como escolher fornecedores

Como escolher fornecedores para sua PME? Confira as nossas dicas

Dicas para encontrar e analisar seus futuros fornecedores

Ao pensar sobre como escolher fornecedores, grandes chances de uma única coisa ter vindo à sua cabeça: o preço.

Você provavelmente pensou em um fornecedor ideal como aquele que te dá uma boa margem de lucro em todos os produtos. A partir daí, talvez tenha cogitado escolher um que seja também cuidadoso com os prazos.

Cuidado: isso pode ser um erro.

Há empreendedores que, por natureza, têm aversão à ideia de desperdiçar dinheiro — sabem dar valor ao suor que foi necessário para fazer cada centavo e, por isso, acabam gastando até menos que o essencial.

Não raro, esse tipo de pessoa leva a fama de “pão-duro”, embora no fundo seja apenas cuidadoso com os recursos da empresa e levemente conservador.

Por outro lado, há um outro perfil de gestor que faz pouco-caso da economia.

Ele pode interpretar errado os papéis que falam que ele é “sócio” ou “acionista” e pensar no que é bom para a empresa em termos ideais, optando sempre pelos itens e serviços mais caros como se fossem os melhores.

Esse tipo sempre gasta mais que o necessário e tem o hábito de pagar por serviços que, depois, conclui serem desnecessários.

Ambos os perfis são mais comuns do que deveriam e mostram o quanto é difícil decidir qual é o melhor fornecedor para a empresa sem cair em um dos dois extremos.

Para que você também não incorra nesses dois tipos de erro, criamos este texto. Nele, serão abordados assuntos indispensáveis para uma boa escolha, como a importância da empresa que abastece o seu estoque, bons critérios para escolhê-los e algumas dicas para você não ficar perdido nessa hora.

Continue a leitura e encontre um fornecedor cujo negócio esteja em perfeita sintonia com o seu.

Como os fornecedores interferem no negócio

Bons fornecedores são como bons funcionários. É preciso enxergar o seu custo como investimento.

A excelência no produto ou serviço de uma empresa depende muito da excelência do fornecedor, a ponto de alguns empreendedores pensarem neles quase como parceiros ou sócios.

Muitas vezes, vale a pena gastar um pouco mais com esse serviço, desde que você avalie o potencial de retorno desse investimento.

Entregas no prazo, facilidade de comunicação para solucionar problemas e cuidado no transporte de mercadoria podem ser convertidos em maior faturamento e lucro para a sua empresa.

Uma marca valiosa não é construída apenas com gastos em publicidade. Ela normalmente é aquela que demonstra um cuidado maior com seus clientes e busca a excelência de um produto ou serviço. Agindo assim, é possível conseguir recomendações espontaneamente e uma reputação verdadeira.

Não são essas coisas que você procura para o seu negócio? Pois bem, isso vale para todos, inclusive para o seu fornecedor. Se aplicar nele os mesmos critérios que usa para si mesmo, vai encontrar alguém alinhado com os seus interesses.

Critérios de como escolher fornecedores

Nunca perca de vista que a sua empresa e o seu produto têm necessidades específicas.

O grande problema quando o assunto são fornecedores para microempresários não é a falta de opções ou mesmo a baixa qualidade da maioria, mas sim que alguns desses empresários nem mesmo sabem que precisam de ajuda em áreas específicas — e, por isso, nem sabem que existem fornecedores para eles.

Fora isso, pode ser difícil saber quanto vale a pena gastar e se um fornecedor é confiável. É interessante que você tenha alguns critérios antes de começar a avaliar cada um deles. Aqui vai uma lista de sugestões. Pegue papel e caneta:

Bons preços

Como você já deve ter notado pelo que falamos até aqui, o preço não deve ser o seu único critério para escolher um fornecedor. Mas ele pode ser uma espécie de termômetro.

Porque um fornecedor sai barato e outro sai caro? Ao comparar o que eles oferecem com base no preço, você pode chegar à conclusão de que não precisa pagar mais, já que as vantagens que tem em troca não se aplicam à sua PME.

Muitos fornecedores cobram mais caro porque oferecem serviços que fazem diferença para grandes empresas e não para pequenos e médios empreendedores.

Prazos condizentes

Esse ponto é crítico: o seu tempo vale muito. Por que gastá-lo com a empresa mais barata se é possível contratar alguém especializado em fazer o que você precisa em pouco tempo?

Quanto menos tempo seu fornecedor gastar com você, melhor. Isso significa que ele é capaz de resolver os seus problemas muito rápido. Ponto para você e para ele.

A relação de preço e prazo é sempre a primeira observada pelos empreendedores mais inexperientes, mas não deve ser a única.

Experiência com PMEs

Qual a experiência daquela empresa fazendo o que você precisa? Lembre-se que você busca fornecedores para a sua PME. Ela está acostumada às necessidades desse tipo de negócio? O serviço que ela oferece é para uma empresa do tamanho da sua? Do seu setor de atuação?

Ele faz exigência de uma quantidade ou um valor mínimo para realizar a entrega sem cobrança adicional?

Analisar isso te mostrará o quanto esse potencial fornecedor se esforça para ter clientes com o seu perfil, como também o nível de envolvimento dele com o objetivo de entregar valor para a sua empresa.

Nesse momento, vale a pena procurar os clientes desse fornecedor e saber se estão satisfeitos. Pergunte sobre o atendimento e suporte e compare com o preço.

Em outras palavras: não é que preço não importe, mas sim que ele é um quesito para ser comparado com outros e usado como critério de eliminação, principalmente no início da sua pesquisa.

Qualidade no transporte e na entrega

Talvez o produto que você pretende vender seja frágil ou mesmo raro. Imagine os prejuízos que uma transportadora descuidada pode gerar.

A qualidade do serviço do fornecedor, incluindo transporte do produto, armazenamento e manuseio, estão muito relacionados com os prazos.

Um fornecedor que entrega rápido é muito bom, mas se ele se oferece para cumprir prazos absurdamente curtos, comece a pensar se o seu produto não vai passar maus bocados até chegar à sua loja.

Alinhamento com os princípios da sua empresa

Não é à toa que alguns empreendedores pensam nos seus fornecedores quase como sócios.

Quanto maior a afinidade entre vocês, melhor. Isso pode parecer bobagem mas, no futuro, você e seu fornecedor vão ter boas conversas sobre o mercado, traçar estratégias juntos e até atuarem conjuntamente para defender ideias numa rodada de negócios ou junta comercial.

Em diversas situações, o melhor para você também será o melhor para ele e vice-versa.

Converse com o gestor responsável pela empresa que pretende contratar e leve muito a sério o seu nível de empatia e afinidade profissional com ele.

Situação financeira

Escolher um parceiro de negócios em apuros financeiros pode ser um tanto arriscado.

A pressa excessiva na entrega para gerar lucros rápidos, a falta de capacidade de investimento naquilo que é bom para os clientes e o estresse que esse tipo de situação gera não são saudáveis.

Para descobrir como andam as contas do seu possível fornecedor, você vai precisar conversar um bocado com os seus colegas da área.

Dicas para facilitar a escolha

Agora que você já tem uma lista de critérios seguros, vamos deixar também algumas dicas para nortear a sua busca pelo fornecedor ideal:

Evite depender excessivamente dele

Só porque dissemos para alinhar seus objetivos aos dos seus fornecedores e trabalhar com eles como se fossem parceiros ou sócios, não significa que você deve ficar completamente dependente deles.

Sua empresa vai enfrentar diversos contratempos ao longo dos anos e é bom ter a quem recorrer em cada situação. Se você já deve lidar com seus próprios imprevistos, não deixe que problemas do seu fornecedor ponham tudo a perder.

Essa dica é especialmente importante para comerciantes do tipo especialista, que recebem a maior parte dos seus itens de um mesmo fornecedor. Diversifique e corra menos riscos!

Mais cedo ou mais tarde, seus fornecedores vão ter problemas para cumprir algum compromisso que assumiram com você. Para esses casos, sua empresa deve ter um plano B. O que, aliás, nos leva à próxima dica.

Não feche contratos de exclusividade

Vão aparecer alguns benefícios para que você assine um contrato exclusivo.

Fechar um acordo como esse, porém, te expõe a muitos riscos desnecessários também. É muito difícil que as facilidades e descontos oferecidos compensem a liberdade de negociar certos itens com outros fornecedores e tornar o preço final mais barato.

Além do mais, concorrência tem seus benefícios e, ao se expor à exclusividade, você pode fazer com que a empresa que fornece para você se torne desinteressada pela excelência do serviço contratado.

Evite sacrificar sua liberdade de negociação em troca de alguns benefícios imediatos.

Crie uma relação de confiança e cumplicidade

É fundamental compartilhar informações com o seu fornecedor. Se você conhecer profundamente a forma como a logística dele funciona e ele tiver conhecimento de algumas etapas da sua, vocês vão trabalhar mais harmoniosamente e cumprir todos os prazos.

Mas cuidado: isso torna ainda mais necessário ser criterioso ao escolher quem fornece para você.

Alinhe os processos da sua empresa antes de compartilhá-los

Para compartilhar essas informações, elas devem estar bem organizadas. Planilhas desatualizadas, confusas ou mal elaboradas não vão ajudar nenhuma das partes. Certifique-se de que tudo esteja em ordem antes de compartilhar. Isso melhora a sua reputação e ajuda no processo como um todo.

Além do mais, ser metódico com essas informações é benéfico não apenas para os seus fornecedores, mas também para a saúde financeira da sua empresa e o seu processo de tomada de decisão.

Leia, estude e converse com colegas

Como empreendedores no Brasil, em sua maioria, não são gestores treinados, é normal não conhecer todas as demandas de um negócio.

Exatamente por isso, ler materiais, participar de eventos e palestras sobre gestão, fazer cursos (à distância ou presenciais) e interagir com outros empresários ajuda a ter uma visão mais abrangente das suas próprias necessidades e peculiaridades.

Considere o modelo Drop Shipping

O Drop Shipping é um modelo de e-commerce em que o seu fornecedor entrega direto para o seu cliente. Grandes lojas de departamento como Americanas, Extra e Walmart são bons exemplos de adeptos desse modelo.

Se você tem pouco dinheiro para investir no início, essa pode ser uma ótima opção, já que só vai precisar de um bom site para e-commerce e todo o seu marketing pode ser feito online.

Mas é bom também considerar que há uma tendência de esse modelo ficar saturado nos próximos anos, já que muitos novos empreendedores têm aderido a ele.

Considere a reputação do fornecedor

Atrasos em entregas, produtos que chegam em más condições para os seus clientes — ou mesmo itens que são faturados mas não chegam — mancham a sua reputação.

Lembre-se: aquele seu cliente que fez uma encomenda não está interessado em saber se a culpa é sua ou de quem cuida das entregas. Ele quer que os prazos sejam cumpridos e o produto chegue intacto às suas mãos.

Faça uma boa pesquisa a respeito da reputação de um fornecedor antes de contratá-lo. A boa imagem do seu negócio depende muito disso.

Conclusão

Mais que qualquer outra coisa, o que você deve ter em mente é que um fornecedor não é apenas uma outra empresa que presta um serviço para a sua. Ele é um verdadeiro parceiro.

Ao compreender isso, você estará pronto para gastar o tempo necessário para escolhê-lo e — mesmo que tenha tendência a gastar muito ou menos que o suficiente — vai usar mais critérios nessa escolha.

Um fornecedor que cumpra prazos, entenda as necessidades de uma PME, tenha cuidado com os produtos no manuseio ou transporte e esteja alinhado com a sua forma de pensar é o que você procura, certo?

Com sorte, você pode chegar à conclusão de que ele não é caro e nem barato, mas cobra o preço do que efetivamente faz.

Ao falar sobre como escolher fornecedores, acabamos abordando o assunto do transporte também. Que tal então aproveitar para entender melhor o que é logística e começar a preparar o planejamento dessa área tão importante?