Como abrir uma franquia: as 10 dicas essenciais

Como abrir uma franquia: as 10 dicas essenciais

1267
0
SHARE
como abrir uma franquia, mulher sorrindo

Em busca de mais liberdade e autonomia, cada vez mais pessoas estão começando seu próprio negócio no Brasil. Isso se nota ainda mais em épocas de crise, quando a carteira assinada já não é nenhum sinônimo de segurança.

Dentro desse contexto, temos percebido algo interessante: entre as pessoas que resolvem empreender, muitas acabam se perguntando como abrir uma franquia de sucesso, e decidem buscar mais informações sobre esse tipo de oportunidade.

Pensando nisso, preparamos este post com as dicas essenciais para você que está considerando esse modelo de empreendedorismo.

Naturalmente, existem vários cuidados a tomar e pontos a serem estudados. Nosso objetivo aqui é justamente simplificar o caminho para você, facilitando as suas decisões daqui para frente.

Chegou a hora de aprender um pouco mais! Vamos falar de franquia?

1. Antes de olhar para o mercado, olhe para si mesmo

Para quem não sabe o que quer, tudo é oportunidade. Já para quem pratica o autoconhecimento, é mais fácil filtrar muito as informações e tomar decisões com muito mais clareza.

Ao começar a pesquisar opções de franquia, você se depara com dezenas e até centenas de ideias de negócio. Mas antes de olhar para o mercado e entender o que ele precisa, é necessário saber o que te faz feliz.

Como você imagina o seu futuro? Por que está buscando um negócio próprio? Que benefícios você quer ter ao empreender? Quais são suas paixões?

Se você entrar nessa só por dinheiro, é bem provável que acabe se estressando bastante.

Afinal, todo empreendimento exige trabalho duro e uma série de sacrifícios. Você precisa ter um porquê forte para fazer com que esse processo valha a pena.

2. Agora sim: estude o mercado

Depois de entender seus objetivos pessoais e profissionais com a franquia, aí sim estará preparado para analisar o mercado e identificar brechas.

Que tipos de serviços ou produtos estão faltando na sua cidade ou região? O que as pessoas têm dito? Que problemas elas têm que poderiam ser solucionados? Quanto as pessoas estão dispostas a pagar por serviços e produtos? Essas respostas não vêm da noite para o dia, por isso, é fundamental que você mantenha o seu radar ligado.

Passe a ver o mundo com olhos de empreendedor. Entenda as necessidades de quem está ao seu redor, identifique lacunas e possibilidades de melhoria em diferentes áreas e, principalmente, fique atento à relação entre oferta e demanda.

Se você investir em um negócio com alta demanda que tenha poucas soluções sendo oferecidas na região, as chances de sucesso serão muito maiores.

3. Defina os seus parâmetros pessoais

Não adianta nada ficar analisando uma pilha de propostas que não se encaixam com o seu orçamento ou objetivos. Para ter mais clareza e filtrar todas as opções que o mercado apresenta, procure fazer algumas perguntas a si mesmo e definir alguns parâmetros.

Quanto dinheiro você tem para investir na abertura da franquia? Em quanto tempo pretende recuperar o seu investimento? Você aceita negócios de alto risco ou prefere franquias de risco baixo?

Tudo isso é importante, já que pode demorar meses (ou anos) até que o seu negócio comece a dar lucro. No início, é preciso plantar para colher os frutos mais adiante.

Então, definitivamente, você precisa ter um capital extra caso as coisas não andem como o esperado. Essa fase inicial costuma ser bastante desafiadora e pode se tornar estressante caso você não faça um planejamento financeiro adequado.

4. Estude as possibilidades existentes

Reparou que só no passo 4 você vai realmente estudar as diferentes alternativas e modelos de franquia? Muita gente pula as etapas anteriores e acaba trocando os pés pelas mãos.

O resultado é que a pessoa pode abrir um negócio com o qual não se identifica ou mesmo sem ter condições financeiras de mantê-lo até começar a lucrar.

Bom, essa é a hora de visitar feiras, sites de empresas, conversar com outras pessoas, pedir opiniões, pesquisar na internet e tudo mais que você puder. Tomar uma decisão como essa nunca é fácil, portanto, evite qualquer afobação.

O importante é que você levante todas as informações necessárias e esgote as possibilidades de pesquisa. Caso contrário, mais para frente ficará com uma pulga atrás da orelha, se perguntando “o que aconteceria se eu tivesse investido naquele outro modelo?”.

5. Mergulhe a fundo no negócio que você vai abrir

Quão bem você conhece a área em que vai atuar? Quem é o seu público-alvo? Quais são os sonhos e frustrações desse público? O que ele gosta e valoriza? O serviço ou produto da marca vende bem? Que tipo de ponto de venda os franqueados de sucesso costumam ter? O que há de comum entre eles?

É fundamental que você saiba tudo sobre o ramo da franquia que vai abrir. Se for preciso, arrume um emprego na área antes de entrar de cabeça. Aprenda, faça perguntas, estude.

Esse tipo de atitude deve ser tomado no início do processo para que você não se arrependa mais tarde.

6. Construa relacionamentos com outros franqueados

Os franqueados da marca são pessoas como você, com os mesmos desafios e objetivos. Converse com eles e aproveite para visitar pessoalmente um bom número de franquias. Se possível, fale também com ex-franqueados e entenda quais as dificuldades e sucessos que eles tiveram.

Essa troca de experiências é ótima, pois permite que você entenda o dia a dia do negócio e descubra quais são as fraquezas da área em que vai atuar.

Além disso, você vai ficar sabendo se na prática da operação as coisas realmente ocorrem como o prometido ou se existem pontos que não estavam claros até então.

7. Preencha o cadastro, estude a Circular de Oferta e analise o contrato

Na maior parte dos casos, o futuro franqueado é convidado a preencher um cadastro pelo site da marca. Esse é o instrumento usado para que a empresa faça uma análise do seu perfil e veja se você se encaixa.

Essa etapa é ótima para os dois lados, já que serve para esclarecer vários pontos sobre os quais ainda podem haver dúvidas.

Uma vez que você tem seu cadastro aprovado, a empresa deve mandar a Circular de Oferta de Franquia (COF). Esse documento está descrito na Lei nº 8.955 e deve ser entregue a você pelo menos 10 dias antes de qualquer pagamento ou assinatura.

Essa circular terá todas as informações sobre a empresa, como situação financeira, situação legal da marca, investimentos que o franqueado precisará fazer, pagamentos a serem efetuados, entre outros.

Normalmente, junto com a COF você também receberá uma cópia do contrato. Essa é uma etapa que não pode ser negligenciada, portanto, contrate um advogado de confiança se achar necessário.

Estude detalhadamente cada cláusula, pois assim você estará protegido e evitará surpresas desagradáveis no futuro.

Em alguns casos, você pode negociar algum ponto específico, como a multa por invasão de território ou até mesmo um desconto no investimento inicial ou royalties, caso seja um dos primeiros franqueados a aderir à rede.

No momento em que o contrato ou pré-contrato é assinado, também ocorre o pagamento da taxa de franquia.

8. Escolha o ponto de venda

Algumas franqueadoras ajudam na escolha do ponto, enquanto outras somente aprovam ou reprovam o local. Nessa etapa é importante encontrar um imóvel com bom custo-benefício, em uma área que receba um bom número de pessoas.

Mas não é só isso: você também precisa conferir se o ponto de venda está em uma área que permite que a atividade pretendida seja exercida (não pode ser uma zona exclusivamente residencial, por exemplo).

Assim você conseguirá o alvará de funcionamento para abrir a loja. Com tudo ok, é hora de providenciar a locação e ir ao cartório para abrir sua empresa propriamente dita.

9. Aproveite as facilidades do modelo de negócio

É normal que, pelo fato de estar abrindo um negócio próprio, você queira fazer as coisas do seu jeito. Só não se esqueça de que todo franqueado precisa seguir certas exigências e padrões da franquia.

Veja isso como algo bom: você não precisa se preocupar com aspectos como identidade visual, decoração e até mesmo tipos de produtos ou serviços.

Aproveite o fato de ter em mãos um modelo de negócio com sucesso comprovado e foque na parte operacional, buscando atender aos clientes da melhor forma possível.

10. Seja paciente

Como você já sabe, o retorno sobre o investimento não acontece num passe de mágica. É preciso ser paciente e seguir trabalhando com consistência.

Se as coisas demorarem para acontecer, não deixe que isso afete o trabalho do dia a dia. Uma vez que os seus clientes estejam satisfeitos, é uma questão de tempo até que você se estabeleça de vez no mercado.

E então, conseguimos te ajudar com esse conteúdo? Com certeza agora você já tem muito mais conhecimento sobre como abrir uma franquia.

Inclusive, já pode estudar as possibilidades com muito mais propriedade, avaliando os pontos positivos e negativos de cada uma delas.

Os desafios são grandes, como em qualquer empreendimento, mas o importante é que sempre haverá espaço no mercado para quem está disposto a arregaçar as mangas, batalhar e seguir aprendendo!

Gostou deste post? Quer sair do lugar de uma vez por todas? Então confira também as nossas dicas de como tirar ideias de negócio do papel!