Sazonalizade no varejo

Dicas para o pequeno varejo ir bem no início do ano

Análises importantes para o pequeno varejo tanto que bomba com o verão quanto o que fica num período de vacas magras.

O início do ano é uma época de extremos para PMEs que atuam no pequeno varejo brasileiro: os que estão em regiões turísticas (principalmente no litoral) vivem sua altíssima temporada, enquanto os localizados em regiões metropolitanas precisam se virar para não ver a maior baixa do ano nas vendas.

Pelo lado dos consumidores, é uma época que sucede grandes compras (com os presentes de Natal, por exemplo) e ainda fica bem no centro de grandes despesas fixas com impostos, como IPTU e IPVA.

Já do lado dos varejistas, também significa um período após gastos consideráveis com os estoques de fim de ano, 13º dos funcionários, horas extras e toda a estrutura para atender a demanda do fim de ano (que custa!). Por isso, é importante entender não só como funciona sua sazonalidade, como também navegar no mar de impostos e desses gastos ocorridos no fim de ano.

Por isso, seguem as dicas para os dois perfis extremos:

Alta sazonalidade em regiões turísticas

Turistas tendem a ser um tipo ideal de cliente: estão mais relaxados, não costumam fazer comparações ferrenhas de preço e, por estarem de férias, se dão o direito de receber alguns mimos a mais.

Observando essa lógica, existem 3 aspectos essenciais:

1- Lute pela atenção do seu cliente: Onde existe demanda, existirá oferta e, assim, competição. Analise quais são os pontos que podem chamar a atenção dos clientes na região em que você está – seja localização, ar-condicionado ou até novidades na vitrine.

2- Esteja preparado para o alto volume: lembre-se que é uma época de alta, então tenha estoque suficiente e funcionários para atender essa demanda – isso requer um planejamento financeiro com antecedência. Sugiro o artigo Como aproveitar ao máximo a explosão de vendas do fim de ano.

3- Calcule bem a sua margem para esta época: dependendo da sua localização, você só verá um novo aumento no volume de vendas no carnaval ou em épocas com feriados muito curtos, por isso, o cálculo de margem aqui é essencial – apenas assim você garantirá a sobrevivência até a próxima alta sazonalidade. Para te ajudar nesse cálculo, sugiro o artigo Os 5 fatores que definem o seu lucro.

Baixa sazonalidade

Apesar do início do ano não ser aquele xuxuzinho para quem está fora das regiões turísticas, existe uma tríade de ações muito importantes que podem fazer toda a diferença:

1- Aproveitar a ideia de fazer economia com liquidações: as pessoas acabaram de gastar muito com o Natal e os impostos e, por isso, estão no espírito da economia; assim, fazer uma liquidação que entrega benefícios para o seu cliente e o traz para não só zerar seus produtos antigos como também conhecer “a nova coleção”, pode sempre ser muito benéfico, se bem planejado.

2- Retomada do estoque pós-Natal e novidades: se tudo deu certo no Natal, você conseguiu jogar o seu estoque para próximo de zero – por isso, agora é hora de sentar, planejar bastante e analisar novos produtos para trazer as novidades pedidas pelos clientes.

3- Planejamento e estabilização de funcionários: é uma época importantíssima para análise do que ocorreu no ano anterior e planejar como será o novo ano e estabelecer metas de crescimento e de diferenciação; por exemplo, caso você tenha contratado mão-de-obra extra para o Natal, agora é uma boa hora de ver quem vale a pena manter, já pensando nesse crescimento.

Abraços,
Luiz Piovesana (surfando as sazonalidades)

Obs.: Esse artigo foi patrocinado pela Cielo. Isso significa que os recomendamos como referência, mas não há influência em nossa linha editorial nem nossa opinião.

Confira como trabalhamos com artigos patrocinados no post Conteúdo útil para empreendedores em primeiro lugar.

Créidtos da imagem Shutterstock