como escolher um empréstimo empresarial

Quando vale a pena fazer um empréstimo empresarial (e como escolher o melhor)

Aprenda quando e como escolher um empréstimo empresarial analisando diferentes fatores para poder compreender se essa é realmente a melhor alternativa.

Muitas pessoas têm dúvida de quando vale a pena pegar um empréstimo, porém, essa não é uma dúvida exclusiva das pessoas físicas. Diversas empresas precisam de um recurso financeiro extra, mas ficam se questionando se essa é realmente a melhor opção e o quanto isso pode impactar nas suas atividades.

A questão é que precisam ser analisados diferentes fatores para poder compreender se essa é realmente a melhor alternativa. Por isso, veja o que precisa ser conferido antes de pedir o empréstimo.

Conheça o destino do empréstimo

É preciso saber muito bem em que o dinheiro será empregado. Pode ser para a compra de maquinário, pagamento de funcionários, colocar o plano de expansão em prática ou garantir uma capital de giro até que as contas estejam estabelecidas.

Sabendo onde o dinheiro será empregado, é mais fácil estabelecer a quantia adequada, evitando que se empreste um valor a mais. Isso contribuirá para que não se pague juros altos, acima do que seria realmente necessário.

Calcule o retorno

Deve-se analisar a real necessidade dessa quantia e de que forma se conseguirá obter um retorno, analisando se o investimento conseguirá no futuro cobrir esse custo. Se, por exemplo, o dinheiro for utilizado para a compra de maquinário, qual será o retorno mensal?

Depois de quanto tempo será possível recuperar o valor utilizado no empréstimo? O retorno (ROI) deve considerar também a taxa de juros que foi aplicado sobre a quantia.

Certifique-se de que será viável quitar a dívida

Se a empresa está muito endividada e não consegue encontrar uma saída, seja explorando novos negócios ou conquistando novos clientes, o empréstimo não é uma opção.

Se não tiver um plano para tirar as contas do vermelho, o empréstimo empresarial só irá adiar a falência, fazendo com que se tenha dinheiro em um curto prazo, mas que não se consiga arcar com as atuais dívidas e as que se farão no futuro.

Pense duas vezes antes de pedir o empréstimo

Antes de solicitar o dinheiro emprestado é preciso se certificar de que não há dinheiro em caixa que possa ser utilizado. Sai muito mais barato utilizar o dinheiro que a empresa já possui do que tomar emprestado.

É preciso verificar se não existem aplicações financeiras que podem ser utilizadas, imóveis ou outros bens que podem se tornar capital. Esse caminho acaba sendo mais viável, uma vez que não há incidência de juros e o patrimônio da empresa pode ser recuperado quando o dinheiro é bem investido.

Simule o empréstimo em mais de um banco

Os bancos costumam trabalhar com taxas diferentes de juros e isso pode impactar de forma considerável no valor total a ser pago. Busque mais de um banco e faça a simulação da forma de pagamento, sabendo exatamente qual será o valor das parcelas e a quantidade delas.

Busque negociar com os bancos. Se conseguir uma boa condição em uma instituição, leve a proposta a outra para verificar se é possível cobri-la.

Com esses cuidados estão os primeiros passos para que se possa fazer um empréstimo empresarial. O dinheiro da empresa precisa ser muito bem trabalhado. Saber onde será aplicado e de que forma poderá pagar os débitos é de suma importância.

Entretanto, apenas isso não é basta, se deve escolher um empréstimo adequado para a empresa, a escolha errada pode resultar em um desequilíbrio financeiro.

Como escolher o empréstimo empresarial

Não aceite o primeiro empréstimo que lhe for oferecido ou que você encontrar. Analise as propostas e se elas estão de acordo com o porte da sua empresa. Então, atente-se a esses pontos.

Não faça um empréstimo pessoal

O primeiro passo é saber que o dinheiro será usado pela empresa e, por isso, o empréstimo deve ser feito em nome dela. As contas pessoais nunca devem ser misturadas às da empresa, mesmo que ela seja pequena ou individual.

Outro ponto que pesa nesse aspecto é que as condições do empréstimo para pessoa jurídica costumam ser bem mais atraentes, com juros menores e mais parcelas para pagamento.

Considere o porte da empresa

Os bancos costumam separar as empresas de acordo com o seu porte, e isso impacta nas condições. As empresas menores costumam ter juros menores por conta das possibilidades de pagamento e contam com o empréstimo para MEI, por exemplo.

Entretanto, se o valor for alto, podem ser aplicadas as mesmas condições que são utilizadas em empresas maiores.

Considere as opções disponíveis

Os empréstimos empresariais se dividem em várias categorias, cada uma adequada a um finalidade.

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) realiza empréstimos para empresas, desde que se tenha uma finalidade específica. Para valores acima de R$ 20 milhões, toda a operação é feita diretamente com o BNDES. Agora, se a ideia é um valor abaixo disso, existem diferentes instituições financeiras credenciadas para isso.

O Microcrédito Produtivo Orientado é disponibilizado pela Caixa Econômica Federal e não tem um processo muito burocrático. São disponibilizados até R$ 15 mil para empresas de pequeno porte e até microempreendedores.

Já o Proger Urbano – Capital de Giro específica no seu nome para que serve o financiamento. Ele é uma forma de manter a empresa ativa, garantindo um capital de giro para se trabalhar a curto e médio prazo. Ele está disponível para empresas que têm um faturamento anual de até R$ 3,6 milhões.

Sabendo dessas informações, fica mais fácil decidir sobre a necessidade de um empréstimo e se ele realmente poderá beneficiar a empresa. Apesar de muitos gestores ainda torcerem o nariz para o empréstimo empresarial, ele pode ser a melhor saída que a empresa pode ter para conseguir um dinheiro rápido, alavancando o seu crescimento ou garantindo uma boa gestão financeira.

Analisados todos os prós e contras e feitas as contas, se houver condições de pagar as parcelas em dia e o retorno for interessante, não há motivo para deixar o empréstimo de lado. Entretanto, é preciso adotar todos os cuidados necessários para fazer o tipo de empréstimo adequado ao seu negócio e à realidade da empresa.

Por Jeniffer Elaina, redatora do Emprestimo.org

Agora que você já sabe como escolher o melhor tipo de empréstimo para a sua empresa, que tal fazer a leitura deste conteúdo e aprender como as inovações do mercado financeiro podem impactar o seu negócio?