controladoria

Veja como usar a Controladoria no seu negócio!

Você sabe o que é controladoria? Esse termo ligado à gestão é essencial para qualquer empreendedor, porque acredita que o processo de gerenciamento bem embasado deve ser fundamentado com base na tomada de decisão, abrangendo planejamento, controle e execução.

Você sabe o que é controladoria? Esse termo ligado à gestão é essencial para qualquer empreendedor, porque acredita que o processo de gerenciamento bem embasado deve ser fundamentado com base na tomada de decisão, abrangendo planejamento, controle e execução.

Ou seja, basear sua gestão nos preceitos preconizados por essa estratégia é uma forma de tomar decisões mais corretas, reduzir excessos e ter processos mais transparentes e que tragam mais resultados.

Mas a pergunta que você deve estar se fazendo é:

O que é e para que serve a controladoria?

Basicamente, essa ciência tem por objetivo fornecer subsídios para que você, enquanto empreendedor, tome decisões acertadas e tenha o controle de todas as operações efetuadas no seu negócio.

Por isso, ela está diretamente ligada à gestão, trazendo mais eficiência aos processos e garantindo mais sucesso para a sua empresa, especialmente nos primeiros anos de vida, fase crucial para o desenvolvimento e sobrevivência do negócio.

Nesse sentido, é bom reforçar que, segundo o IBGE, 48,2% dos negócios fecham no prazo de 3 anos. E você com certeza não quer que a sua empresa entre nessa estatística. É aí que a estratégia que estamos abordando pode ajudar.

Sua divisão pode ser feita em administrativa e contábil. Apesar de serem um pouco diferentes, as duas abordagens geralmente são exercidas pelo mesmo profissional, chamado de controller.

Esse profissional tem a responsabilidade de ajudar a empresa a se destacar, ganhando competitividade e atendendo às exigências dos clientes.

Assim, de acordo com o planejamento estratégico traçado pela empresa, o controller tem a função de otimizar as decisões por meio do fornecimento de informações úteis, eficazes e transparentes.

Em outras palavras, essa área deve fazer o monitoramento dos impactos causados pela gestão econômica e auxiliar para que os resultados sejam otimizados e tragam mais benefícios ao negócio.

Como organizar uma estratégia de controladoria?

Como o próprio nome afirma, essa estratégia tem o objetivo de controlar os processos e a gestão. Portanto, ela só pode ser organizada a partir da definição de padrões de qualidade, que devem, por sua vez, estar alinhados ao planejamento estratégico da empresa.

Apesar de o responsável ser o controller, é importante que todos os colaboradores façam parte da estratégia, abrangendo desde os empregados da produção até a direção. Aliás, a diretoria é ainda mais importante, porque serve como modelo para o restante da empresa.

Considerando esse contexto, o primeiro passo para organizar essa estratégia é estruturar as operações contábeis, das áreas de apoio e financeiras.

Em seguida, o foco deve ser o custo relacionado à contabilidade e a precificação de produtos e serviços. Nesse momento, é importante inserir outros aspectos que interfiram na tomada de decisões, como orçamento da empresa, projeção de fluxo de caixa, possibilidades de captação de recursos etc.

Com esses dados em mãos, é possível criar os padrões de qualidade e prever os resultados de acordo com os objetivos estabelecidos, lembrando-se sempre de evitar desperdícios, excessos e roubos.

Nesse cenário, cabe ao controller a responsabilidade de comparar os padrões definidos e os resultados obtidos, identificando desvios que estejam ocorrendo e analisando o impacto deles no alcance dos objetivos estabelecidos.

Por isso, é fundamental que a cultura organizacional se adapte a esse novo contexto.

Quais são as funções do controller?

Você já sabe que o controller é o profissional responsável pela estratégia que está sendo abordada. Mas quais são as reais funções desse profissionais?

  • Controlar a contabilidade fiscal da empresa.
  • Elaborar projetos.
  • Fazer previsões de oportunidades e levantar orçamentos.
  • Gerir a tesouraria, setor que gerencia o fluxo diário do caixa da empresa e identifica possíveis desequilíbrios financeiros e a necessidade de contrair empréstimos ou financiamentos, além de verificar o dinheiro disponível para aplicação.
  • Auxiliar o setor financeiro.
  • Organizar o planejamento dos tributos.
  • Participar da realização do orçamento anual.
  • Estar alinhado ao planejamento estratégico traçado.
  • Desenvolver relatórios que subsidiam na tomada de decisões.

Em resumo, o controller é o contador-chefe da empresa, porque faz a gestão de assuntos fiscais, o controle de custos, faz análises de demonstrações financeiras (como o Balanço Patrimonial e a Demonstração de Resultado do Exercício) etc.

Dessa forma, esse profissional tem a capacidade de prever possíveis problemas, coletando as informações que você, como empreendedor, precisa naquele momento.

Como a controladoria é aplicada no dia a dia?

Para aplicar essa estratégia no seu negócio, o primeiro passo é fazer seu alinhamento com o planejamento estratégico.

A partir disso, você consegue verificar quais são as necessidades da empresa e escolher um dos tipos dessa estratégia.

Os modelos existentes são:

Gestão financeira

Esse modelo direcionado para a gestão financeira tem o objetivo de fornecer uma ampla visão sobre as finanças do negócio, oferecendo a possibilidade de traçar estratégias de acordo com a realidade.

Assim, as ações implementadas são verificadas e identificam-se possíveis desvios e falhas, que podem ser ajustados para que o resultado seja o melhor possível, ou seja, para que a empresa tenha retorno dos investimentos realizados.

Além disso, esse método ajuda a reduzir custos e elevar a receita da organização.

Planejamento orçamentário

É voltado para o orçamento e, por isso, oferece mais precisão ao traçar os investimentos que serão realizados. O objetivo é evitar gastos desnecessários ou que causem grandes riscos ao funcionamento do caixa.

Com esse modelo, você pode verificar quais investimentos são passíveis de serem realizados e quais ainda devem esperar pela melhoria ou estabilidade da saúde financeira do negócio.

Outro benefício é que as ações não precisam ser analisadas caso a caso, gerando uma aprovação para cada situação. Com o planejamento orçamentário, já se sabe o que pode ser feito e as decisões são tomadas mais rapidamente e de forma pouco onerosa.

Controle de processos

A otimização do negócio proporcionada por essa ferramenta garante a excelência das operações realizadas e reduz os custos. E isso só pode ser feito por meio de um controle de processos.

A ideia nesse modelo é analisar desperdícios que podem ser transformados em produtividade, como desperdícios no estoque, no tempo e até mesmo no beneficiamento da matéria-prima.

O resultado é um trabalho melhor, mais intensificado e o aumento da rentabilidade da empresa (ou seja, os investimentos realizados trazem mais retorno).

Contabilidade gerencial

Ajuda a diminuir a possibilidade de falência do negócio, já que seu foco é indicar as ações estratégicas que podem ser aplicadas e os planejamentos que devem ser seguidos pela empresa.

Esse modelo abrange desde questões relativas a impostos até aquisição de bens e ativos.

Além disso, sua finalidade é garantir a comunicação dos fatos contábeis às pessoas que efetivamente tomam as decisões na organização.

Contabilidade de custos

Por meio desse método, os gastos produtivos são monitorados mediante o registro contábil de cada operação realizada na empresa.

Utilizando essa técnica, cada produto tem um ponto de equilíbrio definido, ou seja, um valor definido em que os custos são iguais às receitas. A partir desse valor, a empresa começa a ter lucro.

No entanto, para delimitar os custos, é necessário analisar especificamente o preço de venda e o posicionamento da marca perante o mercado.

Análise de balanços

Os balanços são analisados a fim de que a empresa consiga obter melhores resultados na questão de finanças.

Esse método apoia a contabilidade gerencial e permite o acompanhamento de indicadores a fim de verificar o status financeiro da empresa.

Assim, você pode conhecer o patrimônio, as movimentações contábeis e outros elementos necessários para a tomada de decisão.

Controle e gestão de pessoas

Esse método foca na gestão de pessoas, garantindo a retenção de talentos e a continuidade de projetos importantes para a organização.

Com isso, os colaboradores também se sentem mais motivados e você, gestor, tem mais informações a respeito dos funcionários, podendo tomar decisões que permitam o melhor aproveitamento da mão de obra.

Assim, também é possível traçar estratégias direcionadas para plano de cargos e salários, recrutamento e seleção, treinamentos etc.

Por que ter o setor de controladoria na sua empresa?

Entendendo o que é esse conceito, compreendendo as funções do controller e como aplicar essa estratégia no seu negócio, fica mais fácil compreender a importância do método no dia a dia da sua empresa.

É importante entender que essa técnica permite o aperfeiçoamento dos processos de decisão dos empreendedores. Isso é conquistado por meio de informações adequadas, que permitem melhorar os resultados do negócio e satisfazer os clientes.

Assim, esse deve ser um setor estratégico, porque não se restringe ao sistema da contabilidade. Na verdade, abrange toda a gestão organizacional, assegurando o fluxo de informações e a base para que os gestores tomem as decisões com mais assertividade.

Portanto, fica evidente que essa ferramenta é importante para o ganho de vantagem competitiva, fazendo a empresa se destacar no mercado e fortalecer seu espaço perante os consumidores.

O melhor de tudo é que todo esse processo positivo é feito de forma sustentável, oferecendo a possibilidade de o negócio crescer de forma equilibrada em longo prazo.

Por isso, se você quer que o seu negócio tenha sucesso, cresça correndo menos riscos e obtenha os melhores resultados possíveis, adotar as técnicas da controladoria é a atitude certa.

Para aprofundar mais seu conhecimento sobre esse assunto, leia o post Contabilidade gerencial: como utilizar essa ferramenta estratégica?