Empreendedorismo

Ser empreendedor é passar por diversos desafios diários, não é mesmo?

Com essa categoria você aprenderá tudo o que você precisa para se tornar um empreendedor cada vez mais preparado para enfrentar o mercado e vai ficar por dentro das melhores práticas deste meio.

Dicas, Ferramentas, Leis trabalhistas, Encargos tributários, Melhores Práticas, Tipos de profissionais e muito mais!


bunker sitiado

Conheça a síndrome do bunker sitiado!

Meus caros, comecemos por alguns esclarecimentos.

Meus caros, comecemos por alguns esclarecimentos.

O que é a Síndrome do Bunker Sitiado?

Para quem não conhece o sentido da expressão, basta um exercício de extrapolação pessoal.

Tente imaginar num contexto onde após vivenciar o apogeu – ou ao menos pretensamente, e apenas na sua cabeça –, tenha de encarar a queda, a casca de banana da qual não consegue escapar, ou a aniquilação humilhante.

Adicione a este cenário, que o seu entorno seja formado por assessores que amam dizer aquilo que você quer (e exige) escutar. Talvez porque você os intimide, e exista um temor de suas reações.

Ou é possível que não tenham nenhum compromisso com o negócio/ operação, mas preocupam-se única e exclusivamente com a própria remuneração – o que inclui remuneração variável não necessariamente atrelada a solidez da empresa, mas com situações pontuais.

E é também provável que embora muito bem remunerados, simplesmente não tenham capacidade para formular soluções reais e concretas.

Há a possibilidade de que estejam desprovidos de imaginação e opiniões próprias, com origem na capacidade profissional. E neste caso sejam abundantes as receitas de bolo – geralmente extraídas do “lugar comum” corporativo, suas revistas, seus eventos tomados de inteligência.

E neste caso, as reações são previsíveis.

Você passa a receber aconselhamento absolutamente incompatível com a realidade.

Pior do que isso, sem ninguém para dizer a verdade, o empreendedor ou líder (detesto a expressão líder. É um típico eufemismo corporativo barato), passa a navegar em voo cego.

Sem parâmetros ancorados ao mundo real, sem noção sobre os obstáculos que virão, e eventualmente orientado apenas pela maluquice da sua própria mente solitária e “magnânima”.

Deste estágio, para acreditar em caminhos e saídas que jamais se concretizarão, há o intervalo de alguns poucos metros.

Pronto, está criado o “set” perfeito para o ‘Bunker Sitiado”.

Em resumo, uma dinâmica retroalimentada de tiros no pé. Sem nenhuma boa alma para interromper o tranco.

O “Bunker Sitiado” e a história

Historiadores investigativos afirmam que Hitler, sitiado em seu esconderijo secreto (bunker), com os soviéticos pintando e bordando nos arredores de Berlim e esmagando a cidade – reunido com seu estado maior mais fiel, entoava frases de efeito e auto motivadoras.

Convocava a todos com o seu feroz bigodinho, para recuperar o ânimo e retomar a ofensiva para tentar vencer a guerra de uma vez por todas.

Dizem que lampião “o rei do cangaço” cercado pelas tropas federais, e quase aniquilado pela fome e pela sede, comparava-se a Antônio Conselheiro e ordenava diretivas para o contra-ataque “rumo a vitória”, que jamais veio.

A realidade sempre se impõe. O segredo é saber reconhecê-la a tempo.

É dos efeitos desta “síndrome” que alguns grandes empresários e líderes políticos (acompanhados por equipes fiéis) provam ao se depararem com a parede sólida e áspera da realidade.

Não seja uma vítima da síndrome.

Não se engane, a síndrome do Bunker Sitiado estará sempre a espreita. Mas qual é a vacina?

O velho “bom senso” pode ajudar muito.

Contudo, essa resposta pode ser genérica demais.

Convido então para detalharmos algumas atitudes que podem nos manter longe do Bunker.

Desconfie

  • dos aplausos;
  • de resultados fáceis e de processos “blindados de complicações”;
  • de gente que desconsidera os cuidados, ou daqueles que detestam precauções;
  • de qualquer tentativa para impressionar;
  • dos megalomaníacos;
  • de gente que se considera invencível;
  • quando escuta apenas aquilo que gostaria (ou aceita) escutar.

Contrate bem

  • Evite contratar aduladores;
  • Fuja dos performáticos;
  • Não aceite almofadinhas corporativos na sua equipe. Não ofereça espaço pela aparência, ou outras superficialidades;
  • Trabalhe com gente competente e corajosa;
  • Selecione pessoas com personalidade, e que não vão se intimidar pelo seu poder. Eles são sempre a melhor contribuição.

Cuide de suas emoções (elas podem custar caro)

  • Resolva-se. Não desconte suas frustrações pessoais na empresa ou nos seus colaboradores;
  • Não crie um personagem de você mesmo. Se não cuidar disso, quando menos esperar, não estará mais no escritório, mas em um palco repleto de personagens;
  • Gerencie a própria ansiedade. Ela pode ser o seu maior inimigo;
  • Controle a raiva e os ataques de impaciência.

Para encerrar, recomendo que seja sempre permeável ao senso crítico. É justamente ele que vai salvá-lo quando cair no Bunker sem perceber.

Até o próximo.

Por: Gustavo Chierighini, publisher da Plataforma Brasil Editorial.

práticas para empregar

6 melhores práticas para empregar talentos na sua empresa

Poucas coisas são tão importantes para um negócio quanto uma equipe de colaboradores eficientes e capazes de colocar em prática ideias inovadoras. Achar o profissional certo e mantê-lo em seu time é um desafio, sobretudo no contexto atual do mercado, com jovens ávidos por novas experiências constantemente.

Poucas coisas são tão importantes para um negócio quanto uma equipe de colaboradores eficientes e capazes de colocar em prática ideias inovadoras. Achar o profissional certo e mantê-lo em seu time é um desafio, sobretudo no contexto atual do mercado, com jovens ávidos por novas experiências constantemente.

Neste artigo, separei algumas dicas para que você possa empregar talentos em seu negócio e controle a rotatividade dos colaboradores.

A arte do recrutamento

O processo de contratação nas empresas tem passado por profundas mudanças ao longo das últimas décadas. Se antigamente os recrutadores ficavam restritos a testes e análises que pouco variavam de companhia para companhia, atualmente, novas dinâmicas e análises de perfis cada vez mais minuciosos vem sendo implementados.

Além disso, a tecnologia contribuiu, e muito, para quem deseja construir um time de colaboradores de excelência. Redes como o LinkedIn, permitem que analistas e gestores de recursos humanos façam pesquisas de acordo com filtros cada vez mais detalhados.

Tudo isso colabora para que se encontre o funcionário ideal — aquele que vai executar sua função com qualidade, se identifica com a empresa, é preocupado com o futuro da organização e traz ideias que favorecem o sucesso do negócio.

Práticas para empregar talentos e mantê-los na empresa

Apesar das facilidades atuais, empregar talentos continua sendo um desafio imenso no mercado nacional. Para citar um exemplo simples, de acordo com pesquisa recente divulgada pela Conference Board, a produtividade do brasileiro é a mais baixa desde os anos 50.

Considerando esse cenário, quando selecionamos um verdadeiro talento, é realmente crucial fornecer meios e estímulos para que ele continue na organização. Veja agora quais são as práticas que lhe favoreceram neste processo.

1. Definir de forma clara as funções

Saber definir com clareza o que se espera de um funcionário é um passo consistente rumo a um bom recrutamento, pois a dispersão e falta de foco, além de afetarem os processos internos do negócio, podem desestimular aqueles que, de fato, poderiam contribuir com o crescimento da empresa.

Essa primeira dica é especialmente importante, tendo em vista que muitos chefes e gestores confundem o ato de dar espaço para que um colaborador toque novos projetos ou lance novas ideias com a falta de presença do gestor e de feedbacks regulares e construtivos.

Nesse sentido, saiba exatamente o que você procura e transmita tudo com clareza na hora de gerir um novo colaborador.

2. Buscar candidatos em todos os meios disponíveis

Como eu disse há pouco, em virtude da tecnologia, há uma série de opções interessantes para quem está em busca de um novo colaborador. Dos já tradicionais sites de emprego às redes profissionais como o LinkedIn, existem ferramentas que atuam como verdadeiras aliadas na pesquisa por novos funcionários para um empreendimento — muitas vezes de baixo custo ou gratuitas.

Além disso, as redes sociais são meios válidos para pesquisar perfis e hábitos de candidatos, observando quem tem maiores ou menores chances de se adequar a cultura organizacional de seu negócio.

Entretanto, nunca abra mão da visão de especialistas em recrutamento para ter sucesso em uma contratação. Tais profissionais são capazes de identificar nuances de personalidade que poderão afetar positiva ou negativamente a realidade de sua empresa e que não podem ser captados com base somente em uma plataforma de empregos.

3. Transmitir efetivamente a cultura organizacional

Do mesmo modo que um funcionário precisa estar ciente do que se espera dele quanto a processos internos e metas, é fundamental que os valores e a visão sejam transmitidos de modo objetivo.

Dessa forma, contratempos serão evitados e você não correrá o risco de perder alguém que realmente esteja colaborando com o andamento da empresa porque ele não compreendeu a cultura organizacional de seu empreendimento.

Não adianta, por exemplo, você vender uma imagem de companhia despojada, quando, na verdade, internamente os processos são rígidos, há normas de etiqueta, vestimenta e até regras implícitas de comunicação. Aliás, quanto menos implícitas as relações de trabalho, mais fáceis de serem geridas.

4. Estabelecer novos desafios e estímulos

Você já deve ter lido por aí o quanto a geração Y — indivíduos que compõem boa parte da mão de obra disponível no mercado — busca novas experiências constantemente e não está tão preocupada em construir uma carreira longa em uma única empresa.

Dito isso, como é possível manter talentos da geração Y em sua companhia? A resposta para essa pergunta, certamente, passa pela ideia de se criar um ambiente estimulante, em que a rotina do trabalho seja permeada por novos desafios sempre que possível.

E como fazer isso? Você pode desafiar seus funcionários a criar um produto, serviço ou processo e oferecer alguma bonificação para as melhores ideias.

Pode dar liberdade para que seus colaboradores dialoguem abertamente e exponham ideias que poderiam aprimorar a realidade do negócio também é uma medida eficaz. Afinal de contas, se estamos tratando de talentos que você almeja que continuem na empresa, eles merecem ser ouvidos.

5. Estipular uma remuneração justa

Muitas vezes deixamos de citar a questão monetária que envolve a contratação de um colaborador, mas esteja certo: um funcionário capacitado só permanecerá na sua empresa se o salário oferecido a ele faça jus ao que o mercado oferece e ao seu desempenho.

Do contrário, quando surgirem novas oportunidades, você precisará sempre considerar a possibilidade de perder esse colaborador. O dinheiro é a única coisa que conta em uma relação trabalhista? Não. Por outro lado, é ilusório ignorar a importância do fator monetário.

6. Gerar paixão pelo negócio

Sabe aquela história de que os colaboradores precisam vestir a camisa da empresa? Para que isso ocorra, todos os aspectos que listamos até aqui precisam ser observados. Motivação, remuneração justa, cultura empresarial e definição de tarefas claras, desafios constantes e incentivo por parte dos gestores.

Entretanto, além de todos esses aspectos, há algo a importante a ser citado: a paixão por uma empresa só vai existir, de fato, quando você empregar talentos que se identifiquem tanto com a função que eles estão exercendo quanto com aquilo que a empresa oferece para o mercado.

Por isso que eu disse, no início, que recrutar é uma arte. Não adianta, simplesmente, você contratar alguém com boa capacitação ou porque têm determinadas virtudes que podem ser positivas para o seu negócio.

É preciso ser perspicaz o suficiente para empregar talentos que tenham paixão pelo que fazem, que sejam capazes de se engajar ao ambiente organizacional da empresa, e, além disso, acreditam no que a empresa provê aos consumidores. Seguindo estas dicas, é muito mais fácil encontrar boas oportunidades de contratação. E você, quanto talentos já empregou esta semana?

Gostou do artigo de hoje? Compartilhe em suas redes sociais!

Artigo produzido pelo Diego Carmona, CVO e Co-Fundador do leadlovers.

como ganhar dinheiro com blog

Como ganhar dinheiro com um blog? 4 maneiras de ganhar uma renda extra

Os tempos estão mudando. E, com essas mudanças, muita gente quer aproveitar para ganhar melhor, ter mais qualidade de vida e evitar depender da rotina de escritório para viver. Mas como ganhar dinheiro com um trabalho extra?

Os tempos estão mudando. E, com essas mudanças, muita gente quer aproveitar para ganhar melhor, ter mais qualidade de vida e evitar depender da rotina de escritório para viver. Mas como ganhar dinheiro com um trabalho extra?

Sabendo que essa demanda existe, vários “especialistas” em marketing e vendas digitais apareceram e sumiram nos últimos anos. Eles passam o tempo todo gritando para quem quiser escutar que é possível ficar rico trabalhando em casa, com um blog, por apenas algumas horas por dia.

Seria ótimo se fosse tão fácil assim, mas a verdade é que, embora tenha vantagens e liberdades que outras profissões não oferecem, criar um blog de sucesso envolve muito, mas muito trabalho. E, para quem faz o que gosta, também uma boa dose de satisfação.

Quer entrar para esse empreendimento cansativo mas recompensador que é o de criar um blog? Então, entenda as melhores formas de começar no ramo e gerar uma renda extra!

Maneiras de ganhar dinheiro com um blog

Vamos começar indo direto ao ponto, afinal, se não tiver bem claro desde o início como seu blog vai te trazer rendimentos, o trabalho todo pode ser perdido.

Antes de qualquer outra coisa, é preciso entender que há formas muito diferentes de ganhar dinheiro com um blog. Algumas são rápidas, porém limitadas. Outras, só geram renda em médio e longo prazo, mas são mais seguras e perenes. Veja as principais:

Anúncios

Você provavelmente já conhece essa estratégia. Para falar a verdade, ela é muito simples… de entender, o que não significa que seja uma fórmula mágica para ter uma renda extra.

Desde que a internet se popularizou, os anunciantes — que antes investiam enormes quantias para aparecerem em páginas de jornal e intervalos de programas de tevê e rádio — viram nela uma oportunidade.

Mas aconteceu uma coisa curiosa. Esses anunciantes e os sites que recebiam seus anúncios queriam reproduzir o mesmo comportamento das velhas mídias na nova, e não perceberam todo o potencial que essas mudanças trariam.

Eles pagavam — e ainda pagam — para que o nome da sua marca seja inserido em vídeos, postagens, webinars, podcasts e o que mais atrair o interesse de milhares e milhares de pessoas.

Certo. Mas você gosta de anúncios quando navega pela internet? Não? Nem a gente. Nem ninguém. Mas, ainda que sejam inconvenientes, eles trazem receita para a empresa anunciante e para o blog que exibe esse tipo de publicidade.

Como todo mundo é interrompido por eles o tempo todo, mais tarde, esse processo passou a ser chamado de “marketing interruptivo”.

Marketing de afiliados

Você pode, também, ganhar comissão sobre a venda dos produtos que são anunciados no seu site.

Embora isso pareça mais arriscado — na opção anterior, dos anúncios, você ganhava por clique, independentemente de se o produto era vendido ou não — mas pode ser bem mais rentável. Afinal, a comissão é maior.

Agora, para que uma estratégia como essa dê certo, você precisa gerar confiança. E, principalmente, se identificar com o produto que vai recomendar e anunciar no seu blog.

Afinal, quem vai dar ouvidos a alguém que recomenda vários produtos diferentes, de cremes para o cabelo até pneus de caminhão?

Se a imagem do blog for gerida da forma correta, ele se torna uma boa aposta para o marketing de afiliados.

Se as pessoas lerem seus textos, acharem que são informativos e reconhecerem em você uma autoridade no assunto, digamos, de jogos de videogame, elas vão levar a sério quando você fizer uma análise de um jogo e recomendá-lo por meio de um anúncio ou diretamente no texto do seu artigo.

O marketing de afiliados pode ser uma ótima maneira de ganhar dinheiro com um blog, mas significa horas de dedicação diária. Antes de qualquer empresa apostar no seu site, ele vai precisar atingir milhares e milhares de visitas por mês.

Infoproduto

À medida que os blogs foram se desenvolvendo, também o marketing digital se fortaleceu. Os clientes do  marketing disruptivo, de que falamos, começaram a dar sinais de saturação.

Só para se ter uma ideia, há alguns aplicativos que bloqueiam anúncios em navegadores como o Google Chrome e o Microsoft Edge. Esses apps ganharam tantos adeptos que, em 2015, eram aproximadamente 198 milhões de usuários no mundo.

Isso é quase a população do Brasil.

É claro que a indústria da publicidade reagiu e reage ao uso deles, mas, enquanto isso, o marketing já tinha uma resposta pronta para essa nova realidade.

O infoproduto é um conceito fácil de entender: informação online, seja ela vendida ou não. Foi ele que possibilitou que nascessem dois novos conceitos importantíssimos nos dias de hoje: o Inbound Marketing e o marketing de conteúdo.

Inbound Marketing e marketing de conteúdo

O Inbound é o processo contrário ao dos anúncios e do marketing de afiliados. Em vez de interromper a leitura das pessoas com publicidade, ele começa com um cuidadoso trabalho de selecionar as pessoas por palavras-chave no Google e levá-las para o seu site.

Lá, esse visitante curioso terá suas dúvidas satisfeitas com o marketing de conteúdo (Inbound e conteúdo são uma espécie de Batman e Robin do marketing moderno).

Assim, se o seu negócio é um cabeleireiro, você pode atrair gente interessada em novos pentados e produtos de cabelo e tirar todas as dúvidas delas.

Em seguida, ela já sabe que você é especialista em cabelos e pode pagar pelo seu infoproduto, isto é, um webinar “Aprenda a fazer sozinha 7 penteados de arrasar”. Além, claro, de ir até o seu salão para acertar os detalhes que não consegue fazer sozinha, em casa.

Como descrevemos o desenvolvimento linear das principais formas de se ganhar dinheiro com um blog, pode ficar parecendo que as últimas soluções são melhores que as primeiras. Isso não é necessariamente verdade.

Com todas elas é possível fazer uma renda extra, mas nenhuma é fácil e rápida como alguns “gurus da internet” gostam de dizer por aí.

Como ganhar dinheiro com seu blog introduzindo algumas melhorias

Mas tirar um projeto desse da sua cabeça e começar a transformá-lo em realidade é algo que pode te deixar confuso.

Para evitar que você se perca entre tantas possibilidades — e também para que não faça escolhas agora de que vai se arrepender no futuro — vamos te dar mais algumas dicas de melhorias e otimizações para começar.

Escolha o CMS mais adequado às suas necessidades

Aliás, antes de escolher, fique sabendo que um CMS é um Content Management System, ou Sistema de Gerenciamento de Conteúdo, em bom português.

Sendo direto, é a plataforma onde o seu blog vai ser construído e operacionalizado.

Se você já ouviu falar a respeito, deve ter pensado logo no WordPress. Sim, ele é o CMS mais famoso e utilizado da atualidade. Embora não seja difícil de utilizar, ele também não é a opção mais fácil disponível.

O Wix é a opção mais prática. O WordPress, porém, é onde quase todos os blogs corporativos rodam e é, de longe, a plataforma mais estudada e com mais artigos, guias, plugins e dicas Google afora. Como é a opção que utilizamos para manter o blog do Saia do Lugar, é também a que recomendamos.

Além desses dois, há outras opções, como o Joomla e o Blogger, da Google.

Estude o básico sobre SEO

A vida de blogueiro só começa de verdade quando decoramos algumas siglas, não mesmo? Pois aqui está mais uma para você: SEO é Search Engine Optimization ou Otimização para Motores de Busca.

Basicamente, são as boas práticas para que o seu conteúdo apareça nas primeiras páginas do Google. E acredite, você só vai criar uma renda extra com o seu blog se as suas publicações estiverem nelas.

O SEO é um estudo constante, até porque o Google muda as regras do jogo de vez em quando. Por isso, comece a ler a respeito e otimizar o seu site.

Entenda um pouco de design

Não, definitivamente não é necessário que você domine esse assunto em todos os seus detalhes. Até porque a ideia é que os elementos de design sejam usados para melhorar o desempenho do seu blog, e não apenas para torná-lo mais bonito.

Agora, se você conseguir tornar tudo mais prático para quem lê com elementos visuais e ainda construir um site com aparência profissional e esteticamente impecável, perfeito!

Os blogs e websites são construídos dentro de templates, uma espécie de moldura pronta, que você preenche com o seu conteúdo e as funcionalidades. Eles vão deixar essa tarefa incrivelmente mais fácil.

Faça testes

Esta aqui talvez seja a dica mais importante deste artigo. Afinal, como você vai saber o que funciona e o que não funciona?

Como vai determinar que uma mudança de design ou uma imagem que trocou aumentou o desempenho do seu artigo, gerou mais visualizações e, por isso, deve ser mantida?

Simples: você realiza os famosos testes A/B, onde tudo é duplicado e criado com um detalhe diferente de cada vez. Se uma das “cópias” tem performance melhor que a outra, você já sabe o motivo. Afinal, se um único detalhe ficou diferente, só pode ser ele.

A internet é um meio em constante evolução. Nessa atmosfera de mudança permanente, o estudo diário e o bom-senso são os segredos do sucesso.

A cada dia, o meio virtual se torna mais atraente e receptivo à experiência do usuário. E, fazendo parte dele e buscando agradar seus visitantes e tornar a internet mais “confortável”, com certeza dá pra fazer uma renda extra e ainda melhorar a qualidade de vida e trabalho.

Quem sabe essa não vai ser a sua única fonte de renda daqui a um ano ou dois?

Ah, e já que falamos sobre como ganhar dinheiro com um blog, pode ser que a sua curiosidade sobre o marketing de conteúdo tenha sido aguçada. Saiba como atrair mais tráfego e vendas com o marketing de conteúdo!

empregar talentos

Empregar talentos: Escolha os melhores profissionais para o seu time

Por trás do sucesso de todo empreendedor há sempre uma equipe. Afinal, nenhum deles conseguiu construir um caminho que seja próspero sozinho!

Por trás do sucesso de todo empreendedor há sempre uma equipe. Afinal, nenhum deles conseguiu construir um caminho que seja próspero sozinho!

Bom, então será que essa receita para o sucesso é simples? Basta contratar colaboradores e tudo vai dar certo? Não é bem assim…

Obviamente que é preciso contratar os profissionais certos para ajudar a empresa a deslanchar! Até porque, é fundamental formar um time que compartilhe dos mesmos valores para conseguir formar uma sinergia que leve o negócio ao sucesso.

Mais do que isso, é preciso ter confiança nas pessoas que trabalham com você para que tenha segurança em delegar tarefas que sejam importantes.

Isso proporcionará um auxílio relevante para a sua rotina empreendedora, pois dessa forma terá tranquilidade para elaborar novos projetos que ajudem a desenvolver o negócio.

Por outro lado, o mercado de trabalho vive uma realidade em que os talentos já possuem plenas condições de escolher onde vão trabalhar.

Isso está acontecendo principalmente pela grande disputa de várias empresas por colaboradores que demonstram ser fora da curva.

Pois bem, já deu para perceber que montar um time não é das tarefas mais fáceis, não é mesmo? Por isso, vamos fornecer 7 dicas para que você possa empregar talentos e contar com os melhores profissionais na sua empresa. Confira!

1 – Tenha uma cultura forte

Ter uma cultura forte é um dos principais pilares para poder atrair talentos para a sua empresa. Afinal, como já falamos anteriormente, muitos profissionais estão escolhendo onde querem trabalhar.

Por isso, é preciso que o negócio mostre que tem condições de oferecer um ambiente de trabalho leve, que proporcione um aprendizado contínuo e que seja cheio de oportunidades de crescer internamente

Então, sugerimos que a empresa “respire” esse ambiente através da sua cultura e seus valores, mas o mais importante é mostrar isso para o mundo. Fazer isso é muito simples, basta ter um código de cultura e torná-lo público para que todos possam ver.

Tome como exemplo o Netflix, que foi um dos pioneiros a mostrar seu culture code!

2 – Entenda a demanda da empresa

A segunda dica para empregar talentos é antes de mais nada entender o que a empresa como um todo está necessitando naquele momento em relação à recursos humanos.

Então, coloque na ponta do lápis o que cada equipe está precisando, procure entender quais dessas demandas são mais prioritárias e bata o martelo sobre as posições que serão contratadas.

Após isso, defina com os responsáveis de cada área qual será o perfil de candidato ideal para cada uma das vagas. Além disso, estabeleça o nível de conhecimento necessário para que o trabalho possa fluir bem quando esse novo colaborador já estiver empregado.

No caso de vagas que são consideradas mais estratégicas, ou seja, são indispensáveis para o funcionamento do negócio, o segredo é investir na contratação de profissionais mais experientes e que dominem a área. Até porque, muitas vezes a empresa não pode perder muito tempo ensinando essa função totalmente do zero.

3 – Divulgue as vagas

O próximo passo é mostrar para todos que a empresa está contratando e precisando de gente competente. Nessa questão, as possibilidades para fazer isso são vastas.

As vagas podem ser divulgadas nas redes sociais pessoais dos colaboradores da empresa e também no perfil do próprio negócio.

Em relação a essa ação, qualquer rede social poderá trazer um bom resultado, mas obviamente que o Linkedin poderá ser mais eficiente, pois é uma rede que proporcionam o foco em ações como essa.

Outra opção é procurar o auxílio de agências de empregos. Afinal, eles são especialistas nesse assunto. Porém, é preciso passar exatamente o perfil de profissional que você está buscando para que elas possam trabalhar da melhor maneira possível.

Não se esqueça de deixar bem claro todos os detalhes da vaga, desde os requisitos, qualificações necessárias, o papel que o funcionário irá desempenhar e até a faixa de remuneração salarial.

Fazendo isso, você evita qualquer mal entendido durante a seleção e também no futuro.

4 – Elabore um processo de seleção completo

Para que você consiga empregar talentos de forma efetiva, será preciso criar um processo de seleção que seja capaz de avaliar todas as habilidades e competências exigidas para a função desejada.

A sugestão então, é que ele seja completo e transparente. Além de entrevistas, adicione etapas práticas que possam identificar se o candidato tem o perfil desejado, tanto em relação a parte técnica quanto ao perfil pessoal, ou seja, verifique se ele preza por valores parecidos com a cultura da empresa.

Para que essa seleção não fique muito pesada para ambas as partes, procure tornar essa seleção algo que gere um aprendizado para esses profissionais já no próprio processo, etapa por etapa.

Dessa forma, será possível mostrar que a empresa tem muito valor a agregar a ele.

5 – Tome cuidado com os currículos perfeitos

A grande verdade é que muitos candidatos sabem muito bem como elaborar um currículo, porém nem sempre aquilo que está escrito é o que aconteceu na prática.

Até porque, quando vamos escrever sobre experiências que tivemos no passado, a tendência é valorizar todos os aspectos positivos com a nossa própria visão.

Então, ao analisar um currículo, não há problema nenhum em questionar qualquer ponto positivo relatado pelo candidato.

Aliás, a entrevista poderá ser uma ótima oportunidade de tirar isso a limpo e pedir exemplos práticos para avaliar a situação.

Obviamente que isso deverá ser feito de maneira educada.

É sempre bom também, pedir referências e certificar-se de que alguns feitos realmente aconteceram. Então, solicite certificados e diplomas de qualquer curso que o candidato relatou que fez e que seja relevante nessa análise.

6 – Incentive indicações

Outra boa maneira de empregar talentos é incentivando indicações dos próprios funcionários da empresa.

A lógica dessa ação é simples: Se o colaborador tem um certo apreço pela empresa, está de acordo com o seu crescimento, está satisfeito com o seu trabalho, ele irá indicar pessoas que não estejam alinhadas? Provavelmente não.

Aliás, a tendência é que eles sejam extremamente seletivos com essa questão, visto que se ele entende que é preciso de gente competente para trabalhar lá, dificilmente ele irá indicar qualquer um para as vagas que estão em aberto.

Criar um programa de indicações para empoderar os funcionários da empresa é uma excelente estratégia para trazer cada vez mais gente boa para trabalhar no negócio!

7 – Faça análises comportamentais

Saiba que por muitas vezes a parte técnica do candidato pode ser facilmente modificada, ou seja, se ele precisar estudar e aprender algum assunto pois ele tem um certo déficit de conhecimento, ele irá estudar e se qualificar. Porém, a parte comportamental é muito difícil de mudar!

Por isso, principalmente na etapa de entrevista, análise questões desse nível, que sejam fáceis de compreender como o candidato agiria em momentos decisivos, como por exemplo, quando está sob pressão.

Uma tática boa é pegar as experiências anteriores que ele teve e entender como ele lidava com os seus desafios, ou então fazer simulações com situações hipotéticas.

Deu para perceber que empregar talentos não é fácil, mas também não é impossível.

Basta direcionar as ações da empresa para que isso seja feito da maneira mais eficiente possível. As dicas que passamos são apenas alguns exemplos disso.

Agora que você já sabe como empregar talentos, que tal conhecer os 7 motivos para você comparecer aos eventos de negócio

dropshipping

Dropshipping: Revender produtos é mais barato que produzir

Se está pensando em montar uma virtual, é provável que já tenha se informado de todas as alternativas possíveis e, entre elas, sobre o que é o melhor no seu caso.

Se está pensando em montar uma virtual, é provável que já tenha se informado de todas as alternativas possíveis e, entre elas, sobre o que é o melhor no seu caso.

É por isso que hoje eu vamos te ajudar a entender um dos mais crescentes e práticos conceitos de e-commerce – o dropshipping, em termos mais simples: revender em vez de produzir. Assim, será possível decidir a melhor escolha para sua loja virtual.

Entendendo o conceito de dropshipping

Dropshipping é um sistema de logística que oferece produtos que você não tem em estoque.

Em outras palavras, você administra sua loja virtual vendendo produtos que não fabrica. Você dispõe aquilo que oferece, sejam produtos ou serviços on-line a partir de um atacadista.

E esse atacadista será responsável por enviar os produtos e serviços ao cliente final. Portanto, se você tem uma loja online que comercializa produtos fabricados por terceiros, você é um praticante de dropshipping.

Revender produtos é mais assertivo do que produzir

Quando se pratica o conceito de dropshipping, o tempo e a energia envolvidos podem ser melhor aplicados à sua política de relacionamento com o cliente.

Portanto, sua loja virtual precisa ter um site atraente e fácil de usar. Você pode otimizar sua plataforma de e-commerce para realizar ações mais assertivas de marketing online, garantindo assim mais tráfego de qualidade para ele.

Poderá também otimizar a relação entre sua loja virtual e os clientes, garantindo fidelidade e mais vendas!

Acompanhar mais de perto a compra, o pagamento, o faturamento e o processo de entrega do produto ou serviço alavancará, e muito, sua loja virtual!

O serviço de atendimento ao cliente durante o processo de compra e depois dele poderá tornar seu e-commerce bastante atrativo aos olhos do público-alvo!

Além disso, revender em vez de produzir permite maior contato pessoal com cada cliente, garantindo a eles que você sempre estará disposto a ajudá-lo, o que se torna muito mais difícil se decidir ter um processo de produção.

Vantagens revender em vez de produzir

Alguns benefícios do dropshipping são inegáveis. Veja quais sãos alguns deles:

  • Menor investimento de capital na criação da sua loja virtual. Essa é uma das vantagens mais importantes, porque se você cria uma empresa online que produz além de revender, é preciso fazer um alto investimento inicial para produzir um bom capital.
  • Revender em vez de produzir elimina a necessidade de que sua loja virtual mantenha um estoque. Isso exigiria um alto investimento, que a princípio pode ser muito difícil de gerar e manter.
  • O dropshipping permite comercializar uma grande variedade de produtos, pois sua loja virtual pode trabalhar com mais de um fornecedor e sempre expandir o seu alcance.
  • Revender possibilita um enorme “crescimento escalável”, porque sua loja virtual apenas inicia e conclui o processo de venda, deixando a produção para quem já tem estrutura pronta para isso.

Dicas para revender produtos

Uma vez que você já viu os prós e contras de dropshipping, vamos dar algumas dicas para evitar erros comuns que surgem ao criar este modelo de negócio.

Algo que deve ser claro em todos os momentos é que uma loja virtual que será aberta com pouco investimento não significa que você deixar de lado o planejamento e ir em frente. Métodos descuidados muitas vezes levam ao fracasso garantido.

Então, estas são as principais recomendações para revender produtos sem precisar produzi-los:

Como em qualquer negócio, você deve realizar uma análise preliminar do mercado, conhecer a sua concorrência, saber quais os serviços oferecidos e o tipo de clientes a quem está se dirigindo em sua loja virtual.

Faça um plano de ação e trace uma estratégia assertiva. Conheça bem o seu produto ou serviço, entenda os objetivos que ele atinge e torne-se ainda mais ciente do público que você quer alcançar.

Considere o que realmente está sendo vendido em sua loja virtual e quais são as melhores ferramentas para dar visibilidade ao produto ou serviço.

Não apenas estruture o e-commerce, mas pense exaustivamente (1) nos produtos que irá vender, (2) em como sua empresa vai atrair clientes à loja virtual, (3) nos passos que esses clientes darão para acessar a plataforma, decidir comprar e repetir a compra.

Execute as ações de SEO existentes naquele momento específico, sincronizando o conteúdo que o usuário deseja obter com uma boa classificação nos resultados do Google.

Crie constantemente conteúdo de interesse para o seu público-alvo, utilizando redes sociais e seu blog. Fazer isso atrai novos clientes e gera mais tráfego para sua loja virtual.

Envie de forma apurada e generosa conteúdos via email marketing e impulsione os posts das redes sociais de seu e-commerce.

Aprenda com a concorrência

Buscar fornecedores de alta qualidade na prática do dropshipping para seu e-commerce. Esse é um processo que pode levar bastante tempo.

Sobre isso, uma palavra de cautela: quando começar a pesquisa sobre seu nicho de mercado, busque aprender em lojas virtuais dos seus concorrentes.

Os maiores cases de sucesso brotam de parcerias, não da rivalidade fria, típica no mundo virtual. Em outras palavras, quem busca ajuda, um dia dará essa ajuda.

Os grandes nomes do mercado virtual ajudaram e foram ajudados.

Entre nesse ciclo de ajuda, e aprenda com quem sofreu. Assim, as lições deles podem ser contornadas e você vai converter mais clientes do que se precisasse aprender por erro e acerto!

Revender produtos é mais barato que produzir

Como você pode ver, o dropshipping é um modelo de negócio muito atraente para aqueles que querem criar uma loja virtual.

Então, você não precisa de um grande investimento inicial. Mas, assim como em qualquer outro modelo de negócio, invista seu tempo sem medo de ser feliz.

Isso irá impulsionar seu negócio a patamares de altíssima qualidade. Essa concepção de ideias vai gerar ações de marketing diferentes e memoráveis. Agora é a sua vez!

Artigo produzido por Marcio Eugênio do blog D Loja Virtual.

ideias inovadoras

Ideias inovadoras e o impacto que elas causam no seu negócio

Você se considera uma pessoa criativa? Enquanto as respostas a essa pergunta, com certeza, variam bastante, é importante saber que é possível sim aprender a pensar de forma mais inovadora.

Você se considera uma pessoa criativa? Enquanto as respostas a essa pergunta, com certeza, variam bastante, é importante saber que é possível sim aprender a pensar de forma mais inovadora.

Isso derruba por terra alguns conceitos errados, como o de que ser criativo é um dom que não se aprende nem aperfeiçoa.

Por outro lado, há quem ache que a inovação é superestimada, e não há nada de errado em seguir apenas o que já está bem estabelecido no mercado.

O que você acha disso? Caso também pense assim, não vá embora ainda!

Vamos te mostrar como ideias inovadoras podem impactar o seu negócio e o que você pode fazer para tirar proveito disso. Vamos lá!

Por que ideias inovadoras transformam o seu negócio

Antes de mais nada, é preciso entender exatamente o que significa ter ideias inovadoras de negócio, pois ainda há muitas pessoas que têm um conceito errado sobre o assunto.

O que se passa na mente de alguns ao falar em inovação é que isso envolve depender exclusivamente da criatividade e desenvolver ideias geniais o tempo todo.

Mas pensar assim cria pelo menos dois problemas. De um lado, há quem passe a achar que inovar é algo praticamente impossível.

De outro, existe aquele empreendedor que busca um milagre para salvar seu negócio mal administrado, e pensa que a resposta está nesse conceito distorcido.

Longe disso, inovar é simplesmente encontrar uma forma diferente  —  e normalmente mais eficaz  —  de resolver problemas ou gerar valor para alguém.

E como isso pode transformar seu negócio? De muitas formas! Por exemplo, é possível aplicar esse pensamento na melhoria de processos internos, salvando tempo e recursos da empresa.

Além disso, você também pode encontrar novas formas de atrair e fidelizar clientes, aumentar as margens de lucro, transportar seus produtos com maior agilidade e assim por diante.

Sempre há algo a ser melhorado, e ter ideias inovadoras está entre as melhores formas de fazer isso.

9 dicas para te ajudar a ter mais ideias inovadoras

Está convencido de que ter ideias inovadoras é realmente um caminho interessante a seguir para ter mais sucesso com o seu empreendimento?

Agora chegou o momento de aprender algumas técnicas que te ajudarão a pensar de forma criativa com mais frequência e formar uma verdadeira cultura inovadora na empresa.

Veja 9 maneiras práticas de estimular o fluxo de ideias e fomentar a transformação no cotidiano da empresa:

Busque soluções em lugares diferentes

Fuja da ideia de que basta olhar para o mundo dos negócios ou para o seu próprio nicho de mercado a fim de encontrar as melhores soluções.

Esse pode ser um fator limitador na sua criatividade e poder de inovação. Antes, busque lugares bem diferentes do que está acostumado.

Pode ser desde um nicho totalmente diferente de mercado, a natureza, o mundo dos esportes, a cultura de outro país ou continente, qualquer coisa que te ajude a “sair para bem longe da caixa”.

Quer um exemplo de como isso funciona tão bem? Alguns dos produtos mais incríveis que existem hoje foram criados com base em criações e obras da natureza.

Esse é o caso do helicóptero, que imita as características de um Beija-flor.

O fato é que observar diferentes áreas de interesse expande os horizontes e é um dos melhores estimulantes para a criatividade.

Pratique o brainstorming

O brainstorming é uma das práticas mais conhecidas e utilizadas por quem deseja usar o pensamento criativo nas decisões de negócios.

Sua popularidade é tão grande também por se tratar de uma prática já antiga, e que tem se mostrado muito eficiente em empresas de todos os portes e segmentos ao longo do tempo.

Nós até recomendamos que você se aprofunde melhor nas técnicas mais indicadas de brainstorming, a fim de tirar o máximo possível dessa estratégia.

Há diversas técnicas diferentes de brainstorming, assim como alguns hábitos que devem ser evitados, mas o principal é entender o problema em questão e discutir soluções possíveis.

Mesmo sugestões que parecem completamente descartáveis podem servir como ponto de partida para a solução ideal e definitiva.

Abra sua mente para novas experiências

Além de realizar atividades profissionais que te permitam desenvolver um fluxo criativo maior, é importante também investir em experiências pessoais que contribuam para isso.

Como isso é possível? Por exemplo, ao sair para se divertir, por que não deixar os programas de sempre e buscar algo novo, diferente?

Que tal trocar de restaurante para variar? Tentar aquele hobby que você sempre teve curiosidade, mas nunca tinha tempo?

Tudo isso faz contribui para o processo de criação e servirá de base para que novas ideias lhe venham à mente quando menos estiver esperando.

Saiba até onde é possível arriscar

Ser arrojado também significa correr riscos de vez em quando, isso é inevitável.

Afinal de contas, inovar envolve percorrer territórios inexplorados ou escolher caminhos inusitados para sair na frente da concorrência.

Porém, causar impacto está longe de ser aventureiro e colocar tudo em risco só em nome da intuição. É preciso aliar a experiência e o conhecimento que você já tem com dados e análises precisas.

À partir daí será possível tomar boas decisões e saber até onde vale a pena arriscar em nome de uma ideia diferente.

Por outro lado, é preciso ter paciência até que as ações realizadas deem resultado, o que torna essencial ter um pensamento coerente e equilibrado, a fim de estabelecer esse limite.

Como resultado disso, você conseguirá criar como que um filtro ao longo do tempo, identificando com mais facilidade o que tem mais ou menos chances de dar certo.

Se cerque de pessoas inovadoras

Já falamos aqui sobre como é importante cultivar uma cultura inovadora no dia a dia do negócio, e isso passa diretamente pelas pessoas que você terá a sua volta.

Afinal, são as pessoas que fazem a empresa, certo? São elas que definem como atacar os problemas e gerar valor para os clientes todos os dias.

Logo, é impossível ter uma cultura de inovação sem pessoas que tenham essa mentalidade e estejam preocupadas em criar algo diferente, que possa mudar as regras do jogo.

Só assim é possível realmente explorar as possibilidades do pensamento inovador, quando ele está integrado em cada processo e há espaço para que as ideias provem seu valor por meio de resultados.

Mas e se o seu time já está formado, e não tem por hábito ser inovador?

Busque outras fontes de inspiração e aprendizado, consumindo conteúdo que estimule a criatividade e sirva de inspiração para que você continue.

E, por fim, coloque em prática o que está aprendendo, por fazer de si mesmo a figura que vai contagiar a todos na equipe a pensar diferente.

Simplifique o seu trabalho diário

Pode não parecer, mas complicação gera complicação, e essa é a última coisa que você precisa para ser inovador. Como assim?

Quanto mais complexa e bagunçada for a sua rotina, mais difícil será ter ideias que simplifiquem e facilitem a vida e o trabalho de outros.

Por isso, comece eliminando algumas das complicações diárias mais comuns: organize melhor sua agenda, deixe seu ambiente de trabalho em ordem, etc.

Você vai notar como será mais fácil pensar em soluções práticas e interessantes quando o ambiente em volta estiver melhor arrumado.

Se aprofunde nos problemas que pretende resolver

Podemos dizer que é impossível ter ideias inovadoras e que realmente funcionem sem conhecer a fundo os problemas que elas devem solucionar.

Não basta entender a situação de modo superficial, é necessário se aprofundar bastante e coletar o máximo de informações possíveis. Por quê?

Em certos momentos, os detalhes que parecem mais irrelevantes são os que carregam a chave para o problema.

Dessa forma, não deixe de procurar informações e entender bem o problema antes de tentar encontrar uma saída para ele.

Aprenda com a história

A história tem muito a nos ensinar a respeito de como um pensamento inovador pode resultar em grandes benefícios para a humanidade.

Isso pode ser usado nos negócios, desde que você encontre alguns exemplos disso e aprenda com eles. Novamente, não se prenda só a histórias de negócios.

Nem é preciso buscar apenas histórias que mudaram a história da humanidade.

Se você buscar saber mais sobre as experiências passadas de outros empreendedores que conhece, já estará aprendendo com a história deles.

Enxergue além do óbvio

Por último, um empreendedor inovador e criativo age como um jogador de xadrez. Como assim?

Um xadrezista tenta sempre prever as jogadas de seu adversário e planejar suas jogadas com algumas rodadas de antecedência.

Da mesma forma, busque prever como o mercado em que você está vai se comportar nos próximos meses e anos.

Quais problemas vão surgir? O que os concorrentes podem tentar para resolvê-los?

Esse pequeno exercício vai te ajudar a desenvolver uma visão mais completa e pensar em soluções mais inteligentes.

Sem dúvida, ter ideias inovadoras pode fazer toda a diferença no desempenho de um negócio. E cada uma dessas dicas vai ajudar você a se sair bem nesse respeito, traçando estratégias certeiras, encontrando soluções e respostas onde outros só veem problemas e dúvidas.

Agora que já sabe o poder da inovação, que tal começar a ver alguns exemplos práticos disso? Veja 5 ideias originais de negócio que deram muito certo!

tomar decisões assertivas

Tomar decisões assertivas: Suas decisões precisam ser pensadas!

Um fato é que as decisões precisam ser tomadas e nem sempre é fácil chegar a uma conclusão.

Um fato é que as decisões precisam ser tomadas e nem sempre é fácil chegar a uma conclusão.

Uma jornada empreendedora envolve uma série de tomadas de decisão. Por isso, ter consciência do impacto que elas podem gerar no seu negócio é muito importante.

Com este artigo, nós queremos ajudar você a desenvolver atitudes que podem garantir decisões mais coerentes para cada situação.

8 coisas que podem te ajudar a tomar decisões assertivas

Continue acompanhando o nosso conteúdo e veja dicas que vão tornar a ação de tomar decisões assertivas mais simples.

Identifique o problema

Geralmente vão existir problemas antecedendo uma decisão que você tenha que tomar. Esses problemas podem ser de pequena e até de escalas maiores.

Por isso, identificar a razão pela qual você precisa tomar uma atitude, é fundamental para encontrar uma solução.

Compreenda qual é o problema que você está enfrentando, de maneira que o seu emocional não afete diretamente nas suas escolhas.

Por mais que às vezes pareça que vários motivos levam a algum problema, na verdade sempre haverá o ponto de partida de isso tudo. Saiba identificá-lo para propor uma solução mais adequada.

Analise os últimos acontecimentos

Agora você já sabe que vários fatores podem levar a um único problema.

Para identificar o princípio disso tudo, fazer uma retrospectiva e analisar os últimos acontecimentos podem te ajudar a não agir de maneira precipitada.

A precipitação é o sua maior inimiga. Quando se trata de grandes passos na sua vida profissional, por maior que seja a pressão que o tempo exerça, ele não precisa te levar para o caminho errado.

Mais uma vez, afaste o seu lado emocional e tente enxergar não só o seu ponto de vista mediante às circunstâncias.

Decisões precisam ser tomadas e você, como empreendedor, precisa analisar os fatos já que as suas escolhas tem um peso importante no futuro do seu negócio.

Crie diversas possibilidades

Ser criativo também é uma qualidade de um bom empreendedor.

Na hora de tomar as suas decisões, use todo esse seu potencial em criatividade para propor diversas possibilidades e caminhos.

Anote todos perspectivas e todas as consequências das mesmas. Isso vai te ajudar a mentalizar mais facilmente as opções que você tem antes de optar por um caminho — principalmente se essa decisão for importante.

É nesse momento que você deve perceber os obstáculos a serem enfrentados futuramente e propor soluções que sejam saudáveis a curto, médio e longo prazo.

Saiba das suas capacidades

Antes de tomar qualquer decisão, saiba do que você é capaz. Mas nem por isso você deve tentar carregar o mundo sozinho.

Aproveite todo o seu potencial, conhecimento prévio e experiências para futuras decisões que você tomará pela sua empresa, mas nunca dê um passo maior do que as suas pernas.

Por mais que um empreendedor tenha a necessidade de avançar rápido, escalar o seu negócio e ver os resultados, é importante saber da sua capacidade antes de tomar qualquer decisão, principalmente se ela afetar diretamente o seu negócio e todas as pessoas que estão envolvidas nele.

Lembre-se que as suas habilidades podem ser treinadas e com isso você se tornará ainda mais apto para gerir o negócio. Sendo assim, prefira pequenas conquistas do que a probabilidade de uma queda brusca.

Se planeje antes de tomar decisões

Na altura do campeonato, você já percebeu que suas ações podem tomar escalas muito maiores do que elas parecem ter.

Por isso é importante se planejar para as consequências que surgirão após a sua tomada de decisão.

Esteja preparado para o que as pessoas podem pensar ou falar a respeito das suas escolhas para o negócio ou até mesmo as eventualidades que podem acontecer a partir disso.

Se planejar vai muito além de se preparar para o que as pessoas têm a dizer. É se preparar para as mudanças e o trabalho que algumas situações podem gerar.

Se a sua decisão for expandir o seu negócio, por exemplo, você precisa ter saber exatamente o que essa ação irá gerar como consequência.

Sendo assim, o fato de planejar as suas tomadas de decisões nos leva ao próximo tópico!

Saiba que nem tudo pode sair como o planejado

O ato de planejar não significa que tudo vá acontecer exatamente como você previa, não é mesmo?

Da mesma forma que é importante fazer o seu planejamento, é importante manter a calma caso as coisas não saiam como planejado.

Muitas coisas não estão no seu controle. Por mais poder de decisão que você tenha como empreendedor, não significa que você consiga fazer tudo sozinho.

É nesse momento em que podem ocorrer frustrações ou quebra de expectativas, já que nem todas as pessoas podem trabalhar da forma como você deseja.

Sendo assim, nada de desistir caso algo saia um pouco “fora da curva”, combinado?

Ignore os seus medos

Você sabia que não seria fácil, mesmo que ninguém tenha te contado. No fundo todos entendem que existem diversas responsabilidades em empreender.

Fato é que temer o fracasso deve ser carta fora do baralho! Por isso, ignore todo o seu medo das consequências.

Se antes de chegar a uma decisão, você analisou, estudou as possibilidades e se preparou para as consequências, não há do que ter medo.

Você sabe das suas capacidades, os riscos e está ciente de que um passo de cada vez é a melhor solução para continuar sempre escalonando o seu negócio, não é mesmo?

Seja firme em suas decisões

Não poderíamos terminar esse post sem falar sobre a importância de se manter firme diante das decisões que foram tomadas!

Nunca volte atrás porque alguém não acredita na sua capacidade ou acha que não é uma boa ideia. Você está preparado para esse cenário, se lembra?

O empreendedor é o principal interessado em fazer boas escolhas, em saber o que é o melhor para o seu negócio. Não deixe que as pessoas tirem de você essa autonomia.

Isso não significa que opiniões não são bem-vindas, ou que você não deva voltar atrás caso faça uma escolha errada. Isso também podem acontecer!

O ponto principal aqui é ajudar você a entender que você precisa de posicionamento e as pessoas esperam isso de você. Por isso, acredite em sua capacidade e nas suas ideias!

O Saia do Lugar quer ajudar você a ser, cada vez mais, um empreendedor que colha bons frutos do seu negócio! A partir dessa leitura esperamos você sinta menos o peso de tomar decisões assertivas e que esse processo facilite suas ações.

Que tal aprender a se livrar do stress corporativo? Clique aqui e evite que todos os desafios de um negócio tirem o seu sono!

 

reuniões de time

Reuniões de time: Os benefícios de manter essa cultura na sua empresa

Liderar uma equipe não é tarefa fácil. Exige comprometimento do gestor e agilidade para tomar decisões. Uma das maneiras de se conseguir sucesso na liderança é realizar reuniões de time.

Liderar uma equipe não é tarefa fácil. Exige comprometimento do gestor e agilidade para tomar decisões. Uma das maneiras de se conseguir sucesso na liderança é realizar reuniões de time.

Ainda que sejam comuns no ambiente corporativo, as reuniões devem ser pensadas de forma estratégica para que apresentem bons resultados à empresa.

Neste artigo vamos listar algumas vantagens que as reuniões de time trazem à equipe – desde que feitas de forma adequada, é claro.

1 – Controla boatos

Boatos podem ser um grande problema no ambiente profissional. Em alguns casos eles não possuem nenhum fundamento. Por isso, as reuniões de time podem ser utilizadas para identificar informações falsas e desmenti-las.

Para que essa estratégia funcione, é importante que o gestor esclareça os fatos, dando aos colaboradores um panorama real da situação.

Tentar identificar pessoas envolvidas na disseminação dessas informações não é recomendável, pois passa uma ideia de autoritarismo.

O líder também não deve usar a reunião para convencer a equipe de que o boato é mentira, afinal, com o tempo sua falsidade se comprovará sozinha.

2 – Esclarece metas

Reuniões de time também podem ser fundamentais para tornar as metas da equipe mais claras.

Um grupo é formado por pessoas de temperamentos diferentes, por isso, nem todos do time podem se sentir a vontade para perguntar algo sobre a tarefa – isso ocorre, com frequência, com profissionais recém-contratados – a falta desse direcionado pode acarretar na qualidade do trabalho realizado.

O gestor deve ser didático em alguns momentos, mesmo que isso possa parecer desnecessário. Tenha certeza que nenhuma dúvida sobreviveu à reunião.

3 – Motiva a equipe

Existem momentos de desânimo em um time, e isso prejudica a qualidade do trabalho e a produtividade da empresa. Em alguns casos, não basta cobrar o colaborador. É necessário motivá-lo.

As reuniões de time são uma excelente oportunidade de reverter essa situação. Mostre à equipe como eles são especiais, e como o trabalho que desenvolvem é importante. Valorize-os.

O gestor deve se portar como um capitão do time, alguém que está lá para orientá-los, mas que joga ao lado deles.

Identifique às causas do abatimento emocional e, se for possível à companhia, ofereça ajuda.

Um líder não precisa ser necessariamente um coach, no entanto, se for do interesse, aconselhe os membros mais inexperientes da equipe.

Eles podem estar desanimados por falta de perspectiva profissional. A opinião de alguém mais experiente pode ajudar.

4 – Torna o ambiente mais agradável

A vida profissional exige muito da equipe. É possível que seus colaboradores – e você também – passem mais tempo com os colegas de trabalho do que com as pessoas de sua família.

Fazer reuniões de time pode contribuir para que o ambiente de trabalho se torne mais agradável, e que os membros da equipe possam se ver de maneira mais respeitosa e amistosa – como parte de um grupo talentoso que tem um objetivo em comum.

5 – Cria um networking

Alguns trabalhadores mudam sua trajetória profissional, por isso deixam a equipe em que atuam para se dedicar a novos desafios.

No entanto, sua empresa pode precisar de alguém para desempenhar uma nova tarefa, ou um trabalho esporádico, e contar com uma pessoa que já é conhecido – e que entende os valores da empresa – pode ajudar muito.

As reuniões de time – assim como os encontros individuais – podem fortalecer a relação entre os profissionais.

Se um membro da equipe está estudando algo que não tem nenhuma relação à atividade da empresa é provável que existe a chance de ele deixar a equipe um dia, mas isso não significa que o contato profissional precisa acabar.

6 – Fortalece a liderança

Reuniões de time são ideais para que o líder tenha uma noção de como é percebido pela equipe e, se necessário, faça mudanças em seu jeito de interagir com os demais profissionais.

O líder deve aproveitar esses encontros para poder reforçar seu papel de membro da equipe, tirar dúvidas dos profissionais e delegar as funções.

Se a comunicação ocorrer de forma direta, sem ruídos, as reuniões de time ajudam a equipe a confiar no líder, melhorando seu desempenho.

7 – Oxigena a empresa

Boas ideias podem surgir de reuniões de time.

É claro que, nem sempre, é possível alterar o rumo de uma tarefa porque a equipe discorda do modo com que ela será feita, no entanto as próximas metas da empresa podem ser modificadas para testar as sugestões dos profissionais.

Muitas companhias já tiveram sucesso ouvindo seus talentos internos.

Reuniões de time: o que não fazer

Para poder tornar essa estratégia produtiva alguns cuidados devem ser tomados:

  • Evite o excesso de reuniões: muitas reuniões são cansativas, quebram o ritmo de trabalho e chateiam os colaboradores.
  • Tenha certeza que existe algo a ser dito: ter uma reunião de time em que todos os profissionais ficam se olhando porque nada de relevante é contado pode prejudicar a imagem da liderança.
  • Estude o que vai falar: saiba quais são os pontos que deve mencionar na reunião. Utilize frases curtas e diretas. Se possível ensaie, para poder ter uma noção de tempo.
  • Evite reuniões depois do expediente: ficar na empresa por mais tempo que o esperado modifica a rotina do colaborador, que pode ficar profundamente irritado, ignorando completamente o conteúdo do encontro.
  • Utilize material de apoio: isso ajuda a reunião de time a ficar mais dinâmica a atraente. Mas verifique sua necessidade e não esqueça de testar os equipamentos (projetores monitores) para garantir o sucesso da exibição.

Reuniões de time ajudam a empresa a superar desafios e traçar um horizonte de colaboração mútua. A liderança sai fortalecida e os profissionais sentem-se valorizados.

Essa estratégia deve ser estudada para que funcione. Cada empresa terá suas particularidades e cada equipe é única.

Lembrando-se disso as reuniões de time de sua empresa têm tudo para contribuírem para o alcance de metas da companhia, gerando valor para todos os envolvidos.

Agora que tal continuar estudando para se tornar um líder cada vez melhor? Um bom líder pode se estressar em alguns momentos, por isso aprenda a lidar com o estresse empresarial.

eventos de negócio

7 motivos para você comparecer aos eventos de negócio

Você sabia que muitos dos desafios do empreendedorismo podem ser superados através do conhecimento e absorção do relato da experiência de outros empreendedores?

Você sabia que muitos dos desafios do empreendedorismo podem ser superados através do conhecimento e absorção do relato da experiência de outros empreendedores?

Pois bem, é sim! E uma das maneiras de poder ter acesso a informações e vivências como essa é participando de eventos de negócio.

Seja através de palestras, da feiras de negócio e até mesmo fortalecendo a rede de contatos, através da interação com outros participantes, tornando possível fomentar um relacionamento de trocas de experiência no futuro.

Além disso, estar em um evento é uma ótima maneira de mostrar para o mercado que sua empresa existe, ou seja, ela se tornará cada vez mais conhecida!

Por isso, vamos destacar 7 motivos que mostram que você não pode perder por nada eventos de negócio. Acompanhe!

1 – Fazer networking e ampliar a rede de contatos

Naturalmente, participar de eventos de negócio, faz com que você esteja em contato com outros participantes, seja durante as palestras, após elas ou então nos momentos de pausa para um café.

São nesses momentos que há a real possibilidade de conhecer gente nova, trocar informações com os demais participantes e também ter a chance de conhecer e absorver um pouco da experiência com os principais nomes do mercado.

Saiba que estar em um ambiente como esse é muito rico no sentido das oportunidades que podem aparecer, de repente uma troca de cartão pode virar uma parceria no futuro ou então na aquisição de um novo cliente!

2 – Atualizar-se perante as tendências de mercado

Independente do setor, estar atualizado em relação à suas tendências é um dos caminhos para o sucesso. Até porque, todos os mercados encontram-se cada vez mais competitivos, e estar preparado tecnicamente é um diferencial para fazer o seu negócio se destacar perante os demais.

Por isso, preze por fazer boas escolhas de eventos, de preferência os que contam com nomes que são referências na área. Afinal, ouvir o que eles têm a dizer é a melhor forma de garantir que você esteja aprendendo com os melhores.

Dessa forma, será possível para captar suas ideias e ensinamentos para aplicar no dia a dia da sua empresa.

3 – Ter um aprendizado rápido

É muito mais eficiente assistir palestras e aprender de forma prática com quem já vivenciou situações reais na sua área de conhecimento do que ficar pesquisando e estudando de forma fragmentada através de blogs, sites e outras fontes de pesquisa.

É claro que essas fontes não podem ser ignoradas, mas elas são mais úteis para ocasiões de consulta e a necessidade de sanar dúvidas do dia a dia.

Agora, para aprender de forma rápida, ambientes de troca de conhecimento como os eventos de negócios são muito mais assertivos!

Se o evento oferecer palestras de diferentes temas, melhor ainda! Pois assim será possível adquirir conhecimento de diversas especialidades e também ter a chance de compartilhar a sua própria experiência com outros participantes.

Saiba que na maioria dos casos o investimento em um evento pode ser mais efetivo se comparado a fazer vários cursos de áreas específicas, tanto em questão de tempo quanto para o lado financeiro.

4 – Possibilidade de fechar novas parcerias e realizar vendas

Geralmente, eventos de negócios atraem muitos empreendedores do mercado, além de outros colaboradores que são potenciais influenciadores nas empresas que trabalham. Por isso, muitos deles estão buscando coisas novas para trazer para o seu ambiente de trabalho.

Ou seja, é o lugar ideal para encontrar os mais variados tipos de negócios, de diferentes tamanhos e até segmentos. Sendo assim, essa é uma excelente chance para que novas parcerias sejam iniciadas e até realizar novas vendas!

Afinal, através de uma boa interação será possível apresentar o seu negócio para diversas pessoas que não o conhecem e isso gerar frutos maiores no futuro ou quem sabe no próprio presente!

5 – Encontrar soluções para a sua empresa

É muito comum encontrar em eventos, profissionais que possuem o mesmo desafio que o seu negócio enfrenta todos os dias. Isso faz com que a troca de experiência seja mais genuína e também seja mais propícia a encontrar boas soluções de forma rápida e inovadora para ambas as partes.

Além de trocar aprendizados com os participantes do evento, é muito provável que soluções que possam ser parceiras também sejam descobertas no próprio evento.

Ou seja, muitas empresas estão oferecendo serviços ou produtos com um bom custo-benefício, e que pode ser aquilo que você estava procurando.

Portanto, se você não tivesse comparecido ao evento, provavelmente não iria conhecer essas soluções e nem aproveitar qualquer condição especial para adquirir naquele momento.

6 – Conhecer o setor

Independente da área de atuação do negócio, é de extrema importância conhecer o máximo possível do seu setor. Para isso, as feiras e os eventos de negócios são uma excelente opção.

Através deles será possível conhecer várias empresas e profissionais do mercado, independente se estão há mais tempo trabalhando no segmento ou se estão começando agora.

Ou seja, é um ambiente bem diversificado e propício a trocas infinitas de conhecimento.

Então, se você sente que está um pouco desatualizado em relação ao seu mercado de atuação, basta começar a frequentar esses eventos que esse problema será resolvido.

7 – Conhecer a concorrência

Por fim, frequentar eventos de negócios, além de ser uma oportunidade de conhecer o setor é também uma das maneiras mais fáceis de tomar conhecimento de quem são os seus concorrentes.

Especificamente em feiras de negócios, é possível utilizar o ambiente como um laboratório de estudo e pesquisa. Afinal, será possível acessar informações sobre os concorrentes diretos e também os que são indiretos.

Isso pode ser um processo enriquecedor para o empreendedor, pois ele poderá avaliar o seu nicho de mercado e refletir se o seu produto é competitivo ou não.

Além disso, é uma ótima oportunidade para entender como esses concorrentes se comportam durante a feira, sendo possível avaliar se faz sentido ou não levar a sua empresa para ser expositora nas próximas edições.

Entendeu a importância de comparecer em eventos de negócio? Então leia sobre nosso post que vai te ensinar tudo que você precisa sobre Direito empresarial para evitar problemas futuros

stress empresarial

8 maneiras de evitar o stress empresarial do dia-a-dia

Não há desafio melhor do que empreender! Afinal, o empreendedor deverá lidar com muitos obstáculos em sua jornada que nada mais é do que uma ótima oportunidade de crescer e se desenvolver profissionalmente.

Não há desafio melhor do que empreender! Afinal, o empreendedor deverá lidar com muitos obstáculos em sua jornada que nada mais é do que uma ótima oportunidade de crescer e se desenvolver profissionalmente.

Através desse caminho será possível adquirir novos conhecimentos, aprender a ser resiliente, desenvolver habilidades e competências que o ajudarão a formar seu estilo de gerir uma empresa e se tudo der certo a recompensa será o sucesso!

Porém, nem tudo são flores. Por trás dessa rotina há muito trabalho pesado que precisa ser feito e que muitas vezes nem sempre é o mais agradável, principalmente no Brasil, em que será preciso enfrentar algumas burocracias e exigências para o negócio poder funcionar!

Obviamente que essa realidade é totalmente favorável a gerar muito stress para o empreendedor. Apesar de ser algo normal, é preciso que ele se atente a gravidade da situação e busque maneiras de preveni-las e neutralizá-las. Até porque, tanto ele quanto o negócio podem ser muito prejudicados com isso.

Tendo em vista esse cenário, preparamos aqui 8 dicas para qualquer empreendedor evitar o stress empresarial. Confira:

1 – Tenha um bom planejamento

O primeiro passo para evitar o stress empresarial é elaborar um planejamento que seja abrangente, passando por todos os detalhes da empresa.

Aliás, ter um plano que esteja adequado a realidade do negócio e sua gestão, poderá evitar surpresas ou reduzir o impacto delas. Dessa maneira, será possível resolver qualquer situação com mais eficiência e menos desgaste emocional.

Um fato curioso é que muitas empresas acabam fechando suas portas prematuramente justamente pelo motivo da falta de planejamento. Você não vai querer passar por esse tipo de stress não é mesmo?

Não sabe por onde começar? Elaborar um plano de negócios é um ótimo início para qualquer trajetória empreendedora em busca do sucesso.

2 – Cerque-se de gente boa

Cercar-se de gente boa é algo que pode ajudar a prevenir os momentos de stress. Nesse sentido, tente formar uma equipe que tenha diversas competências e com pessoas de perfis diferentes, de modo que possam se complementar positivamente.

Além disso, preze por buscar colaboradores que, acima de tudo, tenham uma excelente capacidade de trabalho e o bom senso como forma de agir. Até porque, poder dividir as tarefas com quem você pode confiar será um alívio e ajudará a ter noites de sono mais tranquilas.

Saiba que contar com um time competente aliviará os momentos de tensão e stress, pois o empreendedor se sentirá mais seguro, até porque ele poderá contar com a ajuda de todos quando os problemas aparecerem.

3 – Preze por uma boa gestão

Prezar por uma boa gestão é essencial para que a saúde da empresa não seja um problema que poderá culminar em situações de stress para o empreendedor. Por isso, é importante ter total controle dos objetivos, metas e planos de ação.

No lado mais burocrático, é primordial manter toda a documentação em ordem e cumprir todas as exigências e obrigações com antecedência. Isso evitará dores de cabeça futuras.

Já no que diz respeito aos cuidados financeiros, é recomendável ter um controle do fluxo de caixa rigoroso com informações realistas, além de que um certo conservadorismo não irá fazer mal a ninguém no momento de controlar as finanças.

4 – Seja crítico em suas projeções

Um dos motivos que pode causar stress para qualquer pessoa é se preocupar com coisas que podem não dar certo. Isso é algo que pode ser aplicado facilmente à realidade do empreendedor, visto que ele está em uma situação de muita incerteza.

Por isso, é preciso ser crítico ao analisar as projeções e previsões, tentando trazer um cenário que seja o mais realista possível e minimizar os êxitos que são esperados. Dessa maneira, as expectativas abaixam e isso também elimina a pressão de que será preciso ter a obrigação de fazer algo grandioso.

Assim, quando o resultado das ações a médio e longo prazo chegar, há altas chances de se surpreender positivamente, evitando um stress desnecessário.

5 – Aprenda a delegar

Um dos principais motivos para gerar stress no empreendedor é o excesso e sobrecarga de trabalho. Isso geralmente acontece pois ele tem o perfil centralizador e não sabe e nem quer delegar as tarefas para seus colaboradores.

Pois bem, o resultado disso nós já sabemos, não é mesmo? É muito comum nos depararmos com empreendedores cheio de coisas para fazer, sendo que não conseguem entregar uma atividade no prazo, além de atrasar entregas de projetos, prejudicando atividades e gerando um stress desnecessário para sua vida.

Portanto, é preciso desapegar de grande parte das tarefas que consomem seu tempo e delegá-las para a sua equipe!

6 – Saiba priorizar as atividades

Ser organizado é um desafio para muita gente! Além de que pode ser um dos motivos que causam stress empresarial para o empreendedor.

Muitos consideram esse ponto como algo irrelevante, mas não é! Afinal, muitas pessoas não sabem por onde começar seu dia devido a falta de organização e priorização de suas obrigações.

Isso gera um sentimento de que as coisas não estão andando como deveriam e a sensação de que há sempre muitas tarefas a serem feitas, tornando a lista de atividades algo interminável. Obviamente que isso gerará uma preocupação e um stress totalmente desnecessário.

Portanto, recomendamos tirar um tempo no início dos dias e das semanas para se organizar e priorizar as atividades e obrigações que deverão ser entregues.

7 – Tenha um hobbie

A vida do empreendedor é intensa, basicamente toda a sua energia e seus esforços estão canalizados no negócio. Então, é muito comum que ele pense nisso 24 horas por dia!

Porém, é preciso separar alguns momentos da semana para poder desligar um pouco dessa rotina insana e arranjar uma válvula de escape para recarregar sua energia.

Então, recomenda-se encontrar e investir em alguma atividade que consiga cumprir esse objetivo de tirar a sua cabeça do negócio por alguns momentos.

A dica é encontrar um hobbie e dedicar-se a ele com uma certa frequência para que possa ajudar a minimizar os momentos de stress da rotina empreendedora.

8 – Cuide de sua saúde

Por fim e não menos importante: Cuide de sua saúde!

Essa dica já se tornou até um pouco clichê mas sempre merece ser reforçada! Para que o empreendedor possa dar conta de um dia cheio de coisas a fazer e lidar com as decisões a serem tomadas, é preciso que seu corpo e sua mente estejam bem.

Por isso, não deixe de praticar exercícios físicos regularmente, comer bem e buscar práticas para relaxar a mente, tal como a yoga e a meditação! Não se esqueça também de fazer exames periódicos para saber se está tudo ok!

Agora que você já sabe como lidar com o stress empresarial, saiba como inovações no mercado financeiro podem impulsionar seu negócio.