como sofrer menos ao demitiremail marketing ainda geram bons resultados, fazendo com que o email seja uma ferramenta importante para quem deseja aumentar as vendas e o engajamento do consumidor com a marca.

">

Como sofrer menos ao demitir? Confira 6 dicas que vão ajudar você

A jornada de um empreendedor é caracterizada pela vivência de bons momentos, tais como as conquistas diárias, as decisões acertadas, a superação de desafios e barreiras, dentre outros.

A jornada de um empreendedor é caracterizada pela vivência de bons momentos, tais como as conquistas diárias, as decisões acertadas, a superação de desafios e barreiras, dentre outros.

Mas nem tudo são flores, ou seja, ela também é cheia de situações em que há a necessidade de encarar decisões que nem sempre são as mais agradáveis. Precisar demitir um colaborador é uma delas.

Esse processo nem sempre é algo fácil, aliás ele não é nada fácil! Porém, precisa ser feito.

Infelizmente, em alguns casos é necessário abrir mão de algumas peças para que o jogo possa fluir bem e as conquistas chegarem mais rápido. Apesar disso, muitos empreendedores acabam sofrendo muito com a responsabilidade dessa decisão, quase sempre o processo se torna uma eternidade que só acaba quando o funcionário é demitido.

Por isso, preparamos algumas dicas, para você empreendedor, que irão lhe orientar a como sofrer menos ao demitir um colaborador. Continue acompanhando o post!

Por que os empreendedores sofrem ao demitir?

Obviamente que há uma série de motivos que fazem com que o empreendedor sofra com a decisão de ter que demitir um de seus funcionários, mas o principal deles está relacionado ao fato de que quase sempre é criado um vínculo com a sua equipe, principalmente quando são poucos profissionais trabalhando.

Por isso, a demissão nunca será algo fácil tanto para quem é demitido, pois está perdendo o emprego e pode se sentir rejeitado de alguma forma, quanto para quem demite, afinal ninguém gosta de ser o portador de más notícias e muito menos ser obrigado a dispensar um funcionário em que há um relacionamento desenvolvido.

Falando um pouco mais do lado profissional, a parte dolorida pode estar no fato de quem está sendo demitido ter participado da própria construção do negócio e viveu grandes momentos ao lado do empreendedor, que são considerados importantes. Ou seja, há uma relação de pertencimento de ambas as partes.

Já no lado pessoal, a parte emocional pesa bastante, visto que há a possibilidade de haver um vínculo mais afetivo, no sentido de formar uma amizade e até conhecer as famílias dos colaboradores, com quem também foi criada uma relação de amizade.

Apesar disso tudo, é preciso encarar o momento de demissão com o olhar de que é a melhor decisão a ser tomada a nível de negócio e, em muitos casos, para o próprio funcionário, até porque se o momento dele não bate com o da empresa, é melhor buscar outras oportunidades.

Demitir alguém não quer dizer que ela fez um péssimo trabalho, tem mais a ver com o momento da empresa em si!

Como sofrer menos ao demitir?

Para que esse momento não seja tão doloroso, preparamos aqui 6 dicas que podem suavizar esse processo e também com o objetivo de prepará-lo para essa decisão que pode aparecer quando você menos esperar. Confira:

1 – Faça um trabalho de prevenção

Não tem coisa mais desagradável para o funcionário do que ser demitido de uma hora para outra sem entender o porquê. Então, é preciso fazer um trabalho de prevenção em relação à esse aspecto por meio do feedback.

Ou seja, quando o colaborador está falhando em algum aspecto do negócio, seja na parte técnica, na parte cultural ou então na parte de relacionamento e isso pode ser algo que leve-o a ser demitido, é bom trabalhar com feedbacks que sejam construtivos. Dessa maneira, é possível que ele reveja seu comportamento e busque agir em cima disso.

Quando isso acontece e mesmo assim o colaborador é demitido, pode ter certeza que será um processo muito menos dolorido para o empreendedor, que vem avisando sobre suas falhas faz tempo, e para o próprio profissional, que saberá os motivos da decisão de forma mais transparente.

2 – Não demore

Se mesmo após os feedbacks, o empreendedor perceber que um profissional não está agindo para poder se adequar a empresa e, portanto, não tem futuro dentro dos novos ciclos que a empresa deverá passar, é preciso começar a deixar claro, de forma sincera, o quanto aquela pessoa contribuiu até ali e explicar o porquê ela não se encaixa no futuro.

Obviamente que há a possibilidade de dar mais um voto de confiança e até mesmo trocá-la de função, porém se ela já não se alinha mais com o negócio no geral, isso não adiantará. Então, é necessário ter essa conversa mais séria e não procrastinar a decisão.

Um erro muito comum é ficar adiando esse momento, mas chega uma hora em que ele torna-se inevitável e as consequências podem ser até piores, portanto, não demore e seja sincero!

3 – Respeite o momento do funcionário

Pode ter certeza que independente das circunstâncias, o colaborador levará um enorme susto quando for comunicado da sua demissão e seus motivos. Obviamente que isso provocará muitos sentimentos em si e por isso, será preciso respeitar o momento da pessoa que passará por uma fase não muito agradável.

Então, seja coerente nas suas justificativas e na apresentação dos motivos. Uma maneira de fazer isso, é mostrar os resultados que não foram atingidos e compará-los às expectativas definidas no início de sua jornada.

Junto a isso, muitos colaboradores vão querer se despedir dos colegas, os quais criaram uma certa amizade e um relacionamento saudável, então facilite esse processo tentando evitar que seja constrangedor.

Por fim, peça um feedback geral do colaborador demitido, mostrando que a sua opinião também é importante naquele momento. 

4 – Contrate de forma correta

Um erro muito comum é contratar pessoas somente se baseando em suas características técnicas e não olhar outros aspectos, como por exemplo, o quanto o candidato se encaixa na cultura da empresa. Pois bem, lembre-se que a parte técnica é algo que pode ser aprendido com o tempo, porém a parte comportamental dificilmente é alterada em alguma pessoa.

Portanto, elabore um processo seletivo que seja completo, envolvendo avaliações práticas e teóricas em relação à aspectos técnicos e características que são importantes para a empresa. Dessa forma, é possível evitar demissões de pessoas que nem deveriam ser contratadas!

5 – Deixe claro que não é o fim da linha

Um processo de demissão não necessariamente é um adeus definitivo para o demitido. Por isso, é preciso deixar claro que aquilo é uma oportunidade para que ele encontre um caminho melhor para a sua carreira. Até porque, se a sua performance não está boa, quer dizer que ele não está no lugar certo.

Além disso, deixe claro que apesar do momento dele com a do negócio não estarem caminhando em sinergia, as portas poderão estar abertas em um futuro próximo. Ou seja, não é o fim da linha!

6 – Busque ajuda externa

Por fim, a nossa última dica é buscar ajuda externa. Reduzir o sofrimento ao demitir um funcionário é um processo que não acontece rapidamente, porém ele pode ser acelerado quando se busca ajuda!

Então, procure trocar experiências com outros empreendedores e também com profissionais especializados em recursos humanos. Até porque, é sempre bom que o empreendedor tenha com quem compartilhar seus dilemas!

Demitir nunca será algo fácil, mas é preciso suavizar ao máximo o processo, sigas essas dicas e você verá que a sensação de sofrimento irá diminuir muito!

Agora que você já sabe como sofrer menos ao demitir, conheça as 6 melhores práticas para empregar talentos na sua empresa