Letícia Abrantes

Analista de Marketing na Rock Content.
Futura publicitária e sagitariana. Acredito que melhores coisas do mundo são: unicórnios, amor e bom humor.



seja a inspiração

Seja a inspiração que falta no seu time!

O papel de gerir um negócio ou até mesmo um time traz várias responsabilidades para a vida de um empreendedor.

O papel de gerir um negócio ou até mesmo um time traz várias responsabilidades para a vida de um empreendedor.

A grande questão é que todos esperam que você seja a inspiração para todo o resto do seu time. Acredite, a sua história pode ser motivadora e como consequência sua equipe pode ter o desejo de entregar resultados cada vez melhores.

Mas aí vem a pergunta: como ser a inspiração que o seu time precisa? Por trás de todo empreendedor existe uma grande história — que deve ser contada — e alguns princípios que podem ser a influência que faltava para a sua equipe.

Separamos 3 áreas da vida de um empreendedor: o líder, o profissional e o que ele realmente é na vida fora do escritório. Vamos falar um pouco mais sobre isso?

Acompanhe neste artigo quais atitudes serão necessárias para ter um time cada vez mais engajado e entrosado, entregando melhores resultados baseados na inspiração que você representa para eles.

Seja a inspiração quanto a liderança que você exerce

Já falamos algumas — muitas — vezes sobre a importância de ser um bom líder na hora de fazer a gestão de pessoas que estão envolvidas no seu negócio.

Não é segredo para nenhum empreendedor que os seus funcionários são o reflexo das suas atitudes e daquilo que você acredita.

Algumas particularidades de uma boa liderança podem ser fundamentais para motivar diariamente os seus funcionários.

Inspirar alguém vai além de ser uma referência. É criar uma relação de respeito por quem você é e respeito pelas decisões que você toma enquanto líder.

Acompanhe a seguir 3 atitudes totalmente inspiradoras na hora de exercer a sua liderança!

Ajude a sua equipe a desenvolver algumas competências

Tem algo mais inspirador do que caminhar lado a lado com todos que ajudam o seu negócio a crescer? Acreditamos que não!

Ajude a sua equipe a desenvolver algumas competências. No final, isso tudo trará retorno para a sua própria empresa.

Cresça, aprenda e aprimore suas habilidades, junto, lado a lado com o seu time. Tudo o que você sabe não é nada perto do que você ainda pode aprender. Complicado? Nem tanto!

A verdade é que você é a parte mais interessada no sucesso do seu empreendimento — ideia que você pensou e acreditou antes de qualquer outra pessoa — e por isso vale a pena dar tudo de si para ter funcionários cada vez melhores e mais especialistas ao seu lado.

Valorize cada colaborador da sua equipe

Se você chegou até aqui é porque o seu objetivo é se tornar a inspiração do seu time, não é mesmo?

Pode parecer clichê, mas quando falamos sobre valorizar cada parte que forma a sua equipe, não estamos falando só de questões financeiras, rotina justa de trabalho ou qualquer coisa deste tipo.

Valorizar a sua equipe está em pequenos gestos. Conheça um pouco sobre cada membro da sua equipe, saiba os nomes, os gostos e até mesmo os sonhos deles.

As pessoas são muito mais do que o resultado que elas entregam para o seu negócio. Um vendedor, por exemplo, é muito mais do que o lucro de uma venda realizada.

Seja presente no dia a dia

Sabemos que, quanto mais escalonável o seu negócio se torna, mais chances existem de você se ausentar do dia a dia e da rotina da sua equipe.

E por isso essa atitude entrou para nossa pequena lista do que esperamos que você faça para se tornar uma grande inspiração.

Essa ação é um reforço de tudo o que falamos acima. Ser um bom líder é manter as relações além do virtual. Saia do email, prefira conversas presenciais e acompanhe a rotina de todos.

Acredite, esse é um dos conselhos mais valiosos de todo esse artigo. Estar mais presente significa entender de fato os desafios que toda a sua equipe enfrenta, desafios esses que podem atrasar o seu sucesso.

Seja mais acessível! As pessoas não precisam sentir medo de falar com você.

Seja a inspiração quanto ao profissional que você é

Partimos para um ponto mais racional da coisa. Empreender não é só a razão, mas boa parte se resume a isso.

Chegou a hora de falar da parte prática do empreendedorismo. As suas experiências contam muito para as tomadas de decisões e futuros passos da sua empresa.

E por isso selecionamos outros 3 pré-requisitos que fazem de você uma inspiração quanto ao seu lado profissional e prático de gestão. Continue acompanhando!

Saiba lidar com a crise

O cenário empreendedor é cheio de altos e baixos. Diariamente é preciso lidar com fatores externos que podem mudar totalmente a sua estratégia de mercado.

As crises acontecem e você precisa saber lidar com elas!

Se você estiver com a “cabeça no lugar certo”, mesmo em meio ao caos, vai transmitir a confiança que os seus colaboradores precisam para passar por esse momento turbulento.

Proponha algo criativo sempre que for preciso

A criatividade não é só uma habilidade para momentos ruins. Sempre há a possibilidade de melhorar e de crescer os seus negócios.

Proponha soluções criativas! Isso vai influenciar os seus funcionários na hora de lidar com os pequenos desafios do dia a dia.

Se você é visto como “ousado” na hora de propor soluções, você deixa toda a sua equipe mais à vontade para que, quando eles mesmos precisarem solucionarem desafios ou aprimorar algum processo da sua empresa, se sintam aptos e confortáveis para fazê-lo.

Vale lembrar que criatividade é algo totalmente exercitável — caso você não se considere uma pessoa criativa.

Seja firme nas suas decisões

Essa é a parte mais racional deste tópico! Ser firme nas suas decisões e confiar na sua capacidade de análise e escolhas.

Essa é uma atitude admirável em todo profissional, seja ele um empreendedor ou um funcionário de alguma empresa.

Mesmo se todos não concordarem com a sua ideia ou decisão, ou acharem que tudo é uma loucura, continue firme. Você é o principal interessado em realizar melhorias para a sua empresa, e por isso deve acreditar no que propõe.

Devemos te lembrar que, se você não tivesse acreditado em si mesmo antes de começar o seu empreendimento, talvez você não tivesse chegado onde chegou e muito menos estaria lendo este artigo agora.

Se você passar confiança nas suas opiniões para os seus funcionários, mais uma vez você estará sendo uma inspiração para eles!

É importante ressaltar que isso não significa que a sua ideia será sempre a melhor, estamos falando da confiança necessária para você conseguir gerir as pessoas com sucesso.

Seja a inspiração também fora do escritório

O que o empreendedor é, independente da função que ele exerce na empresa, é a última parte que compõe a figura empreendedora.

Caráter não é uma coisa que se aprende depois de entrar no mundo dos negócios, pelo contrário, esse é um mundo que pode ser muito glamouroso e corrompedor.

Acompanhe as 3 atitudes finais — em relação à parte emocional — que são fundamentais para que você seja a inspiração para o seu time.

Seja justo acima de tudo

Grandes homens precisam ser justos. Empreendedores precisam ser justos!

Preserve o seu bom coração. Isso não significa dizer sim para tudo. Na verdade, isso nada mais é do que fazer o que realmente tem que ser feito.

Não se corrompa por processos que facilitam a sua vida, gestão e nem permita que isso aconteça dentro da sua equipe.

Antes de ser qualquer exemplo de liderança ou de profissional, você precisa ser um exemplo como pessoa. Inspire os seus funcionários a jogarem “limpo” com você e a sua empresa.

Reconheça que nem sempre é um dia bom

Nem todos os dias são bons. Isso não te faz nem melhor e nem pior do que qualquer outra pessoa.

Reconhecer isso te torna mais real e mais próximo da sua equipe, e consequentemente é uma ação que serve como inspiração.

Converse, desabafe e compartilhe seus receios com os seus funcionários. Juntos, vocês podem ajudar uns aos outros e isso com certeza tornará você um alguém mais admirável.

Nada mais contagiante do que o seu otimismo

Já falamos isso uma vez, mas vale a pena reforçar: você é o maior interessado no sucesso do seu negócio, por isso, acredite nele!

Ser otimista levanta o astral e aguça a criatividade dos seus funcionários.

Seu otimismo precisa ser a maior fonte de inspiração da sua equipe para fazer as coisas darem certo e fazer do seu negócio um grande case de sucesso!

Encontre alguém em quem se inspirar também

Por último, precisamos falar sobre a importância de você ter alguém para se inspirar.

Não é porque você ocupa o cargo mais alto da sua empresa que não precise de alguém que te inspire a ser cada vez melhor, não é mesmo?

Existem grandes líderes que marcaram a história e o cenário empreendedor e que podem te ajudar a construir quem você deseja ser no mercado.

Não importa se são histórias de sucesso ou negócios que deram errado mas deixaram um grande legado para a história. Procure para você a inspiração que te falta!

Queremos muito ouvir o que você pensa sobre esse assunto! Que tal nos deixar um comentário? Vamos ajudar você a encontrar fontes de inspiração através da leitura deste post com a história de 8 grandes líderes incríveis.

ideias originais de negócioempresas que trabalham no modelo SaaS — Software as a Service — que em português significa software como serviço.

">

5 Ideias originais de negócio que deram muito certo!

Diante de tantos negócios existentes pode parecer difícil criar algo novo, não é mesmo? Mas essa percepção está errada. Mesmo em setores que aparentam não terem mais para onde crescer é possível destacar-se pela criatividade.

Diante de tantos negócios existentes pode parecer difícil criar algo novo, não é mesmo? Mas essa percepção está errada. Mesmo em setores que aparentam não terem mais para onde crescer é possível destacar-se pela criatividade.

O texto de hoje vai trazer algumas ideias originais de negócios que revelam como empreendedores criativos alcançaram sucesso e viram oportunidades onde ninguém mais viu.

Ideias originais de negócio!

Selecionamos 5 ideias originais de negócio que deram muito certo e são fontes de inspiração para os futuros empreendedores:

Uber para cachorro

Ideias originais de negócios surgem quando o empreendedor enxerga soluções para problemas encontrados pelo consumidor, e que parecem ser ignorados por outras empresas.

A startup americana Wag Labs resolveu atender a uma antiga demanda dos donos de cães: encontrar pessoas, de confiança, para passear com os pets.

Por meio de um aplicativo para celular – que utiliza o GPS do aparelho – os donos podem encontrar pessoas dispostas a prestar o serviço. A empresa se responsabiliza pela seleção dos passeadores.

Outras empresas já surgiram, em solo americano, oferecendo os mesmos serviços. Elas atraíram a atenção dos investidores, que acreditam que o setor tem potencial de ter faturamento de 1 bilhão de dólares, nos EUA.

Laranja pela internet?

Quem já viveu no interior sabe como é gostoso comer uma fruta direto do pé, não é mesmo? Mas, quem vive na cidade grande dificilmente saberá como é o gosto desses frutos.

Pensando nisso a empresária brasileira Alessandra Sodré resolveu fazer um upgrade no negócio da família criando um e-commerce: Laranja Online.

Com a plataforma o cliente compra os frutos pela internet e os recebe em casa.

A logística foi estudada para comprovar a rentabilidade do negócio, além de um investimento em comunicação, para garantir a credibilidade da empresa, fazendo com que não restem dúvidas ao freguês sobre a origem das laranjas.

Transformar a venda de frutas em uma experiência de consumo é um excelente exemplo para nossa lista de ideias originais de negócios!

Alergia? Não ao dinheiro!

Existem mercados que são altamente restritos. Alguns empresários enxergam neles prejuízos, uma vez que o público-alvo é menor. Outros, por sua vez, observam oportunidades.

Esse é o caso da empresária Sarah Lazaretti que resolveu atender ao público que possui algum tipo de alergia. Ela criou a Alergoshop, onde é possível adquirir diversos itens, inclusive roupas de cama – para os alérgicos a ácaros – e produtos de beleza desenvolvidos especialmente para pessoas com alergia.

O sucesso foi tanto que diversas franquias da empresa foram abertas em várias capitais do Brasil.

Plano de saúde 2.0

Um dos maiores problemas do Brasil é o acesso aos serviços de saúde. Planos de saúde costumam ser caros e pouco acessíveis. Além disso, muitas empresas que atuam nesse setor já são campeãs de reclamações em órgãos de defesa ao consumidor, como o Procon.

Isso porque algumas companhias operam com uma estrutura insuficiente para atender ao número de clientes que possuem – e que continua crescendo.

Outra desvantagem é o fato do serviço ser pago mensalmente, pois não são todos os meses em que o cliente o utiliza. Alguns usuários fazem apenas consultas de rotina, anualmente.

A outra alternativa é utilizar o SUS, mas a ideia não soa muito convidativa – apesar do serviço ser gratuito.

Uma terceira opção tem sido oferecida por empresas que desejam facilitar o relacionamento entre os médicos e pacientes, como a startup curitibana Clinit.

De acordo com informações divulgadas no site de sua assessoria de imprensa (UpMídia), a Clinit atende às necessidades dos pacientes – que pagam apenas o valor da consulta, que pode ser parcelado no cartão de crédito – e a dos médicos, que têm na plataforma uma margem de lucro superior se comparada a dos planos de saúde.

O sistema por enquanto está operando apenas em Curitiba.

Que tal uma mãozinha no TCC?

Quem já teve que enfrentar o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) sabe como a experiência pode ser estressante. Uma das fases mais aterrorizantes é colocar o texto nas normas da ABNT.

Por isso esta outra startup curitibana resolveu dar uma ajuda aos universitários, e, de quebra, criar uma empresa que conseguiu parceiros do porte da Microsoft.

A Menthor funciona da seguinte forma: o internauta se cadastra e pode referenciar as obras que utilizou em seu trabalho, de forma rápida e simples.

Ele preenche lacunas, com informações sobre o livro, ou site, e baixa um arquivo .doc com as referências finalizadas. Podendo anexá-lo ao seu trabalho final.

A empresa pretende oferecer toda a formatação de forma paga e alguns serviços gratuitamente.

Tendências para ideias originais de negócio

Apesar de estarem em setores diferentes os exemplos usados neste texto nos dão uma dica sobre o comportamento do consumidor.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Akatu (2016) indica que um em cada quatro consumidores brasileiros são sensíveis às questões ambientais, ou seja, a compra pode não ser realizada caso identifiquem que a empresa não leva em consideração aspectos socioambientais.

A mesma pesquisa revela que 5% dos entrevistados têm posicionamento firme sobre o tema, e que não consomem produtos, ou serviços, de empresas que não têm uma posição sobre o meio ambiente.

Uma dica para ideias originais de negócios é levar em consideração o marketing ambiental.

Outra tendência que pode ser observada é oferecer soluções para os problemas cotidianos, mas pela internet.

Isso pode ser vantajoso para o empreendedor, pois pode representar uma redução nos custos. Além de dar a oportunidade de atender pessoas de diversas localidades.

Investir nos pets pode ser um negócio e tanto. São raras as famílias que não têm um animal de estimação e, quem é dono de um bichinho sabe que os custos envolvidos são altos.

Além disso, cada vez mais o bem-estar desses animais ganha destaque. Na Suécia, por exemplo, é proibido deixá-los sozinho em casa. Essa medida resultou na criação de creches para cachorros.

Oferecer uma experiência diferenciada ao cliente também tem sido uma alternativa para ideais originais de negócios.

Como vimos no exemplo da Laranja Online, existe mercado para empresas que dão ao cliente a oportunidade de consumir produtos diferenciados.

Agora que você já sabe que há chances de inovar sempre, que tal continuar aprendendo sobre empreendedorismo? Afinal, ideais originais de negócios exigem empreendedores preparados.

Aprenda como desenvolver sua marca de maneira adequada com apenas cinco dicas.

tipo de líder

[QUIZ] Que tipo de líder é você?

Existem vários perfis de liderança. Você sabe qual tipo de liderança você costuma exercer diante os seus colaboradores?

Existem vários perfis de liderança. Você sabe qual tipo de liderança você costuma exercer diante os seus colaboradores?

O Saia do Lugar quer te ajudar a descobrir! E por isso, pegamos os 4 tipos mais comuns — e também os mais discutidos e estudados — e montamos esse quiz para que você consiga identificar em qual se encaixa e também quais são suas vantagens e desvantagens de sua postura.

Situacional, Liberal, Autocrático ou Democrático? Que tipo de líder é você? Descubra respondendo as perguntas a seguir:

Quer saber mais sobre os tipos de liderança? Baixe agora o nosso Guia da Liderança – totalmente gratuito – e descubra mais sobre a sua forma de liderar.

Gostou do Quiz? Compartilha nas suas redes sociais!

erros de liderançagestão de pessoas e de um negócio exige muitas habilidades e organização.

">

Os principais erros de liderança para você ficar de olho e não comete-los em 2017

Sempre falamos aqui no blog que ser empreendedor não é uma tarefa nada fácil. Realizar a gestão de pessoas e de um negócio exige muitas habilidades e organização.

Sempre falamos aqui no blog que ser empreendedor não é uma tarefa nada fácil. Realizar a gestão de pessoas e de um negócio exige muitas habilidades e organização.

A vida de um empreendedor é cheia de desafios e adaptações mas, principalmente, é cheia de aprendizado! Nunca é tarde para mudar algumas atitudes que podem prejudicar o seu negócio.

2017 começou e essa é chance de deixar alguns erros de liderança para trás.

Durante sua jornada empreendedora, falhas podem ser cometidas por você e, por isso, nesse artigo, nós vamos te ajudar a não cometer mais alguns deslizes que podem ser comuns na hora de administrar a sua equipe.

Quais são os principais erros de liderança?

Confira agora, quais são os 9 erros mais cometidos por empreendedores e gestores, e ainda como evitá-los!

Não dedicar o seu tempo para a sua equipe

Sendo empreendedor ou um gestor contratado, o seu tempo precisa ser dividido entre as diversas outras tarefas, além de escutar o que o restante da sua equipe tem a dizer.

Para garantir o sucesso do seu time é fundamental que você dê todo o suporte necessário para o desenvolvimento das habilidades e realizações das tarefas. Ou seja, é fundamental para o funcionamento da rotina de toda a equipe.

Dedicar o seu tempo para seus colaboradores significa escutar o que eles têm a te dizer para que juntos vocês encontrem as melhores soluções para o que for preciso.

Deixar de dar essa atenção é um dos maiores erros que um empreendedor pode cometer e é algo que pode acontecer facilmente. Lembre-se: estar presente na rotina de sua equipe também deve ser uma prioridade.

Criar uma espécie de personagem para lidar com os funcionários

Ser um grande líder não significa criar um personagem. Ninguém precisa ser uma espécie de “Ruth e Raquel” do mundo dos negócios.

Raquel e Ruth

Seja você mesmo, aja de acordo com os seus princípios e principalmente não crie uma máscara para lidar com sua equipe.

Assumir um papel do bonzinho ou do malvado da história não vai fazer com que a seu time entregue melhores resultados. Seja firme quando for preciso e se permita ceder quando puder. Mas acima de tudo seja justo.

É um erro comum acreditar que líderes mais duros e rígidos têm uma equipe mais eficiente, ou que será mais fácil lidar com seus funcionários sendo um líder flexível demais.

Seja você mesmo e saiba lidar adaptar sua postura de acordo com a necessidade do negócio, sem exageros ou fingimentos.

Não se adaptar às particularidades de cada integrante da equipe

Nenhum ser humano é igual ao outro e você precisa lidar com essas diferenças. Enxergar a sua equipe como se todos fossem iguais é deixar passar a oportunidade de extrair o que cada um tem de melhor para a equipe como um todo.

De início, pode parecer mais fácil enxergar sua equipe apenas como “resultado”. Mas é bom lembrar que existe sempre uma forma de impulsionar esses resultados quando você consegue entender as características de cada integrante.

Assim você coloca a pessoa certa para a tarefa certa.

Ser apenas um administrador de tarefas

Ser um líder é muito mais que delegar tarefas a pessoas. Um bom líder faz a gestão dessas pessoas, o que é muito mais difícil do que ser aquele apenas aquele que escolhe uma tarefa para ser realizada por um funcionário específico.

Esse é um erro comum, principalmente quando se trata de um empreendedor que assume o papel de líder da equipe.

Sabemos que o papel do empreendedor engloba muito além do que ser um bom líder e, por isso, a função de estar perto das pessoas e acompanhar de perto a execução das tarefas muitas vezes é deixada de lado.

Não dar feedback para a equipe ou ignorar os feedbacks recebidos

Por mais difícil que seja, os feedbacks honestos são importantes para o crescimento da sua equipe.

O ideal é que toda tarefa delegada por você a alguém seja acompanhada de um feedback, pelo menos na conclusão do trabalho.

É claro que, como líder, a sua intenção deve ser para ajudar o seu colaborador a crescer, se desenvolver e a melhorar os resultados entregues para a sua empresa.

O problema também pode estar na forma como o feedback é passado. Nunca fale algo com a intenção de diminuir alguém, mas sim com o intuito de ajudar o receptor a desempenhar cada vez melhor sua função.

Precisamos lembrar que você, como líder, não está imune de receber feedbacks. Faça com que eles sejam parte da cultura da sua empresa, estando presentes na rotina da sua equipe. Com certeza isso vai te ajudar a se tornar cada vez mais um líder de referência.

Deixar de intermediar os conflitos da equipe

Outra erro comum dentre os cometidos por uma liderança é deixar de intermediar conflitos que ocorrem dentro da sua equipe.

Independente de estar ligado ou não com assuntos do trabalho, esses conflitos afetam a produtividade e as entregas de resultados.

De forma alguma a sua função é tomar partido do conflito ou proteger algum lado da história. Se mantenha imparcial e tente intermediar da melhor maneira possível, trazendo de volta a harmonia entre os integrantes da sua equipe.

Não motivar os funcionários

A motivação não é tudo, mas pode tornar as coisas bem mais fáceis. Se alguém da sua equipe tiver alguma ideia que pode ajudar a impulsionar o resto do time ou impulsionar o seu negócio, incentive-o.

Um erro comum é não dar apoio aos colaboradores. Pense sempre que uma equipe motivada e feliz pode resultar em uma empresa com “melhores frutos.”

Motive sua equipe! Proponha novos desafios, estimule a busca de novos conhecimentos e tenha um time ainda mais especializado e produtivo.

Acabar realizando as tarefas delegadas para a equipe

Chega um momento em que a sua equipe cresce tanto que é hora de passar algumas funções que antes eram suas para algum outro funcionário.

Se prender a essas funções pode ser um grande erro. Fazendo isso você vai impedir que o seu time cresça e torne seus processos escaláveis, além de sobrecarregar a sua rotina.

Saiba o momento de passar a bola para outra pessoa e garanta que o seu crescimento seja constante e saudável.

Priorizar algum funcionário por ter uma relação mais próxima

Independente do seu grau de intimidade com os integrantes da equipe, é sempre importante manter a postura profissional diante deles.

É comum ver grandes líderes se perdendo no processo ou deixando de passar algum feedback construtivo para alguém da sua equipe por conta do seu grau de relacionamento.

Sendo parente, amigo ou até mesmo uma relação conjugal, é importante manter o pessoal e o profissional muito bem separados no ambiente de trabalho.

Lembre-se que as regras são para todos os membros da equipe e que todos os processos precisam ser muito bem alinhados para trazer bons resultados.

Conclusão

2017 começou e junto com ele vem a oportunidade de fazer diferente e deixar os erros de liderança para trás.

Busque sempre aprimorar a sua capacidade de gestão de pessoas e tenha uma equipe cada vez mais especializada e pronta para enfrentar os desafios.

Lembre-se que ser um grande líder é caminhar e crescer junto com o resto da sua equipe! Você não sabe a diferença entre ser líder ou ser um chefe? Este artigo pode te ajudar a nisso.

ações de marketing

Aprenda a tornar a sua marca visível no mercado usando algumas Ações de Marketing

O primeiro erro — e o mais comum — de quem não está familiarizado com o marketing é pensar nele como algo que tem como única função aumentar as vendas. Ações de marketing passam por isso, evidentemente, mas estão longe de se resumirem a propaganda.

O primeiro erro — e o mais comum — de quem não está familiarizado com o marketing é pensar nele como algo que tem como única função aumentar as vendas. Ações de marketing passam por isso, evidentemente, mas estão longe de se resumirem a propaganda.

A função dele é algo muito mais profundo do que aumentar a sua receita. Muitos especialistas chegam mesmo a dizer que ele deve acontecer em todos os setores de uma empresa, seja ela pequena, média ou grande.

Por isso, o artigo de hoje vai te ajudar a compreender o incrível universo das ações de marketing. Vamos, também, citar alguns exemplos de empresas que se destacaram de uma forma diferente.

Afinal, quem consegue criar boas campanhas, o faz porque compreende a psicologia dos seus clientes e os números por trás da forma como eles agem. Acompanhe:

Para que servem as ações de marketing

Depois de ler essa introdução, você deve estar se perguntando o que o marketing faz que é tão diferente assim de apenas aumentar as vendas.

A grande novidade para quem acaba de começar a se informar a respeito é que as ações de marketing não são unilaterais. Isto é, elas são criadas não apenas para te ajudar, mas também para ajudar os seus clientes na decisão de compra, envolvimento e engajamento com a sua marca.

Explicando melhor: que existe uma marca e um produto ideal para cada tipo de cliente, você já sabia. O que nunca parou para pensar é que também existe um cliente ideal para cada empresa.

Ele é que vai ficar satisfeito com o que você oferece e pagar o preço que você e ele julgam justo pelo seu produto ou serviço.

Além do mais, ele vai manter uma boa relação com a sua marca por muitos anos e ainda indicá-lo para todos os amigos dele que têm um problema semelhante ao dele e que você solucionou.

Vender para esse tipo de consumidor é mais fácil e barato, já que ele sabe o que quer e consegue perceber imediatamente que aquilo que você oferece é bom para ele.

Pois bem: as ações de marketing servem para juntar as empresas certas e os clientes certos, criando, desde o início, uma relação duradoura entre os dois.

Quem usa essas ações

Se formos crer num verbete de dicionário, o marketing é uma “estratégia empresarial de otimização de lucros por meio da adequação da produção e oferta de mercadorias ou serviços às necessidades e preferências dos consumidores, recorrendo a pesquisas de mercado, design, campanhas publicitárias, atendimentos pós-venda etc.”

Para o pequeno empreendedor, essa definição pode parecer complexa de se colocar em prática, mas, com o advento do marketing digital, tudo ficou muito mais fácil de fazer.

A principal métrica para medir o sucesso de uma ação de marketing é o ROI, do inglês Return On Investment ou retorno sobre investimento.

O ROI do marketing digital é muito, mas muito mais alto que o do marketing tradicional. Ou seja, investindo muito pouco, é possível ter um retorno muito grande, principalmente se você se dispuser a estudar as melhores formas de fazer isso, medir suas campanhas e fazer ajustes.

Isso faz da era digital uma espécie de era do marketing, em que tudo pode ser pesquisado, colocado em prática, medido e ajustado sem gastar grandes quantias. Ou seja: empresas de qualquer tipo e tamanho podem usar ações de marketing.

O conhecimento está à disposição de todos no ambiente online, que também oferece a oportunidade de colocar em prática ações de marketing virtual e os softwares para medi-las. Vamos entender melhor como elaborar uma dessas campanhas:

Como elaborar uma estratégia de ações de marketing

Que tal começarmos voltando ao conceito de marketing que citamos acima?

Ele menciona 3 etapas de uma estratégia de ações de marketing: uma pesquisa de mercado (isto é, uma investigação para saber se há uma demanda para o produto ou serviço que você pretende comercializar), a adequação desse produto ao gosto do consumidor e as campanhas pós-venda.

Repare que uma ação de marketing, portanto, começa muito antes de o seu produto existir e termina muito depois da venda.

Vamos, agora, examinar essas três etapas mais de perto, para que você também possa criar ações que sejam adequadas à sua empresa e ao seu produto:

1. Pense o seu público ideal

Lembra do que dissemos sobre o cliente ideal para cada tipo de negócio? Pois bem, chegou a hora de você encontrar o seu. Há duas abordagens possíveis para isso: o de público-alvo e o de buyer persona.

O público-alvo é algo mais fácil de definir: podem ser pessoas que moram num mesmo bairro — se o seu negócio tem características mais regionais —, têm uma certa faixa etária e um determinado poder aquisitivo.

A buyer persona, por outro lado, é algo mais difícil de determinar, mas ela te coloca muito mais perto do seu público ideal.

Afinal, ela deve ser feita por meio de pesquisas com seus melhores clientes e levanta dados muito mais específicos: nível de escolaridade, trabalho, características profissionais e familiares, objetivos e problemas.

Quanto aos dois últimos itens, lembre-se: oferecendo produtos e serviços que ajudam nos objetivos e solucionam problemas da buyer persona é  você as transforma em clientes.

2. Divulgue e venda para esse público

Essa é a etapa de uma estratégia de marketing com a qual você está mais familiarizado. A diferença é que, como você pensou no público ideal antes de oferecer o produto ou serviço, tudo ficou mais fácil, rápido e barato aqui.

As suas ações de marketing, agora, são muito mais objetivas.

São promoções, publicidade, propaganda e ofertas criadas para atingirem gente de uma determinada idade, com um problema a ser solucionado e que, ao se deparar com um anúncio virtual ou físico da sua empresa, vão pensar: “isso é exatamente o que eu procuro!”

3. Crie estratégias de pós-venda e meça os resultados

Um dos motivos de esse ser o seu público ideal é que eles vão continuar seus clientes por um bom tempo e ainda indicá-los para familiares e amigos que têm os mesmos problemas e perfil.

Então, fica aqui aquela que talvez seja a maior lição de uma ação de marketing para você: o seu relacionamento com um cliente não se encerra após a venda. Muitas vezes, é ali que ele começa, de fato. Fortaleça esses laços!

E, principalmente: meça os resultados da sua ação. Não importa o quão bem ela possa ter funcionado. Numa próxima vez, você sempre vai poder investir menos e atingir mais pessoas. Ou seja, melhorar o seu ROI!

Exemplos

Pode ser que tudo isso ainda esteja soando um pouco abstrato para você, por isso, vale a pena dar uma olhada em dois exemplos práticos.

São histórias de empresas que não só usaram uma estratégia de ações de marketing para se destacarem, mas que também trataram de ser inovadoras ao se posicionarem no mercado:

TOMS: vender calçados e fazer o bem

Quando visitou a Argentina, em 2006, Blake Mycoskie chegou a uma triste constatação: ainda há muitas pessoas no mundo que não têm dinheiro para comprar calçados.

Impressionado pela visão das crianças argentinas que eram obrigadas a ir para a escola descalças, ele teve uma grande ideia de modelo de negócios, que viria a se transformar na TOMS.

Blake sabia que havia pessoas de bom coração que concordariam em comprar seus produtos se soubessem que, fazendo isso, ajudariam essas crianças. Ou seja, ele planejou o seu público ideal.

Para cada par de sapatos que a TOMS vende, ela doa outro par igual para crianças carentes. Eis aí um excelente exemplo de uma empresa que elaborou uma ação de marketing que a fez se destacar no mercado e ainda tornar o mundo um lugar melhor.

E qual cliente não vai querer continuar comprando dessa empresa e ajudando mais e mais gente a ter o seu primeiro calçado?

Fabriko: ecobags e sustentabilidade

Em 2008, não se falava em aliar publicidade e atitudes sustentáveis para com o meio ambiente. Num cenário como esse, as ações de marketing da Fabriko soaram bem inovadoras.

E olha que ela fabrica um produto que é o primeiro a ser associado aos danos ao meio ambiente: sacolas. Partir disso e transformar a imagem de uma empresa para que ela se torne uma referência de sustentabilidade é uma tarefa para profissional de marketing nenhum botar defeito.

Pois a Fabriko conseguiu isso, criando o conceito do que hoje chamamos de ecobag. Ela aumentou suas vendas, expandiu o catálogo e, hoje, produz roupas, bolsas e diversos outros itens ambientalmente corretos.

Conclusão

As ações de marketing estão muito mais relacionadas com o que a sua empresa é do que com o que ela vende e por quanto.

Se você compreender isso e começar a usar todo o conhecimento e as ferramentas de marketing disponíveis no mundo virtual, nada impede que o seu negócio seja o próximo TOMS ou Fabriko. Afinal, há muitos problemas de persona para resolver e muita boa causa no mundo para seguir!

E já que estamos falando de marketing, que tal dar uma olhada nas 11 tendências de marketing para 2017 que sua empresa precisa conhecer? Assim, você começa desde já a criar suas próprias ações de marketing!

como começar uma lojaAbrir uma loja é um sonho de muita gente que deseja se tornar dona do próprio negócio. Porém, assim como boa parte das ações de empreendedorismo, é necessário ter os recursos financeiros adequados para fazer essa abertura. Com isso, muitos desistem no meio do caminho e deixa de lado um sonho promissor.

">

Como começar uma loja gastando pouco? Coloque em prática as nossas 8 dicas incríveis

Abrir uma loja é um sonho de muita gente que deseja se tornar dona do próprio negócio. Porém, assim como boa parte das ações de empreendedorismo, é necessário ter os recursos financeiros adequados para fazer essa abertura. Com isso, muitos desistem no meio do caminho e deixa de lado um sonho promissor.

Abrir uma loja é um sonho de muita gente que deseja se tornar dona do próprio negócio. Porém, assim como boa parte das ações de empreendedorismo, é necessário ter os recursos financeiros adequados para fazer essa abertura. Com isso, muitos desistem no meio do caminho e deixa de lado um sonho promissor.

Porém, se você acha que precisa juntar uma grande quantia para começar uma loja, saiba que não é bem assim. Com ações bem planejadas e realizadas da maneira correta, você consegue gastar pouco e capitalizar o seu empreendimento ao máximo com as vendas. Para saber como isso é possível, veja 8 dicas sobre o assunto!

1. Faça um bom planejamento financeiro

Quando você deseja abrir uma loja de maneira econômica, qualquer gasto pode ter um grande impacto na sua realidade. Se você se descuidar, em breve vai gastar mais do que o que gostaria e até mesmo mais do que você tem disponível.

Por isso, é fundamental contar com um bom planejamento financeiro que deve incluir todos os custos previstos para a abertura do negócio e qual é a quantia disponível. Planeje investimentos de maneira estruturada assertiva e fique de olho nos custos de cada ação.

2. Encontre os fornecedores certos

Uma parte fundamental para entender como começar uma loja gastando pouco é encontrar o fornecedor perfeito. Nesse momento, a flexibilidade é importante e um bom preço, também. Por isso, busque fornecedores que ofereçam os produtos que você pretende vender e que, ao mesmo tempo, tenham ótimas condições.

Um fornecedor que permite que você crie um estoque consignado, por exemplo, evita que os produtos encalham na sua loja. Outra possibilidade é um fornecedor que também esteja começando, pois ao ser um de seus primeiros clientes, há chances de que você consiga condições diferenciadas.

3. Assuma múltiplas funções

Você já tem um bom planejamento financeiro e encontrou bons fornecedores. Mas como começar uma loja já cheia de funcionários? Assim, os gastos iriam disparar. Em vez disso, prefira chamar para si a responsabilidade sobre a maior parte das funções e assuma várias delas.

Isso significa que você vai precisar atuar em ações como o caixa, reposição de estoque, controle financeiro e até mesmo como vendedor.

Isso garante economia nos custos por dispensar o pagamento de direitos trabalhistas e também a simplificação de todo o processo. Dessa forma, inclusive, você pode se regularizar, ao menos inicialmente, como Microempreendedor Individual (MEI).

4. Ajuste as formas de pagamento

Quanto maior for a sua necessidade de capital de giro, mais você vai precisar gastar para abrir seu empreendimento. Uma das formas de diminuir essa necessidade é ajustando as formas de pagamento, de modo que os clientes paguem mais à vista.

Embora seja importante oferecer várias formas de pagamento, no começo é mais vantajoso conseguir que mais clientes paguem à vista. Isso evita a inadimplência e também aumenta o dinheiro circulando no negócio.

Conforme o seu negócio for progredindo as formas de pagamento podem ser diversificadas, mas no começo é mais sensato agir dessa maneira.

5. Utilize o poder dos seus contatos

Ao chegar ao mercado com um novo empreendimento, você ainda não tem clientes porque as pessoas não conhecem a sua loja. Para resolver essa questão você pode e deve utilizar o poder dos seus contatos.

Fale para amigos e familiares sobre a sua ideia de negócio, por exemplo, e peça que eles falem para seus amigos e familiares. Se você tem algum colega ou conhecido que também pode aproveitar o que o estabelecimento vende, entre em contato também e fale sobre o empreendimento.

Isso pode ajudar a dar o pontapé inicial no seu negócio e garantir as primeiras vendas de sucesso.

6. Invista no marketing digital

Porém, não dá para depender somente dos seus contatos, já que o objetivo é conseguir fazer com que sua loja cresça. Sendo assim, você deve investir em formas de atrair e captar novos clientes. A fim de não gastar muito, o marketing digital é a opção ideal.

Dá para aproveitar opções como as redes sociais, links patrocinados, criação de site e de blog e assim por diante. Muitas dessas ações são mais baratas do que você pensa e garantem ótimos resultados se utilizadas de maneira correta e consistente.

Graças a essas técnicas você vai conseguir posicionar a sua marca no mercado, além de atrair clientes, gerar conversão e criar relacionamentos com quem compra.

7. Aposte na loja virtual

Grande parte dos custos sobre como começar uma loja está na questão física: aluguel do espaço, decoração e manutenção do local, segurança do local e assim por diante. Além de cara, normalmente é uma tarefa burocrática.

Para driblar esse ponto uma possibilidade é apostar em uma loja virtual. Totalmente online, o custo de criação e manutenção é bem menor e você vai conseguir atingir mais pessoas. Além disso, é ainda mais fácil aproveitar o poder do marketing digital nesse caso.

Porém, é fundamental tomar cuidado com a logística para garantir que os clientes recebam seus produtos o quanto antes.

8. Busque capacitação contínua

Além de começar uma loja gastando pouco, o ideal é que você mantenha esse padrão por algum tempo, até garantir que seu negócio fique mais robusto e estável no mercado. Para que isso seja possível, você vai precisar ter uma gestão diferenciada e de alta qualidade.

Dessa forma, é muito conveniente que você busque capacitação contínua antes e depois de abrir o empreendimento. Isso vai fazer com que você sempre utilize as melhores práticas, aumentando as chances de sucesso do negócio.

Leia sites e blogs sobre o assunto de empreendedorismo e acompanhe também as novidades do seu nicho de mercado. Assim, você ficará mais preparado para encarar os diversos desafios.

Para começar uma loja gastando pouco você tem que controlar muito bem os custos e também assumir diferentes funções. Outras dicas incluem usar o poder dos seus contatos e do marketing digital, assim como criar uma loja virtual. Além de tudo, a busca constante por conhecimento é indispensável se você quer os melhores resultados possíveis.

Já que o sucesso da sua loja depende das vendas que ela conseguir, conheça dicas de como aumentar a taxa de conversão do empreendimento!

dicionário de empreendedor

Dicionário de empreendedor: o be-a-bá de termos empresariais

Ser empreendedor não é uma tarefa nada fácil. Você lida com desafios diários e com muitos termos que aparecem em algum momento da sua jornada empreendedora.

Ser empreendedor não é uma tarefa nada fácil. Você lida com desafios diários e com muitos termos que aparecem em algum momento da sua jornada empreendedora.

Pensando nisso, este post será uma espécie de “barsa empreendedora” para a sua vida, contendo os principais termos que você possa a vir se deparar no dia a dia. Vamos nessa?

Dicionário de empreendedor

Facilite a sua vida com estes termos empresariais!

A

Análise Swot

A sigla SWOT deriva das palavras inglesas Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças).

Método de gestão que posiciona e verifica os ambientes interno e externo das empresas por meio da identificação dos seus pontos fortes e fracos, e das suas oportunidades e ameaças.

Autogestão

Modelo de organização empresarial no qual os colaboradores passam a ter um controle efetivo dos meios de produção e participação democrática dentro da empresa, ou seja, mais autonomia.

B

Benchmarking

É uma das estratégias que visam aumentar a eficiência produtiva. Numa tradução livre, significa “ponto de referência”. Não se trata de uma imitação de mercado e, tampouco, uma cópia, mas de um processo de pesquisa que permite ao empreendedor comparar seu negócio com a concorrência.

Board

São os chamados “conselhos de administração”. O grande diferencial de profissionais que passam a atuar em um conselho administrativo é a diversidade de contribuições que podem oferecer a empresa.

Brainstorm

É uma palavra em inglês cuja tradução significa “tempestade mental”. É uma metodologia que explora as ideias de um grupo de pessoas visando a obtenção das melhores soluções de problemas ou situações.

Break Even Point

Significa “Ponto de Equilíbrio”. Momento em que a empresa consegue ter um faturamento suficiente para pagar seus custos (fixos e variáveis) e despesas e, a partir daí, se tornar lucrativa.

Breakthrough

Desenvolvimento, descoberta, conquista, invenção, melhoria. Ou seja, um avanço em determinada área da empresa.

BSC

Balanced Scorecard (BSC), ou Indicadores Balanceados de Desempenho. É uma metodologia de gestão que mede o desempenho das empresas, atuando como complemento ao planejamento estratégico.

Business Intelligence

O termo Business Intelligence (BI) significa “Inteligência de Negócios” e refere-se ao processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de dados de diversos sistemas, cujo produto final são informações qualitativas que permitem maior segurança no processo de tomada de decisão.

B2B

A sigla B2B (Business to Business), ou “empresa para empresa”, é muito utilizada no comércio eletrônico para definir transações comerciais realizadas entre empresas.

B2C

É uma sigla para Business to Commerce ou Business to Consumer, cuja definição é “Empresa para Consumidor” se aplica às transações comerciais entre empresas — indústria, distribuidor ou revenda — e consumidor final, por meio de uma plataforma de e-commerce.

Budget

Orçamento empresarial elaborado anualmente, levando em consideração fatores econômicos, de mercado, capacidade de produção, entre outros.

C

Canvas

Também conhecido como Business Model Canvas (Quadro de Modelo de Negócios), trata-se de uma ferramenta de planejamento estratégico que permite criar cenários (modelos) de negócios novos ou existentes. O Canvas é composto de quatro etapas: o que, quem, como e quanto.

Capital de giro

Refere-se aos recursos financeiros que a empresa tem para custear suas despesas operacionais do dia a dia ou quaisquer outras necessidades da gestão do negócio ao longo do tempo.

CEO

É a sigla em inglês para Chief Executive Officer, que significa “Diretor Executivo”, em Português. Tal profissional é responsável pela administração geral de uma empresa.

CFO

Sigla inglesa para Chief Financial Officer — ou “Chefe do Setor Financeiro”, em português. O CFO é responsável por toda a administração e planejamento financeiro de um negócio.

CMO

CMO (Chief Marketing Officer), ou “Diretor de Marketing”, em português, é o profissional responsável em conduzir as ações de marketing da organização.

Compliance

Termo inglês que significa “agir de acordo com uma regra”; envolve assegurar que o negócio esteja cumprindo com todas as determinações dos órgãos regulatórios, dentro de todos os padrões exigidos no segmento em que atua.

COO

Sigla inglesa para Chief Operating Officer, ou Diretor de Operações ou Executivo de Operações, em português. Ele é o principal auxiliar do CEO e tem a função de coordenar as rotinas operacionais.

Core Business

Core Business, ou Núcleo do negócio, é aquilo que a empresa faz de melhor, em que ela se diferencia, levando em consideração o mercado, os clientes, produtos e tecnologia.

CRM

Sigla inglesa para Customer Relationship Management — ou Gestão do Relacionamento com o Cliente, em português. Uma estratégia que busca identificar com antecedência as necessidades dos clientes para atendê-los da melhor forma.

Crowdfunding

O crowdfunding, ou “financiamento pela multidão”, é um financiamento coletivo em que várias pessoas podem investir pequenas quantias de dinheiro (geralmente pela internet) em determinado tipo de negócio para dar início a uma ideia empreendedora.

Commodities

Em português significa “mercadorias”. Refere-se a produtos essenciais à economia que, muitas vezes, servem como matéria-prima, não sofrendo grandes alterações por processos industriais, como leite, petróleo, soja, cereais, entre outros. Têm o preço regulado por fatores referentes à oferta e à demanda, e não pelo produtor.

D

Design Thinkin

É uma abordagem que utiliza a participação de seus stakeholders (interessados) na busca de soluções aos problemas. Todos os envolvidos na ideia participam e ficam organizados em equipes multidisciplinares.

Downsizing

Em português significa “achatamento”, ou seja, enxugar ao máximo os processos (eliminando tarefas, procedimentos e mão de obra desnecessária) para tornar a empresa mais eficiente e competitiva.

Dumping

Prática comercial que consiste em vender os produtos a preços abaixo do custo de produção. É uma estratégia que visa eliminar a concorrência ou chamar a atenção do consumidor.

E

Ebitda

Sigla para “Earning Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization”, que em português significa “Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização” (Lajida).

Significa o que a empresa consegue gerar de receita, sem levar em consideração o abatimento de impostos e efeitos financeiros de qualquer natureza.

Endomarketing

Estratégia de marketing voltada para ações internas da empresa, reduzindo o turnover (índice de rotatividade de funcionários) e atraindo profissionais qualificados para atuar no negócio.

ERP

ERP (Enterprise Resource Planning) ou “Sistema de Gestão Empresarial”. Refere-se a componentes de software que integram todos os departamentos da empresa, facilitando a comunicação e otimizando os recursos e o tempo de execução.

F

Forecast

É uma avaliação realizada mensalmente pela empresa, comparando aquilo que foi levantado no Budget com a situação real do momento.

H

Horizontalizar

É comprar de terceiros o máximo possível de itens que formam o produto final, ou contratar serviços terceirizados necessários aos processos não fundamentais de produção.

Headcount

Número de pessoas que trabalham numa empresa ou numa determinada equipe.

J

Joint Venture

Expressão inglesa que define “união com risco”, ou seja, união entre empresas por tempo limitado a fim de compartilhar ações.

M

Market Share

É o percentual de participação que uma empresa detém no seu ramo de atuação quando comparado a outras empresas, podendo também ser chamado de “quota de mercado” ou “participação no mercado”.

Markup

Índice multiplicador utilizado sobre o custo de um produto e/ou serviço para a formação do preço final de venda, utilizando como variáveis as despesas fixas e variáveis, e a margem de lucro estimada.

Mentoring

Termo em inglês que significa “mentor, tutor”. É o profissional responsável que ajuda uma pessoa (ou um outro profissional) a maximizar seu conhecimento, aprimorando sua performance e se tornando uma pessoa melhor.

O

Outsourcing

Em outras palavras, significa “terceirização”. Em geral gestores contratam uma solução externa (mão de obra) para desenvolver alguns setores da organização.

P

Pitch

Pitch é uma expressão inglesa que se refere a uma “curta apresentação de vendas”, despertando o interesse da parte envolvida com informações essenciais e diferenciadas.

Pivotar

Versão “abrasileirada” do termo inglês “to pivot”, que em outras palavras significa “girar ou mudar”. No mundo empresarial, quando um negócio pivota, ele está mudando, ou seja, girando em outra direção para alcançar resultados mais satisfatórios.

S

SaaS

Do inglês Software as a Service (SaaS), ou Software como Serviço. Computação em nuvem em que empresas e demais usuários podem integrar processos, armazenar e compartilhar informações e dados numa única plataforma.

Stakeholders

Termo inglês que pode ser traduzido como “parte interessada”. Ou seja, os stakeholders são todas as pessoas impactadas pelas estratégias da empresa, desde colaboradores, sócios, acionistas, funcionários e clientes até o governo e demais envolvidos.

Status Quo

Expressão originária do latim que se refere ao estado atual de algo, seja em que momento for, podendo ser considerado um estado de equilíbrio.

T

Turnover

O termo turnover, também conhecido como “rotatividade de pessoal”, é um indicativo que mede a qualidade ou o contentamento dos funcionários no ambiente de trabalho, ou seja, a taxa de desligamentos da empresa em relação ao total de colaboradores.

V

Verticalizar

É uma estratégia de gestão cuja finalidade é produzir internamente tudo o que puder, reduzindo ao máximo a dependência de terceiros. Isso gera mais autonomia e domínio sobre a tecnologia utilizada.

Ufa! Quantos termos não é mesmo? Ainda tem algum que você acredita que ficou faltando? Conta para a gente aqui nos comentários!

Pensando em contribuir cada vez mais para o seu conhecimento, acompanhe o nosso glossário sobre empreendedorismo e fique por dentro de todos os termos para você não ser pego desprevenido em uma conversa “de gente grande”.

 

investimentos essenciaisprodutividade? Entre as muitas respostas, podemos destacar a contratação dos melhores profissionais, o aperfeiçoamento dos processos e o investimento na capacitação dos colaboradores.

">

Investimentos essenciais para começar 2017 com o pé direito!

2017 começou e, junto ao novo ano que inicia, é o momento de se organizar e realizar alguns investimentos essenciais para proporcionar crescimento para a sua empresa. É como dizem: ano novo, vida nova!

2017 começou e, junto ao novo ano que inicia, é o momento de se organizar e realizar alguns investimentos essenciais para proporcionar crescimento para a sua empresa. É como dizem: ano novo, vida nova!

Sabemos que 2016 foi um ano de desafios e também de muito aprendizado. Desejamos que esse novo ano seja diferente, mas que continue trazendo conhecimento e vivência de mercado para os empreendedores.

Por isso, para começar o ano com o pé direito, nós resolvemos juntar neste post alguns investimentos que julgamos essenciais para aumentar suas vendas e sua presença de mercado em 2017.

Confira!

Invista em presença digital

Estar presente online é indispensável! A internet é capaz de oferecer poder para a sua empresa, e cabe a você, como empreendedor, saber usá-la a favor da sua marca.

Dessa forma, o meio digital possibilita infinitas oportunidades de interação com o seu público-alvo e te dá a chance de ganhar visibilidade e conquistar espaço no mercado – use o marketing digital a seu favor!

Confira a seguir algumas maneiras de divulgar o seu negócio online:

Inbound Marketing

O Inbound Marketing é o marketing do futuro, e nós já estamos vivendo esse futuro. Essa estratégia é capaz de te ajudar a fidelizar os consumidores e manter uma relação de valor desde o ínicio da interação entre cliente e marca.

A ideia é aumentar a sua visibilidade, entregando valor para os seus potenciais clientes de forma que o custo de aquisição dos mesmos seja baixo.

É uma estratégia que entrega resultados mensuráveis e ainda aumenta a receita do seu empreendimento. E é por isso que você deve investir no Inbound Marketing em 2017!

Marketing de Conteúdo – Blog

Criar conteúdos relevantes pode ser uma das estratégias mais inteligentes para você agregar ao seu negócio em 2017.

De acordo com a pesquisa MarTech, de 500 profissionais entrevistados, 73% utilizam essa estratégia. Por isso, essa é a chance de não deixar o seus concorrentes estarem a frente de você.

Crie conteúdos que respondam às dúvidas das suas personas e ganhe relevância e autoridade em seu segmento de mercado.

Precisa de mais motivos para adotar o Marketing de Conteúdo na sua empresa? Ele é 3x mais eficiente e pode ser 62% mais barato do que as outras estratégias. É uma bela forma de atrair e engajar o seu público criando uma relação entre cliente e marca.

Por isso lembre-se que não adianta ter um blog e não produzir conteúdo de qualidade, que só fala sobre você e de maneira inconstante.

A estratégia se baseia em entregar valor, visando responder às dúvidas dos seus clientes e não em promover o seu produto. O resto do processo — a venda — é naturalmente uma consequência.

Mobile

Provavelmente você passa grande parte do seu dia resolvendo problemas através do seu aparelho de celular. Assim como você, muitas outras pessoas também.

Ter um site preparado para atender o público mobile é um grande diferencial para o seu negócio. Se preocupe em ter um site responsivo, que além de se adaptar a qualquer tipo de tela, ele seja “mobile friendly” — ou seja, leve o suficiente para carregar de maneira rápida, proporcionando a melhor experiência possível para o usuário.

Não só o seu site, mas suas redes sociais também devem estar preparadas para receber o público que vem do mobile. Por exemplo: o tamanho das imagens de capa, perfil e etc de todas as suas páginas em qualquer Social Media.

Falando nisso…

Redes sociais

Certamente se você está lendo este conteúdo, você tem afinidade com o meio digital e por isso me arrisco a dizer que a sua empresa já está presente nas redes sociais.

Então… porque investir em redes sociais?

Antes de tudo, você precisa entender e o poder que tem nas mãos ao estar presente nas redes sociais. Já disseram que não estar no mundo digital é como colocar a sua existência em questão e isso se torna cada vez mais real.

Ser presente nas redes sociais te permite interagir com o seu público, com os seus clientes e o mais importante, permite que tenha a possibilidade de proteger a sua marca — seja de comentários maldosos ou qualquer polêmica que envolva o nome da sua empresa — entre outras coisas.

E por isso investir em um profissional Social Media é essencial para impulsionar ainda mais o seu sucesso nesse ano que se inicia.

Um Social Media saberá não só aplicar as melhores estratégias de marketing nas redes sociais da sua empresa, como também irá mensurar os resultados e números que o mundo digital gera.

E esses números poderão ser usados em outras estratégias que você tenha em mente para aplicar em sua empresa.

Ferramentas

A grande vantagem do mundo digital é a possibilidade de monitorar e acompanhar os seus resultados em tempo real, avaliando o desempenho da sua empresa.

As ferramentas são essenciais para a mensuração e por isso investir em opções pagas permitirá que você tenha uma visão cada vez mais completa e aprofundada das ações e do comportamento do seu público.

É importante lembrar que ter essa visão pode te ajudar a encontrar as melhores estratégias de abordagem para estes clientes e maneiras de conseguir realizar a sua venda de forma mais rápida.

Quanto mais informação você souber do seu cliente e dos potenciais clientes, maior a capacidade de aprimorar os seus serviços.

Invista na sua equipe

Nunca se contente em permanecer onde você chegou. Mesmo que você tenha ultrapassado o seu objetivo inicial, estabeleça novas metas.

E para estar em constante crescimento, a sua equipe deve estar a altura da melhoria do seu negócio. Por isso invista tudo o que for possível para ter os melhores funcionários remando no mesmo barco que você.

Confira 3 investimentos essenciais para a sua equipe:

Procure por intraempreendedores

Recentemente falamos sobre esse assunto aqui no blog. Um intraempreendedor pode ser fundamental para “contaminar” — de forma positiva — todos os seus outros funcionários.

Funcionários que têm atitudes intraempreendedoras são os que estão em constante busca de melhorias para a sua empresa. Eles almejam realizar melhorias dos processos, independente do cargo que ocupam.

Resumindo, são funcionários que tem atitude empreendedora mesmo não sendo um dos donos da empresa, e por isso eles enxergam oportunidades de forma diferente dos outros funcionários.

Sempre que for contratar alguém para o time, identifique características de pessoas que desejam o melhor para empresa, e não só para suas carreiras.

Treine sua equipe

Ter uma equipe cada vez mais qualificada é o que todo empreendedor deveria almejar. A partir do momento que a sua empresa é vista como especialista em um segmento, você conquista o mercado e também seus clientes.

Por isso, treine — e muito — a sua equipe. Procure cursos e certificações que possam torná-los cada vez mais especialistas e capacitados.

Sempre que o orçamento permitir proporcione momentos de aprendizado e treinamento para garantir que a sua equipe esteja preparada para qualquer situação que possa atingir o seu mercado ou sua empresa.

Motive seus funcionários

Recentemente falamos aqui no blog sobre como manter seus funcionários motivados sem gastar muito. Manter uma equipe feliz e incentivada significa fazer com que a sua empresa tenha um crescimento considerável.

Busque meios de tornar isso possível e veja o quanto os seus resultados se tornaram ainda melhores!

O investimento para trabalhar a motivação dos funcionários nem sempre é planejado como prioridade. Mas, a partir do momento que você percebe a diferença que isso faz para a saúde da sua empresa, você vai colocar como um dos primeiros investimentos do ano!

Invista na sua marca

É muito importante colaborar para que a sua marca tenha um bom posicionamento de mercado e com isso uma boa reputação perante seus clientes e concorrentes.

E por isso se em pleno o ano de 2017, você ainda não pensa na forma com que as pessoas vão enxergar a sua empresa, já passou da hora de investir no seu branding.

O aconselhável é que você tenha um profissional capacitado para cuidar da gestão da sua marca e da forma como ela entrega valor para os seus clientes, já que é preciso de muita estratégia e conhecimento para gerar resultados positivos. Qualquer erro pode acabar com a sua reputação de maneira definitiva.

Existem diversas formas de contato e de reforçar a imagem do seu empreendimento mediante ao público. O branding vai te ajudar a deixar bem estabelecido o propósito da sua marca.

Desejamos que você comece o ano com o pé direito e saia do lugar rumo a liderança de mercado, sucesso e boa gestão realizando os seus investimentos essenciais. E, para isso, que tal aprender a melhor forma de saber se o seus investimentos estão te trazendo um bom retorno financeiro?

 

ferramentas para e-commerce

Top 11 ferramentas para e-commerce que vão ajudar a impulsionar o seu negócio

O empreendedor que possui um e-commerce está antenado às tendências de consumo do nosso tempo, afinal, comprar online é uma realidade. Apenas criar um site de vendas na internet não é suficiente para ter sucesso.

O empreendedor que possui um e-commerce está antenado às tendências de consumo do nosso tempo, afinal, comprar online é uma realidade. Apenas criar um site de vendas na internet não é suficiente para ter sucesso.

Por isso, o artigo de hoje trará algumas dicas de ferramentas para e-commerce que vão te ajudar a bater as metas de vendas.

Ferramentas Google

Que seu cliente, provavelmente, encontrará sua loja fazendo uma pesquisa no Google você já sabe.

O que talvez seja novidade para os lojistas é a quantidade de ferramentas que a plataforma oferece para facilitar a vida de quem empreende na internet.

Google Trends

Esta ferramenta ajuda o empreendedor a saber quais são as palavras mais pesquisadas naquele momento. É uma importante ferramenta para e-commerce, uma vez que ajuda o lojista a prever tendências.

Por exemplo: a palavra “vestido” pode estar sendo muito pesquisada no Brasil, porque uma celebridade apareceu com um vestido diferente. O empreendedor pode usar essa tendência nas pesquisas para divulgar sua promoção de vestidos.

Google Analytics

Traçar o perfil de quem visita a sua loja online é importante para descobrir se você está conseguindo atrair seu público-alvo.

Uma baixa conversão de visitas em vendas pode significar que as pessoas que olham os produtos de seu e-commerce não são, de fato, potências clientes.

Por isso, a maioria dos lojistas usa o Google Analytics, que mostra a origem do tráfego do site, o perfil do internauta, além de o tempo que ele ficou navegando.

Informações valiosas para traçar estratégias de marketing.

Google Web Master Tools

Uma ferramenta fundamental para e-commerce, pois ajuda o empreendedor a entender como seu site pode ser melhorado para atrair mais visitas usando as buscas do Google.

Quem trabalha pela internet sabe a importância das técnicas de SEO. O Web Master Tools mostra que alterações podem ser feitas em seu site para melhorar o rankeamento dele no Google.

Google Page Speed

Algum cliente já reclamou que seu site demora para carregar? O Google lhe mostra o porquê. O Page Speed faz uma análise de seu site em poucos segundos, levando em consideração a navegação pelo desktop e pelo mobile.

Ao final, ele traz algumas sugestões para tornar seu site mais estável e rápido no carregamento.

Ferramentas de outros desenvolvedores

Yandex

O Yandex é o equivalente russo do Google. Ele oferece ferramentas muito úteis para e-commerce.

Com essa ferramenta é possível ter acesso a um “mapa de calor” – que mostra em que região determinada palavra-chave é mais pesquisada – além de um mapa de cliques do seu site e um mapa de rolagem de página.

Isso ajuda o empreendedor a reavaliar o design do seu e-commerce. Yandex oferece uma versão demo e uma versão mais completa de análises (paga).

Compress JPEG

O cliente precisará de uma foto, com qualidade, do produto para ser convencido a comprar. No entanto, essas fotos costumam ser pesadas, e tornam o carregamento da página mais lento, consumindo mais internet de pacotes móveis, por exemplo.

Uma alternativa para driblar essa situação é usar o Compress JPEG, que diminui o peso do arquivo, sem que as imagens percam qualidade.

Uma outra ferramenta semelhante é Tiny.jpg.

MailChimp

O email marketing é uma ótima ferramenta para e-commerce. O MailChimp oferece esse serviço de graça, para o envio de até 12 mil e-mails.

A plataforma é simples e intuitiva, possibilitando seu uso para qualquer pessoa, inclusive usuários menos experientes com esse tipo de ferramenta.

Similar Web

Uma análise de concorrência é fundamental para o sucesso de qualquer empreendimento. Mas como identificar as empresas concorrentes na internet?

Para facilitar essa missão o lojista tem à sua disposição o Similar Web. Essa ferramenta mostra quais são os sites semelhantes ao seu e-commerce, além de trazer informações sobre o tráfego deles, o engajamento nas redes sociais, e os países onde o site tem mais acesso.

Similar web oferece uma versão free de seus serviços. Para análises mais detalhadas a plataforma oferece duas versões pagas.

Ferramentas para medir reputação da loja

Monitorar a reputação de sua loja online é fundamental, afinal, caso encontre um comentário negativo na internet o usuário pode desistir da compra.

Twitter

O campo de buscas do Twitter é um importante termômetro sobre a popularidade de uma empresa. Por isso, monitore constantemente sua loja nessa rede social, realizando pesquisas com o nome da sua marca.

Mantenha um perfil oficial para poder interagir com os clientes, e, se for viável, resolva as demandas dos fregueses na própria rede.

Desse modo aumenta a tendência de feedbacks positivos sobre a loja, garantindo que outras pessoas se sintam confiantes para comprar nela.

Facebook

É muito provável que sua empresa já mantenha uma conta na maior rede social do mundo. Porém não saber como interagir com os seguidores pode criar embaraços desnecessários.

Caso identifique comentários negativos coloque-se à disposição para solucionar o problema do cliente. Se não for possível atendê-lo pela rede social convide-o a entrar em contato pelos meios oficiais de atendimento.

Caso identifique um seguidor que não possui nenhuma demanda, mas que por qualquer motivo resolve atacar sua loja, não pense duas vezes: oculte o comentário do hater para que ele não incentive uma enxurrada de críticas sem razão clara.

Reclame Aqui

Atire a primeira pedra que não cancelou uma compra porque a loja era mal avaliada no Reclame Aqui. Por isso, além de garantir que o cliente terá acesso às informações relacionadas à compra (entrega, preço e etc.) é fundamental assumir um possível erro e corrigi-lo quando identificado.

Uma avaliação negativa em sites que possuem credibilidade junto ao consumidor – Procon, E-bit, Reclamão, entre outros – pode danificar seriamente a imagem de uma empresa.

Vale lembrar que esses sites são bem rankeados pelo Google, ou seja, eles provavelmente aparecerão na primeira página do site de buscas quando alguém pesquisar pela sua loja.

Saber como utilizar as ferramentas para e-commerce garantirá mais vendas ao seu negócio, além de contribuir com a criação de uma imagem positiva no mercado.

Agora, que tal continuar aprendendo e descobrir 6 fatos para se tornar um excelente gerente de e-commerce?

marketing digital vs marketing tradicionalMuitas pequenas empresas lutam em decidir que tipo de marketing farão, porque o seu orçamento só suprirá um ou outro, não ambos.

">

Marketing Digital vs. Marketing Tradicional: qual é melhor?

Muitas pequenas empresas lutam em decidir que tipo de marketing farão, porque o seu orçamento só suprirá um ou outro, não ambos.

Muitas pequenas empresas lutam em decidir que tipo de marketing farão, porque o seu orçamento só suprirá um ou outro, não ambos.

As decisões que devem ser tomadas não são fáceis: qual método de marketing vai me dar melhor resultado para o meu dinheiro? Como posso saber se meu marketing está funcionando? Quem devo confiar no meu marketing? Devo fazer isso sozinho?

Para esclarecer os termos, o uso de anúncios impressos em jornais e revistas é um exemplo simples de marketing tradicional. Outros exemplos incluem panfletos que são colocados em caixas de correio, comerciais tanto na TV e rádio e outdoors.

Por outro lado, quando uma empresa investe na construção de um site, SEO, ou na publicidade da marca através de diferentes mídias sociais como Facebook, Twitter e YouTube, essas estratégias são marketing digital.

Benefícios do Marketing Tradicional

Você pode facilmente alcançar seu público-alvo local. Por exemplo, um anúncio de rádio pode passar na sua cidade ou região. Ou os folhetos da caixa postal serão enviados para as pessoas certas. Ou se for o caso, para todos os moradores da região.

Os materiais podem ser mantidos. A audiência pode ter uma cópia impressa de materiais de que eles podem ler ou navegar através de uma e outra vez.
É fácil de entender. Ele pode ser facilmente compreendido pela maioria das pessoas porque eles já estão expostos a esse tipo de estratégia.

 

marketing digital vs marketing tradicional

Figura adaptada de webmundo.net

A neurociência parece apoiar os benefícios do marketing de cópia impressa. Um estudo patrocinado pela Canada Post e realizado pela empresa canadense de neuromarketing TrueImpact comparou os efeitos do marketing de papel (mala direta, neste caso) com mídia digital (email e anúncios gráficos).

As tecnologias utilizadas neste estudo foram rastreamento de olho e medição de onda cerebral EEG de alta resolução. As três principais métricas avaliadas no estudo foram: carga cognitiva (facilidade de compreensão), motivação (persuasão) e atenção (quanto tempo os sujeitos analisaram o conteúdo).

Mala direta foi mais fácil de processar mentalmente e melhor desempenho no recall da marca (conexão de marca com produto). De acordo com o relatório:

Mala direta exige um esforço cognitivo de menos 21% do que a mídia digital (5,15 vs. 6,37), sugerindo que é mais fácil de entender e mais memorável.

Os testes de memória pós-exposição validaram o que o teste de carga cognitiva revelou sobre as capacidades de codificação de memória da mala direta.

Quando solicitado a citar a marca de um anúncio que eles acabavam de assistir, o recall foi 70% maior entre os participantes que foram expostos a uma mala direta (75%) enquanto o anúncio digital (44%).

A desvantagem do marketing tradicional

Há pouca interação entre o meio utilizado e os clientes. É mais para fornecer informações ao público que a marca existe com a esperança de que essas pessoas reconheçam a marca.

Os anúncios impressos ou de rádio podem ser muito onerosos. Os materiais de impressão podem ser caros e você precisa contratar pessoas para distribuí-los.

Os resultados desta estratégia de marketing não podem ser facilmente medidos. A campanha foi bem-sucedida?

Os benefícios do marketing digital

Você pode segmentar um público local, mas também um público internacional. Além disso, você pode personalizar uma campanha para determinados públicos demográficos, como sexo, localização, idade e interesses. Isso significa que sua campanha será mais eficaz.

Seu público pode escolher como eles querem receber seu conteúdo. Enquanto uma pessoa gosta de ler uma postagem no blog, outra pessoa gosta de assistir a um vídeo do YouTube. O marketing tradicional não dá ao público uma escolha.

A maioria das pessoas odeiam receber panfletos de vendas em sua caixa de correio ou telefonemas em momentos inconvenientes em coisas que eles têm pouco interesse.

On-line as pessoas têm a escolha de optar em entrar ou sair das comunicações e muitas vezes é relevante porque eles foram os que procuram por ele anteriormente. Não subestime o poder de segmentação de mercado e marketing sob medida.

A interação com seu público é possível com o uso de redes de mídia social. Na verdade, a interação é encorajada, enquanto nos métodos de marketing tradicionais não são permitidos a interação do público.

Você pode incentivar seus prospects, clientes e seguidores a interagir, visitar seu site, ler sobre seus produtos e serviços, avaliá-los, comprá-los e fornecer o feedback que é visível a seu mercado.

O marketing digital é altamente eficiente em custos. Mesmo quando se investe em anúncios pagos on-line (PPC); já que o custo ainda é mais barato em comparação com o marketing tradicional e os resultados são ainda melhores quando se investe adequadamente em otimização SEO de sites.

Dados e resultados são facilmente registrados. Com o Google Analytics e as ferramentas de insights oferecidas pela maioria dos canais de mídia social, você pode verificar suas campanhas a qualquer momento.

Ao contrário dos métodos de marketing tradicionais, você pode ver em tempo real o que está, ou não está funcionando para o seu negócio on-line e você pode se adaptar muito rapidamente para melhorar seus resultados.

Campo de atuação: qualquer empresa pode competir com qualquer concorrente, independentemente do tamanho, com uma sólida estratégia de marketing digital.

Tradicionalmente, um varejista menor lutava para igualar a sutileza nos detalhes de seus concorrentes maiores. Online, um nítido e  bem pensado site, proporcionava uma boa experiência para o cliente, além de um serviço fantástico, isso é o que importa e não o tamanho.

Resultados em tempo real: você não tem que esperar semanas para impulsionar o seu negócio, como você teria que esperar por um fax ou formulário a ser devolvido. É possível analisar o número de visitantes de seu site e o aumento de assinantes, horários de pico, taxas de conversão e muito mais com o toque de um botão.

Desenvolvimento de Marca

Um site com conteúdo de qualidade, bem mantido, que foca nas necessidades e agrega valor ao seu público-alvo podendo fornecer valor significativo e oportunidades de geração de leads.

O mesmo pode ser dito para email marketing personalizado e da utilização de canais de mídias sociais. Você fixa a marca, a identidade visual e o logotipo da sua empresa.

Pode se tornar viral

Quantas vezes seus folhetos de vendas são passados ao redor instantaneamente por seus clientes?

Online, usando os botões de compartilhamento de mídia social em seu site, email e canais de mídias sociais, permitem que sua mensagem seja compartilhada incrivelmente rápido.

Se você considerar que o usuário médio de Facebook tem 190 amigos, dos quais uma média de 12% interage com os seus posts com um “curtir” – a sua mensagem foi realmente vista por 15 novas perspectivas.

Agora imagine uma quantidade desses também curtem e compartilham sua mensagem e seus amigos fazem o mesmo? É por isso que o conteúdo de alta qualidade é tão importante.

Marketing Digital vs Marketing Tradicional, qual o tipo de marketing é melhor?

Bem, ambos são recomendados, embora prefira o marketing digital pelo maior controle dos resultados e menor custo de investimento. O marketing tradicional tem algumas vantagens.

Um estudo de 2009 realizado pela Universidade de Bangor e agência de branding Millward Brown também usou fMRI para estudar os diferentes efeitos do papel e mídia digital.

Algumas de suas principais conclusões foram:

  • O material físico é mais “real” para o cérebro. Tem um significado e um lugar. É melhor conectado à memória porque se engaja com suas redes de memória espacial.
  • Material físico envolve processamento mais emocional, que é importante para a memória e associações de marca.
  • Os materiais físicos produziram mais respostas cerebrais conectadas aos sentimentos internos, sugerindo maior “internalização” dos anúncios.

Podemos concluir que, o marketing tradicional é mais caro e traz mais dificuldades de se mensurar resultados, além da pouca interação com o cliente, por outro lado como os estudos comprovaram o marketing tradicional fixa melhor a marca e a mensagem nas pessoas.

Portanto parece que o ideal é não apostar somente em um tipo de marketing, mas em ambos, o ponto de equilíbrio no investimento em marketing digital e marketing tradicional, dependerá do tamanho e da estratégia da empresa.

Artigo produzido por Dalton Cardoso. Dalton é formado em processamento de dados pela Fatec, concluindo engenharia de produção e empresário da Garlic Decor.