Domine qualquer habilidade

Dicas para dominar qualquer habilidade: Parte 1

9 dicas e formas de pensar para aqueles que querem aprender a dominar uma habilidade de forma mais eficaz

Esse artigo é uma tradução do artigo “27 tips for mastering any skill” do portal Entrepreneur.com. Essa é a parte 1 de 3.

O que é necessário para dominar uma habilidade? O gênio nasce assim ou é algo que pode ser aprendido?

No livro “Mastery,” Robert Greene utiliza as pesquisas mais recentes, entrevista mestres modernos e examina a vida de grandes gênios como Einstein, Da Vinci e Mozard para descobrir o que é necessário para atingir a excelência.

Ele argumenta que o sucesso é possível para qualquer um que tenha disciplina, paciência e que siga alguns passos importantes.

Seguem algumas dicas do livro:

1. Encontre a sua vocação

Muitas pessoas têm um sentimento intenso sobre suas vocações. Porém, normalmente elas se afastam disso por pressão externa. O primeiro passo é confiar em si mesmo e mirar seu plano de carreira no que é único sobre você.

Leonardo da Vinci não se tornou apenas um artista, mas por seguir sua curiosidade de criança sobre tudo, ele se tornou um expert em áreas desde a arquitetura até a anatomia.

2. Ao invés de competir em um espaço lotado, encontre um nicho que você possa dominar

O famoso neurocientista  V.S. Ramachandran já foi um cansado e insatisfeito professor de psicologia. O que era para ser um chamado parecia como um emprego qualquer. No momento em que ele começou o estudo sobre membros fantasmas e anomalias cerebrais, aí sim ele encontrou perguntas sobre o cérebro e sobre a consciência que o fascinam até hoje.

Encontre seu nicho perfeito e se destaque.

3. Se rebele contra o que está errado e use essa raiva como motivação

Mozart era uma criança prodígio no piano. Desde muito jovem seu pai exigente rodava a Europa com ele. Quando ele descobriu seu talento para composição, seu pai foi contra. Após esse momento, em que ele começou a rejeitar seu pai, que ele se tornou um verdadeiro mestre.

Nós normalmente focamos nas coisas erradas, seja dinheiro, fama ou aprovação. Descubra sua verdadeira motivação.

4. Ame a essência da sua área de atuação

As coisas que te marcaram na infância não eram uma fase, mas sim uma mensagem sobre o que você deveria fazer.

Marie Curie por exemplo, uma das mais importantes químicas da história, sempre gostava de andar pelo laboratório do pai e ficava fascinada pelos equipamentos.

5. Encontre seu método de aprendizado ideal

Charles Darwin era um estudante medíocre. Ele empurrava a escola com a barriga, mais interessado nas espécies do que nas aulas. Quando ele foi chamado para fazer uma expedição pelas Américas, ele quase não foi. Porém, o que ele viu naquele barco mudou o trabalho de sua vida e criou uma das teorias mais influentes de todos os tempos.

Nós normalmente somos dependentes do que é passado por professores. Porém, é a experiência e a exploração que nos levam à maestria.

6. Se envolva em observação profunda, prática contínua e experimentação

Observação profunda
Você não precisa impressionar as pessoas, você precisa observá-las. Aprendendo as regras, você as domina.

Treine, treine, treine
Nosso cérebro é programado para dominar habilidades. Repetindo muitas e muitas vezes, os neurônios se conectam e essas conexão são fortalecidos.

Essa é uma das razões pelas quais você nunca esquece como andar de bicicleta.

Experimente
Você nunca saberá se é um mestre até que coloque em prática. Faça isso o quanto antes para que possa realmente aprender.

7. Valorize aprendizado sobre o dinheiro para que não seja um escravo da opinião dos outros

Ao invés de buscar um emprego mais lucrativo, mas que consumisse mais tempo, Martha Graham pegou um trabalho de professora que pagava poucos, mas que dava tempo para desenvolver as inovações da dança que a tornaram tão revolucionária quanto Picasso foi para a pintura.

Treinamento, aprendizado e mentoria não vêm dos trabalhos que pagam mais, mas que também pressionam muito. Esses te levarão para um caminho mais conservador do que realmente algo que te dê auto-realização.

8. Exercite a humildade para realmente aprender

Daniel Everett, um linguista renomado, estava sofrendo para aprender o idioma da tribo Paraha, na Amazônia, algo que espantou os pesquisadores por anos.

Ele falhou porque tinha uma abordagem de um linguista e missionário cristão, com uma posição de superioridade.

Ele não dominou o idioma até que aprendeu a ser como uma criança Paraha, dependente da tribo e sujeito às mesmas restrições, menor autoridade e necessidade de suporte que elas tinham.

Ao entrar em um novo caminho, você precisa aprender o máximo possível na maior velocidade possível. Vir com preconceitos e sentimento de superioridade pode atrapalhar esse processo.

9. Se envolva em prática intensa e ultrapasse a resistência e a dor

O lendário jogador de basquete Bill Bradley servia para o basquete apenas por causa de sua altura. Ele era lento, não conseguia pular e não tinha jeito para o jogo.

Porém, ele treinava 3 ou mais horas depois da escola e finais de semana, colocando pesos nos sapatos e colocava papel na parte de baixo dos óculos para que pudesse driblar sem ver a bola. Esse foi só o início do seu método de treinamento.

Prática intensa com obstáculos pode ser duas vezes mais efetiva do que uma que te deixe confortável.

Nota do editor: Em breve publicaremos as partes 2 e 3 desse artigo. Enquanto isso, confira nossos outros artigos sobre aprendizado.

P.S.: Créditos da imagem Shutterstock