Como montar um e-commerce de modaEste artigo foi escrito por Isis Rocha, CEO e estilista da ROCH Clothing

">

Como montar um e-commerce de moda

Este artigo foi escrito por Isis Rocha, CEO e estilista da ROCH Clothing

Este artigo foi escrito por Isis Rocha, CEO e estilista da ROCH Clothing

O mercado de moda online tem apresentado um crescimento bastante considerável nos últimos anos. Segundo o SEBRAE, esse segmento já é o 6º no ranking do e-commerce, com cerca de 40% no aumento de consumidores online.

A proposta de montar sua loja numa plataforma online traz várias vantagens e te livra de várias chateações. Por exemplo, numa loja virtual o cliente não precisa ficar limitado ao horário comercial, já que sua loja funciona 24 horas por dia e 365 dias por ano. Comprando pela internet, o consumidor pode ter uma experiência mais confortável, economiza tempo e evita contratempos como busca de vagas ou estacionamentos, perigo de assalto, filas, vendedores inconvenientes…

Já para o empreendedor o fato de não ter que investir em uma loja física torna o negócio muito mais simples de começar, diminuindo consideravelmente o investimento em custos fixos para manutenção da loja. Além disso, fica ainda mais fácil e possível atingir um público incrível mundialmente. Não digo isso apenas para vender, mas também para difundir sua marca.

Bom, também é importante entender que neste tipo de comércio existem, em contraposição, muitos desafios! Inclusive, justamente pela facilidade, praticidade e menores custos de manutenção, a concorrência é bastante acirrada, considerando a quantidade de e-commerces que competem pelo mesmo público, no mesmo nicho, criados a cada dia.

Se você tem experiência no assunto, é apaixonado por moda e quer investir seu tempo, dinheiro e criatividade montando seu próprio negócio, saiba que, para se diferenciar é necessário contar com bastante pesquisa e se atualizar em conhecimentos. Junto disso, ler este artigo pode te ajudar, e muito, a desmistificar, reunir e levantar informações sobre uma perspectiva e visão geral necessárias para tomar a iniciativa de empreender e realizar esse sonho.

Sobre/Conceito

Em resumo, uma marca de moda é a criação de um conceito autoral de roupas, acessórios, calçados, etc. visto pelo criador. Ela oferece serviços e produtos com uma identidade… é comunicação refletida no processo de consumo.

Essa representação de valores em relação à forma que as pessoas reagem através do que escolhem vestir para se identificar e se posicionar diante dos outros, confirma que a moda é muito mais do que se imagina, ou pelo menos, se imaginava.

Uma marca é estimuladora de desejos, aspirações e sonhos de um consumidor. Expressa um estilo de vida. E, conforme esse estilo de vida, deve reforçar as características da personalidade do cliente, sendo um fator que ajuda a determinar sua identidade e a estabelecer um vínculo do mesmo em relação à organização.

Para que o empreendedor tenha a visão clara de onde quer chegar, além de ter atitude e iniciativa, ele deve saber vender benefícios e manter clientes satisfeitos. Para isso, é extremamente necessário que ele entenda os primeiros passos antes de montar sua marca de moda.

Crie um plano de negócios

A primeira coisa a se fazer é criar um plano de negócios. Ele serve para orientar o empreendedor a iniciar uma atividade econômica ou ainda expandir o seu negócio numa tomada de decisões estratégicas, e ajuda a minimizar os riscos já identificados.

No plano de negócios é definido seu objetivo e quais os passos a serem dados para que ele seja alcançado de forma que gere lucro e seja sustentável.

Aqui deve conter um planejamento organizado e elaborado, sendo capaz de mostrar toda a viabilidade e estratégias do ponto de vista estrutural, administrativo, estratégico, mercadológico, técnico, operacional e financeiro.

Tente ser o mais realista quando o fizer. Procure avaliar as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças envolvidas no universo de seu empreendimento.

Esse documento tem também como objetivo a apresentação do seu empreendimento a possíveis futuros parceiros comerciais como sócios, incubadoras e investidores.

Há no mercado pessoas especializadas para auxiliar na elaboração de Planos de Negócios. Eles costumam ser elaborados com o auxilio de especialistas em marketing e branding, que possuem o know-how para obter informações chaves dos chamados stakeholders e dos administradores da marca, e apresentar ferramentas que facilitarão sua vida. Lembre-se, o Plano de Negócios não garante sucesso empresarial, mas com certeza, diminui, e muito, os riscos de fracasso.

Escreva um sumário executivo

Ele é a principal seção do seu Plano de Negócios e deve conter uma síntese das principais informações que constam no mesmo. Por isso deve ser a última sessão escrita, já que depende de todas as outras sessões do plano a serem feitas.

Um sumário executivo descreve tanto a missão de sua empresa e seus planos futuros quanto à forma de atrair potenciais investidores. É necessário para todos os negócios, mas especialmente para grifes que requerem capital externo.

Missão, visão e valores da empresa

Faça uma descrição aprofundada da empresa para dar às pessoas uma ideia sobre qual o objetivo da mesma, o que a diferencia dos concorrentes e os mercados que serão afetados por ela.

Nessa parte, deve-se refletir e ter uma visão sobre o papel do seu negócio na sociedade, esclarecer informações sobre as metas e detalhar onde a empresa pretende chegar em um determinado período de tempo.

Para que todos saibam como chegar ao sucesso, é essencial determinar uma direção estratégica, começando pela integração das operações até a estratégia da marca e da motivação de seu time.

Os valores são ideais de comportamento, atitudes e resultados que devem estar presentes nos funcionários e nas relações da empresa com os clientes, fornecedores e parceiros. Exige disciplina do empreendedor e de todo seu time.

Se sua empresa não souber o motivo pelo qual existe, não conseguirá definir uma estratégia de crescimento, uma vez que os objetivos não serão claros.

Investimentos

De quanto dinheiro você precisa para lançar sua grife?

Realize um estudo financeiro antes de lançar o e-commerce. Isso ajuda a identificar novas possibilidades, reduzir erros e ter um retorno maior do que for investido.

Defina e compreenda todo o capital empregado para iniciar e viabilizar o negócio até o momento de sua autossustentação.

Para isso, identifique:

-Investimento fixo: capital empregado na compra de imóveis (como um ateliê de produção ou um estoque para seus produtos, por exemplo), equipamentos, móveis, utensílios (araras, cabides, prateleiras), instalações, reformas, etc.

– Investimento pré-operacional: todo o gasto ou despesa realizado com projetos, pesquisas de mercado, registro da empresa, honorários profissionais, etc;

– Capital de giro: capital necessário para suportar todos os gastos e despesas iniciais, gerados pela atividade produtiva da empresa. Destina-se a viabilizar as compras iniciais, o pagamento de salários nos primeiros meses de funcionamento, os impostos, as taxas, os honorários de contador, as despesas da manutenção, etc.

Alguns prestadores de serviços que você poderá precisar são:

  • Advogado
  • Contador
  • Publicitário
  • Office-boy
  • Auxiliar administrativo e financeiro
  • Auxiliar de serviços gerais

Definir e controlar os investimentos e custos é fundamental para que qualquer negócio tenha sucesso.

Ps: Você provavelmente vai gastar bem mais do que receberá durante um bom período de tempo (algo por volta de um ano ou dois). Tente presumir por quanto tempo você consegue manter o negócio sem um salário.

Produtos e serviços

Ambiente interno:

Descreva quais os produtos e serviços oferecidos, como eles são produzidos e seu ciclo de vida. Não se esqueça de traçar também fatores tecnológicos envolvidos no processo, a pesquisa e desenvolvimento, os principais clientes atuais e, se possui marca ou patente de algum produto, etc.

 

Equipe de trabalho:

Vai te dar vontade de fazer tudo por conta própria e economizar bastante, porém, é essencial que você possua um time para te ajudar nas tarefas.

É imprescindível, por exemplo, ter uma costureira de confiança, alguém pra cuidar do marketing e alguém pra cuidar do financeiro e logística.

O estilista é, geralmente, o empreendedor. É essencial que tenha criatividade, originalidade e uma visão contemporânea e global da moda. Ele deve ter noções de como gerir o negócio e é desejável que possua curso superior de Moda ou Design de Moda, conhecimentos sociológicos, de modelagem, desenho e história do vestuário.

A costureira deverá ter experiências com máquinas de costura e sobre diferentes padrões de tecido, aviamentos e acessórios, senso de organização e saber planejar o tempo, além de ter comprometimento com a qualidade. Se possível, ela deve contar com uma ajudante.

Ao comunicador da marca cabe à habilidade de relacionar-se com pessoas, dar um bom atendimento por telefone, internet e pessoalmente, além de demonstrar atenção e interesse pelo cliente. Ele deve ser organizado, ágil e bem humorado.

O empreendedor poderá decidir por contratação nos períodos de maior demanda ou lançamento de coleções/fechamento da receita do ano.

O investimento constantemente no aperfeiçoamento do seu time a partir de cursos, palestras e workshops oferecidos no mercado ou em atividades de desenvolvimento realizados na própria empresa faz toda a diferença quando se deseja prosperar.

Inovação e qualidade são elementos básicos para a sustentabilidade de qualquer negócio, seja qual for o ramo de atuação.

O empresário também deve sempre pesquisar novas técnicas para manter-se atualizado com as tendências do setor, pagar salários adequados e estar de acordo com as relações trabalhistas, evitando assim consequências desagradáveis.

O SEBRAE da localidade poderá ser consultado para aprofundar as orientações sobre o adequado.

Definindo seu público-alvo

A definição do público alvo é fator primordial no planejamento da sua empresa.

Quanto mais abrangente for o mercado, mais difícil e mais cara será a operação. Digo isso porque é importante que você direcione seus investimentos em ações de marketing para um mercado específico, além disso, a linguagem e o relacionamento com o cliente se dá de maneira mais objetiva e eficiente quando se define o nicho de atuação.

Isso ajuda com que você consiga gerar mais vendas recorrentes, consiga um bom relacionamento e quiçá fidelize seu cliente.

Uma estratégia bastante utilizada para atingir o público de maneira assertiva é através da criação de uma persona (personagem fictício criado para representar os diferentes tipos de usuário dentro de um alvo demográfico, atitude e/ou comportamento definido).

Entender seu cliente e o que ele busca, faz com que seja mais fácil alinhar o desenvolvimento de produtos e o serviço que sua empresa oferece, para assim satisfazer e atender às expectativas de seu consumidor.

Na hora de definir o estilo de vida de seu consumidor, leve em consideração dados como:

  • Idade;
  • Localização;
  • Sexo;
  • Renda mensal;
  • Educação;
  • Nível escolar;
  • Estado civil;
  • Ocupação;
  • Crença social, cultural, política;
  • Lazer;
  • Forma de aquisição de cultura;
  • Motivações;
  • Necessidades;
  •  O que consomem;

Pense também em seu produto:

  • Como escolhem?
  • Onde?
  • Quando?
  • Com quem?
  • O que dispara a decisão de compra?

Além disso, outra alternativa é verificar sua concorrência direta. Quem são seus principais concorrentes? Quem são os clientes atuais?

Mesmo que você saiba responder essas questões, não fique limitado a fazer o que o seu concorrente faz. Você deve analisar a concorrência e não viver em função deles.

É importante arrecadar e detalhar ao máximo as respostas e informações para essas perguntas. Pense, não adianta nada vender uma peça quando a loja abrir e outra só em muitos meses depois.

É preciso descobrir e projetar tudo isso em uma pesquisa com quem se interessa ou poderá ser um cliente em potencial de seu produto.

Há empresas que realizam estudos e levantamentos sobre perfil de consumidor e podem auxiliar na hora de definir seu público alvo, como, por exemplo:

Plano de marketing

Aqui deve ser feito um documento que detalha as ações necessárias para atingir um ou mais objetivos de marketing.

Para se ter uma estratégia sólida será necessário uma análise de ambiente externo e interno da empresa.

O objetivo da analise é identificar e compreender quais oportunidades a empresa pode tirar proveito e quais as ameaças que terá que enfrentar.

Compreender as necessidades que devem ser consideradas em termos de recursos e competências da organização (pontos fortes e fracos) que podem contribuir para a escolha estratégica, assim como estratégia de produto/serviço; estratégia de preço; estratégia de distribuição; estratégia de comercialização; estratégia de comunicação; propaganda e promoções.

Escolhendo o nome da empresa

De preferência o nome da grife deve ser curto, de fácil oralidade e diferente de toda a concorrência. Não deve usar nomes comuns e deve ser fácil de decorar.

Você também pode usar seu próprio nome como fizeram Calvin Klein, Giorgio Armani e Marc Jacobs, por exemplo. Uma palavra criada por você mesmo como Rodarte ou Marchesa.

Ou palavras de outra língua ou que agradem seu senso estético. O nome Apple, por exemplo, foi escolhido por ser a fruta favorita de Steve Jobs.

De acordo com Chamma e Pastorello (2007), estudos apontam que 38,1% das marcas mais lembradas são marcas internacionais. Além disso, inúmeras marcas assumem o nome em outro idioma (em especial o inglês).

Esse é um ponto considerável e que leva a refletir sobre a valorização da marca internacional neste setor.

O mais importante é se certificar que o nome seja único e reconhecível, ajudando a transmitir o que a marca representa, de forma com que o cliente crie uma imagem mental clara de como é a sua marca.

A verdade é que, por melhor que seja o nome que você tenha escolhido, ele não fará publicidade sozinho.

Assim que iniciar o seu negócio, deixe os outros conhecerem o que faz e comece logo a tornar o nome da marca conhecido. Diga o que pretende oferecer a seu público, crie desde o inicio uma marca forte e a torne inconfundível no mercado. Isso deve ser um dos seus principais objetivos iniciais. Portanto, reserve uma quantidade do seu orçamento para divulgar seu nome. Veremos isso mais para frente também! 

Identidade visual 

A identidade visual é um dos fundamentos mais importantes da construção de uma marca de moda. Ela define sua personalidade e a sua essência, o que faz com que a marca se relacione com seu público. É a primeira impressão passada e influencia na opinião que o mesmo formará a respeito da empresa. Por isso mesmo deve transmitir a credibilidade necessária para conquistar o mercado.

Na identidade deve-se representar visualmente o conjunto de elementos formais e de forma sistematizada de um nome, produto, empresa, instituição ou serviço. Costuma ter como base o logotipo, um símbolo visual que o representa.

Logotipo é a marca da empresa escrita em uma determinada forma. Deve ser estabelecida através de um documento técnico nomeado pelos designers de Manual da Identidade Visual.

Este é gerado depois de ser realizada uma pesquisa interna (a empresa/serviço/produto) e externa (a concorrência), e para se ter um conceito deve-se antes fazer um Brainstorming.

Quanto aos desenhos avulsos utilizados na identificação das empresas como a concha da Shell, o “c” da Nike e a maçã da Apple, ou os peixinhos da Hering, por exemplo, são chamados pelo mercado de símbolos ou marcas. Esses podem ser sinais, desenhos geométricos, animais, ou qualquer outra representação, desde que não utilizem o nome da empresa por extenso.

Enfim gerado esse documento servirá para estabelecer normas e critérios técnicos de reprodução nos variados suportes — suportes gráficos (impressão) e suportes eletrônicos (interfaces), e como a marca deve ser aplicada em peças de comunicação, criando uma agradável marca corporativa.

Sites de criação de marcas ou logotipos podem parecer uma boa opção para quem está começando. Mas lembre-se: quanto menos dinheiro investir na sua imagem, menor qualidade terá por parte do trabalho do designer.

Registro e patente de marcas

Marca é todo sinal distintivo (palavra, figura e símbolo) visualmente perceptível que identifica e distingue produtos e serviços em relação a outros iguais ou semelhantes, qualquer que sejam suas origens.

O registro é um procedimento indispensável, pois garante a propriedade, os direitos, e protege os interesses da empresa. Também certifica conformidade de produtos e serviços com normas ou especificações técnicas determinadas.

Antes de enviar o pedido, é importante realizar uma busca para averiguar a existência de marcas idênticas ou semelhantes.

O registro de uma marca é concedido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e o pedido deve ser realizado conforme diversos critérios técnicos e conceituais exigidos para tal. Nesta página você indica a natureza jurídica da sua solicitação de registro.

A marca registrada garante ao proprietário direito de uso exclusivo em território nacional. A validade do registro de marca é de dez anos após a data oficial de concessão e a prorrogação sucessiva é permitida por lei.

Com um tempo, a marca passa a ser entendida como um referencial de qualidade daquele produto ou serviço.

– REGISTRO DE DOMÍNIO DO ECOMMERCE

Para manter a liberdade moral ou intelectual sobre o conteúdo e a manutenção do site, esse precisa estar com o domínio registrado.

Esse domínio preserva a propriedade do endereço do e-commerce, que é o portal fundamental de acesso para clientes e potenciais consumidores.

O Registro.br é o órgão oficial de registros deste tipo de domínio no Brasil. É cobrada uma taxa geralmente baixa pela manutenção do serviço.

Processos de produção 

Planejamento da coleção 

Essa é uma das atividades mais complexas, mas também a mais prazerosa para muitos.

Neste momento o estilista cria seu conceito e estilo, através da elaboração de peças para o mercado.

A organização é algo essencial no planejamento.

Quando lançamos uma coleção, devemos observar bem fatores como:

Estilo

Linha (tipo de roupa que se vai produzir ex: moda praia, sportwear, linha aeróbica etc).

Segmento (feminino, masculino, unissex, infantil…)

Público Alvo

Composição da coleção (a coleção precisa ser bem organizada para facilitar o trabalho de modelagem e montagem das peças. Devemos dividi-la em famílias).

Família:  consiste em um grupo que deve ter pelo menos 4 peças, confeccionadas seguindo uma mesma programação visual (usando os mesmos tecidos ou aviamentos, diferenciando no modelo e nas cores em sua forma de aplicação). O objetivo com isso é enfatizar as características da coleção, oferecendo ao cliente várias opções de peças do mesmo estilo.

Considere também definir alguns tópicos antes do desenvolvimento da coleção em si como análise da concorrência, tendências vigentes, técnicas e materiais disponíveis, etc.

Briefing e escolha do tema

É o momento de pesquisar mais para escolher um tema e um conceito. Pesquise, pesquise muito, essa escolha ajudará a manter uma unidade na coleção.

Quando o tema estiver definido é feito um briefing, que é o resumo de todas as pesquisas feitas e contém as informações necessárias sobre os produtos.

Faça painéis de imagens sobre a pesquisa, isso te ajudará a definir a cartela de cores de sua coleção.

A utilização da cor não pode ser feita de maneira arbitrária numa coleção. Não se limite apenas as tendências atuais de moda para escolher a cartela de cores, elas são o elemento que mais proporciona impacto e predomina em uma imagem. É preciso encontrar uma linguagem na qual se consiga atingir o objetivo desejado junto ao público alvo, a personalidade da marca e o tema predominante da coleção.

Matéria Prima: defina materiais como tecidos, aviamentos, detalhes.

Deve levar em conta o público alvo, o segmento, estilo da coleção e a viabilidade de utilização. Precisam também atender as exigências do consumidor e os padrões de qualidade da empresa.

Com todas as cartelas definidas, é hora de desenhar a peças da coleção!

Desenhos de Croquis

como criar um e-commerce de moda

Croqui conceitual da estilista Isis Rocha

Os croquis podem ser feitos de diversas técnicas e maneiras. Gere diversas alternativas para cada item da coleção.

Já sobre os desenhos finais, deseja-se que sejam claros, de fácil entendimento e compreensão. Devem conter indicação de costuras, detalhes, aviamentos, etc.

Alguns estilistas apresentam suas coleções tanto em croquis como desenhos técnicos.

Ficha Técnica: feita para melhor orientar a produção dos protótipos, em cada peça. Isso forma o arquivo e proporciona fidelidade aos modelos elaborados. Na ficha devem ser especificados todos os detalhes, desenhados separadamente, com todas as especificações necessárias para a produção.

Peça Piloto ou Protótipo:

Transformando a ideia em algo real.

Chegou a hora de fazer a modelagem e a peça piloto de cada produto. Isso é necessário para conferir se tudo o que foi desenhado é viável de ser executado e para que possam ser feitos os ajustes.

Com os protótipos aprovados, já pode ser feita a coleção!

As coleções são lançadas de acordo com um calendário oficial, geralmente de três em três meses, ou seja, de acordo com as estações do ano. Algumas empresas optam por lançar coleções cápsulas ou atemporais, não respeitando essas determinações de tempo.

Etiqueta

  • Sempre forneça informação clara e de fácil visualização dos preços
  • Deve conter informações sobre composição, tamanho e outras que se fizerem necessárias
  • As informações dos produtos precisam ser claras e precisas, nesse caso, é necessário etiqueta com indicação de como lavar, passar, entre outras, sendo permitida a utilização de símbolos.

Localização

Você precisa pensar em onde serão produzidas essas peças, desde as piloto até a coleção completa e final.

É recomendado que o ateliê de moda fosse instalado próximo a local de grande frequência de público ou residência do público alvo. Bairros populosos e proximidades de condomínios são locais bastante adequados para a instalação.

O imóvel deve atender às necessidades operacionais referentes à capacidade de instalação do negócio, ter possibilidade de expansão e disponibilidade de serviços como água, luz, esgoto, telefone e internet.

Um ateliê de moda deve compor de recepção e atendimento, local de atuação do estilista e coleta de medidas, araras, espaço onde costureiros fabricam as peças, depósito para guardar matérias primas e produtos acabados, além de um escritório destinado às atividades administrativas, financeiras, operacionais e comerciais.

Ainda se optar por terceirizar as produções e outros serviços e vender em uma loja online, deve-se levar em conta parte dos itens acima como escritório apropriado para pesquisas e produção do estilista, e depósito para estoque das matérias primas e peças acabadas, além de estoque para embalagens e equipamentos de exposição da marca, por exemplo.

Custos e valores

Para calcular e melhor definir o valor de suas peças, de forma justa, alguns pontos a se levantar são gastos realizados na produção como:

  • Aluguel
  • Água
  • Luz
  • Salários
  • Honorários profissionais
  • Despesas de vendas
  • Insumos consumidos no processo de estoque e comercialização

Salvo, o empreendedor deverá levar em conta a redução de desperdícios, a pesquisa e compra das matérias primas pelo melhor preço do mercado e controle de todas as despesas internas.

Quanto menores os gastos nessa fase, maior a chance de ganhar no resultado final do negócio.

Montando sua loja virtual

Agora vem a parte divertida. 

Existem inúmeras plataformas disponíveis online para montar sua loja, algumas delas são:

Minestore

A minestore é incrivelmente fácil de mexer e bem didático. Pode-se até dizer que é uma plataforma self-service.

É uma plataforma bem intuitiva e com um design responsivo!

Loja Integrada

Focada em pequenos e médios negócios, a Loja integrada conta com templates gratuitos e uma rede de usuários no Facebook que utilizam a plataforma e compartilham experiências.

Wix

Wix é muito conhecido na internet por ser a plataforma mais fácil de usar quando o assunto é montar um site.

Para e-commerce ele também funciona. É uma das plataformas mais personalizáveis e fáceis de mexer.

Relacionamento com cliente 

Sobre o perfil de clientes, um estudo de comportamento de compra do IEMI (2012) identificou quatro tipos de consumidores de moda:

1 – Funcional (50,7%): aquele que escolhe suas compras de acordo com o que já possui, geralmente compra em épocas de liquidações;

2 – Seguidor (36,8%): gosta de moda e sempre procura por novidades;

3 – Independente (8,5%): consome somente em último caso, impulsionado apenas pela necessidade;

4 – Multiplicador (4%): é o primeiro a adquirir novidades, lê e se informa sobre moda, gosta de consumir marcas.

Existem diversas formas de ganhar a confiança do seu cliente. No e-commerce, as principais são através do relacionamento direto através de chat online e das redes sociais.

Redes sociais 

Henry Ford já dizia “Se eu tivesse um único dólar, investiria em propaganda”.

Ao se montar uma loja de roupas é interessante criar um perfil em todas as mídias sociais possíveis para divulgar promoções, notícias e novidades da marca e editoriais com as peças.

A divulgação é um componente fundamental para o sucesso de uma marca de moda. As campanhas publicitárias devem ser adequadas ao público alvo, orçamento, à região de abrangência e peculiaridades do local.

Algumas sugestões acessíveis e eficientes são:

– Anunciar em jornais de bairro e revistas locais de moda;

– Caprichar no website com o portfólio de produtos e serviços;

– Divulgar a marca para lojas e butiques;

– Montar um showroom com os modelos produzidos;

– Desenvolver um portfólio impresso (catálogo) dos modelos produzidos;

– Participar de eventos de moda.

Deve-se sempre entregar o que foi prometido e, quando puder, superar as expectativas do cliente. Afinal, a melhor propaganda será feita por clientes bem satisfeitos e atendidos.

Os instrumentos de divulgação devem ser sempre aqueles que permitem a personalização e o destaque dos atributos e da individualidade do cliente. É comum também a divulgação através de desfiles.

Outra estratégia que pode ser considerada é a divulgação e cessão de roupas para determinadas personalidades se apresentarem em eventos ou divulgarem em suas redes sociais (os digital influencers).

Isso faz com que a roupa se torne atraente, especialmente em um rosto mais conhecido.

Redes sociais e canais de divulgação online apresentam um custo relativamente baixo e com forte e crescente abrangência nas diversas classes sociais.

Facebook 

como criar um e-commerce de moda

O Facebook também vem conquistando espaço no marketing das lojas virtuais. Tenha ele como um ótimo aliado para relacionamento com o cliente. Nele é possível atrair muitos consumidores e clientes com compartilhamentos de posts de conteúdo e informação.

Esses devem estar de acordo com o posicionamento da marca. Poste conteúdos de relevância.

É importante que você saiba exatamente com quem está se comunicando.

Você pode eleger um dia da semana para cada tipo de assunto, de forma com que isso seja uma sequencia e não deixe sua página cair no esquecimento.

Você pode e deve eleger os dias a seu favor, como por exemplo postar conteúdo de lazer nos finais de semana, e por ai vai…

Você pode definir o melhor horário de postagem, isso vai depender também do seu público alvo e seus hábitos gerais de comportamento.

É possível deixar seus posts agendados, que são publicados automaticamente para quando você programou, sem que você tenha que se mover onde quer que esteja naquela hora pra isso.

Instagram

como-criar-um-ecommer-de-moda1

Imagens e vídeos são ótimos motivadores de compartilhamento, as pessoas são estimuladas mais facilmente visualmente falando.

Integre as fotos do seu Instagram à sua loja virtual. Você pode usar fotos de suas peças sendo usadas por consumidores, por exemplo.

Isso ajuda a aproximação da marca com o público.

Sintonize suas postagens com datas comemorativas. De forma geral, todo mundo celebra datas especiais ou pelo menos estão ligadas em seus conceitos.

Com criatividade você pode e deve usar isso a seu favor e ter mais conteúdo interativo para postagens.

É a plataforma que mais entende o uso das hashtags. Faça devido e bom uso delas e voilá! Seu alcance de público e interatividade será automaticamente maior.

Você pode também mostrar aos seguidores os bastidores da marca ou em que você está trabalhando no momento, até coisas que inspiram e que tenha a ver com seu conceito.

Ser autentico com o conteúdo que você compartilha ajudará a construir conexões genuínas com seus seguidores.

A confiança é fundamental, ainda mais num segmento de moda e, principalmente por causa da entrega do produto, ou mesmo trocas e devoluções de peças.

Crie conteúdos de forma com que ajudem o cliente a escolher as roupas, assim você evita trocas desnecessárias por falta de informações ou fotos que não traduzem todos os detalhes das peças.

Blog 

Criar um blog é outra forma muito interessante de se relacionar com seu cliente.

Não necessariamente publique apenas sobre sua marca. Você pode redirecionar ou influenciar seus clientes ou potenciais consumidores publicando conteúdos referentes a tendências de moda, estilo de vida que sigam a linha de sua marca, ou sobre referências de look do dia, por exemplo.

Compartilhe esse conteúdo nas redes sociais, na descrição dos produtos e em todas as plataformas de atendimento que forem acessíveis ou que você disponibilizar, inclusive e-mail marketing.

É fundamental lembrar-se de adicionar o site e blog em diretórios especializados para empresas e motores de busca de inclusão manual como Google Adwords, Ask, Yahoo Search Marketing, Microsoft Digital Advertising Solutions, Hot Words, dentre outros.

Para as possibilidades de anúncio, um profissional de marketing e comunicação poderá ser contratado para desenvolver uma campanha específica.

A publicidade essencialmente poupa-lhe tempo. Se deseja chegar a mais visitas no seu blog, direcionando o público para o site, é provável que sem publicidade talvez demore um ano. Com publicidade, esse período pode ser reduzido pela metade.

Cuidado com a auto-sabotagem. Se você iniciou seu negócio é porque acredita que ele está 100% preparado para entrar no mercado, então não venha com a desculpa de que irá fazê-lo quando tiver mais experiência ou até que seu blog ou mídias tenham mais conteúdo.

Siga à risca o planejamento de publicidade que criou e poste sempre com qualidade e metas de atualização. Esse plano precisa ser cumprido. Criar um hábito demora anos, mas para perdê-lo basta apenas um erro.

Dentro da indústria da moda, os principais tipos de propaganda são: comerciais televisivos, outdoors e anúncios em revistas, em especial pelo uso de imagens. A revista apresenta-se como o veículo de fácil segmentação, o que o torna atrativo, pois permite à marca encontrar um canal com um público leitor similar ao seu público alvo, tornando seu investimento em marketing mais eficaz (EASEY, 2009).

Vitrine 

A imagem tem três dimensões a serem trabalhadas: funcional, conceitual e emocional (MARTINS, 1992). A dimensão funcional refere-se a evidenciar as características que o consumidor deseja objetivamente do produto, relacionadas ao seu desempenho. A dimensão conceitual trata dos conceitos criados a respeito dos produtos e marcas, que podem muitas vezes não ser verdadeiros. Por último, a dimensão emocional é a que traz o maior poder de gerar resultado, é “o sentimento positivo construído através da imagem que faz com que o consumidor pague mais” (MARTINS, 1992, P.2).

Seu e-commerce é sua vitrine.

Nele você pode e deve contar uma história. É preciso ter um tema antes de escolher como expor seu produto.

Fique atento a datas comemorativas, você pode adequar suas postagens e cores ao tema. Pense de forma criativa, em planos visuais.Descontos especiais, frete gratuito ou outras promoções e recompensas também estimulam a compra imediata.

E para ser notado, ultrapasse a linha do previsível, surpreenda e explore. Assim você chama atenção dos clientes e consumidores em potencial, além de interessados, eles ficarão instigados por sua loja.

Não adianta encher sua Page de uma vez com todos os produtos da loja, você deve mostrá-los de maneira criativa e fazer o possível para manter um campo visual limpo. Isso torna seu feed e a experiência do cliente com sua loja e produtos mais agradável.

O site da loja é seu ponto de venda. Nele deve conter o máximo de informações sobre a empresa e os produtos, de forma objetiva. Deve também ser bem estruturado, auto explicativo e de fácil navegação tanto em desktops quanto mobile, ter um design responsivo. 

Isso ajudará bastante a melhorar a experiência e evitar que o cliente não consiga concretizar a compra. Além disso, procure deixar também o template o mais perto possível da cara da marca.

Ajude o consumidor a escolher uma roupa no tamanho correto. Disponibilize uma tabela de medidas de acordo com as peças vendidas em seu e-commerce. Isso evita também possíveis trocas ou devoluções.

Fotos

As fotos dos produtos são essenciais nesse nicho de mercado. Sendo assim, elas devem ser de qualidade e possibilitar identificação de detalhes e tipo de tecido ou aviamentos da peça, e seus destaques, por exemplo.

Aqui a iluminação também é um fator superimportante. As luzes devem ser direcionadas para o foco de atenção, com cuidado de não formar sombras. Invista na luz natural e, se usar luz artificial, não coloque exatamente em cima do objeto a ser fotografado.

Você já ouviu falar de Flat Lay? Nesta técnica fotográfica os produtos/objetos são organizados em uma superfície e fotografados do alto. Você pode, por exemplo, criar looks valorizando a composição ou até mesmo os detalhes de peças.

As imagens podem (e devem) ser escolhidas de acordo com os apelos de marketing. O destaque pode ser de modelo ou conceito por meio da publicidade caracterizada pelo humor, sensualidade ou crítica, entre outros fatores comumente usados no universo da confecção.

Dicas de negócio e pós-venda

Ótimo! Você conseguiu atingir o cliente, ele gostou de sua peça, efetuou a compra e ainda deu um feedback! Parabéns, você alcançou seu objetivo inicial, o de venda! Mas fique atento ainda na parte de pós venda. Ela é talvez a etapa mais importante de fidelização do cliente.

É nessa parte que você demonstra o grau de respeito e preocupação por ele na relação mercantil.

Sem contar que clientes que voltam a fazer compras em uma loja virtual tendem a registrar um ticket bem maior de compra, pois eles confiam mais no vendedor.

Tenha cuidado e atenção a fatores como pontualidade e até mesmo integridade do produto. Isso afeta diretamente no feedback do cliente e na imagem do e-commerce.

Procure fidelizar a clientela com ações como comunicado de novas peças, remessa de cartões de aniversário ou datas comemorativas, cupons de desconto, etc.

Outra dica é a de que o empreendedor deve se manter atualizado e sintonizado sobre o setor. Fique atento às novas tendências e a apresente novidades. Este negócio requer inovações e adaptações constantes.

Valide também conceitos de comunicação de forma com que consiga manter o empreendimento em evidência no mercado e diante dos clientes e consumidores em potencial.

Manter o foco e a disciplina pessoal é a chave para conseguir atingir o sucesso. Disciplina pessoal não significa trabalhar o dia todo, 24 horas por dia, 365 ias por ano, mas sim saber quando deve trabalhar e quando deve descansar. Isso não só é muito importante para o próprio empreendedor, quanto para os outros de seu  time.

Conclusão

Parabéns, você chegou ao final do texto. E aí? Ajudei você a ter uma boa visão geral sobre como montar seu negócio de moda?

Mesmo se a resposta foi um grande sim, não pare por aqui. Para ter uma marca de destaque no mercado é essencial que você continue a ler o blog e próximos posts sobre o assunto.

Espero que tenha esclarecido algumas de suas dúvidas e tenha dado boas ideias. Saiba que apesar de ser algo que demora muito pra ser construído, seu sucesso no empreendimento virá de boas referências e estudos, além de muita criatividade!

Ah! Já ia me esquecendo! Se você gostou desse texto, compartilhe com amigos que tenham interesse no assunto, além de todo o time que auxiliará seu empreendimento e acompanhará seu sucesso. Afinal, além de esclarecer e os motivar, é super importante que eles também estejam ligados no assunto, não é mesmo?