bitcoin

Bitcoin: o que é e como ganhar dinheiro com a criptomoeda!

Nos últimos anos, os assuntos Bitcoin e Blockchain têm ganhado muita relevância no meio corporativo.

Nos últimos anos, os assuntos Bitcoin e Blockchain têm ganhado muita relevância no meio corporativo.

Evidentemente, isso acontece por boas razões. Uma delas é o fato do Bitcoin figurar pelo segundo ano seguido como o melhor ativo de investimento do mundo.

Para se ter ideia, em 2010 você poderia comprar 1 bitcoin por US$1. E, se tivesse guardado e vendido ao final de 2016, poderia ganhar USS$1000 (mil dólares) pelo mesmo 1 BTC.

Muito além dos investimentos, o Bitcoin é uma moeda digital que tem diversas funcionalidades, inovações no campo econômico e tecnológico que precisam de uma boa explicação.

É por isso que estamos aqui! Confira a seguir um guia rápido de como entender o Bitcoin e começar a fazer negócios!

O que é?

Aprenda tudo sobre o mundo das moedas virtuais!

A criptomoeda

O nome “Bitcoin” pode fazer menção a várias coisas. Uma delas é a unidade monetária. No ambiente da internet, bitcoins são aceitos como meio de troca em compras e vendas comuns.

Essas transações de bitcoins seguem um protocolo baseado em criptografia e matemática computacional.

Esse protocolo é praticamente inviolável, permitindo que o sistema funcione sozinho, sem um dono ou administrador, basta as pessoas usarem!

Por ser totalmente digital e só funcionar através da internet, os bitcoins podem ser fracionados em partes muito, muito pequenas.

Você já imaginou gastar menos de um centavo? No caso do Bitcoin, os valores podem ser fracionados em até oito casas decimais.

Isso significa poder realizar micropagamentos de até 0,00000001 BTC. Prepare-se para presenciar grandes mudanças nesse tipo de pagamentos daqui em diante!

Além disso, há uma curiosidade interessante e bastante explicativa. Você notou como a palavra “bitcoin” apareceu iniciando com o “B” hora maiúsculo, hora minúsculo?

Essa definição acontece justamente para diferenciar a unidade monetária, os bitcoins, dos outros papéis que o Bitcoin representa. Enquanto isso, o Bitcoin como negócio como rede descentralizada de circulação de dinheiro são referenciados com “B” maiúsculo.

A Rede Bitcoin

Uma outra forma de referenciar o Bitcoin é a sua rede. Já mencionamos aqui que ela funciona sozinha, mas como?

É o que, em linguagem técnica, se chama rede descentralizada. Isso significa que todos os usuários da Rede Bitcoin têm os mesmos privilégios, mudando apenas o papel desempenhado por eles.

Além disso, os usuários compartilham de todas as informações da rede ao mesmo tempo, dispensando a necessidade de um agente central que coordene tudo.

Apesar da informação ser compartilhada, ela é criptografada, permitindo que você saiba detalhes apenas das transações bitcoin que você participa. Todo esse processo é baseado em um consenso matemático, que realiza uma espécie de auto validação, chamado proof-of-work.

Somente com a quebra desse consenso a rede poderia ser fraudada. Entretanto, isso requer um poder computacional tão grande que nem mesmo os computadores mais caros do mundo conseguiriam. Trata-se de um fator que faz a rede ser muito segura, mais do que quaisquer bancos do mundo.

Quais são as suas características?

Continue acompanhando o nosso artigo e descubra quais são as principais características dessa “moeda”.

Privacidade

Toda vez que alguém transfere valores, isso precisa ficar registrado em algum lugar, correto? Essa regra continua valendo aqui, e levada a níveis aprofundados.

A cada uma destas transferências ou transações bitcoin, um registro é criado é lançado em uma rede pública chamada Blockchain. Entretanto, como mencionado, essas transações são codificadas e você só pode saber detalhes sobre as trocas que você realiza.

Isso significa que nomes e dados dos envolvidos sequer são requeridos pelo sistema. Tampouco há diferenciação por nível de renda, origem, aparência ou qualquer característica.

Isso torna o processo bem mais democrático e, ao mesmo tempo discreto. Uma alternativa interessante às operações bancárias e de cartão de crédito, cujas organizações têm livre acesso (e estão sujeitas a ataques hackers constantes).

Descentralização

Agora, vamos explicar com detalhes o que é uma rede descentralizada. Existem dois tipos de usuários:

Gastadores e recebedores

são as pessoas que usam bitcoin como um ativo comum. Utilizam para comprar e vender produtos e serviços, investir ou poupar.

Evidentemente, esses usuários hora estão na condição de gastadores, hora de recebedores.

Uma característica interessante do envio e do recebimento em bitcoin é que a transação é de ponto a ponto, de uma pessoa para a outra, sem um agente central que coordene tudo — tal qual um banco.

Mineradores

Para um sistema processar milhões de transações simultâneas no mundo inteiro, é preciso um combustível.

Esse combustível são os mineradores: pessoas comuns ou empresas que usam computadores especiais para fornecer capacidade de processamento para a rede.

Isso significa que você, em qualquer lugar do mundo, pode conectar seu computador ao Bitcoin para processar as transações que acontecem entre as pessoas. Claro, tudo isso em troca de uma remuneração em bitcoins.

Rapidez

Todas as transações podem ser feitas para qualquer lugar do mundo, a qualquer hora, em questão de minutos. E o melhor de tudo isso é que o preço desse envio custa, em média, de alguns centavos.

Isso significa poder enviar dinheiro para alguém do seu lado, no seu bairro ou na China com a mesma rapidez e pagando as mesmas taxas.

Diferentemente das transações bancárias e dos pagamentos em cartão, essa taxa não é fixa para o Bitcoin. As taxas pagas para enviar valores em bitcoin, no caso, são de livre escolha de quem envia.

O que acontece, portanto, é que as transações com taxas de transação mais generosas serão processadas primeiro pela rede.

Embora essa característica pareça ser um problema, ela é uma grande solução: a taxa de transação de equilíbrio, na maior parte do tempo, gira em torno dos R$0,50.

Portanto, se você está sem pressa para ter a sua transação aprovada, pode pagar ainda menos centavos por isso. Em contrapartida, mesmo quem precisa enviar dinheiro imediatamente pode fazer isso a partir de valores bastante modestos.

Somente em caso de congestionamento da rede, quando os mineradores estiverem sobrecarregados, essa taxa faz diferença no tempo de confirmação. Mas esse tipo de evento é muito raro, com poucas ocorrências ao longo de um ano, por exemplo.

Transparência

Já sabemos que é possível checar os dados de todas as transações, e que elas são criptografadas e guardadas na Blockchain.

E, se a Blockchain é um registro público, é suposto que seja possível vê-la a qualquer momento, não é mesmo? Portanto, se você quer vê-la funcionando, pode fazer isso clicando aqui!

Esse sistema funciona da seguinte forma: a cada vez que duas pessoas trocam bitcoins — um envia e outro recebe —, um código é gerado.

Esse código representa uma transação bitcoin, registrando a quantidade de bitcoins a serem enviados e os endereços das carteiras do remetente e do recebedor.

Para ambas as partes concordarem com essa transação, ela precisa ser assinada digitalmente, o que é feito automaticamente por um software de carteira através de um mecanismo de chaves privadas.

É como se, para cada troca, fosse criada uma fechadura que somente o recebedor e o remetente têm a chave.

Segurança

Para fazer transações em bitcoin, não são requeridos registros, documentos ou perguntas. E você pode começar imediatamente!

Graças à descentralização, a burocracia é zero para essa criptomoeda. Contudo, o que isso influi na segurança?

Primeiramente, esse modelo livra os usuários dos riscos econômicos. Riscos estes, que são oriundos de más políticas públicas, inflação e outras influências humanas na “governança do dinheiro”.

Vale lembrar que os brasileiros já experimentaram diversas peripécias dos governantes nesse campo, desde planos monetários ineficientes a confisco de poupança.

Em seguida, vêm a proteção contra os riscos da custódia do dinheiro. Ao guardá-lo em bancos, você está sujeito a ter seu sigilo quebrado, sofrer espionagem, ser cobrado injustamente, sofrer estornos, ter a sua conta congelada ou mesmo confiscada.

Para esse problema, a custódia do dinheiro é feita totalmente pelo usuário. Assim, todos que possuem bitcoins podem armazená-los em suas carteiras digitais pessoais.

Essas carteiras são arquivos guardados no seu próprio computador ou em dispositivos de fácil mobilidade, como pendrives e outros gadgets próprios para esse fim.

Em contrapartida, você se torna responsável pela segurança do seu dinheiro, sendo necessário conhecer alguns procedimentos de segurança digital.

Como ganhar dinheiro?

Como todas as tecnologias que envolvem finanças, muitas promessas e golpes aparecem, sobretudo para pegar os usuários mais desprevenidos.

Portanto, se você chegou até aqui e está interessado em ganhar dinheiro com o Bitcoin, há algumas lições de ouro que você precisa saber.

Primeiramente, assim como qualquer outro tipo de moeda — como o real ou o dólar —, não é possível ganhar dinheiro sem fazer nada.

Desconfie de negócios que façam ofertas mirabolantes ou promessas de rendimentos absurdamente altos e seguros ao mesmo tempo.

Somente é possível ganhar bitcoins através de mineração ou fazendo negócios: realizando comércio, prestando serviços ou assumindo os riscos de um investimento.

Comércio e trabalho

Hoje, é possível comprar e vender diversos produtos e serviços usando bitcoins. Muitas vezes, não é preciso sequer ter uma carteira de bitcoins para isso.

Hoje, existem processadores de pagamento que fazem todo o trabalho para você, inclusive recebimentos em bitcoin com conversão imediata e depósito em reais!

Claramente essa é uma oportunidade lucrativa, uma vez que você substitui a taxa das operadoras de pagamentos e cartões de crédito pelas operações em nível de centavos da Rede Bitcoin.

Isso pode se converter em desconto para os seus clientes ou mesmo uma maior margem lucro sobre cada venda!

Se uma operadora de cartão de crédito cobra, por exemplo, 6% de taxa sobre cada venda que você realiza, você pode se livrar desse custo quando o recebimento for em bitcoins!

Ativo de investimento

A ausência de burocracia e a rapidez do Bitcoin está abrindo a porta do mundo dos investimentos para várias pessoas.

Quem, anteriormente, não se sentia à vontade para procurar um banco de investimentos, por exemplo, agora pode começar a investir imediatamente pela internet.

Em muitas bolsas de bitcoin, sobretudo estrangeiras, você pode criar uma conta em segundos, inserindo apenas dados supérfluos, como nome e email.

Além disso, assim como o investimento em quaisquer moedas, o Bitcoin não remunera os usuários.

Aqui, a forma de ganhar dinheiro é na variação do preço de mercado dos bitcoins. É o famoso processo de “comprar na baixa e vender na alta”.

Entretanto, como essa tecnologia ainda é recente, as pessoas e as organizações aos poucos vêm entendendo melhor o Bitcoin e as suas possibilidades.

Consequentemente, à medida que mais pessoas adotam o bitcoin, sua capitalização aumenta e seu valor sobe. Não é à toa que, entre janeiro de 2015 e janeiro de 2017, o preço de 1 BTC saltou de US$313,00 para US$900.

Se você se assustou com todo esse valor para apenas uma unidade, lembre-se do poder de fração dos bitcoins, em até oito casas decimais após a vírgula!

Quais precauções é preciso tomar?

Por fim, se lembre de pesquisar muito bem antes de fazer qualquer investimento e entenda todos os fatores que circulam nesse meio.

Nunca invista quantias que você não esteja disposto a perder; leia blogs, notícias e se mantenha próximo da sua comunidade.

Afinal, embora o Bitcoin esteja se valorizando, isso acontece em ciclos de altos e baixos, e você precisa se posicionar estrategicamente.

Dizem que o Bitcoin vai fazer com o dinheiro o mesmo que o e-mail fez com os correios. E você? Já está preparado para essa revolução digital? Então conheça o nosso post sobre retorno sobre investimento (ROI) e entenda como lucrar em qualquer mercado!