10 armadilhas para o negócio da sua vidaPlataforma Brasil feito especialmente para os leitores do Saia do Lugar.
Por: Gustavo Chierighini, fundador da Plataforma Brasil Editorial.

">

10 armadilhas para o negócio da sua vida

Um sumário do que empreendedores, no começo ou qualquer outra fase, devem sempre NÃO fazer

Este texto faz parte da coluna da Plataforma Brasil feito especialmente para os leitores do Saia do Lugar.
Por: Gustavo Chierighini, fundador da Plataforma Brasil Editorial.

Caro leitor, construir um negócio que se prove viável não é tarefa para qualquer cidadão. Certamente não é um passeio no bosque e se assemelha muito mais a um combate de infantaria, com pouca munição, e repleto de adversidades. Noites sem dormir, madrugadas de incerteza e uma natural insegurança fazem parte do cotidiano do empreendedor que se arrisca na busca dos seus sonhos.

Ele será recompensado? Não sabemos, mas jamais poderão dizer que não lutou ou não teve coragem de criar o seu destino. Até aqui tudo muito conhecido, ou seja, um caminho árduo, e repleto de obstáculos.

Contudo, destruir algo que se construiu é obviamente muito mais fácil, e claro, leva invariavelmente pouco tempo. Então meu amigo, se decididamente não for esse o seu caso, destacamos abaixo uma lista com 10 armadilhas compostas por atitudes e passos que devem ser evitados a todo e qualquer custo.

Vamos lá:

1-  Ao fechar o primeiro grande contrato, inunde a sua percepção de que de agora em diante tudo vai dar certo e passe a gastar por conta, tendo a certeza de que muitos outros virão.

2- Se você está começando e antes trabalhava em uma grande empresa como executivo, de forma alguma deixe de lado as comodidades de antigamente. Jamais comece a sua pequena empresa sem uma boa secretária bilíngue, nunca se estabeleça em um endereço modesto com um pequeno espaço, e invista pesado na decoração.

3- Logo no início, independentemente do porte do seu negócio ou mesmo da necessidade, trabalhe duro para adequar a sua cultura empresarial aos modismos de gestão da ocasião. Persiga-os nas publicações especializadas, investindo tempo e dinheiro nisso.

4- Não se preocupe em ter um bom contador, e não perca tempo com a questão administrativa e documental.

5- Mantenha sempre um cego e exuberante otimismo, pois ser pragmático e cuidadoso representam comportamentos retrógados e conservadores que em nada representam os novos tempos de crescimento ininterrupto e progresso sem fim. Não perca o seu tempo avaliando os riscos, e deixe de uma vez por todas os pensamentos negativos para trás.

6- Reaja com irritação, sempre que escutar um relato ou análise sobre determinado problema, que não coincida com a sua opinião.

7- Peça sugestões para os problemas e questões da empresa, mas ao escutá-las apoie apenas e exclusivamente aquelas ou aquela pessoa que expressou ideias que coincidam com as suas.

8- Fortaleça e promova única e exclusivamente os colaboradores que lhe dirijam elogios, reconhecimento, aceitação e apoio como chefe.

9- No trato com seus colaboradores e ao transmitir instruções ou orientações, não seja prático ou direto. Adote uma comunicação oblíqua, difusa, holística e rarefeita. Abandone para sempre o hábito da objetividade.

10- Combata as atitudes e posicionamentos dotados de personalidade e senso crítico, promovendo sempre o “senso comum” e as “frases de efeito”.

Boa sorte e muito cuidado.

Plataforma Brasil Editorial atua como uma agência independente na produção de conteúdo e informação.

Está começando a empreender? Então confira o que temos de melhor no assunto na seção Como começar empresa.

  • Esther

    Muito boa a matéria, gostei bastante. No item 3 além de não ter um bom contador, muitos empreendedores erram por não registrarem e analisarem as informações financeiras fundamentais na gestão do negócio.

    Muitos dão como desculpa a dificuldade de realizar uma boa análise financeira pela complexidade das planilhas, mas hoje em dia é muito mais fácil com a utilização de software na web. Por exemplo o sistema financeiro inFinance já gera os relatórios de fluxo de caixa e resultado sem grandes esforços, somente com o registro e classificação dos recebimentos e pagamentos da empresa.

    Acho que não há desculpas, muitos negócios vão a falência por conta de falta de gestão, mas na verdade falta mesmo é uma conscientização e disciplina dos empresários para dar o primeiro passo em direção a organização e seguir a diante.