Como fazer com que seu site não suma das buscas do Google

Como fazer com que seu site não suma das buscas do Google

Análise sobre modificação recente das buscas do Google e como deixar seu site adequado a elas

O Google domina mais de 70% do mercado de mecanismos de busca na internet, sendo o mais utilizado e conhecido pelos usuários.

Com isso, ganhar posições nas buscas do Google significa ganhar exposição e ter mais chances de sucesso.

De fato, sites que estejam em primeiro lugar nas buscas do Google recebem aproximadamente 33% a mais de tráfego orgânico.

Mas com tanto conteúdo na web, como fazer com que o seu site não suma nas buscas do Google? A seguir, confira dicas infalíveis!

Pesquise e encontre as palavras-chave corretas

Todo o processo de ranqueamento nas buscas do Google começa com uma boa pesquisa e identificação de palavras-chave.

São essas palavras que vão atrair o público para o seu site e que, portanto, são responsáveis pelo site aparecer nas buscas.

Nessa pesquisa, você vai se deparar com dois tipos de palavras chave: as long tail e as short tail.

As short tail ou cauda curta são palavras-chave mais genéricas e que possuem mais volumes de busca, como “empreender”.

Ao mesmo tempo, é muito mais difícil conseguir uma boa posição nessa busca.

As long tail ou cauda longa, por sua vez, são mais específicas e direcionadas.

Embora atraiam um público menor, é possível ter mais destaque ao utilizá-las.

No mesmo exemplo, uma palavra-chave de cauda longa seria “como empreender na crise”.

O ideal é buscar, tanto quanto possível, um equilíbrio entre palavras-chave do tipo long e short tail que se relacionem com o seu negócio, gerando mais oportunidades de ocupar uma posição de destaque nas buscas do Google.

Crie conteúdo de qualidade e otimizado para SEO

Com as palavras-chave definidas é fundamental criar um conteúdo de qualidade e que seja muito rico para o público que vai acessá-lo.

Quanto mais completo, útil e inovador for o conteúdo que você oferecer, melhor vai ser a experiência do usuário.

Isso se traduz, por exemplo, em mais tempo no site, o que é entendido positivamente pelo algoritmo do Google.

O resultado, por sua vez, é a melhora nas posições de buscas.

Cada público possui uma necessidade de conteúdo, então você deve entender melhor com quem está falando para criar um conteúdo no tamanho e na linguagem adequadas.

Além de voltar seus esforços para o usuário você também deve pensar nas práticas de Search Engine Optimization (SEO).

É o caso de utilizar a palavra-chave no título e na URL do conteúdo, em um intertítulo do tipo H2 e na introdução e na conclusão, por exemplo.

O uso de imagens de qualidade com atributo alt tag com a palavra-chave também é benéfico, assim como a criação de links internos para conteúdos semelhantes.

O ideal é aliar a aplicação de práticas de SEO a uma boa e natural experiência de leitura para o usuário, criando um conteúdo de qualidade e que tem mais chances de aparecer logo nas primeiras posições.

Jamais copie conteúdo

Quando o assunto é criar conteúdo é fundamental focar-se na palavra “criar”.

Isso porque o plágio é severamente punido pelo Google e um conteúdo que não passa de um recorte de outros artigos não vai conseguir um bom posicionamento.

No geral, o buscador dá preferência ao domínio que tiver postado o conteúdo primeiro, então ao copiar você perde a chance de ocupar boas posições.

Se for necessário citar um artigo ou mesmo se você quiser repostar solicite a autorização do autor e dê sempre os créditos.

Embora o Google ainda não seja capaz de identificar o plágio entre conteúdos com idiomas diferentes, se você traduzir um artigo ou parte dele o ideal é oferecer o link original para o seu público.

Isso gera autoridade e confiança e, eventualmente, isso impacta em posições melhores nas buscas.

Atualize seu conteúdo antigo de maneira relevante

Uma das grandes vantagens do conteúdo evergreen ou perene é que ele pode — e deve — ser atualizado.

Ao fazer isso, você dá novo fôlego ao seu conteúdo e garante que ele não suma das buscas do Google.

Por isso, periodicamente reveja seus posts antigos e realize otimizações, atualizações, acréscimo de informações e links internos e outras melhorias.

Como o Google prioriza conteúdo relevante que seja atual, ao fazer isso você impede que seus site suma das buscas, otimizando os esforços e investimentos.

Garanta que seu site seja mobile-friendly

Com o crescimento da internet móvel o Google passou a dar uma importância cada vez maior para sites responsivos, ou seja, que se adaptam a qualquer tamanho de tela.

Essa tendência culminou no fato de que atualmente ter um site adaptado para dispositivos móveis é um fator importante para o ranqueamento.

Assim, o buscador leva em consideração a exibição e a navegabilidade do seu site em telas de diferentes tamanhos.

Sites com fontes muito pequenas, com imagens que não se ajustam ou mesmo sites que não carregam adequadamente de maneira móvel são preteridos em relação àqueles que possuem um design que se adapta.

Isso faz com que mesmo que você tenha um conteúdo de qualidade, o seu site pode sumir das buscas do Google se não tiver um layout que seja perfeitamente adaptado para o uso mobile

Tenha cuidado com a velocidade de carregamento

Outro fator considerado pelo Google é a velocidade de carregamento do seu site.

Quanto mais tempo ele demorar para abrir todos os elementos, menor é o seu posicionamento nas buscas, ainda que o conteúdo esteja dentro das diretrizes especificadas.

Utilizar imagens muito grandes ou muito pesadas (como as sem otimização para web) ou ter elementos demais na mesma página torna o seu site menos propenso a obter uma boa posição nas buscas.

Recentemente, inclusive, o Google lançou o Accelerated Mobile Pages (AMP), um projeto que visa a otimizar o carregamento das páginas especialmente no mobile.

Embora esse ainda não seja um fator de ranqueamento, é provável que em breve a otimização se torne praticamente obrigatória para quem quiser bons resultados, então vale a pena começar a pensar sobre o assunto desde já.

Não utilize práticas que levem à penalização

Com o conhecimento dessas práticas de ranqueamento, muitos usuários começaram a adotar medidas para enganar o algoritmo do Google — as chamadas práticas de blackhat.

Com a evolução .do algoritmo, hoje essas práticas são penalizadas e fazem com que os sites sumam das buscas do mecanismo.

Por isso, é importante evitar esse tipo de prática para não ser penalizado.

Usar uma grande quantidade de palavras-chave (keyword stuffing) no conteúdo não apenas não aumenta sua posição, como pode tirar eu site das buscas.

Outras práticas incluem o uso de palavras-chave de maneira oculta no conteúdo ou a repetição da palavra-chave no título da página e quaisquer atitudes que tenham como objetivo enganar o algoritmo em troca de posições.

Atente-se à construção de links internos e externos

Por falar em penalidade, inclusive, é importante dar atenção ao seu perfil de links internos e externos.

Embora ganhar links que apontem para seu site seja, em geral, benéfico para ganhar posições, e apesar de links internos ajudarem na qualidade do conteúdo, é preciso ter cautela.

Se o seu site estiver sendo indicado em sites de baixa qualidade, sem autoridade ou que façam um redirecionamento do tipo spam (no chamado SEO negativo), o resultado é que seu site perde posições e pode até mesmo sumir das buscas do Google.

Nesse caso é fundamental monitorar os links que apontam para seu domínio e solicitar que o Google desconsidere aqueles com baixa qualidade.

Mesmo os links internos precisam de cuidado. Se você não utilizar as tags certas, o Google pode entender que determinado direcionamento se trata de conteúdo duplicado, o que vai derrubar suas posições.

Além disso, os textos âncoras que levam aos links internos devem ser mais genéricos, porque se forem iguais ou semelhantes à palavra-chave escolhida podem fazer com que o conteúdo não ranqueie.

Faça guest posts relevantes

Uma forma de conseguir um bom posicionamento nas buscas é ao fazer guest posts.

Apesar disso, é uma prática que deve ser executada com cuidado para não gerar os efeitos opostos.

É fundamental, por exemplo, fazer um guest post com sites que tenham a ver com os interesses do seu público.

Além disso, é importante se focar em sites que tenham conteúdo de qualidade e alguma autoridade, já que o link recebido deles influencia diretamente o posicionamento nas buscas.

Não menos importante, é fundamental tomar cuidado para dosar a quantidade de guest posts.

Se for feito de maneira muito constante isso pode gerar insatisfação no público e, de certa forma, pode ser entendido pelo Google como o oferecimento de conteúdo que não tem exatamente a ver com a proposta principal do site.

Fique de olho nas métricas mais importantes para as buscas do Google

As métricas dizem muito a respeito do seu desempenho nas buscas do Google e é importante ficar de olho para identificar possíveis problemas e necessidades de otimização.

Por exemplo, se o seu site possui uma taxa de rejeição (bounce rate) muito elevada e um baixo tempo de permanência no site, o Google entende isso como um sinal de que seu conteúdo não é bom o suficiente para responder as dúvidas dos usuários.

Como resultado, você perde posições para sites considerados com mais qualidade.

Por outro lado, se as pessoas passam mais tempo no seu site, exploram outras páginas e clicam nos links internos, por exemplo, o Google nota isso de maneira positiva e traduz em melhoria no ranqueamento.

Por isso, é muito importante fazer uma avaliação constante de métricas de acesso do seu site e também do seu posicionamento em relação às palavras-chave desejadas.

A partir disso, você poderá fazer as modificações e otimizações necessárias.

Ao colocar essas dicas em prática você vai evitar as penalizações do Google e vai conseguir posições melhores, evitando que o seu site não apareça nas pesquisas.

Para conseguir resultados melhores, aprenda mais sobre SEO e descubra como otimizar seu site para o Google.

  • Gostei da dica Millor. 😀

    Antes mesmo do Google fazer o seu pronunciamento eu já tinha uma certa expectativa sobre esse quesito, devido ao grande aumento de pessoas conectadas via dispositivos moveis, não é de se espantar que o google der preferencia a sites otimizados.

    Mas algo que talvez você não mencionou é que os sites que são otimizados para mobile só terão mais relevância em pesquisas feitas através dos dispositivos moveis, o que aparenta é que até agora esse quesito ainda não afeta os resultados no desktop.

    Em fim, parabéns pelo artigo.

    um grande abraço.

    PS: Millor, caso lhe sobre algum tempo, faça um rápida visita ao meu blog. Vou adorar ter o seu ilustre comentário em um dos meus artigos 🙂 segui o link: http://viniciosferreira.com.br

    • Oi Vinicios, tudo bem?

      Na verdade, no 3o parágrafo eu comento que a mudança reflete a busca nos dispositivos móveis, mas que existe a tendência disso influenciar em desktop mais pra frente também.

      Vou dar uma olhada no seu blog.

      Grande abraço!

  • Mihail Tipa

    Excelente artigo. Dicas muito boas. Nos já usamos algumas destas estratégias citadas neste blog no nosso site http://www.dezireimoveis.co…, mas ainda falta muito para ser feito. Obrigado pelas dicas.