4 ps do marketing

4 Ps do marketing: Aprenda como o mix de marketing pode ser útil para o seu negócio

Uma empresa que não investe em marketing automaticamente terá mais dificuldade para se destacar no mercado.

Uma empresa que não investe em marketing automaticamente terá mais dificuldade para se destacar no mercado.

Qualquer empreendedor deve conhecer um pouco dessa área, compreendendo de que forma ela influencia no negócio e como pode ser aplicada.

E nesse contexto um dos conceitos mais importantes são os 4 Ps do marketing, criados por Phillip Kotler, um renomado autor de marketing.

Produto, preço, praça e promoção são os elementos básicos para qualquer estratégia de marketing.

Sem eles, o empreendedor tem dificuldades em traçar estratégias assertivas, que podem fornecer resultados mais positivos.

Esses elementos formam o chamado composto de marketing. Mas você sabe o que é isso e como aplicar na sua empresa? Entenda melhor a seguir.

O que é composto de marketing?

Também chamado de mix de marketing, esse conceito passa por variáveis que impactam nas decisões empresariais.

Ou seja, esses elementos precisam ser muito bem definidos para que a estratégia dê resultados e os objetivos traçados sejam atingidos.

Isso é conseguido por meio da inter-relação entre produto, preço, praça e promoção, já que esses elementos não são independentes nem podem ser vistos separadamente.

Dessa forma, podemos entender que esse composto prova que o marketing vai muito além da simples divulgação. Na verdade, é uma estratégia que relaciona 4 fatores diferentes para que um resultado positivo seja alcançado.

Assim, é possível agregar funções para que os produtos e serviços sejam adquiridos pelos consumidores.

Veja a seguir explicações sobre cada um dos elementos do mix de marketing.

O que são os 4 Ps do marketing?

4 ps do marketingOs elementos que compõem o composto de marketing possuem características e definições específicas, que, quando alinhadas, permitem que o público-alvo da empresa seja atingido com mais facilidade.

Mas como compreender cada um desses elementos? Quais são os 4 ps do marketing? Acompanhe a seguir:

Produto

Esse elemento está diretamente relacionado à oferta de um produto ou serviço e suas características.

Por isso, são considerados o tamanho, as qualidades físicas, as cores, as funcionalidades existentes, entre outros fatores.

Portanto, o produto refere-se a todos os atributos oferecidos no produto ou serviço ofertado pela empresa aos consumidores.

Ele também relaciona-se com a demanda, já que um produto que não atende à demanda dos consumidores não terá sucesso no mercado. Assim, o produto deve agregar valor, oferecendo benefícios para os consumidores.

Nesse momento, também vale a pena pensar no ciclo de vida do produto ou serviço.

Esse ciclo compreende a introdução, o crescimento, a maturidade e o declínio daquela oferta. Compreendendo como isso funciona, é possível pensar em estratégias.

Por exemplo: até uns 15 anos atrás, a Havaianas era considerado um chinelo usado por pessoas de baixa renda.

O chinelo emborrachado em cores branca e azul ou branca e preto não trazia nenhum status. Pelo contrário, era considerado de mau gosto.

No entanto, em 1994 a empresa verificou que havia uma demanda de mercado para chinelos mais bonitos e coloridos e, por isso, resolveu renovar o produto.

Colocando cores mais fortes e desenhos e inserindo o nome de Havaianas Top para essa linha, o produto caiu no gosto do público.

Outro exemplo é o serviço Easy Taxi. Inovando na área e permitindo chamar um táxi sem precisar ligar para uma central ou para um motorista específico, o app também tem a facilidade de encontrar o taxista mais perto de onde você está e permitir que você acompanhe o trajeto dele, para saber quando está chegando.

Outra facilidade do Easy Taxi é que você pode indicar se precisa de um taxista que aceite cartão de crédito, por exemplo. Assim, evita-se chegar um motorista que não está adequado às suas necessidades naquele momento.

Agora, se você está pensando em como aplicar essas ideias à variável produto, é interessante responder a algumas questões, como:

  • Quais produtos podem atender à demanda existente?
  • Há opções novas que podem ser consideradas?
  • O que pode ser encarado como valor pelo consumidor?
  • Quais são as características necessárias ao produto?
  • Como a empresa pode se diferenciar da concorrência?

    Preço

    Essa é uma das variáveis mais importantes dependendo do perfil de consumidor que se trabalha. Saber quanto e como cobrar por um produto ou serviço é fundamental para ter sucesso.

    O problema é que o preço não está relacionado somente aos custos de produção ou fornecimento do serviço. Essa variável também tem a ver com o valor percebido pelo cliente.

    Por exemplo: você não pagaria R$ 50,00 em uma Havaianas branca e azul, aquele modelo antigo, certo? Mas paga até mais do que isso por um chinelo da marca colorido e assinado por algum estilista.

    É nisso que reside a grande dificuldade de precificar produtos – e é por isso também que esse “P” faz parte da estratégia. Além disso, o preço é o único elemento que gera receitas para a empresa.

    Então, como definir o preço? É preciso considerar alguns fatores, já que o preço deve ser elevado o suficiente para poder gerar lucro, mas não deve desestimular a compra.

    Portanto, o objetivo é que o preço seja atrativo para o público-alvo, considerando suas necessidades, exigências e renda.

    Além disso, existem algumas perguntas que, quando respondidas, ajudam a precificar o produto ou serviço. São elas:

  • Quais são os preços da concorrência?
  • A margem de lucro pode ser reduzida para oferecer descontos?
  • Qual o valor agregado do produto ou serviço?

Praça

Essa variável relaciona-se aos pontos de venda dos produtos. No entanto, quando falamos em e-commerce, a praça é o próprio site.

Assim, a praça está relacionada à logística e a distribuição, já que são esses fatores que disponibilizam os produtos aos consumidores. A partir disso, podemos entender a real importância da praça.

Por exemplo: imagine que você tem uma empresa que vende cestas com produtos personalizados.

A maioria das cestas é de café da manhã, mas uma delas é para ser usada nos jantares, porque contém vinho, chocolates, queijos e frutas.

A ideia é que o cliente faça um foundue romântico com um vinho gostoso.

No entanto, devido a um problema com o fornecedor de queijos, você não tem essa cesta em estoque e um cliente novo queria justamente essa cesta para experimentar o seu produto.

Como você não tem disponível a pronta entrega, ele desiste da compra e adquire do concorrente.

Esse é um claro problema de logística, que não somente encaminha o consumidor para a concorrência como também faz com que ele não queira mais experimentar o seu produto. Ou seja, você perdeu um cliente em potencial.

Portanto, escolher o melhor canal de distribuição e saber instalar os pontos de venda físicos (quando for o caso) em locais adequados são decisões fundamentais para trabalhar essa variável.

Assim, se você pretende abrir uma joalheira, não irá instalá-la em um bairro considerado de baixa renda, porque não há muita demanda. Da mesma forma, uma loja de 1,99 não terá aceitação em um bairro de luxo.

Por isso, na hora de pensar na variável praça, considere as seguintes questões:

  • Qual ponto gera mais visualização e valorização dos produtos ou serviços?
  • Qual o melhor meio de comercialização (loja física, online etc.)?
  • Será necessário ter uma equipe de vendedores?
  • Quais são as práticas da concorrência?
  • É interessante participar de feiras, workshops ou apresentações online?

    Promoção

    O que se deve considerar nesse caso são as estratégias de divulgação que devem ser utilizadas.

    Algumas das ferramentas que podem ser adotadas são marketing direto, marketing digital, ações promocionais de vendas etc.

    Para entender melhor, vamos voltar ao exemplo da Havaianas. Você viu que a empresa reformulou o produto e, por isso, ele passou a ser aceito.

    Mas é claro que a variável promoção também foi fundamental nesse processo. Sem isso, o chinelo não estaria sendo exportado para outros países.

    Então, qual foi a ação promocional da Havaianas? Na época, em 1994, a marca optou por criar uma propaganda engraçada e bem humorada, chamando a atenção do público-alvo. A estratégia deu tão certo que é utilizada até hoje.

    Já no caso da Easy Taxi, se formos voltar a esse segundo exemplo, não houve grande campanha offline, mas sim online.

    O app aproveitou para investir no marketing digital e criou campanhas e links patrocinados para que os usuários baixassem o app e experimentassem o serviço.

    A partir disso, virou um boca a boca offline e online que fez com que o Easy Taxi ficasse conhecido no mundo todo.

    E assim como nas outras variáveis, também existem algumas questões que ajudam a pensar melhor a respeito das ações promocionais. Nesse caso, as perguntas a responder são:

  • Qual é o melhor meio para divulgar o produto ou serviço (redes sociais, jornais, rádio, links patrocinados etc.)?
  • Qual o momento ideal para promover o produto ou serviço?
  • Há períodos de sazonalidade no mercado?
  • Quais são as estratégias de promoção utilizadas pela concorrência?

Como os 4 Ps evoluíram?

Os conceitos de produto, preço, praça e promoção continuam sendo válidos, mas são utilizados de maneira diferente.

Com o advento da tecnologia, alguns conceitos foram parcialmente modificados.

Por exemplo: praça refere-se a ponto de venda, mas também pode indicar o site do e-commerce, como foi mencionado.

Nesse cenário, vale a pena lembrar do inbound marketing e marketing de conteúdo, novas formas de atração de clientes, ou seja, de promoção do produto.

Dessa forma, é evidente que, antes, o marketing tinha o produto como centro de sua estratégia.

No entanto, agora o foco é o cliente e seus desejos e necessidades.

Portanto, considerar o público-alvo é fundamental antes de traçar uma estratégia de marketing e de posicionamento da marca ou do produto.

O composto de marketing, então, continua sendo utilizado, mas deve se basear no cliente, que hoje é o principal elemento de qualquer estratégia de marketing.

Assim, apesar de serem muito relevantes para o marketing, as variáveis produto, preço, praça e promoção acabaram evoluindo e, atualmente, existem os 8 Ps.

Isso não significa que o marketing tradicional tenha morrido e sido substituído. Na verdade, ele foi apenas ajustado conforme a demanda do mercado nos dias de hoje.

É claro que os elementos já vistos são os principais, mas você também pode considerar essas outras 4 variáveis.

8 ps do marketing

Veja quais são elas:

Processo

São os procedimentos adotados pela empresa para que o produto seja fabricado ou o serviço, prestado.

Estão envolvidos nessa variável os procedimentos, os fluxos e as metodologias de trabalho realizados.

Seguindo boas práticas, o empreendedor pode aumenta sua produtividade e tem mais assertividade, elevando a qualidade do produto final.

Palpabilidade

Comumente chamada de evidência física, essa é a percepção que o cliente tem do ambiente que está fornecendo o serviço ou oferecendo o produto.

É a história daquele ditado: “a primeira impressão é a que fica”.

Portanto, a palpabilidade é relativa à apresentação dos funcionários, aos cartões de visita, às instalações, à fachada do estabelecimento, aos equipamentos utilizados etc.

No caso do e-commerce, podemos entender a palpabilidade como sendo o site nos quesitos usabilidade, layout, organização, entre outros elementos.

Pessoas

Nesse contexto, refere-se aos colaboradores e não aos clientes.

Estão abrangidos aqui desde os funcionários internos até colaboradores externos, terceirizados e parceiros.

Ou seja, é qualquer mão de obra que esteja envolvida com o processo de produção ou fornecimento do produto ou serviço.

Nesse caso, a empresa deve fornecer a capacitação e o treinamento necessários, além de motivar os funcionários e incentivá-los a fornecer as orientações necessárias ao cliente.

Assim, o cliente estará satisfeito e poderá ser fidelizado.

Produtividade e qualidade

Esse último “P” referem-se, obviamente, à produtividade da equipe a à qualidade do produto.

Essas variáveis são fundamentais para qualquer empresa, independentemente do porte ou do segmento de atuação.

No caso da prestação de serviços é ainda mais relevante, porque ser a chave que determina o fracasso ou o sucesso do empreendedor.

Assim, podemos entender que o composto de marketing continua sendo muito importante para traçar as estratégias da empresa.

Partindo das 4 variáveis básicas, o empreendedor pode definir uma série de ações e delimitar caminhos que podem ser percorridos.

Estes são os 4 conceitos essenciais cunhados por Phillip Kotler. Quer conhecer ainda mais o trabalho de Kotler? Recomendamos o livro Marketing 3.0 (resumo aqui).

Agora que você já sabe sobre os 4 Ps, que tal conhecer melhor sobre o marketing de conteúdo? Essa estratégia pode aumentar as vendas da sua empresa e fidelizar clientes.

Para saber mais, leia o post Saiba como alavancar o sucesso da sua empresa com o marketing de conteúdo!