Conheça o blockchain: sistema baseado no bitcoin para empreendedores

Ainda não é possível falar sobre o blockchain sem citar bitcoins ou criptomoedas. As duas tecnologias estão bastante ligadas, porém, este cenário está mudando de maneira cada vez mais rápida.

A associação entre blockchain e bitcoin fica mais fácil de entender quando sabemos que ambas foram criadas e ganharam notoriedade de forma conjunta. O primeiro é basicamente o complemento do segundo. Mas, as empresas em geral já perceberam que os benefícios do blockchain podem ir muito além das criptomoedas.

Então, nesse artigo falaremos sobre os principais pontos do blockchain: o conceito, sistema de funcionamento, os benefícios da ferramenta e por que as empresas devem se importar com a tecnologia.

Acompanhe o artigo e boa leitura.

O que é o blockchain?

O blockchain surgiu originalmente como um dos códigos fontes do bitcoin. O primeiro conceito que tivemos sobre a tecnologia foi no artigo “Bitcoin: um sistema financeiro eletrônico peer-to-peer”, publicado em 2008.

O autor do artigo foi também o inventor do bitcoin, Satoshi Nakamoto. Na verdade, ainda existe uma dúvida sobre a verdadeira identidade desse nome, muitos acreditam que seja um grupo de pessoas que se utilizam desse pseudônimo.

A identidade de Nakamoto levanta ainda mais suspeitas, pois, desde 2013, “ele” não está mais ativo na internet.

Segundo o próprio artigo de 2008, o blockchain é uma forma de Base de Dados Distribuída. A tecnologia armazena registros de transações e as torna à prova de violação.

Ou seja, em um cenário de bolhas financeiras, o bitcoin surgiu para dar maior confiança ao mercado e assegurar transações mais transparentes. O blockchain era a peça que garantiria tudo isso.

Basicamente, o blockchain foi a tecnologia que assegurou o sucesso da bitcoin, pois com a sua implementação não era possível:

  • utilizar a mesma bitcoin duas vezes;
  • mascarar transações;
  • enviar números diferentes dos registros.

Como funciona o blockchain?

Assim como o bitcoin, o blockchain é uma tecnologia um pouco complexa (na verdade, bastante), mas, de forma geral, funciona como blocos de informações acorrentados uns aos outros – fazendo jus ao nome.

Para entender o funcionamento do blockchain é preciso detalhar três termos: hash, ledger e nós.

Hash

De forma simples: o hash é uma posição matemática que gera um código de letras e algarismos que passará a representar os dados inseridos pelo usuário. Em outras palavras, o hash transforma uma grande quantidade de informações em uma pequena quantidade de dados.

Como o blockchain funciona em blocos, esse trabalho de “adaptação digital” feito pelo hash é fundamental.

Quando transforma as informações, o hash gera uma assinatura ao bloco. Se os dados contidos forem alterados, o hash automaticamente mudará. Sempre que um bloco novo é criado e contém o hash anterior é formado um tipo de selo.

Se o bloco for alterado e o selo rompido, a identificação e invalidação do mesmo se torna mais simples.

Ledger

O ledger é conhecido como o livro-razão. Na prática, é a parte que mais transparente da tecnologia. Quando qualquer informação é gravada no ledger, não é mais possível apagar.

Nós

Os “nós”, nesse caso, são de objetos atados. No blockchain, esses “nós” são grupos de participantes que possuem o mesmo interesse. Por exemplo, os “nós” são pessoas interessadas em transferir dinheiro.

Nesse sentido, existem dois tipos de grupos:

  1. Transacionais – aqueles que geram ou escrevem seus próprios blocos.
  2. Mineradores – que pesquisam por blocos válidos.

Em suma, o blockchain funciona como uma rede segura de negócios. Os participantes do negócio realizam transferência de ativos gravados em um ledger, em que todos os usuários do mesmo grupo possuem uma cópia.

eBook sobre educação financeira.

O segredo do blockchain é que cada novo bloco criado carregará as informações digitais do anterior, juntamente com o seu próprio conteúdo, criando uma impressão digital própria. E isso acontecerá sistematicamente. Assim funciona o blockchain.

Quais os benefícios da utilização do blockchain?

Apesar de ter sido criado com o bitcoin, o blockchain há muito tempo deixou de ser uma ferramenta exclusiva da criptomoeda. A tecnologia já vem sendo utilizada por várias empresas, sendo conhecida até mesmo como “protocolo de confiança”.

Entre os principais benefícios obtidos na adoção do blockchain, estão:

  • transparência;
  • privacidade;
  • segurança.

Transparência

As informações gravadas no ledger (livro-razão) são compartilhadas com os participantes da rede e todos podem acessar facilmente. Sempre que uma transação é realizada, automaticamente é registrada no ledger.

Privacidade

Apesar das informações serem acessíveis à todos os participantes, é possível garantir privacidade de alguns dados no blockchain. Os detalhes das transações são de acesso público, mas se o usuário desejar ocultar o seu endereço, isso pode ser feito sem problema. A privacidade desses dados não prejudica de forma alguma a validação do bloco.

Segurança

**O benefício que transformou o blockchain em uma ferramenta revolucionária. **A tecnologia não permite que o documento registrado seja alterado. Com isso, as empresas podem ter a certeza de fechar negociações de acordo com o termos firmados.

Além disso, todos os participantes da rede podem verificar os acordos fechados, zerando a possibilidade de fraudes.

Por que as empresas devem se importar com o blockchain?

Os benefícios da adoção do blockchain são claros. A tecnologia é realmente revolucionária. Mas, como isso pode ser aplicado e aproveitado no cotidiano do empreendedor? Várias empresas já aplicam a ferramenta em suas rotinas de trabalhos, conseguindo bons resultados.

Meios de pagamento mais rápidos

O blockchain pode ser utilizado como meio de pagamento bem mais rápido que os convencionais. Por exemplo, se uma empresa realiza muitas transações internacionais, naturalmente os processos são mais lentos e burocráticos.

O blockchain dinamiza as etapas, pois elimina a necessidade de intermediários. Como o acesso dos blocos é possível para todos os participantes. O processo acontece de forma real e direta, sem bancos.

O mais interessante é que menor burocracia não significa menor segurança. Nesse caso, é justamente o contrário. Como todos os dados são verificáveis, o risco de fraudes é praticamente zero.

Smart Contract

Também conhecido como contrato inteligente, é um código digital criado para simplificar, executar e assegurar operações no blockchain. Em outras palavras, o smart contract segue o conceito inicial: formaliza negociações sem a necessidade intermediários.

Diferentemente do contrato físico, que possui linguagens jurídicas particulares e, muitas vezes, passíveis a múltiplas interpretações, o contrato inteligente é criado em linguagens digitais e totalmente inalteráveis.

O smart contract é mais seguro e transparente quando as obrigações e consequências são colocadas de forma clara para todas as partes envolvidas.

Utilização de instituições financeiras

Os bancos estão se rendendo e estudado a tecnologia blockchain. Muitas instituições já investem valores consideráveis em pesquisas para desenvolvimento de ferramentas semelhantes ao blockchain.

**Algo que pode até mesmo parecer contraditório, pois os bancos foram os primeiros a demonstrar insatisfação com a expansão do bitcoin. **Por outro lado, já há uma ideia de que o blockchain pode trazer benefícios fora das critptomoedas.

Utilizando o blockchain, os bancos demonstram maior transparência nas transações para os seus usuários. Além é claro, sem intermédios, os processos se tornam mais dinâmicos e menos onerosos. Esqueça a CPMF em transações na blockchain.

Para as empresas, a adoção dos bancos ao blockchain é benéfico exatamente nesses dois pontos: agilidade e diminuição de custos. As taxas e burocracias bancárias são altas e obrigatórias, dificuldades que atrapalham o desenvolvimento de muitos empreendimentos e atração de clientes.

Além disso, quando as próprias instituições financeiras admitem que a tecnologia blockchain é segura ao ponto de ser utilizada em processos internos, os empresários ganham mais respaldo para aplicar em negociações com clientes e parceiros.

Utilização por outros países

O respaldo do blockchain aumenta quando, além dos bancos, várias outras nações já utilizam o sistema para realizar transações. Até mesmo os pagamentos públicos, realizados de forma ética. Isso só facilita a vida dos empresários que trabalham com negociações internacionais rotineiramente.

Por exemplo, o primeiro benefício citado nesse tópico é justamente a forma de pagamento baseada no blockchain.** Mas, isso só pode ser realizado de forma internacional se outros países reconhecerem a tecnologia como segura.** Isso, de fato, está acontecendo.

Quem confia no blockchain?

A descrença ao bitcoin e a ideia de que seja uma bolha inflacionada que irá estourar a qualquer momento passa uma ideia equivocada sobre o blockchain.

Porém, é factível dizer que muitas organizações (e gigantes como a própria IBM) já entendem e vislumbram um grande caminho com a tecnologia de segurança.

O maior exemplo de fortalecimento da ferramenta é o adoção que o setor financeiro demonstra a cada dia. Os benefícios são claros e os empresários não desejam ficar para trás com convicções ultrapassadas.

Então, leia atentamente as informações apresentadas no artigo e analise se o uso do blockchain não pode ser a maneira mais assertiva para demonstrar transparência nas transações feitas por sua empresa.

**Gostou de saber as informações mais relevantes sobre o blockchain? **Compartilhe esse post nas redes sociais e descubra quantos colegas empreendedores estão dispostos a adotar a rede.

comments powered by Disqus