empresário analisando ecossistema do empreendedorismo

Ecossistema do empreendedorismo social e motivos para adota-lo em seu negócio

O ecossistema do empreendedorismo social é considerado uma das principais tendências de negócio da atualidade. Ficou interessado? Leia e confira!

O empreendedorismo social é considerado uma das principais tendências de negócio da atualidade. Ele surgiu devido a necessidade de encontrar alternativas para os problemas do mundo!

Até então só conhecíamos dois tipos de organizações: As focadas em ganhar dinheiro a qualquer custo e as que combatem as necessidades e desigualdades sociais, sem pensar no lucro — ONG’s.

Algumas empresas até possuem uma área dedicada a Responsabilidade Social para colaborar com as ONG’s, mas a realidade é que essas ações não eram prioridades e nem disponibiliza investimento e a devida atenção.

Hoje essa realidade mudou com o surgimento do conceito de ecossistema de empreendedorismo social. Sendo que uma das suas principais bandeiras é que é possível solucionar os problemas do mundo e ganhar dinheiro ao mesmo tempo.

Ficou interessado em saber mais sobre ele? Então, vem com a gente!

O ecossistema de empreendedorismo social

Quando o ecossistema de empreendedorismo social surgiu, não contava com muitos atores e o seu conceito ainda gerava dúvidas. Hoje ele é composto por diversos players do mercado, que reconheceram a sua importância e decidiram se juntar a ele.

Players que oferecem capital

São responsáveis por ofertar capital para esse mercado e consequentemente auxiliam o seu fomento, seja na parte financeira ou fornecendo incentivos de outras formas. São eles:

  • Governo e outras iniciativas públicas;
  • Organizações criadas para fomentar o ecossistema;
  • Organizações facilitadoras de crédito;
  • Pessoas jurídicas;
  • Instituições comunitárias;
  • Outras fundações e associações;
  • Pessoas físicas;

Players que recebem capital

Outro grupo de atores do ecossistema são as organizações que propriamente oferecem seus serviços e produtos em prol do impacto social, ou seja, possuem o objetivo de impactar a sociedade como sua principal atividade.

Elas são as principais beneficiadas em relação a receber o capital que gira em torno desse ecossistema e atuam nos mais diversos setores: moradia, saúde, educação, emprego, desenvolvimento social, renda, energia, facilitação de crédito, dentre outros.

Seguem alguns exemplos dessas organizações:

  • Empresas que possuem como atividade central o impacto social;
  • Negócios sociais;
  • Negócios sociais que não distribuem lucros;
  • Cooperativas;
  • Negócios ambientais

Nesse sentido, existem algumas maneiras desses dois grupos de organizações conectarem entre si. Na prática, essa conexão existe, uma vez que os players que precisam de capital precisam acessá-lo de alguma maneira.

Por isso, possuem meios dos grupos se relacionarem com os players que oferecem e investem no setor. Isso pode acontecer da seguinte forma:

  • Empréstimo;
  • Microcrédito;
  • Investimento de impacto social;
  • Crowdfunding;
  • Investimentos patrimoniais;
  • Comercialização de bens e serviços;
  • Contratos comerciais;
  • Empréstimos de fundos sociais;
  • Filantropia.

Negócios de Impacto Social

Os Negócios de Impacto Social foram a grande inspiração para a formação do Ecossistema do empreendedorismo social. Mas saiba que, quando eles surgiram havia muitas controvérsias em seu conceito, pois não havia algo bem definido e muitos estudiosos tinham a sua maneira de defini-lo.

Depois de um bom tempo de discussões e amadurecimento das ideias do setor, hoje há uma definição bem mais clara, a qual referencia esse tipo de negócio como empreendimentos que possuem uma missão explícita de gerar impacto socioambiental ao mesmo tempo em que geram um resultado financeiro que seja positivo e de forma sustentável.

Ainda assim há uma certa confusão entre eles com ONGs ou até mesmo os negócios que são tradicionais. Por isso, para que uma organização seja considerada um Negócio de Impacto Social ou Negócio Social ela precisa seguir esses 4 princípios:

  1. Elas devem possuir um propósito de gerar impacto socioambiental positivo em sua missão;
  2. Possuem capacidade de entender, mensurar e avaliar o seu impacto periodicamente;
  3. Seu modelo econômico tem que possibilitar a geração de receita própria;
  4. Precisa levar em consideração os interesses dos clientes, a comunidade que está inserida e seus investidores.

Porém, isso não impede que eles tenham diferentes formatos legais, já que pode ser uma fundação, uma cooperativa, uma associação, empresas, dentre outras.

Como o ecossistema de empreendedorismo social está ligado aos ODS

Agora que você já conhece um pouco mais do ecossistema de empreendedorismo social, podemos aprofundar um pouco mais no assunto falando dos ODS, que é a sigla para Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Em 2015, a cúpula da ONU reuniu 150 países para definir os ODS, que no total são 17 objetivos que fazem parte do projeto Agenda 2030. A ideia é que haja um esforço a nível global com ampla participação da população para que esses objetivos sejam alcançados.

Esses objetivos estão ligados à erradicação da pobreza e a fome, promover a igualdade de gênero, combater as mudanças climáticas, reduzir a desigualdade, preservar o nosso ecossistema e seus biomas, promover justiça a todos, dentre outras causas. Caso queira conhecer os 17 objetivos de forma detalhada, basta consultar este link.

Deu para perceber que esse desafio é enorme, não é mesmo? Sendo assim, espera-se que o seu resultado atue principalmente a elevação do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e na própria transformação do mundo de forma a assegurar recursos para a geração futura.

Além disso, busca-se reverter todos os danos climáticos que foram causados, até hoje no nosso planeta, pela geração atual e as passadas.

Podemos afirmar que os negócios de impacto social são ótimas iniciativas para ajudar a cumprir esses objetivos.

Afinal, eles possuem o ideal de impactar a sociedade positivamente ajudando a resolver os seus desafios do dia a dia, no que diz respeito à parte econômica, social e ambiental. Ou seja, há uma sinergia forte nessa relação.

Atualmente há diversas iniciativas que estão auxiliando na construção desse mundo baseada nos princípios do ODS. Dentre elas, podemos citar o Bankoo Challenge que possui o objetivo de apoiar e incentivar os negócios sociais.

O grande diferencial desse programa é que ele utiliza o ODS para selecionar os projetos de impacto social, o que assegura o seu alinhamento com essa causa. Para saber mais sobre esse programa, assista esse vídeo.

Modelando um negócio de Impacto Social

A boa notícia é que nos tempos de hoje o conceito de colaboração vem crescendo no mundo e isso vem se refletindo no ecossistema de impacto social também, com a construção de metodologias abertas para a modelagem de negócio.

Hoje já existem muitas delas, tal como o Canvas que possui uma proposta inovadora, incentivando a busca pela renovação de modelos que já existem, tanto para a criação de novos negócios quanto para os que já existem olharem para si e renovarem o seu conceito, adequando-se à realidade e sair do mundo tradicional.

Sendo assim, há diversas propostas de juntar toda essa colaboração com essas metodologias a fim de buscar a validação antes mesmo de iniciar esforços maiores para avançar com o projeto. Essa proposta também preza por acelerar esse tipo de negócio, para que ele consiga ganhar a escala necessária para conquistar cada vez o seu mercado de atuação.

Você já deve imaginar que, para o ecossistema de empreendedorismo social isso não é diferente e essa e outras metodologias podem ser totalmente adaptadas para a sua realidade.

Sendo assim, podemos citar, como exemplo de metodologia de modelagem de negócios de impacto social, o Canvas Social, que utiliza princípios do Canvas para facilitar a formação e a concepção de modelos de negócios de Impacto Social.

Adotando o ecossistema do empreendedorismo no seu negócio

Já deu para perceber a importância desse ecossistema nos desafios e na própria realidade dos dias de hoje, não é mesmo?

Muito pelo fato de sua sinergia com os ODS da ONU e também pela questão de que a cada dia que passa cria-se uma conscientização maior do consumidor em relação às empresas que ele escolhe para fazer parte do seu cotidiano, seja consumindo seus produtos ou usufruindo dos seus serviços.

Afinal, ele está a cada dia mais exigente em relação ao retorno que elas oferecem para a sociedade, sendo que muitos deles fazem questão de investigar esse ponto a fundo.

Chegamos a conclusão então que para muitos negócios, começar a se inserir nesse mundo é questão de sobrevivência. Porém, fique tranquilo, pois é possível fazer parte disso de diversas maneiras.

A mais comum dos negócios — e a mais fácil, em questão de buocracia — é o grupo de organizações que disponibilizam capital para fomentar o crescimento ecossistema. Sendo assim, o negócio pode associar a sua imagem a essa causa e ser considerado como um de seus apoiadores.

Além disso, há maneiras mais ousadas, como por exemplo, desenvolver uma linha de serviço ou de um produto que atenda os requisitos para ser um negócio de impacto social ou simplesmente para ajudar a fomentar o setor também.

Uma dica importante para os negócios que estão começando, é implementar desde o início essa abordagem pode ser um grande diferencial para entrar no mercado que queira atuar, visto que dessa maneira a chance de adesão dos clientes pode ser muito maior.

O fato é que o ecossistema do empreendedorismo social, além de ajudar a melhorar o mundo, vem demonstrando ser um ótimo incentivo para as pessoas e empresas repensarem a maneira como fazem negócio.

Até porque é inegável que as empresas precisam deixar sua marca no mundo, mas que isso não seja feito a qualquer custo, mas sim com um propósito e contribuindo sempre para um bem maior!

Gostou de conhecer melhor o ecossistema de empreendedorismo social? O que acha então de entender por que é importante ter um mentor no meu negócio de impacto social?

Conteúdo produzido pela equipe da Bankoo