo mesmo 1 BTC.

Muito além dos investimentos, o Bitcoin é uma moeda digital que tem diversas funcionalidades, inovações no campo econômico e tecnológico que precisam de uma boa explicação.

É por isso que estamos aqui! Confira a seguir um guia rápido de como entender o Bitcoin e começar a fazer negócios!

O que é?

Aprenda tudo sobre o mundo das moedas virtuais!

A criptomoeda

O nome “Bitcoin” pode fazer menção a várias coisas. Uma delas é a unidade monetária. No ambiente da internet, bitcoins são aceitos como meio de troca em compras e vendas comuns.

Essas transações de bitcoins seguem um protocolo baseado em criptografia e matemática computacional.

Esse protocolo é praticamente inviolável, permitindo que o sistema funcione sozinho, sem um dono ou administrador, basta as pessoas usarem!

Por ser totalmente digital e só funcionar através da internet, os bitcoins podem ser fracionados em partes muito, muito pequenas.

Você já imaginou gastar menos de um centavo? No caso do Bitcoin, os valores podem ser fracionados em até oito casas decimais.

Isso significa poder realizar micropagamentos de até 0,00000001 BTC. Prepare-se para presenciar grandes mudanças nesse tipo de pagamentos daqui em diante!

Além disso, há uma curiosidade interessante e bastante explicativa. Você notou como a palavra “bitcoin” apareceu iniciando com o “B” hora maiúsculo, hora minúsculo?

Essa definição acontece justamente para diferenciar a unidade monetária, os bitcoins, dos outros papéis que o Bitcoin representa. Enquanto isso, o Bitcoin como negócio como rede descentralizada de circulação de dinheiro são referenciados com “B” maiúsculo.

A Rede Bitcoin

Uma outra forma de referenciar o Bitcoin é a sua rede. Já mencionamos aqui que ela funciona sozinha, mas como?

É o que, em linguagem técnica, se chama rede descentralizada. Isso significa que todos os usuários da Rede Bitcoin têm os mesmos privilégios, mudando apenas o papel desempenhado por eles.

Além disso, os usuários compartilham de todas as informações da rede ao mesmo tempo, dispensando a necessidade de um agente central que coordene tudo.

Apesar da informação ser compartilhada, ela é criptografada, permitindo que você saiba detalhes apenas das transações bitcoin que você participa. Todo esse processo é baseado em um consenso matemático, que realiza uma espécie de auto validação, chamado proof-of-work.

Somente com a quebra desse consenso a rede poderia ser fraudada. Entretanto, isso requer um poder computacional tão grande que nem mesmo os computadores mais caros do mundo conseguiriam. Trata-se de um fator que faz a rede ser muito segura, mais do que quaisquer bancos do mundo.

Quais são as suas características?

Continue acompanhando o nosso artigo e descubra quais são as principais características dessa “moeda”.

Privacidade

Toda vez que alguém transfere valores, isso precisa ficar registrado em algum lugar, correto? Essa regra continua valendo aqui, e levada a níveis aprofundados.

A cada uma destas transferências ou transações bitcoin, um registro é criado é lançado em uma rede pública chamada Blockchain. Entretanto, como mencionado, essas transações são codificadas e você só pode saber detalhes sobre as trocas que você realiza.

Isso significa que nomes e dados dos envolvidos sequer são requeridos pelo sistema. Tampouco há diferenciação por nível de renda, origem, aparência ou qualquer característica.

Isso torna o processo bem mais democrático e, ao mesmo tempo discreto. Uma alternativa interessante às operações bancárias e de cartão de crédito, cujas organizações têm livre acesso (e estão sujeitas a ataques hackers constantes).

Descentralização

Agora, vamos explicar com detalhes o que é uma rede descentralizada. Existem dois tipos de usuários:

Gastadores e recebedores

são as pessoas que usam bitcoin como um ativo comum. Utilizam para comprar e vender produtos e serviços, investir ou poupar.

Evidentemente, esses usuários hora estão na condição de gastadores, hora de recebedores.

Uma característica interessante do envio e do recebimento em bitcoin é que a transação é de ponto a ponto, de uma pessoa para a outra, sem um agente central que coordene tudo — tal qual um banco.

Mineradores

Para um sistema processar milhões de transações simultâneas no mundo inteiro, é preciso um combustível.

Esse combustível são os mineradores: pessoas comuns ou empresas que usam computadores especiais para fornecer capacidade de processamento para a rede.

Isso significa que você, em qualquer lugar do mundo, pode conectar seu computador ao Bitcoin para processar as transações que acontecem entre as pessoas. Claro, tudo isso em troca de uma remuneração em bitcoins.

Rapidez

Todas as transações podem ser feitas para qualquer lugar do mundo, a qualquer hora, em questão de minutos. E o melhor de tudo isso é que o preço desse envio custa, em média, de alguns centavos.

Isso significa poder enviar dinheiro para alguém do seu lado, no seu bairro ou na China com a mesma rapidez e pagando as mesmas taxas.

Diferentemente das transações bancárias e dos pagamentos em cartão, essa taxa não é fixa para o Bitcoin. As taxas pagas para enviar valores em bitcoin, no caso, são de livre escolha de quem envia.

O que acontece, portanto, é que as transações com taxas de transação mais generosas serão processadas primeiro pela rede.

Embora essa característica pareça ser um problema, ela é uma grande solução: a taxa de transação de equilíbrio, na maior parte do tempo, gira em torno dos R$0,50.

Portanto, se você está sem pressa para ter a sua transação aprovada, pode pagar ainda menos centavos por isso. Em contrapartida, mesmo quem precisa enviar dinheiro imediatamente pode fazer isso a partir de valores bastante modestos.

Somente em caso de congestionamento da rede, quando os mineradores estiverem sobrecarregados, essa taxa faz diferença no tempo de confirmação. Mas esse tipo de evento é muito raro, com poucas ocorrências ao longo de um ano, por exemplo.

Transparência

Já sabemos que é possível checar os dados de todas as transações, e que elas são criptografadas e guardadas na Blockchain.

E, se a Blockchain é um registro público, é suposto que seja possível vê-la a qualquer momento, não é mesmo? Portanto, se você quer vê-la funcionando, pode fazer isso clicando aqui!

Esse sistema funciona da seguinte forma: a cada vez que duas pessoas trocam bitcoins — um envia e outro recebe —, um código é gerado.

Esse código representa uma transação bitcoin, registrando a quantidade de bitcoins a serem enviados e os endereços das carteiras do remetente e do recebedor.

Para ambas as partes concordarem com essa transação, ela precisa ser assinada digitalmente, o que é feito automaticamente por um software de carteira através de um mecanismo de chaves privadas.

É como se, para cada troca, fosse criada uma fechadura que somente o recebedor e o remetente têm a chave.

Segurança

Para fazer transações em bitcoin, não são requeridos registros, documentos ou perguntas. E você pode começar imediatamente!

Graças à descentralização, a burocracia é zero para essa criptomoeda. Contudo, o que isso influi na segurança?

Primeiramente, esse modelo livra os usuários dos riscos econômicos. Riscos estes, que são oriundos de más políticas públicas, inflação e outras influências humanas na “governança do dinheiro”.

Vale lembrar que os brasileiros já experimentaram diversas peripécias dos governantes nesse campo, desde planos monetários ineficientes a confisco de poupança.

Em seguida, vêm a proteção contra os riscos da custódia do dinheiro. Ao guardá-lo em bancos, você está sujeito a ter seu sigilo quebrado, sofrer espionagem, ser cobrado injustamente, sofrer estornos, ter a sua conta congelada ou mesmo confiscada.

Para esse problema, a custódia do dinheiro é feita totalmente pelo usuário. Assim, todos que possuem bitcoins podem armazená-los em suas carteiras digitais pessoais.

Essas carteiras são arquivos guardados no seu próprio computador ou em dispositivos de fácil mobilidade, como pendrives e outros gadgets próprios para esse fim.

Em contrapartida, você se torna responsável pela segurança do seu dinheiro, sendo necessário conhecer alguns procedimentos de segurança digital.

Como ganhar dinheiro?

Como todas as tecnologias que envolvem finanças, muitas promessas e golpes aparecem, sobretudo para pegar os usuários mais desprevenidos.

Portanto, se você chegou até aqui e está interessado em ganhar dinheiro com o Bitcoin, há algumas lições de ouro que você precisa saber.

Primeiramente, assim como qualquer outro tipo de moeda — como o real ou o dólar —, não é possível ganhar dinheiro sem fazer nada.

Desconfie de negócios que façam ofertas mirabolantes ou promessas de rendimentos absurdamente altos e seguros ao mesmo tempo.

Somente é possível ganhar bitcoins através de mineração ou fazendo negócios: realizando comércio, prestando serviços ou assumindo os riscos de um investimento.

Comércio e trabalho

Hoje, é possível comprar e vender diversos produtos e serviços usando bitcoins. Muitas vezes, não é preciso sequer ter uma carteira de bitcoins para isso.

Hoje, existem processadores de pagamento que fazem todo o trabalho para você, inclusive recebimentos em bitcoin com conversão imediata e depósito em reais!

Claramente essa é uma oportunidade lucrativa, uma vez que você substitui a taxa das operadoras de pagamentos e cartões de crédito pelas operações em nível de centavos da Rede Bitcoin.

Isso pode se converter em desconto para os seus clientes ou mesmo uma maior margem lucro sobre cada venda!

Se uma operadora de cartão de crédito cobra, por exemplo, 6% de taxa sobre cada venda que você realiza, você pode se livrar desse custo quando o recebimento for em bitcoins!

Ativo de investimento

A ausência de burocracia e a rapidez do Bitcoin está abrindo a porta do mundo dos investimentos para várias pessoas.

Quem, anteriormente, não se sentia à vontade para procurar um banco de investimentos, por exemplo, agora pode começar a investir imediatamente pela internet.

Em muitas bolsas de bitcoin, sobretudo estrangeiras, você pode criar uma conta em segundos, inserindo apenas dados supérfluos, como nome e email.

Além disso, assim como o investimento em quaisquer moedas, o Bitcoin não remunera os usuários.

Aqui, a forma de ganhar dinheiro é na variação do preço de mercado dos bitcoins. É o famoso processo de “comprar na baixa e vender na alta”.

Entretanto, como essa tecnologia ainda é recente, as pessoas e as organizações aos poucos vêm entendendo melhor o Bitcoin e as suas possibilidades.

Consequentemente, à medida que mais pessoas adotam o bitcoin, sua capitalização aumenta e seu valor sobe. Não é à toa que, entre janeiro de 2015 e janeiro de 2017, o preço de 1 BTC saltou de US$313,00 para US$900.

Se você se assustou com todo esse valor para apenas uma unidade, lembre-se do poder de fração dos bitcoins, em até oito casas decimais após a vírgula!

Quais precauções é preciso tomar?

Por fim, se lembre de pesquisar muito bem antes de fazer qualquer investimento e entenda todos os fatores que circulam nesse meio.

Nunca invista quantias que você não esteja disposto a perder; leia blogs, notícias e se mantenha próximo da sua comunidade.

Afinal, embora o Bitcoin esteja se valorizando, isso acontece em ciclos de altos e baixos, e você precisa se posicionar estrategicamente.

Dizem que o Bitcoin vai fazer com o dinheiro o mesmo que o e-mail fez com os correios. E você? Já está preparado para essa revolução digital? Então conheça o nosso post sobre retorno sobre investimento (ROI) e entenda como lucrar em qualquer mercado!

 

tipo de líder

[QUIZ] Que tipo de líder é você?

Existem vários perfis de liderança. Você sabe qual tipo de liderança você costuma exercer diante os seus colaboradores?

Existem vários perfis de liderança. Você sabe qual tipo de liderança você costuma exercer diante os seus colaboradores?

O Saia do Lugar quer te ajudar a descobrir! E por isso, pegamos os 4 tipos mais comuns — e também os mais discutidos e estudados — e montamos esse quiz para que você consiga identificar em qual se encaixa e também quais são suas vantagens e desvantagens de sua postura.

Situacional, Liberal, Autocrático ou Democrático? Que tipo de líder é você? Descubra respondendo as perguntas a seguir:

Quer saber mais sobre os tipos de liderança? Baixe agora o nosso Guia da Liderança – totalmente gratuito – e descubra mais sobre a sua forma de liderar.

Gostou do Quiz? Compartilha nas suas redes sociais!

Descubra quais são as vantagens de ter uma Liderança Situacional na sua empresa

Descubra quais são as vantagens de ter uma Liderança Situacional na sua empresa

Liderança: um tema que não pode passar em branco quando o assunto é empreendedorismo e negócios. Afinal, boas empresas dependem de bons líderes, que sejam capazes tanto de gerir os aspectos técnicos do negócio quanto as pessoas envolvidas.

Liderança: um tema que não pode passar em branco quando o assunto é empreendedorismo e negócios. Afinal, boas empresas dependem de bons líderes, que sejam capazes tanto de gerir os aspectos técnicos do negócio quanto as pessoas envolvidas.

Por isso, existem várias vertentes e estudos a respeito de bons líderes, líderes ideais e perfis de liderança, a fim de auxiliar nessa tarefa complexa e cheia de especificidades para cada tipo de negócio.

Além disso, conhecer essas possibilidades de liderança podem ajudar você e sua empresa a minimizar as chances de erro relacionadas a gestão, que podem comprometer em muitos níveis e até de formas bem difíceis de reverter todo o seu time.

Porém, mais recentemente, um tipo de modelo de liderança tem sido amplamente discutido e estudado, principalmente por estar associado a uma solução para líderes em momentos de crise. A Liderança Situacional.

Conheça mais sobre esse modelo, saiba se ele se adequa à realidade da sua empresa e como aplicá-lo.

O que é Liderança Situacional

A Liderança Situacional é um modelo de gestão em que responsável — ou seja, o líder — adapta o seu comportamento e acompanhamento de acordo com o momento no qual a equipe se encontra e também a suas capacidades técnicas e comportamentos.

O modelo foi desenvolvido por Paul Hersey e Kenneth Blanchard, e eles avaliaram e consideraram o nível de maturidade das equipes para estabelecer o comportamento ideal do líder.

Dessa forma, segundo a teoria, um bom modelo de liderança não deve ser fixo, mas sim mutável de acordo com a necessidade.

Por isso o modelo Situacional foi considerado o ideal para os momentos de crise. Já que o papel do líder é motivar e coordenar uma equipe nos mais diversos contextos, incluindo as crises, se ele possui um perfil mais voltado para o comportamento X ou Y, ele poderá comprometer seus rendimentos.

Por exemplo: Imagine a contexto de crise econômica enfrentado nos últimos 5 anos pela maioria das empresas. Dentro desse cenário de instabilidade e incertezas com relação ao futuro do negócio e dos próprios profissionais, líderes mais autoritários aumentariam o nível de tensão da equipe. Já os mais indiferentes estariam se afastando do time e perdendo a possibilidade de motivá-los em um momento de grande necessidade.

Dessa forma, segundo a Liderança Situacional, a situação dita o tom do líder, mas não os seus objetivos: ele deve sempre ser o responsável pela manutenção, engajamento e resultados de sua equipe.

O que muda é a maneira com que ele realiza todos esses papéis dependendo da situação na qual se encontra, ou seja, do seu contexto, seja ele temporal — como uma crise — ou comportamental — nível de conhecimento de seus colaboradores.

Aplicabilidade

No modelo de Liderança Situacional, existem 4 possibilidades básicas de posicionamento de um líder, que são pautadas por duas principais vertentes: direcionamento e apoio.

Equipes precisarão de níveis diferentes de direcionamento — pensando de maneira técnica em relação a execução de tarefas — e apoio — pensando de maneira motivacional e estratégica — dependendo do contexto no qual se encontram.

E esse contexto é determinado por outras duas vertentes, dessa vez em relação ao comportamento da própria equipe: competência e compromisso.

Ou seja: quanto maior a competência do time, menor a necessidade de direcionamento técnico. E quanto maior o compromisso, menor a necessidade de apoio motivacional.

Parece difícil? Observe o gráfico e a tabela de relação entre esses 4 fatores e você entenderá com mais clareza. Basta relacionar as cores de cada uma.

liderança situacionalliderança situacional

Agora entenda como esses fatores se relacionam na prática:

Determinante (direcionamento)

Nesse contexto, a equipe possui pouca competência técnica, porém elevado nível de compromisso (D1).

Por exemplo, equipes mais despreparadas, com menor conhecimento técnico ou em situações de pouca autoconfiança, mas muita vontade e determinação.

Segundo o modelo, nesse contexto, o comportamento ideal para um líder é maior direção técnica aos liderados e menor suporte e apoio motivacional (S1).

Neste caso, o líder deve fornecer instruções específicas para a execução de tarefas e também deve supervisionar de maneira bem próxima o andamento e conclusão das mesmas.

Só assim ele alcançará bons resultados!

É importante o detalhamento das funções, nesse contexto: o que fazer, como e onde, por exemplo, para garantir que o que foi orientado será executado de maneira e em tempo hábil.

Porém, mesmo sem a necessidade de motivar os funcionários, ele deve ter em mente que a maneira com que orienta essas especificidades deve ser claro, porém não meramente impositivo.

Líderes que têm esse tipo de postura podem acabar gerando distanciamento entre os demais membros do time.

Mas, nestes casos, é preciso ter em mente que algumas decisões precisarão ser tomadas sem a participação dos membros da sua equipe justamente pelo despreparo dos mesmos. Porém sempre de maneira profissional e tentando manter o comprometimento dos envolvidos.

Persuasão (treinamento)

Já nesse contexto, a equipe possui média ou baixa competência técnica e baixo nível de compromisso (D2).

Por exemplo, equipes mais despreparadas e em situação de crise, o que gera baixa no nível de engajamento. Acontece geralmente quando empresas passam por uma fase de reestruturação de processos ou rotinas.

Assim, os responsáveis ainda não tem a segurança necessária para realizarem as tarefas sem serem orientados e por isso acabam se sentindo também desmotivados.

É o contexto que exige do líder alto direcionamento e suporte ao time (S2).

Neste caso, o líder deve não apenas direcionar o time através de determinações, mas participar e motivar o time a realizar as tarefas para garantir que elas sejam concluídas de maneira bem sucedida e de acordo com as metas estabelecidas.

Além disso, ele deve estar disponível para dar o suporte necessário, seja técnico ou de impulsionamento da equipe, sendo o principal responsável pela manutenção e acompanhamento das atividades.

Mas lembre-se: o ideal é equilibrar esse gerenciamento para não criar uma relação de dependência, tanto do direcionamento quanto do apoio moral, para que o time conquiste autonomia e segurança suficientes no decorrer do processo, e assim se torne apto a executar as tarefas no máximo de seu potencial.

Compartilhamento (apoio)

Já nesse caso, a equipe possui alta competência técnica e variado ou baixo compromisso (D3).

Normalmente, com o passar do tempo executando suas tarefas, as equipes tendem a desenvolver o conhecimento técnico, porém tendem a perder o engajamento com a rotina.

Por isso, no contexto, o perfil é exigido do líder alto grau de suporte, porém baixo direcionamento, afinal as pessoas já entendem do que fazem (S3).

A principal característica é a grande necessidade de motivação, mesmo com direções mínimas.

Para auxiliar nessa tarefa, é preciso ouvir o time, entender suas rotinas, identificar possíveis necessidades ou dificuldades e motivá-los para que não percam o pique de trabalho.

E isso só será possível se o líder estiver disponível e disposto o suficiente a acompanhar a rotina de trabalho, mesmo sem se apegar aos detalhes de realização, mas sim no comportamento dos membros do time.

A medida ideal é que o gestor auxilie os membros do time a chegarem em suas próprias decisões, valorizem a autonomia na solução de problemas e se atentem mais a forma com que as pessoas executam suas tarefas que o como.

Uma sugestão é propiciar ambientes democráticos e co-participativos, permitindo que a tomada de decisões seja compartilhada com os demais membros da equipe, para aumentar o comprometimento e o engajamento.

Delegação

No, considerado por muitos, cenário ideal, a equipe possui alto, tanto comprometimento, quanto o conhecimento técnico (D4).

Com isso, exige do líder baixo apoio e também baixo direcionamento (S4).

É o perfil de liderança que permite que os funcionários tenham total controle sobre suas decisões de trabalho, sem comprometer os resultados entregues.

A função do líder, além de auxiliar e acompanhar os processos é garantir a manutenção desses dois fatores para que o ecossistema continue se desenvolvendo.

Além disso, ao alcançar este nível, o time permite que o líder tenha um posicionamento mais estratégico e focado nos resultados, gerenciando mais o trabalho que necessariamente as pessoas.

Como resultado, um tipo de liderança que tem alcançado organizações com o foco na autogestão, onde existe total confiança da parte dos líderes em relação aos membros de sua equipe.

Se o objetivo da sua empresa é alcançar esse nível de comprometimento e conhecimento da equipe, além de uma boa gestão, o ideal é que a cultura da empresa condiga com esse propósito, desde um sistema de contratações que identifique pessoas com perfil determinado e de crescimento.

E, se possível, para auxiliar no processo até encontrar o nível, estabelecer uma rotina de aperfeiçoamento, fornecendo treinamentos e cursos para que as pessoas se desenvolvam tanto em relação a sua função quanto em relação ao comprometimento.

Vantagens e desvantagens da Liderança Situacional

A principal vantagem da Liderança Situacional é a adaptabilidade inerente, que permite que as situações sejam analisadas de acordo com seus contextos micro e macro. Ou seja, avaliar os fatores internos e externos que interferem no comportamento e no desenvolvimento de cada um dos times da sua empresa.

Também é possível compreender, com esse modelo, a maturidade dos times e do negócio, para identificar os pontos fortes e fracos, o que é preciso para superá-los.

A Liderança Situacional também é positiva em relação ao acompanhamento e disponibilidade dos gestores.

Eles conseguirão, seguindo o modelo, estabelecer as prioridades em relação a sua gestão, realizando o acompanhamento na medida necessária e otimizando o seu tempo, o que aumenta a produtividade dele e do time.

Em contrapartida, em muitos casos a Liderança Situacional impede uma padronização de certos comportamentos, o que é prezado por muitas empresas, principalmente as mais tradicionais.

Além disso, ela não existem garantias de que os membros da equipe se sintam mais engajados, motivados e preparados com o passar do tempo, porque também dependem do perfil de cada um dos membros: para uns podem funcionar, para outros não.

E no caso de empresas de maior porte que queiram começar agora a implementar esse modelo, o processo pode ser longo, justamente por este motivo.

E ele também depende de uma boa gestão sobre os gestores, para garantir que os ideais estejam sendo colocados em prática.

Como desenvolver a Liderança Situacional em sua empresa

Antes de tudo, para que esse modelo de liderança seja desenvolvido em sua empresa, é preciso inserir na cultura da empresa essa nova proposta, de acordo com a sua realidade e suas necessidades.

Como isso é possível?

O primeiro passo é identificar o perfil de gestão da sua empresa, individualmente, com cada líder, e em um contexto geral.

Após isso, será possível entender quais são os principais fatores relacionados a liderança que interferem no comportamento das equipes e também nos resultados nas entregas.

Depois, avaliar com cuidado cada time para entender em qual dos processos eles se encontram e quais as maiores necessidades.

Dentro de uma mesma empresa podem existir contextos diversos de maior ou menor engajamentos e conhecimento.

E, só aí, organizar treinamentos com os líderes de cada uma dessas equipes para que eles conheçam esse modelo de liderança e saibam identificar as carência de cada caso.

E, depois disso, é realizar a manutenção, avaliando se as medidas estão realmente sendo tomadas e principalmente se elas têm impactado positivamente os resultados da empresa.

Conclusão

Independente da sua escolha por adotar ou não o modelo de Liderança Situacional, é interessante que você avalie o quanto os contextos realmente podem influir de maneira positiva no posicionamento dos líderes.

Eles não devem ser ditados apenas pelo perfil da empresa, mas também dos participantes de cada um dos times para garantir que todas as partes estejam integradas e empenhadas a realizar o melhor desempenho possível.

Caso você opte por aderir ao modelo, o ideal é que discuta com as equipes se todos concordam que o modelo funcionará para sua empresa, fazendo testes, avaliando e adaptando às suas necessidades.

Lembre-se que uma boa liderança influencia diretamente no rendimento e no comprometimento das equipes, e como consequência, impacta os resultados do seu negócio.

E para continuar aprendendo sobre liderança e aperfeiçoar a sua e de sua equipe, conheça os 10 melhores livros sobre liderança!

erros de liderançagestão de pessoas e de um negócio exige muitas habilidades e organização.

">

Os principais erros de liderança para você ficar de olho e não comete-los em 2017

Sempre falamos aqui no blog que ser empreendedor não é uma tarefa nada fácil. Realizar a gestão de pessoas e de um negócio exige muitas habilidades e organização.

Sempre falamos aqui no blog que ser empreendedor não é uma tarefa nada fácil. Realizar a gestão de pessoas e de um negócio exige muitas habilidades e organização.

A vida de um empreendedor é cheia de desafios e adaptações mas, principalmente, é cheia de aprendizado! Nunca é tarde para mudar algumas atitudes que podem prejudicar o seu negócio.

2017 começou e essa é chance de deixar alguns erros de liderança para trás.

Durante sua jornada empreendedora, falhas podem ser cometidas por você e, por isso, nesse artigo, nós vamos te ajudar a não cometer mais alguns deslizes que podem ser comuns na hora de administrar a sua equipe.

Quais são os principais erros de liderança?

Confira agora, quais são os 9 erros mais cometidos por empreendedores e gestores, e ainda como evitá-los!

Não dedicar o seu tempo para a sua equipe

Sendo empreendedor ou um gestor contratado, o seu tempo precisa ser dividido entre as diversas outras tarefas, além de escutar o que o restante da sua equipe tem a dizer.

Para garantir o sucesso do seu time é fundamental que você dê todo o suporte necessário para o desenvolvimento das habilidades e realizações das tarefas. Ou seja, é fundamental para o funcionamento da rotina de toda a equipe.

Dedicar o seu tempo para seus colaboradores significa escutar o que eles têm a te dizer para que juntos vocês encontrem as melhores soluções para o que for preciso.

Deixar de dar essa atenção é um dos maiores erros que um empreendedor pode cometer e é algo que pode acontecer facilmente. Lembre-se: estar presente na rotina de sua equipe também deve ser uma prioridade.

Criar uma espécie de personagem para lidar com os funcionários

Ser um grande líder não significa criar um personagem. Ninguém precisa ser uma espécie de “Ruth e Raquel” do mundo dos negócios.

Raquel e Ruth

Seja você mesmo, aja de acordo com os seus princípios e principalmente não crie uma máscara para lidar com sua equipe.

Assumir um papel do bonzinho ou do malvado da história não vai fazer com que a seu time entregue melhores resultados. Seja firme quando for preciso e se permita ceder quando puder. Mas acima de tudo seja justo.

É um erro comum acreditar que líderes mais duros e rígidos têm uma equipe mais eficiente, ou que será mais fácil lidar com seus funcionários sendo um líder flexível demais.

Seja você mesmo e saiba lidar adaptar sua postura de acordo com a necessidade do negócio, sem exageros ou fingimentos.

Não se adaptar às particularidades de cada integrante da equipe

Nenhum ser humano é igual ao outro e você precisa lidar com essas diferenças. Enxergar a sua equipe como se todos fossem iguais é deixar passar a oportunidade de extrair o que cada um tem de melhor para a equipe como um todo.

De início, pode parecer mais fácil enxergar sua equipe apenas como “resultado”. Mas é bom lembrar que existe sempre uma forma de impulsionar esses resultados quando você consegue entender as características de cada integrante.

Assim você coloca a pessoa certa para a tarefa certa.

Ser apenas um administrador de tarefas

Ser um líder é muito mais que delegar tarefas a pessoas. Um bom líder faz a gestão dessas pessoas, o que é muito mais difícil do que ser aquele apenas aquele que escolhe uma tarefa para ser realizada por um funcionário específico.

Esse é um erro comum, principalmente quando se trata de um empreendedor que assume o papel de líder da equipe.

Sabemos que o papel do empreendedor engloba muito além do que ser um bom líder e, por isso, a função de estar perto das pessoas e acompanhar de perto a execução das tarefas muitas vezes é deixada de lado.

Não dar feedback para a equipe ou ignorar os feedbacks recebidos

Por mais difícil que seja, os feedbacks honestos são importantes para o crescimento da sua equipe.

O ideal é que toda tarefa delegada por você a alguém seja acompanhada de um feedback, pelo menos na conclusão do trabalho.

É claro que, como líder, a sua intenção deve ser para ajudar o seu colaborador a crescer, se desenvolver e a melhorar os resultados entregues para a sua empresa.

O problema também pode estar na forma como o feedback é passado. Nunca fale algo com a intenção de diminuir alguém, mas sim com o intuito de ajudar o receptor a desempenhar cada vez melhor sua função.

Precisamos lembrar que você, como líder, não está imune de receber feedbacks. Faça com que eles sejam parte da cultura da sua empresa, estando presentes na rotina da sua equipe. Com certeza isso vai te ajudar a se tornar cada vez mais um líder de referência.

Deixar de intermediar os conflitos da equipe

Outra erro comum dentre os cometidos por uma liderança é deixar de intermediar conflitos que ocorrem dentro da sua equipe.

Independente de estar ligado ou não com assuntos do trabalho, esses conflitos afetam a produtividade e as entregas de resultados.

De forma alguma a sua função é tomar partido do conflito ou proteger algum lado da história. Se mantenha imparcial e tente intermediar da melhor maneira possível, trazendo de volta a harmonia entre os integrantes da sua equipe.

Não motivar os funcionários

A motivação não é tudo, mas pode tornar as coisas bem mais fáceis. Se alguém da sua equipe tiver alguma ideia que pode ajudar a impulsionar o resto do time ou impulsionar o seu negócio, incentive-o.

Um erro comum é não dar apoio aos colaboradores. Pense sempre que uma equipe motivada e feliz pode resultar em uma empresa com “melhores frutos.”

Motive sua equipe! Proponha novos desafios, estimule a busca de novos conhecimentos e tenha um time ainda mais especializado e produtivo.

Acabar realizando as tarefas delegadas para a equipe

Chega um momento em que a sua equipe cresce tanto que é hora de passar algumas funções que antes eram suas para algum outro funcionário.

Se prender a essas funções pode ser um grande erro. Fazendo isso você vai impedir que o seu time cresça e torne seus processos escaláveis, além de sobrecarregar a sua rotina.

Saiba o momento de passar a bola para outra pessoa e garanta que o seu crescimento seja constante e saudável.

Priorizar algum funcionário por ter uma relação mais próxima

Independente do seu grau de intimidade com os integrantes da equipe, é sempre importante manter a postura profissional diante deles.

É comum ver grandes líderes se perdendo no processo ou deixando de passar algum feedback construtivo para alguém da sua equipe por conta do seu grau de relacionamento.

Sendo parente, amigo ou até mesmo uma relação conjugal, é importante manter o pessoal e o profissional muito bem separados no ambiente de trabalho.

Lembre-se que as regras são para todos os membros da equipe e que todos os processos precisam ser muito bem alinhados para trazer bons resultados.

Conclusão

2017 começou e junto com ele vem a oportunidade de fazer diferente e deixar os erros de liderança para trás.

Busque sempre aprimorar a sua capacidade de gestão de pessoas e tenha uma equipe cada vez mais especializada e pronta para enfrentar os desafios.

Lembre-se que ser um grande líder é caminhar e crescer junto com o resto da sua equipe! Você não sabe a diferença entre ser líder ou ser um chefe? Este artigo pode te ajudar a nisso.

lidar com emoçõesgestão de pessoas e de um negócio exige muitas habilidades e organização.

">

Aprenda a lidar com emoções de forma estratégica!

Por: Gustavo Chierighini, publisher da Plataforma Brasil Editorial.

Por: Gustavo Chierighini, publisher da Plataforma Brasil Editorial.

Caro leitor, tocar um negócio, erguer uma operação, ou mesmo assumir responsabilidades pesadas no mundo empresarial (que muitos pagariam para não ter de assumir) não são, e jamais serão, tarefas para qualquer cidadão.

Ser relevante pode sair caro.

Stress, desgaste emocional e eventuais desequilíbrios biológicos, são rotineiramente enfrentados por aqueles que decidiram se destacar na multidão e construir algo com o mínimo de relevo.

Mas já que você não quer a insignificância, terá que domar o seu emocional.

Ao longo do caminho, ou aprendemos a lidar com essas consequências ou morremos (sim literalmente) mais cedo, e nessa dinâmica, o nosso perfil emocional oferece impacto direto.

Não seja temperamental!

Neste caso, o impacto vem de dentro. Ou seja, o influenciador é você mesmo. As suas próprias inquietações.

Quer alguns motivos para resistir, e adotar outra atitude?

Vamos lá:

1. O temperamental é imprevisível

O mesmo problema apresentado em um dia e que resultou em ataques de fúria, pode ser tratado com naturalidade uma semana depois;

2. Equipes lideradas por temperamentais não disponibilizam todo o seu potencial

Entre cair de cabeça com comprometimento apaixonado e focar na boa condução do relacionamento com o chefe difícil, certamente a última será a prioridade;

3. O resultado do gerenciamento temperamental é a ineficiência

Cria-se um teatro onde o objetivo central é evitar atritos e brigas desmedidas;

4. Líderes temperamentais não escutam a verdade

E com isso os problemas acabam se acumulando sem solução;

5. Dificuldade na atração e retenção de talentos

Estas pessoas são disputadas e não estão dispostas e aguentar chiliques e ataques passionais;

6. O perfil temperamental turva o julgamento

Esse perfil fatalmente conduzirá o empreendedor a tomar decisões equivocadas.

Mas muitas vezes, o impacto pode vir de fora, provocado por gente que não conseguiu conter os “bichos” internos.

Lidar com gente difícil faz parte do jogo. Então, jogue.

Saiba. Esse ser complicado e de temperamento complexo surgirá na pessoa do seu chefe, do seu colaborador, sócio ou parceiro de negócios.

Não há como escapar.

O importante é compreender que no êxito produtivo destes relacionamentos que tem tudo para serem conturbados, muitas vezes reside o “pulo do gato” (confesso que eventualmente não consigo escapar dessas expressões feitas).

É a sociedade que poderia ser desfeita mas acaba por ser salva. O colaborador eficiente porém, complicado que não se perde. As suas coronárias que ficam preservadas.

Trata-se portanto de um cuidado especialmente dirigido para lidar com características comuns em profissionais que estão, digamos, fora da curva.

Você deseja trabalhar com pessoas inteligentíssimas, muito eficientes ou extremamente criativas?

Pois é, ninguém é perfeito, e esse tipo de gente traz lá o seu ônus.

  1. Antes de tudo saiba distinguir personalidades complexas e temperamentos difíceis de gente chata e impertinente.

O segundo caso merece o mínimo de tolerância (sim, não sou politicamente correto);

  1. Tenha paciência e estabeleça diálogos construtivos.

Com isenção de posicionamento, respeito diante de argumentações discordantes e colocações bem estruturadas. Isso tende a disciplinar relações intelectualmente agudas;

  1. Não se engane, em alguns casos você terá de ceder.

Aprenda a fazer isso com o mínimo de prejuízo;

  1. Não insista em discussões acaloradas, que rodam em círculo.

Caia fora enquanto é tempo, e retome o assunto em nova oportunidade.

Preferencialmente com exemplos concretos e argumentos ainda mais contundentes;

  1. Não aceite provocações infantis.
  1. Saiba apaziguar ânimos em momentos de grande tensão.

Faça cair a temperatura dos debates, para que a razão e o bom senso volte a imperar;

  1. Esteja sempre preparado com uma boa estrutura de argumentos.

Foque em exemplos concretos e tudo aquilo que ajuda a mensurar suas colocações

Por fim, é bom nos conscientizarmos de que o comportamento temperamental traz instabilidade, atingindo em cheio o relacionamento estratégico “negocial” com parceiros e aliados.

Sim, eles não querem se sujeitar a constantes mutações de humor.

E essa última consequência é suficiente para limitar os horizontes de negócios e iniciativas.

Até o próximo!

Quer aprender sobre os 4 Ps do marketing? Acompanhe nosso artigo e o nosso infográfico.

 

empreendedor inovador

Empreendedor inovador: Como me tornar um mestre da inovação?

Com as constantes mudanças no mercado e o consumidor cada vez mais engajado, opinativo e formador de opinião, inovar deixou de ser um diferencial e passou a ser necessidade.

Com as constantes mudanças no mercado e o consumidor cada vez mais engajado, opinativo e formador de opinião, inovar deixou de ser um diferencial e passou a ser necessidade.

Seja em seu produto ou serviço, na maneira de entregá-lo ao cliente, na forma de produzir, nos processos internos, no Marketing ou com o seu time de vendas: se você não pensar fora da caixa e produzir algo que impacte o consumidor, possivelmente você será engolido pelo mercado.

Porém, inovar não é uma tarefa assim tão fácil.

Para ser um empreendedor inovador, geralmente, são necessárias pesquisas, testes, análises, mensuração de resultados e, só aí você conseguirá realmente estará apto para colocar a sua nova ideia em prática em sua empresa.

E existem alguns métodos ou atitudes que podem ajudar o empreendedor a trabalhar o seu lado inovador da melhor maneira possível, facilitando esse processo de transição e garantindo bons resultados e menores custos.

Por isso, conheça alguma dicas para que os processos de inovação em sua empresa deixem de ser uma grande dor de cabeça e se tornem o mais naturais e espontâneos possíveis.

Contrate pessoas criativas

Você não faz a sua empresa sozinho. E, muito do que você entrega é resultados das pessoas que você contrata.

Por isso, se você quer que sua empresa seja criativa, você precisa contratar pessoas que tenham essa característica, para ajudar a compor o cenário de inovação do seu negócio.

E esse traço é facilmente observado durante os processos de contratação e não deve se limitar a uma pergunta “Você se considera criativo?”.

A postura, a linguagem, o modo com que ele se comporta diante das perguntas feitas, as respostas dadas a questões que nem se relacionam com criatividade: tudo isso pode ser observado por um gestor durante uma entrevista de emprego.

Exemplo: Você pode testar a capacidade criativa do seu candidato através de um questionário online, mesmo antes da entrevista, ou através de alguma dinâmica no caso de entrevistas em grupo.

Até um texto ou um problema matemático podem revelar a capacidade de pensar além do convencional de uma pessoa, e para empreendedores que desejam um viés claro de inovação em suas empresas, esse pré-requisito deve ser tão importante quanto a formação ou o conhecimento técnico.

Além disso, processos podem ser ensinados, mas características comportamentais dificilmente são passadas adiante.

Incentive a criatividade

Além disso, incentivar a criatividade das pessoas que já estão com você pode fazer a diferença no caráter inovador da sua empresa.

E isso deve até fazer parte da cultura do seu negócio: resolver os problemas da maneira mais prática e com menor custo é uma forma clara de ser inovador e de fazer com que a inovação interfira positivamente nos seus resultados.

Por isso, ao encontrar situações atípicas ou mesmo problemas dentro da sua empresa, motive os seus colaboradores a solucionarem esse contexto de maneira inovadora, e parabenize os resultados de quem conseguir!

Exemplo: Diante de crises ou impasses, reuniões de brainstorm são uma excelente forma de incentivar os membros do seu time a pensar fora da caixa.

Isso trará uma gama de possibilidades ainda maior, ajudará na integração das pessoas e ainda vai gerar resultados inovadores e com grande chance de sucesso.

Isso porque quando muitas cabeças pensam a respeito de uma única solução, elas tendem a encontrar as falhas do processo e poderão corrigi-las antes mesmo de colocar a ideia em teste.

Conheça seus consumidores

O principal interessado em receber os melhores produtos e serviços da sua empresa são os seus clientes e potenciais clientes.

Por isso, entender as suas necessidades e desejos te deixará um passo a frente dos seus concorrentes no quesito inovação.

Afinal você terá a oportunidade de conduzir soluções inovadoras que casem com suas entregas e ainda impactem a vida de quem compra os seus produtos, o que interfere diretamente em seus resultados.

E eles — seus clientes — geralmente são as pessoas com as melhores ideias ou sugestões de melhorias para a sua empresa, afinal eles consomem o que você produzir e conhecem melhor que ninguém as vantagens e desvantagens do seu produto.

Exemplo: Faça pesquisas de mercado e estreite o relacionamento com seus clientes em suas redes sociais.

Ler os comentário, sejam críticas, sugestões ou elogios, que eles deixam em sua página no Facebook ou Instagram vai te ajudar a entender quais são os maiores problemas enfrentados por eles. E a solução desse problema deve ser inovadora, solucionando essa necessidade.

Além disso, conhecer as críticas e elogios que os clientes fazem também aos seus concorrentes te dará um panorama a respeito do seu mercado, para que você entenda suas forças e fraquezas e possa, de maneira criativa, reverter os problemas ou se sobressair.

Leia muito!

Leia blogs, sites, livros e tudo mais o que possa te ajudar a entender o mercado e conhecer pessoas inspiradoras. Tudo isso poderá te ajudar a ter ideias fantásticas.

E, hoje mais que nunca, existem diversos canais e conteúdos disponíveis para empreendedores que desejam estimular a criatividade através do conhecimento, como o próprio Saia do Lugar, revistas do mundo dos negócios como a Exame ou PEGN, páginas no LinkedIn e vários outros.

Exemplo: Que tal reservar os primeiros 15 a 30 minutos do seu dia para ler os seus blogs e sites preferidos?

Para facilitar esse processo de seleção, você pode assinar a newsletter desses portais e receber por email os principais conteúdos relacionados a suas áreas de interesse, o que tornará o seu dia a dia ainda mais simples!

Não faça sempre mais do mesmo

Esqueça as fórmulas de sucesso. É claro que se existe algum processo que funciona muito bem para a sua empresa, você deve utilizá-lo. Porém, isso não te dá a garantia de que não existam outros métodos que podem trazer ainda melhores resultados.

Exemplo: Você possivelmente já deve utilizar uma estratégia de Marketing que tem funcionado bem para o seu negócio. Porém, existem diversas oportunidades, principalmente dentro do Marketing Digital, que podem trazer outros benefícios como aumento do engajamento, do tráfego em seu site ou blog, autoridade de mercado, etc. E todos esses benefícios podem impactar significativamente os seus resultados, e claro, também suas vendas.

Por isso, experimente! Tente algo novo.

É importante calcular os riscos e entender quais são as suas reais necessidades, porém fazer sempre mais do mesmo te trará sempre mais dos mesmos resultados. E nenhum empreendedor quer — ou deve querer — ficar estagnado.

Conclusão

Inovar é preciso e pode ser uma tarefa ainda mais simples se dosado em atitudes diárias que incentivem a criatividade, tanto do empreendedor quanto de todos os outros envolvidos em seu negócio.

E lembre-se que a ideia aqui não serve apenas para criar um produto inovador, mas sim para pensar em maneiras diferentes de solucionar qualquer problema ou de incrementar a sua entrega.

Por isso não se limite a pensar a respeito do que você vende mas sim do como, nos canais de entrega, nas formas de pagamento, na funcionalidade do seu site, na maneira com que os seus colaboradores executam suas tarefas diariamente e em todos os processos que envolvem o seu negócio.

Pequenas atitudes inovadoras podem impactar os seus resultados, e elas não necessariamente estão da porta para fora!

Outra maneira inovadora de alcançar bons resultados é através da Inovação Social. Não conhece? Então leia nosso post sobre o assunto!

empreendedorismo feminino

Empreendedorismo feminino: o papel da mulher no mundo dos negócios

Não é surpresa para muita gente que as mulheres têm alcançado lugares de destaque em todo o mundo, na política, economia, tecnologia e em outras áreas que eram comumente dominadas por figuras masculinas. E não seria diferente no empreendedorismo.

Não é surpresa para muita gente que as mulheres têm alcançado lugares de destaque em todo o mundo, na política, economia, tecnologia e em outras áreas que eram comumente dominadas por figuras masculinas. E não seria diferente no empreendedorismo.

Em dezembro de 2016, a Forbes lançou uma matéria listando as mulheres mais poderosas do Brasil no ano. Meses antes, em junho, a mesma revista — dessa vez a versão americana — havia publicado uma matéria sobre quem eram as mulheres mais poderosas do mundo. Em ambos os casos, algumas das figuras eram mulheres associadas ao mundo dos negócios.

Vencendo as barreiras impostas pelo preconceito, pelo mercado, pela economia e tantas outras, várias empreendedoras e mulheres de negócios tem construído verdadeiros impérios ou conquistado posições de destaque em grandes empresas, com cargos de liderança que a alguns anos eram predominantemente ocupados por homens.

Para se ter uma ideia, segundo pesquisa uma pesquisa realizada pelo Sebrae em 2014, 51,2% dos novos empreendimentos criados todos os anos são feitos por mulheres. E, dentre os negócios consolidados, 42,3% são chefiados por elas.

Porém, isso não significa que as coisas estejam em seu plano ideal. Infelizmente, muitas mulheres ainda enfrentam dificuldades específicas ao gênero quando optam por seguir carreiras associadas a negócios e empreendedorismo.

Segundo pesquisa da Câmara Americana de Comércio (Amcham), 76% dos 350 entrevistados ainda considera que existam problemas de desigualdade em relação ao tratamento de homens e mulheres dentro do meio empresarial. A mesma pesquisa mostrou também que para 80% dos entrevistados, mulheres são geralmente ignoradas principalmente na seleção para cargos de gestão.

Por motivos como esse, a conquista da mulher no mundo dos negócios tem demandado maior esforço da parte delas e também tem sido significativamente mais lenta que a masculina. E se você é uma mulher que deseja

Principais desafios para mulheres no empreendedorismo feminino

Dentre as maiores dificuldades da mulher no empreendedorismo, como mostrou a pesquisa do Amcham, um dos principais ainda é a falta de oportunidades.

Primeiro, porque existem, numericamente, mais homens que mulheres “disputando” por cargos de liderança dentro das grandes empresas, por questões históricas e sociais associadas às escolhas profissionais e à tardia — se comparado aos homens — entrada significativa de mulheres ao mundo empresarial.

Para se ter uma ideia, segundo a pesquisa da Mckinsey, 81% dos cargos executivos são ocupados por homens.

Segundo pelo próprio machismo, infelizmente inegável, que ainda existe no mundo dos negócios, principalmente em empresas e mercados mais tradicionais, como comprovou a pesquisa da Amcham.

Uma outra pesquisa, dessa vez do IBGE comprovou esses dois motivos: no Brasil, a diferença no nível educacional da mulher é evidente, assim como a diferença de salários. A renda das mulheres, em geral, representa apenas 76% da renda masculina, embora, segundo a pesquisa, elas trabalhem mais.

Outra dificuldade é a dificuldade de conciliar a vida pessoal e a vida profissional. Geralmente, além dos grandes cargos em empresas ou o próprio negócio, as mulheres ainda possuem grandes responsabilidades associadas à casa e a família, o que torna a rotina feminina mais cansativa e também mais desafiadora.

Muitas mulheres ainda optam por deixar a vida profissional em segundo plano em detrimento ao casamento e aos filhos, e em muitos casos por não acreditar que é possível conciliar as duas coisas de forma bem sucedida.

Porém, as mulheres que aceitam enfrentar todos esses desafios merecem os nossos parabéns! O espaço conquistado por elas é extremamente representativo e foi conquistado em menor espaço de tempo, se comparado aos homens. E o mercado nunca esteve tão favorável para acelerar ainda mais esse processo.

Uma boa maneira de superar as barreiras da diferença

A igualdade de gênero nas empresas nunca foi tão discutida. E ainda bem!

A Organização das Nações Unidas (ONU) possui uma iniciativa voltada para a igualdade de gêneros nas organizações em todo o mundo e chegou a realizar uma premiação no Brasil em 2016 para empresas com projetos nessa área.

E essa é uma ótima maneira de diminuir os problemas de desigualdade de gênero. Se você possui uma empresa — independentemente se homem ou mulher — pode criar iniciativas dentro da sua empresa para garantir que homens e mulheres possuam as mesmas oportunidades.

Crie condições de equilíbrio e identifique situações que tornem esse processo prejudicial. Além disso, não tolerar o preconceito é uma ótima cultura para qualquer empresa, que promoverá o crescimento saudável e também a diversidade, que sempre gera bons frutos para o desenvolvimento de um negócio.

Empreendedorismo Feminino: exemplos para que você se inspire e se empodere

Seja você um empreendedor, empreendedora ou mulher que deseja se inspirar com bons exemplos, conheça agora algumas mulheres que tem feito a diferença no meio empresarial e que mostram o quanto a presença feminina faz a diferença nos negócios e no mercado.

Viviane Senna

O nome já diz muito. Viviane Senna, irmã do ídolo Ayrton Senna, é a responsável por projetos que além de mostrarem o seu dom para o empreendedorismo, também são exemplo de responsabilidade social.

Ela é a presidente do Instituto Ayrton Senna, iniciativa criada em 1994, que promove o acesso a educação de qualidade para milhares de crianças em todo o país, com projetos em escolas públicas e projetos sociais, incentivando a educação integrada.

Além disso, Viviane Senna é membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do governo federal, do Conselho de Desenvolvimento Sustentável de São Paulo, do Conselho de Administração do Banco Santander, do comitê de orientação de investimentos sociais do Banco Itaú e de inúmeras outras iniciativas com e sem fins lucrativos.

Linda Rottenberg

Linda é, ninguém menos, que a co-fundadora da Endeavor, instituição de apoio a pequenos empresários, fundada em 1997 e que hoje está presente em 25 países.

A americana possui graduações em, nada menos que as universidades de Harvard e Yalle, autora do livro Crazy Is a Compliment: The Power of Zigging When Everyone Else Zags, best-seller pelo New York Times e foi considerada um dos melhores líderes da américa pelo U.S. News, dentre várias outras nomeações.

Além disso, ela faz parte do Council on Foreign Relations and Young Presidents Organization (YPO) e faz parte do comitê de direção do Fórum Econômico Mundial.

Mary Kay Ash

Provando que é possível unir o mundo feminino e o empreendedorismo, Mary Kay Ash é a fundadora da marca de produtos de beleza internacional que leva o seu nome, a Mary Kay, fundada em 1963.

A marca, além de referência mundial, é uma forte estimuladora da independência financeira da mulher, a partir do que eles mesmo chamam de “Uma missão para ajudar mulheres a alcançarem crescimento pessoal e sucesso financeiro”.

Com investimento pessoal de 5.000 dólares, Mary Kay começou com um plano de negócio após largar uma carreira de 25 anos, que foi escrito em sua cozinha e hoje possui dezenas de prêmios internacionais associados ao empreendedorismo e suas conquistas.

Ela faleceu em 2001, mas o seu legado ainda gera, além do sucesso da marca, muito material de inspiração como livros, documentários e filmes.

Luiza Helena Trajano

Para fechar a lista com mais uma brasileira que se destacam no empreendedorismo, temos Luiza Helena Trajano, empresária que comanda a rede de lojas Magazine Luiza.

Ela começou trabalhando no negócio da família, que possuía algumas lojas no interior de São Paulo, se formou em direito em 1972 e graças ao seu envolvimento com o negócio, ele cresceu para uma rede de 700 lojas espalhadas por 16 estados do país.

O seu patrimônio atual é avaliado em mais de 1 bilhão de reais, e ela ainda conta com prêmios e nomeações como o top 3 das empreendedoras brasileiras mais poderosas, pela revista Forbes.

Resumindo: é muito possível ser uma mulher de sucesso no mundo dos negócios.

O que realmente demanda é a disposição de enfrentar as diferenças e mesmo a desigualdade do mercado, muito esforço e trabalho duro, afinal o sucesso em qualquer área depende desses dois fatores, e dedicação para superar as dificuldades inerentes a empreender ou conquistar cargos de destaque.

Mulheres geralmente têm a habilidade de resolver conflitos, a sensibilidade de identificar e prever problemas e ainda a garra de ultrapassar as limitações que parecem impossíveis. E a prova de tudo isso é o crescimento e o destaque que elas têm ganhado mesmo em um contexto de crise do mercado, como o atual.

Por isso, contratar mulheres, colocá-las em cargos de influência e liderança e oferecer as mesmas oportunidades para elas em seu negócio representará ganhos reais para você.

E, se você é mulher e deseja empreender, não deixe que os problemas relacionados ao gênero pelo mercado sejam um empecilho para o seu sucesso e realização!

Se você deseja continuar se inspirando, conheça mais exemplos de mulheres que fazem a diferença no empreendedorismo lendo o nosso post.

como começar uma lojaAbrir uma loja é um sonho de muita gente que deseja se tornar dona do próprio negócio. Porém, assim como boa parte das ações de empreendedorismo, é necessário ter os recursos financeiros adequados para fazer essa abertura. Com isso, muitos desistem no meio do caminho e deixa de lado um sonho promissor.

">

Como começar uma loja gastando pouco? Coloque em prática as nossas 8 dicas incríveis

Abrir uma loja é um sonho de muita gente que deseja se tornar dona do próprio negócio. Porém, assim como boa parte das ações de empreendedorismo, é necessário ter os recursos financeiros adequados para fazer essa abertura. Com isso, muitos desistem no meio do caminho e deixa de lado um sonho promissor.

Abrir uma loja é um sonho de muita gente que deseja se tornar dona do próprio negócio. Porém, assim como boa parte das ações de empreendedorismo, é necessário ter os recursos financeiros adequados para fazer essa abertura. Com isso, muitos desistem no meio do caminho e deixa de lado um sonho promissor.

Porém, se você acha que precisa juntar uma grande quantia para começar uma loja, saiba que não é bem assim. Com ações bem planejadas e realizadas da maneira correta, você consegue gastar pouco e capitalizar o seu empreendimento ao máximo com as vendas. Para saber como isso é possível, veja 8 dicas sobre o assunto!

1. Faça um bom planejamento financeiro

Quando você deseja abrir uma loja de maneira econômica, qualquer gasto pode ter um grande impacto na sua realidade. Se você se descuidar, em breve vai gastar mais do que o que gostaria e até mesmo mais do que você tem disponível.

Por isso, é fundamental contar com um bom planejamento financeiro que deve incluir todos os custos previstos para a abertura do negócio e qual é a quantia disponível. Planeje investimentos de maneira estruturada assertiva e fique de olho nos custos de cada ação.

2. Encontre os fornecedores certos

Uma parte fundamental para entender como começar uma loja gastando pouco é encontrar o fornecedor perfeito. Nesse momento, a flexibilidade é importante e um bom preço, também. Por isso, busque fornecedores que ofereçam os produtos que você pretende vender e que, ao mesmo tempo, tenham ótimas condições.

Um fornecedor que permite que você crie um estoque consignado, por exemplo, evita que os produtos encalham na sua loja. Outra possibilidade é um fornecedor que também esteja começando, pois ao ser um de seus primeiros clientes, há chances de que você consiga condições diferenciadas.

3. Assuma múltiplas funções

Você já tem um bom planejamento financeiro e encontrou bons fornecedores. Mas como começar uma loja já cheia de funcionários? Assim, os gastos iriam disparar. Em vez disso, prefira chamar para si a responsabilidade sobre a maior parte das funções e assuma várias delas.

Isso significa que você vai precisar atuar em ações como o caixa, reposição de estoque, controle financeiro e até mesmo como vendedor.

Isso garante economia nos custos por dispensar o pagamento de direitos trabalhistas e também a simplificação de todo o processo. Dessa forma, inclusive, você pode se regularizar, ao menos inicialmente, como Microempreendedor Individual (MEI).

4. Ajuste as formas de pagamento

Quanto maior for a sua necessidade de capital de giro, mais você vai precisar gastar para abrir seu empreendimento. Uma das formas de diminuir essa necessidade é ajustando as formas de pagamento, de modo que os clientes paguem mais à vista.

Embora seja importante oferecer várias formas de pagamento, no começo é mais vantajoso conseguir que mais clientes paguem à vista. Isso evita a inadimplência e também aumenta o dinheiro circulando no negócio.

Conforme o seu negócio for progredindo as formas de pagamento podem ser diversificadas, mas no começo é mais sensato agir dessa maneira.

5. Utilize o poder dos seus contatos

Ao chegar ao mercado com um novo empreendimento, você ainda não tem clientes porque as pessoas não conhecem a sua loja. Para resolver essa questão você pode e deve utilizar o poder dos seus contatos.

Fale para amigos e familiares sobre a sua ideia de negócio, por exemplo, e peça que eles falem para seus amigos e familiares. Se você tem algum colega ou conhecido que também pode aproveitar o que o estabelecimento vende, entre em contato também e fale sobre o empreendimento.

Isso pode ajudar a dar o pontapé inicial no seu negócio e garantir as primeiras vendas de sucesso.

6. Invista no marketing digital

Porém, não dá para depender somente dos seus contatos, já que o objetivo é conseguir fazer com que sua loja cresça. Sendo assim, você deve investir em formas de atrair e captar novos clientes. A fim de não gastar muito, o marketing digital é a opção ideal.

Dá para aproveitar opções como as redes sociais, links patrocinados, criação de site e de blog e assim por diante. Muitas dessas ações são mais baratas do que você pensa e garantem ótimos resultados se utilizadas de maneira correta e consistente.

Graças a essas técnicas você vai conseguir posicionar a sua marca no mercado, além de atrair clientes, gerar conversão e criar relacionamentos com quem compra.

7. Aposte na loja virtual

Grande parte dos custos sobre como começar uma loja está na questão física: aluguel do espaço, decoração e manutenção do local, segurança do local e assim por diante. Além de cara, normalmente é uma tarefa burocrática.

Para driblar esse ponto uma possibilidade é apostar em uma loja virtual. Totalmente online, o custo de criação e manutenção é bem menor e você vai conseguir atingir mais pessoas. Além disso, é ainda mais fácil aproveitar o poder do marketing digital nesse caso.

Porém, é fundamental tomar cuidado com a logística para garantir que os clientes recebam seus produtos o quanto antes.

8. Busque capacitação contínua

Além de começar uma loja gastando pouco, o ideal é que você mantenha esse padrão por algum tempo, até garantir que seu negócio fique mais robusto e estável no mercado. Para que isso seja possível, você vai precisar ter uma gestão diferenciada e de alta qualidade.

Dessa forma, é muito conveniente que você busque capacitação contínua antes e depois de abrir o empreendimento. Isso vai fazer com que você sempre utilize as melhores práticas, aumentando as chances de sucesso do negócio.

Leia sites e blogs sobre o assunto de empreendedorismo e acompanhe também as novidades do seu nicho de mercado. Assim, você ficará mais preparado para encarar os diversos desafios.

Para começar uma loja gastando pouco você tem que controlar muito bem os custos e também assumir diferentes funções. Outras dicas incluem usar o poder dos seus contatos e do marketing digital, assim como criar uma loja virtual. Além de tudo, a busca constante por conhecimento é indispensável se você quer os melhores resultados possíveis.

Já que o sucesso da sua loja depende das vendas que ela conseguir, conheça dicas de como aumentar a taxa de conversão do empreendimento!