cultura corporativa

Cultura Corporativa: Por quê você deve se preocupar com a Cultura Corporativa

O Diego Gomes, CMO da Rock Content, falou um pouco sobre a importância de ter uma cultura corporativa dentro da sua empresa. Acompanhe!

Artigo publicado originalmente no Medium.

Se tem um assunto que me deixa pilhado, é estudar e conversar sobre as tais “Culturas Corporativas” e “Culture Codes”. Sou um colecionador obcecado por culturas corporativas e um ávido leitor sobre o assunto. Sempre anoto algo sobre o assunto no meu Evernote, em uma nota dedicada à pesquisas sobre o assunto.

Algumas semanas atrás, tive uma surpresa positiva quando este link apareceu na minha timeline. O site, criado por Andy Cook (que tive a sorte de conhecer a alguns anos atrás quando ele ainda estava em sua primeira empresa) agrupa dezenas de códigos de culturas das mais diversas empresas para promover sua nova startup, chamada Tettra. Achei aquilo fantástico e gastei algumas boas horas em uma conexão de vôos revisitando alguns culture codes que já conhecia e descobrindo outros igualmente fantásticos.

Na semana seguinte, coincidentemente, na última semana, o Miguel Cavalcanti, da AgroTalento me pediu para preparar um pequeno talk sobre cultura para um grupo de empresários da sua rede. Era a gota d’água: Eu já estava precisando organizar as ideias para me preparar e tinha uma meta de escrever mais no meu blog, resolvi juntar a fome com a vontade de comer e escrever este blog post sobre o assunto. Espero que curtam!

A Febre dos Cultures Codes

No final de 2009, eu escrevia sobre startups e empreendedorismo na versão brasileira do blog americano Read Write Web. Como bom viciado em blogs de tech e startups, notei que uma notícia estava em todos os sites. Reed Hastings, o CEO da Netflix havia publicado no Slideshare um documento chamado “Netflix Culture: Freedom & Responsibility”.

Nessa apresentação ele descrevia como a Netflix funcionava, quais eram seus valores e princípios. A apresentação tinha 126 slides e eu li e reli cada um deles. Fiquei fascinado por aquele material que era tão simples, claro e valioso para quem sonhava em empreender. Além disso a Netflix me causou uma impressão de ser uma ótima empresa para se trabalhar.

Guardei o link nos meus bookmarks (Se gostar do material, leia também este post) e segui em frente, mas de tempos em tempos eu me deparava novamente com aquele deck.

Aos poucos, startups e empresas diversas começaram a criar e divulgar seus culture codes.

Foi um fenômeno interessante de se observar, mas nada era tão impactante quanto o famoso deck da Netflix de 2009.

O assunto só reaqueceu e voltou para a blogosfera de tecnologia quando outro deck de cultura viralizou novamente, em 2013. Desta vez o hit era culture code da Hubspot, que também é um material inspirador e extremamente bem escrito.

A partir daquele momento, o assunto tomou escala e o próprio Slideshare passou a criar campanhas para estimular a hashtag #culturecode. Hoje, ter um culture code é algo bastante comum e a ideia já está começando a se espalhar até mesmo aqui no Brasil. Várias empresas de todo mundo criaram e publicaram seus códigos de culturas e pensar sobre a cultura da empresa se tornou uma pauta extremamente popular e relevante.

Culture Code VS Cultura Corporativa

Com a popularização dos decks e livros de cultura, muitas empresas também acabaram entendendo a coisa do jeito errado.

Algumas empresas não entenderam que uma cultura corporativa NÃO é um culture code.

Algumas empresas não entenderam também que uma empresa não precisa ter um culture code ou um culture deck para ter uma cultura forte e única.

Com o fenômeno dos culture codes, muitas empresas acabaram focando no “Powerpoint” bonitinho e se esqueceram do mais importante. Ter clareza do que é uma cultura corporativa de verdade.

Para evitar que sua empresa caia neste erro, resolvi colocar aqui algumas definições do termo cultura corporativa:

  • A cultura de uma empresa serve para criar e fomentar um ambiente transparente e assim atrair e reter talentos.
  • A cultura está para o recrutamento, assim como o produto está para o marketing.
  • A cultura é um conjunto de valores compartilhados pelas pessoas que constroem uma empresa.

Se você está começando a pensar sobre cultura corporativa, antes de pensar em fazer um PPT bonitinho e subir no Slideshare, invista tempo e energia para definir como você e seu time querem construir a cultura da sua startup.

Entre numa jornada exploratória para entender o que vocês valorizam e querem ser.

O culture code é uma ferramenta fantástica, mas ele não vai servir de nada se você não conseguir criar uma fundação sólida e autêntica para dar sustentação à sua verdadeira cultura.

Design de Cultura: Isso existe?

No início de 2015, meu sócio Edmar Ferreira me mostrou um material que ele estava trabalhando chamado “The Rock Way”. Em sua primeira iteração, o material era apenas um conjunto de “hábitos” e “verdades” que vivíamos na Rock Content no dia a dia e concordamos que havia espaço e necessidade de dar uma aprofundada nele para continuar crescendo a empresa com qualidade e sincronia.

O assunto me empolgou bastante e resolvi me aprofundar, pois estávamos crescendo rápido e contratando quase 10 novas pessoas por mês.

Pouco tempo antes eu também tinha visto o Culture Code da Resultados Digitais que me inspirou muito por realmente refletir a personalidade daquela empresa que eu acompanhava de perto.

Na Rock Content, documentar a nossa cultura estava se tornando uma prioridade e começamos um projeto juntos para participar e incentivar ativamente as discussões ao redor disso. Nós queríamos criar uma mensagem simples, porém forte, que desse diretrizes claras a todos sobre como fazemos as coisas e no que acreditamos.

Começamos entrevistando as pessoas do time e buscando entender o que aquele conjunto de pessoas distintas tinha em comum. Perguntamos as pessoas coisas como:

  • Quais atitudes são Rock Ways?
  • Quais atitudes não são Rock Ways;
  • Quais palavras você usaria para descrever a Rock?
  • O que você mais gosta na empresa?
  • O que você menos gosta?

Após algumas semanas, muita análise de dados e conversas publicamos nosso culture code, que você pode conferir abaixo. Aqui você também pode ver o post de lançamento do deck.

O culture code foi muito bem recebido e é sempre revisitado pelo nosso time. Mais do que apenas um documento, nossa cultura é a ferramenta que usamos o tempo todo para balizar nossos comportamentos e em caso de dúvidas, recomendamos que nosso time volte-se a ele para balizar suas decisões.

Como multiplicar sua cultura?

 

cultura corporativa

Uma vez que a cultura esteja minimamente documentada e entendida pela empresa é essencial que você crie rituais e ferramentas para que ela esteja constantemente reforçada na cabeça das pessoas. Na Rock Content, nós usamos a cultura como princípio guia para atividades como:

  • Entrevistas estruturadas de recrutamento. Em todas as perguntas de uma entrevista para um candidato, estamos testando se ele está alinhado aos nossos princípios guia;
  • Todos os funcionários são entrevistados pelo Ed (meu sócio e CEO da Rock). Isso mesmo, apesar de já sermos mais de 200 pessoas, todas as pessoas passam por uma conversa com um dos fundadores da empresa, e isso traz um grande alinhamento;
  • Processo estruturado de onboarding de colaboradores novos, discutindo ao vivo o culture code. Aqui na Rock, todos os novos Roockies passam por uma semana intensiva de treinamentos onde falamos muito sobre cultura. Desde um nível macro (cultura da empresa) quanto níveis micro onde abordamos culturas de vendas, cs e ops.
  • Desenvolvemos e seguimos aprimorando um sistema de métricas de performance e critérios de promoção claros para todos. Isso torna o ambiente de trabalho justo e transparente, evitando a criação de uma organização política.
  • Feedbacks constantes, reuniões 1 a 1 e rituais. Ter rituais é algo crítico para o sucesso da multiplicação de uma cultura. Entre os nossos, os mais importantes, além das reuniões 1–1, são os Rock Talks (Rockers compartilhando aprendizados), o State of the Union (A empresa compartilha status updates e estratégia) e os rituais particulares de cada time;
  • Tomada de decisões horizontalizada. Raramente tomamos decisões top down por aqui. Geralmente incentivamos que alguém decida e a empresa segue aquele “líder temporário”.
  • Adoção de ferramentas de colaboração: Slack, Asana, Google Drive, wikis, etc;
  • Avaliação de NPS de funcionários constante sobre como eles se sentem com relação a empresa e ao serviço prestado aos clientes;
  • Criação de playbooks colaborativos pelos times;

Nas novas turmas de Roockies (os calouros da Rock que entram todos os meses), nos nossos rituais internos e quando surgem dúvidas no dia a dia de qual a decisão tomar, sempre fazemos questão de voltar ao nosso culture code para refrescar a memória.

Quer melhorar/estruturar dar um upgrade na cultura da sua empresa?

Eu acredito muito que cultura é um esforço prioritário e nunca é cedo demais para pensar sobre o assunto, discutir e tentar chegar ao um código de condutas e valores para seu negócio. Por isso, desenterrei materiais que gosto no meu Evernote e também pedi ajuda a alguns amigos, para separar algo útil para quem quer começar a pensar de forma estruturado no assunto:

Materiais bacanas sobre cultura corporativa para quem quer ir mais a fundo no assunto:

Se você quer ir mais a fundo no assunto, aproveito para deixar aqui uma lista de materiais bacanas sobre o assunto.

Blogs, videos, apresentações e artigos sobre o assunto:

Buffer Open

Esse é meu blog favorito sobre cultura corporativa. O Buffer é uma empresa super transparente e compartilhar seus resultados e sua cultura com o mundo acabou se tornando uma grande estratégia de marketing. É legal acompanhar também o Buffer Culture Lab, o podcast focado apenas em cultura.

Culture and Revolution

Como reprogramar a cultura de uma empresa para criar um ambiente vencedor? Esse video, da A16Z compartilha diversas lições de uma história interessantíssima de uma revolução cultural.

Palestra do Brian Chesky em Stanford

Neste material, o CEO do AirBnb compartilha seus aprendizados sobre cultura e comunicação ao longo da jornada insana de crescimento da startup. Brian é um cara fantástico eu também adoro acompanhar seus “Sunday Night Emails”, que ele envia para toda a empresa e eventualmente compartilha em seu Medium.

Cult Creation

Esse ensaio fantástico escrito pelo fundador da Powerset, Steve Newcomb, é provavelmente um dos materiais que mais moldou meu entendimento sobre recrutamento e criação de um time A+. De todos os materiais aqui citados, este é o meu favorito.

Rework with Google:

Muito conteúdo legal sobre a cultura e o playbook de gestão da Google está aqui. Destaque especial para o material de formação de gestores e como o processo de trasnformar um técnico em gestor ocorre dentro do Google.

Websérie: Os 4 elementos da cultura de resultados do Google

Minicurso para empreendedores desenvolvido pela Endeavor em parceria com a Mônica Santos, a Diretora de RH do Google Brasil. É bem legal entender como a cultura do Google se multiplicou globalmente ainda mais em português. Nele, o time aborda temas como OKR’s, meritocracia e produtividade.

Culture IQ Resources

Vários materiais ricos de desde implantação até mensuração de ações pela Culture IQ, empresa especializada em cultura. Destaque para o guia “Making the Business Case for Company Culture”.

Gestão e cultura: inseparáveis para o sucesso do líder

Artigo completíssimo da Harvard Business Review Brasil que cobre aspectos artefatuais da construção da cultura e seu impacto na organização. Dica fantástica do Mathias que eu não conhecia.

Slack Stories

Blog do slack, um dos maiores cases de cultura organizacional e crescimento acelerado do Vale. O blog é super diverso e recebe contribuições de membros dos principais times da empresa.

Mindvalley

Vishen Lakhiani, ex-engenheiro da Microsoft, construiu uma empresa global de brilhar os olhos em Kuala Lumpur com a ambição de superar o Google no prêmio do GPTW até 2020. Vale a pena conferir o trabalho incrível de cultura deles.

Amazon Leadership Principles

Quase tão legal quanto o culture code da Netflix, muito mais simples. Ainda mais legal para quem tem preguiça de Powerpoint.

Blogs de Cultura do Conta Azul, AppProva, Quinto Andar

Estas startups tem blogs super bacanas no Medium onde eles compartilham textos sobre o dia a dia da empresa. Recomendo acompanhar todos.

Tech blog da RD

Neste blog, os techies da RD compartilham insights do seu dia a dia e nos dão uma visão legal de como tocar a cultura de um time de desenvolvimento de alta performance.

Blog do Mathias Luz

Em seu blog, o Mathias (Analista de Pessoas na RD) compartilha várias dicas legais sobre cultura e gestão de pessoas. Recomendo este artigo, em especial, em que o Mathias detalha o culture code da Resultados Digitais. Recomendo assinar a newsletter dele também.

Blog da Qulture.Rocks

Muito material legal sobre benchmarking, avaliações de performance e OKRs. Ótimos estudos de caso de empresas como Uber, Goldman Sacks e Mckinsey.

Blog da Flávia Gamonar

A Flávia tem produzido um stream constante de posts sobre mindset/cultura para profissionais no Linkedin e em seu blog pessoal.

Blog do João Pedro Resende da Hotmart

O Jota fala muito sobre cultura e outros assuntos relevantes em seu blog pessoal. A empresa que ele co-fundou junto com o Mateus Bicalho é um mega exemplo de cultura forte. Também recomendo esta palestra dele.

Guia de Cultura Organizacional da SocialBase

A SocialBase, uma startup focada em comunicação interna compilou um guia bacana sobre o assunto em forma de ebook.

Podcast da Aio sobre cultura corporativa

O Matt Montenegro me entrevistou sobre o assunto para o podcast da Aio recentemente e o resultado é bem legal;

Podcast da Harvard Business Review

HBR Idea Cast é garantia de 20 min de escuta de alto valor agregado no trânsito ou em qualquer momento ocioso em que colocar o par de fones de ouvido seja a opção mais produtiva.

Livros que recomendo sobre cultura corporativa:

Softwar

A história da Oracle a cultura da empresa são descritos com riqueza aqui. Entenda como a Oracle, cresceu, sobreviveu e se tornou o gigante de tecnologia no comando de seu fundador, Larry Ellison.

Behind the cloud

Depois da Oracle, aqui vai a dica do livro que conta muito sobre a cultura da Salesforce. Se o Larry Ellison é Deus do mercado de enterprise software, Mark Benioff é jesus.

Sonho Grande

A cultura fantástica de Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira criaram em menos de 40 anos um império bilionário no capitalismo brasileiro

The 3G way

Este livro escrito pelo Kiko da Qulture Rocks, conta ainda mais sobre a cultura da gigante 3G. Must read!

Marissa Mayer and the Battle to Save Yahoo

O Yahoo é uma empresa que sofreu muito nas últimas décadas. Perderam a batalha dos buscadores, do mobile e das redes sociais. Com a chegada de Marissa Mayer, mudar a cultura se tornou uma necessidade;

The Hard Thing About Hard Things

Leitura obrigatória sobre os desafios de um CEO na criação de uma empresa e uma cultura forte;

Como o Google Funciona, Um Jeito Novo de Trabalhar & In the plex

Quer entender a cultura do Google? Comece por aqui!

Rework

A 37 Signals (agora Basecamp) tem uma cultura forte, controversa e única. Neste livro você vai descobrir um pouco mais sobre ela.

The Phoenix Project

Um “romance” (ou “bromance”?) sobre o dia a dia de um time de TI. O livro explica conceitos de Devops, dicas de comunicação e boas práticas culturais para times de tecnologia.

Pense Simples

Gustavo Caetano, CEO da Samba Tech escreveu um livro onde ele compartilha a história e a cultura da Samba Tech e conta como a cultura de uma empresa é essencial para criar um ambiente inovador.

Criatividade S/A

O playbook de cultura e a fantástica história da Pixar. Nele Ed Catmull conta autor conta sua trajetória de sucesso dentro da Pixar e mostra como desenvolver a criatividade e originalidade.

Satisfação Garantida

O Livro da cultura focada no cliente da Zappos.

Made in America

Jack Welch descreve Sam Walton como “Um cara que entendia as pessoas como Thomas Edison entendia de inovação e Henry Ford entendia de produção. Em Made in America, você vai entender como Sam Walton criou a cultura do Walmart.

High Output Management e praticamente tudo mais que foi escrito peloAndy Grove.

Os livros dele são obrigatórios para quem quer aprender como gerenciar pessoas e criar uma cultura forte de feedback!

Disrupted

História épica de desalinhamento cultural dentro da Hubspot. O livro foi escrito pelo Dan Lyons (também conhecido como Fake Steve Jobs) e culminou com um escândalo onde o CMO da empresa, Mike Volpe foi demitido por tentar obter uma cópia do livro antes da publicação.

Empresas feitas para durar e Empresas feitas para Vencer

Jim Collins, em seus 2 fantásticos livros, cobre aspectos culturais que distinguem empresas excelentes de medianas. Seja através da sua visão sobre como permanecer no jogo no longo prazo ou para se dar bem num ambiente competitivo, a leitura é imperdível.

Virando a Própria Mesa

Ricardo Semler, empresário Brazuca, já na década de 90 levantava a importância do tema da cultura organizacional e gerou cases emblemáticos para o nosso país. Inclusive a Buffer (que já mencionei sendo o meu blog favorito) usa o Semler como inspiração para suas ações radicais de transparência. O livro é super leve — dá para matar em uma sentada — e traz uma série de anedotas e pensamentos sobre empreendedorismo e cultura. Parece simplista, mas tem bastante sabedoria. Assista ao TED dele antes de ler.

De Zero a Um

Peter Thiel, fundador do Paypal e membro do maior grupo de empreendedores disruptivos do vale do silício, compartilha notas e pensamentos sobre inovação e cultura empreendedora. Leitura indispensável. Ainda mais para quem está caçando  😉

Alguns dos livros acima estão disponíveis no 12minutos, meu app de sumários de livros de negócios. Se quiser dar uma olhadinha na categoria de cultura corporativa por lá, acho que você vai encontrar muitas coisas legais!

Conclusão:

Em algum momento você, como founder, vai ter que priorizar a cultura da sua empresa e ter conversas difíceis com seu time sobre como é e como deve ser a empresa que vocês querem construir juntos. Uma coisa que aprendi é que nunca é cedo demais para começar a abordar este assunto e que tomar o controle deste processo cedo é crucial.

Envolva sua empresa, coloque as mãos na massa e foque em construir, documentar, viver e multiplicar uma cultura bacana. Tenho certeza que este investimento te ajudará a atrair e reter talentos que querem construir uma empresa alinhada a um propósito.

Agradecimentos:

Gostaria de agradecer ao Mathias Luz, Nick Reise e ao Miguel por lerem rascunhos deste post e enviarem seus feedbacks, dicas e me apresentarem conteúdos fantásticos para recomendar também. Também gostaria de agradecer a todos que compartilharam materiais bacanas nesta thread do Facebook. Ajudaram demais e tentei incluir a maior parte das recomendações!

  • Isabela Santos

    Ótimo artigo! Parabéns!

    • Letícia Abrantes

      Obrigada pelo feedback, Isa 🙂